A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Exercício tecnicas histoqumicas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Atividade avaliativa - REO 3 
Nome: ​Letícia Adriele Santana ​ Matrícula: ​201520422 
 
1 - Marque a alternativa que apresenta a sequência correta necessária para a                         
coloração de tecido incluído em parafina: 
RESPOSTA CORRETA: ​d) Acondicionamento em estufa a 60°C por 20 minutos,                     
desparafinização, hidratação, corantes, desidratação, remoção do etanol em xilol e                   
montagem das lâminas. 
 
2 - Em relação às técnicas histoquímicas, relacione a primeira coluna (nome da                         
técnica) com a segunda (função): 
1- Ácido Periódico-Schiff (PAS) A - Identificação de colágeno em tecido muscular. 
2- Tricrômico de Masson B - Identificação de material cromossômico 
3- Método de Feulgen C - Identificação de proteínas 
4- Azul de Bromofenol D- Identificação de glicogênio em tecidos. 
5- Azul de toluidina E - Identificação de mastócitos 
A sequência correta é: 
RESPOSTA CORRETA: ​b) 1-D; 2A; 3-B; 4-C; 5-E. 
 
3 - ​Marque a alternativa correta em relação a montagem de lâminas e captura de                             
imagens: 
RESPOSTA CORRETA: b) Em caso de formação de bolhas após a adição da lamínula,                           
deve-se pressioná-la suavemente para a remoção das bolhas. 
 
4 - Na imunohistoquímica que utiliza um anticorpo policlonal como primário e um                         
anticorpo anti-IgG de coelho gerado em cabra como secundário, o único bloqueio                       
prejudicial ao experimento é: 
RESPOSTA CORRETA:​ a) Soro de coelho 
 
5 - ​Escolha um método histoquímico do manual de técnicas histológicas ou algum                         
outro método histoquímico de seu interesse. Descreva o princípio da técnica. Procure                       
um artigo que fez o uso desta técnica e descreva os principais resultados do artigo                             
em relação à coloração diferencial. De que forma a histoquímica auxiliou para a                         
resolução do problema/hipótese apresentado neste artigo. O artigo pode ser em                     
português. (5 pontos) 
- Técnica de ​ Picrosirius  
“O método de Tricrômico de Picrosirius consiste basicamente na coloração da                     
proteína colágeno. As fibras colágenas mais espessas, fortemente birrefringentes                 
apresentam-se coradas em tons de laranja, amarelo e vermelho e representam o                       
colágeno tipo I, enquanto que as fibras mais finas e dispersas, fracamente                       
birrefringente, apresentam-se coradas em verde, representando o colágeno tipo III. ” 
Técnica de Picrosirius pela descrição de DANYAN et al. (1989)                   
(​https://doi.org/10.1007/BF00266843 ​): 
1. Desparafinização e hidratação com água destilada; 
2. Encubação dos cortes por 1 hora à temperatura ambiente em Sirius red a                         
0,1%, em solução saturada de ácido pícrico; 
3. Imersão em ácido acético a 1% por 30 minutos; 
4. Água destilada por 10 segundos, por 3 vezes (lavagem); 
5. Hematoxilina de Mayer por 5 minutos; 
6. Diferenciação em ácido clorídrico a 1% em álcool a 70% por alguns                       
segundos; 
7. Alcalinização por água corrente, 10 minutos (lavar); 
8. Secagem e montagem da lâmina. 
 
- Artigo: Caracterização de colágenos tipos I e III no estroma do carcinoma de                         
células escamosas cutâneo em cães         
(​https://www.scielo.br/pdf/abmvz/v68n1/0102-0935-abmvz-68-01-00147.pdf​) 
● Os cortes histológicos corados com HE foram observados para confirmar o                       
diagnóstico e definir o grau de diferenciação tumoral. Os tumores foram classificados,                       
de acordo com suas características histológicas, em bem diferenciado ou pouco                     
diferenciado. Nessa coloração não é possível a diferenciação das fibras colágenas do                       
tipo I e do tipo III. 
Através da coloração de ​picrosirius ​(coloração diferencial utilizada) sob luz                   
polarizada foi possível a visualização do colágeno tipo I; foi observado que as fibras                           
colágenas do tipo I eram dominantes, estavam distribuídas irregularmente e dispostas                     
como grandes bandas de diferentes comprimentos que separavam os cordões                   
compactos ou ninhos, os quais, com frequência, rodeavam parcial ou                   
descontinuamente a área neoplásica. Havia desorganização e fragmentação               
acentuada das fibras colágenas do tipo I nos diferentes graus de diferenciação                       
tumoral, sendo menos marcada nos carcinomas de células escamosas bem                   
diferenciados (identificados e classificados por coloração HE). As fibras colágenas                   
tipo III distribuíram-se por áreas escassas; foram observadas em pouca quantidade,                     
com tamanhos e formas variadas distribuídas no estroma neoplásico. 
● A pesquisa na qual foi escrito o artigo desejava-se caracterizar as fibras de                           
colágenos tipos I e III no estroma de carcinoma de células escamosas (CCE) cutâneo                           
em cães, segundo o grau de diferenciação neoplásica. E concluiu-se que foi possível                         
observar alterações de composição e diferenciação das fibras clágenas com a                     
coloração citada e que houve predomínio do colágeno tipo I nos diferentes graus de                           
diferenciação tumoral, porém não houve diferença na expressão desse tipo de                     
colágeno entre os graus; há maior expressão de colágeno tipo III nos CCEs cutâneos                           
bem diferenciados que nos CCEs cutâneos poucos diferenciados. 
 
 
6 -​ Download do Image J realizado.  
https://doi.org/10.1007/BF00266843
https://www.scielo.br/pdf/abmvz/v68n1/0102-0935-abmvz-68-01-00147.pdf