A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
204 pág.
LIVRO_TELECOMUNICAÇÕES

Pré-visualização | Página 7 de 46

corrigir os dados que foram corrompidos. Um processo para 
decodificar o código de canal e de fonte é aplicado e a informação 
original é recuperada, conforme aponta Cover (2006).
U1 - Introdução às telecomunicações28
primeiro passo é o da geração de um sinal de mensagem, que pode 
ser voz, música, imagem ou texto. Em seguida, esse sinal é descrito 
por meio de um conjunto de símbolos que podem ser, dependendo 
da tecnologia, elétricos, visuais ou auditivos. Estes símbolos passam 
por uma etapa de codificação em uma forma apropriada ao meio 
de transmissão físico. Uma vez que os símbolos estão codificados 
adequadamente, eles passam por um meio físico até o ponto de 
recepção desejado. Os símbolos são decodificados e o sinal é 
recuperado; este é uma cópia quase fiel do sinal original apesar da 
degradação causado pelo meio físico durante a propagação, segundo 
Haykin(2004).
Todo processo básico de comunicação pode ser minimizado 
em um diagrama de blocos contendo três elementos principais: 
transmissor, canal e receptor. A Figura 1.3 ilustra um diagrama de 
sistema de comunicações e apresenta exemplos. O canal sempre se 
encontra no meio, já o transmissor e o receptor sempre se encontram 
em pontas opostas. O objetivo do transmissor é transformar o sinal 
de mensagem produzido pela fonte de informação em uma forma 
adequada que permita o fluxo natural pelo canal físico. Entretanto, 
pelo fato de o canal não ser ideal e perfeito, o sinal se degrada ao 
longo de sua jornada. As imperfeições do canal podem ser devido à 
interferência (que surge de outras fontes) ou ruído que se somam ao 
sinal propagado. Ao chegar ao receptor, este tem a tarefa de operar 
sobre o sinal de forma a reconstruir uma cópia do sinal original que foi 
inicialmente transmitido, como aponta Haykin (2004).
O modo básico de comunicação não se restringe à comunicação 
em dois pontos distantes. Na verdade existem dois: radiodifusão e 
comunicação ponto a ponto. A radiodifusão envolve a utilização 
de uma transmissora central que opera com alta potência em uma 
área onde existem vários receptores espalhados. Nesta configuração, 
geralmente o transmissor é mais caro por ser mais elaborado e 
o receptor é mais simples para que seja acessível para os usuários. 
Neste modo, o sinal flui apenas em uma direção. O exemplo que 
conhecemos é das rádios AM, FM e televisão. Já na comunicação 
ponto a ponto, o processo se estabelece por enlaces. Neste modo, 
é muito comum que os pontos de comunicação sejam transmissor 
e receptor ao mesmo tempo. Assim, o fluxo de comunicação 
bidirecional pode ser estabelecido. Outro exemplo comum são 
os rádios push to talk (PPT), geralmente utilizados por policiais e 
bombeiros, de acordo com Haykin (2004).
U1 - Introdução às telecomunicações 29
O meio de comunicação mais comum e primário é a fala. Ele 
está representado na Figura 1.3 pelo item “a”. Assim como qualquer 
sistema de comunicação, também pode ser particionado em 
transmissor, canal e receptor. As pessoas utilizam comunicação 
verbal, isto é, produzem sons, que estão relacionados com as ideias 
que desejam transmitir. As cordas vocais existentes no aparelho vocal 
vibram e produzem ondas sonoras que se propagam pelo ar. O 
aparelho vocal pode produzir diversos tipos de sons. No momento 
da fala, um sistema complexo atua sobre a frequência das cordas 
vocais. A boca e o nariz também fazem parte do mesmo sistema 
e atuam no conteúdo espectral do som funcionando como filtros 
Assimile
Esta figura mostra como um sistema de comunicação pode ser 
particionado e alguns exemplos de sistemas reais são apresentados. 
Note que o meio físico, representado pelo canal, é geralmente diferente 
e que as interfaces também são de tipos diferentes, por exemplo, a 
antena ou o laser da fibra óptica. A seguir vamos discutir detalhes sobre 
cada um deles, de acordo com Haykin (2004).
Figura 1.3 | Tipos de sistemas de telecomunicação
U1 - Introdução às telecomunicações30
equalizadores. O som da fala atinge o ouvido humano e faz vibrar 
uma membrana delicada. Esta membrana transmite a vibração para 
elementos sensoriais através de um conjunto de ossos minúsculos. 
Os sinais vocais são interpretados pelo cérebro e a pessoa entende a 
mensagem, de acordo com Haykin (2004).
O item “b” da Figura 1.3 é um sistema que utiliza um fio metálico 
para a propagação do sinal que se deseja transmitir. A exploração das 
propriedades da eletricidade foi uma das primeiras tentativas bem-
sucedidas da história para a comunicação por longas distâncias, 
conforme fora discutido na Seção 1.1. O telégrafo e o telefone 
utilizaram as propriedades elétricas para codificar mensagens e 
reproduzir sons através de fios. Logo depois, sistemas elétricos 
podiam comutar ligação entre vários assinantes, tornando o acesso 
ao sistema mais conveniente. Foi o tipo de sistema que marcou o 
nascimento da indústria das telecomunicações, conectando regiões 
distantes e facilitando negócios, de acordo com Haykin (2004).
Em um dado momento, descobriu-se que a comunicação por 
longas distâncias também era eficiente utilizando-se a luz. Este sistema 
é representado na Figura 1.3 pelo item “c”. Para a comunicação, incide-
-se luz de laser em uma das pontas de uma fibra óptica, que funciona 
como meio físico de propagação. A fibra é um filamento flexível de 
pequeno diâmetro e construído com material plástico ou vidro que 
tem um formato especial para conduzir a luz com um rendimento 
elevado. A fibra óptica tem uma grande vantagem em relação 
ao par metálico por ser um material que não sofre interferências 
eletromagnéticas. Devido ao seu custo e tamanho reduzido, a fibra 
ocupa menos espaço, resultando em um aumento da densidade 
de tráfego de informação por um preço menor, conforme aponta 
Haykin (2004). 
O rádio é um meio de comunicação por longa distância muito 
importante. Este sistema é representado na Figura 1.3 pelo item 
“d”, e o meio de propagação físico é apenas o espaço. As ondas 
eletromagnéticas têm a interessante propriedade de poder se propagar 
pelo espaço físico material e imaterial. Os transmissores de rádio 
exploram as propriedades destas ondas para transmitir mensagens 
por grandes distâncias, por exemplo, variando a intensidade da onda 
eletromagnética que está sendo transmitida. Este é um processo 
chamado de modulação, que pode ser a variação da amplitude, 
frequência ou fase da onda eletromagnética. A mensagem transmitida 
deixa o aparelho transmissor na forma de onda eletromagnética pela 
U1 - Introdução às telecomunicações 31
antena e se propaga pelo espaço. Quando a onda atinge o receptor, 
um esquema semelhante ao do transmissor realiza a função inversa. 
A função inversa é chamada de demodulação, que recompõe a 
mensagem que foi transportada pela onda eletromagnética que 
atingiu a antena. A grande vantagem do rádio é não precisar de 
meios físicos para transmitir mensagens, necessitando apenas do 
transmissor, receptor e o espaço (canal). Por outro lado, o espaço 
físico é um recurso limitado e este deve ser compartilhado pelos 
usuários que participam do sistema. Ainda assim, o problema é 
atenuado por tecnologias que podem separar assinantes de forma 
bem eficiente, com técnicas que exploram o espaço, a frequência ou 
o tempo, ainda de acordo com Haykin (2004).
Você tem agora uma responsabilidade ainda maior que antes. 
Desta vez, você é chamado para oferecer um curso introdutório 
sobre conceitos básicos de telecomunicação. Esta será uma grande 
oportunidade para desenvolver as próprias habilidades de professor. 
Visto que o seu principal objetivo é idealizar um minicurso introdutório, 
você escolhe os assuntos mais focados em conceitos básicos e 
fundamentais. 
Pouco tempo depois, você começa a preparar o conteúdo de 
seu minicurso. Você imagina que seria uma excelente ideia retomar 
algumas informações