A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
atividades filme tempos modernos Charles Cheplin e musica Fábrica- legiao urbana mais valia

Pré-visualização | Página 1 de 1

O filme conta a história de um operário e uma jovem. O primeiro (Charles Chaplin) é um operário de 
uma grande fábrica que desempenha um trabalho repetitivo. De tanto apertar parafusos, o rapaz tem 
problemas de stress e, perde a razão de tal forma que pensa que deve apertar tudo o que se parece 
com parafusos. Ele é despedido e acaba internado. Logo sai do hospital, mas com a eterna ameaça 
de estafa que a vida moderna impõe: a correria diária, a poluição sonora, as confusões entre as 
pessoas, os congestionamentos, as multidões nas ruas, o desemprego, a fome, a miséria... 
Logo que sai do hospital, se depara com a fábrica fechada. Ao passar pela rua, nota um pano 
vermelho caindo de um caminhão. Ao empunhar o pano na tentativa de devolvê-lo, atrai um grupo de 
manifestantes. Por engano, a polícia o prende como líder comunista, simplesmente pelo fato de ele 
estar agitando um pano vermelho, parecido com uma bandeira, em frente a uma manifestação. 
Após passar um tempo preso, o operário é solto.  Nesse momento, surge a outra personagem do filme, "a moça – uma menina do cais que se recusa a passar fome". A jovem (Paulette Goddard), vivendo na miséria, tem de roubar alimentos para comer, pois, além disso, mora com as suas duas irmãs menores, seu pai está desempregado e as três são órfãs de mãe. O pai morre durante uma manifestação de desempregados e as duas pequenas são internadas em um orfanato. A moça foge para não ser internada e volta a roubar comida. Numa de suas investidas, ela conhece o operário: depois de roubar um pão polícia vai prendê-la e o operário assume a autoria do assalto. A polícia o prende, mas o solta em seguida após descobrir o engano. Quando vê a moça sendo presa, o operário arma um esquema para ser preso também. Eles são colocados no mesmo camburão e, durante um acidente com o carro, os dois fogem. O filme focaliza a vida urbana nos Estados Unidos nos anos 30, após a crise de 1929, quando a depressão atingiu toda sociedade norte-americana, levando grande parte da população ao desemprego e à fome. Focaliza também a vida na sociedade industrial caracterizada pelo sistema de produção em linha de montagem e especialização do trabalho. É uma crítica à "modernidade" e ao capitalismo representado pelo modelo de industrialização, onde o operário é engolido pelo poder do capital e perseguido por suas ideias "subversivas".  A implantação do sistema de esteiras móveis nas fábricas tinha como finalidade aumentar a produtividade e só trouxe benefícios para a classe patronal, que se ganhou lucro através do processo de mais valia. Enquanto os operários eram cada vez mais explorados, não tinham os seus direitos trabalhistas respeitados e eram obrigados a produzirem sempre mais, fato que deixava-os muitas vezes neuróticos(robotizados). E em virtude da insatisfação da classe operária surgiram os movimentos grevistas, que reivindicavam melhorias salariais e nas condições de trabalho. Esses movimentos foram reprimidos pelos patrões, e autoridades policiais. Apesar dessa situação adversa, que prevalece até hoje, o operariado sonha em ter sua casa própria, constituir família e participar da vida social. Só que na maioria das vezes esses sonhos não se tornam realidade porque a precária condição econômica e social imposta ao trabalhador não lhe permite saciar suas necessidades pessoais e primordiais, tais como: as de caráter sociais, financeiras, habitacionais, nutricionais etc. Assim sendo, a classe trabalhadora fica cada vez excluída da sociedade (segregação social) onde a sociedade capitalista que explora o proletariado que alimenta todo conforto e diversão para burguesia.
ATIVIDADES
	1. Quais os representantes da classe alta e da classe baixa são apresentados no texto?
2. Que tipo de trabalho é realizado pelo operário na fábrica?
3. O que acontece com o operário por causa do desgaste em seu trabalho?
4. De acordo com o texto, quais são as ameaças impostas pela vida moderna?
5. O operário foi preso por duas vezes, quais foram os dois motivos?
6. Cite dois problemas enfrentados pela família da moça do filme?
7. Onde acontece a história e em que contexto histórico?
8. Quais foram as consequências da crise de 1929(Quebra da bolsa de valores) para os EUA?
9. Quais as duas características do sistema de produção industrial da época?
10. Cite uma ideia dos operários, considerada "subversiva" pela classe patronal capitalista?
11. Como é o nome do sistema de produção retratado ao lado?
	
	
 HYPERLINK "http://3.bp.blogspot.com/-YxXfxggp780/TcPK6t69uvI/AAAAAAAAAw8/www5Dizkd-g/s1600/sacou.jpg" 
 HYPERLINK "http://3.bp.blogspot.com/-YxXfxggp780/TcPK6t69uvI/AAAAAAAAAw8/www5Dizkd-g/s1600/sacou.jpg" 
 HYPERLINK "http://3.bp.blogspot.com/-YxXfxggp780/TcPK6t69uvI/AAAAAAAAAw8/www5Dizkd-g/s1600/sacou.jpg" 
	
 HYPERLINK "http://3.bp.blogspot.com/-YxXfxggp780/TcPK6t69uvI/AAAAAAAAAw8/www5Dizkd-g/s1600/sacou.jpg" 
 HYPERLINK "http://3.bp.blogspot.com/-YxXfxggp780/TcPK6t69uvI/AAAAAAAAAw8/www5Dizkd-g/s1600/sacou.jpg" 
12. O processo de mais valia é descrito nos quadrinhos acima. Explique com suas palavras o que significa mais valia.
	
 / Legião Urbana
Nosso dia vai chegar
Teremos nossa vez
Não é pedir demais:
Quero justiça
Quero trabalhar em paz
Não é muito o que lhe peço
Eu quero um trabalho honesto
	Em vez de escravidão 
Deve haver algum lugar
Onde o mais forte não
Consegue escravizar
Quem não tem chance 
onde vem a indiferença
Temperada a ferro e fogo?
Quem guarda os portões da fábrica?
	O céu já foi azul, mas agora é cinza
O que era verde aqui já não existe mais
Quem me dera acreditar
Que não acontece nada
De tanto brincar com fogo
Que venha o fogo então
Esse ar deixou minha vista cansada
Nada demais (x4) 
Link: http://www.vagalume.com.br/legiao-urbana/fabrica.html#ixzz37NVVIq61
13. Qual é o gênero do texto acima? 14. Quem você acha que é o narrador do texto?
15. Copie o verso que mostra a consequência da industrialização para o meio ambiente e diga o que significa.
�