A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Apol1 de elites e poder nathalia ciencia politica

Pré-visualização | Página 1 de 7

Elites e Poder Nathalia Relações Internacionais – Rio de Janeiro – Petrópolis 
Apol 1 – Primeira Prova 
1) “Numa crítica contundente aos meios de comunicação de massa, Wright Mills diz que os ouvintes têm o seu "quadro mental" moldado por esses meios; eles não têm mais a capacidade de confrontar a sua visão e sua experiência de mundo com a visão e experiência de outros” (Adaptado). PERISSINOTTO, R. M.; COSTA, L. D.; MASSIMO, L. As Elites Políticas: questões de teoria e método. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2018 (Capítulo 4).
Tendo como base a contextualização acima, classifique como verdadeiras (V) ou falsas (F) as afirmativas abaixo (que tratam da ideia de massa na concepção de Mills), e depois assinale a alternativa que possui a sequência correta.
I. Para Mills, diferentemente dos clássicos, a massa é formada por um conjunto de indivíduos com capacidade para participar de uma discussão de maneira independente e voluntária, emitindo, portanto, uma opinião também independente e voluntária.
II. Para Mills, assim como para os clássicos, a massa é entendida como uma coletividade amorfa, composta por elementos irracionais e sem liberdade, contraposta ao indivíduo autônomo e livre.
III. Para Mills, assim como para os clássicos, o caráter impulsivo e emotivo das massas é explicado por traços estritamente psicológicos naturais e imutáveis.
IV. Segundo Mills, diferentemente dos clássicos, é importante atentar para o fato de que a massa é aquela que “monopoliza” os recursos de poder e os utiliza em benefício próprio.
R: C) F, V, F, F
2) “Segundo Pareto, a desigualdade entre os homens não afeta apenas os indivíduos isoladamente. Em toda sociedade humana, diz ele, existem grupos de homens desiguais. Assim, continua, "o mínimo que podemos fazer é dividir a sociedade em dois estratos, isto é, um estrato superior ... e um estrato inferior... ". Os estratos superiores são chamados de elite ou classe eleita, que é formada por aqueles indivíduos que têm os mais elevados índices nas suas respectivas atividades. Ou seja, em cada ramo da atividade humana existem aqueles indivíduos que obtêm o melhor desempenho, os que desenvolvem um desempenho mediano e os que quase sempre fracassam. Portanto, o termo “elite” em Pareto está muito próximo do seu significado etimológico original, que designa exatamente “os melhores” ou “os eleitos” (Adaptado). 
Fonte: PERISSINOTTO, R. M.; COSTA, L. D.; MASSIMO, L. As Elites Políticas: questões de teoria e método. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2018 (Capítulo 2).
Tendo como base a contextualização acima, sobre a distinção paretiana entre elite governante e elite não governante, analise as afirmativas abaixo, assinalando V para verdadeiro ou F para falso. Após assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
I. A elite governante é formada por aqueles que, direta ou indiretamente, participam de modo considerável do governo.
II. A elite governante é formada por aqueles que conseguem influenciar decisões políticas graças aos importantes recursos sociais que controlam (dinheiro, cultura, religião, saber etc.).
III. A elite não governante é formada, principalmente, por candidatos que disputaram eleições e foram derrotados nas urnas.
IV. A elite não governante se refere ao conjunto de indivíduos que compõem as elites, mas não exercem o comando político.
C) V, V, F, V
3) “Segundo Heloísa Fernandes, Charles Wright Mills foi sempre um sociólogo preocupado com os "sem-poder", atento ao problema da dominação política, da democracia e dos pequenos proprietários. Influenciado pelo pragmatismo filosófico de John Dewey, para o sociólogo norte-americano, a atividade intelectual só poderia existir enquanto atividade crítica voltada para a aplicação prática. Assim, para ele, era fundamental forjar uma sociologia que colocasse a verdade a serviço dos dominados. Por essa razão, Wright Mills defendia uma "política da verdade" contra a mentira dos poderosos e dos meios de comunicação”.
Fonte: PERISSINOTTO, R. M.; COSTA, L., D; MASSIMO, L. As Elites Políticas: questões de teoria e método. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2018 (Capítulo 4).
Levando em consideração a contextualização acima, analise os enunciados abaixo e responda a seguinte questão: qual concepção de democracia corresponde com a de Wright Mills?
A) Mills clamava pela participação política do cidadão médio, pela participação do homem comum nas decisões políticas. Para ele, quanto mais democracia menos autoritarismo por parte dos poderosos.
4)  “A classe política justifica o seu poder valendo-se de uma “fórmula política”, que é capaz de convencer os homens a respeito da legitimidade do seu domínio não porque seja uma verdade científica, mas sim porque expressa um conjunto de crenças e valores partilhados pelos membros de uma sociedade. Isso não quer dizer que uma classe política seja capaz de exercer o seu domínio eternamente. Na verdade, uma minoria dominante tende à decadência e, nesse processo, passa a ser ameaçada por outra minoria em ascensão. Nesse sentido, à queda de uma minoria dominante nunca se segue o domínio da maioria, mas sim de uma nova minoria”.
Fonte: PERISSINOTTO, R. M.; COSTA, L., D; MASSIMO, L. As Elites Políticas: questões de teoria e método. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2018 (Capítulo 1).
Com base na teoria elitista de Gaetano Mosca, assinale a alternativa que descreve corretamente como as minorias dominam maiorias, na concepção do autor.
A) Um grupo, para dominar, precisa ser minoria (viabilidade técnica da ação conjunta e organizada), mas isso não é suficiente; precisa também ter interesses em comum (o que gera uma motivação para agir coletivamente e impor o seu domínio sobre outros grupos).
5) De acordo com Wright Mills: "Atrás destes [homens que tomam as decisões]... estão as principais instituições da sociedade moderna. Essas hierarquias do Estado, empresas e exército constituem os meios de poder, e como tal são hoje de uma importância sem antecedentes na história humana - e em sua cúpula estão os pontos de comando da sociedade moderna, que nos proporcionam a chave sociológica da compreensão do papel das altas rodas na América. Dentro da sociedade americana, a base do poderio nacional está hoje nos domínios econômico, político e militar. As demais instituições são marginais para a história moderna e, ocasionalmente, subordinadas àquelas três".
Fonte: PERISSINOTTO, R. M.; COSTA, L., D; MASSIMO, L. As Elites Políticas: questões de teoria e método. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2018 (Capítulo 4).
Tendo como base os ensinamentos do professor Luiz Domingos, acerca dos passos metodológicos adotados por Wright Mills em “A Elite do Poder”, analise as opções abaixo e marque V para verdadeiro ou F para falso:
I. O primeiro passo é identificar as ordens sociais mais importantes da estrutura social.
II. O segundo passo é descrever as ordens institucionais identificadas.
III. O terceiro passo é descrever as relações entre as ordens institucionais.
IV. O quarto passo é a delimitação do grupo, sua extensão e sua unidade.
C)V, V, V, V
6) O ponto de partida do livro “A elite do poder” de Wright Mills é o reconhecimento de que, ao contrário do que pensam outros autores, a sociedade americana é uma sociedade controlada por uma minoria poderosa em oposição a uma maioria desprovida de poder. No entanto, diferentemente dos clássicos, Wright Mills não transforma essa afirmação numa lei sociológica universal. Diz ele: "não é minha tese a de que em todas as épocas da história humana e em todas as nações, uma minoria criadora, uma classe dirigente, uma elite onipotente, condiciona os fatos históricos". Para ele, a existência ou não de uma elite do poder, a sua natureza e as dimensões do seu poder são elementos historicamente condicionados. "Para cada época e cada estrutura social devemos procurar uma resposta à questão do poder da elite” (Adaptado).
Fonte: PERISSINOTTO, R. M.; COSTA, L., D; MASSIMO, L. As Elites Políticas: questões de teoria e método. 2. ed. Curitiba: InterSaberes, 2018 (Capítulo 4).
Com