A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Resumindo o Tratado de fisiologia médica

Pré-visualização | Página 1 de 22

Waleska - Med IX - UFOB 
fisiologia 
MÉDICA 
 
 
 
RESUMINDO O 
TRATADO DE 
Parte I 
Waleska - Med IX - UFOB 
Capítulo 1 
Organização funcional do corpo 
humano e controle do ―meio 
interno‖ 
o Célula é a unidade básica. 
o Cada tipo de célula é especializado para 
determinada função. 
o Mecanismos químicos gerais de 
transformação de nutrientes em energia 
são, basicamente, os mesmos em todas as 
células. 
o Temos líquido intracelular e líquido 
extracelular, que está em constante 
movimento, sendo misturado ao sangue 
circulante. 
o Esse líquido extracelular deve concentrar 
concentrações adequadas de nutrientes, 
íons, oxigênio, para garantir o 
funcionamento correto da célula. 
o O líquido extracelular possui: mais sódio, 
cloreto, bicarbonato, oxigênio, nutrientes, 
dióxido de carbono (que é transportado 
para ser excretado no pulmão) e excretas 
celulares. 
o O líquido intracelular possui: mais potássio, 
magnésio e fosfato. 
o A homeostasia é a manutenção de 
condições quase constantes no meio 
interno. 
o Quase constante porque, nos capilares 
sanguíneos, existe uma troca contínua do 
líquido extracelular entre a parte 
plasmática do sangue e o líquido 
intersticial que preenche os espaços 
intercelulares. Assim, os líquidos e seus 
constituintes se difundem com o 
movimento cinético das moléculas. 
o Origem dos nutrientes do fluido 
extracelular: 
- Oxigênio  Sist. Respiratório 
- Carboidratos, aminoácidos e ácidos 
graxos  Trato Gastrointestinal 
- Substâncias tóxicas  fígados e órgãos 
de função metabólica 
o A regulação da função corporal é feita 
pelo sistema nervoso e hormonal. 
o A proteção é feita pelo sistema imune e 
pelo sistema integumentar. 
o O corpo humano tem diversos sistemas de 
controle, por exemplo, o controle 
genético. 
o Mecanismos de controle: 
- Regulação de concentração de 
oxigênio e dióxido de carbono no líquido 
extracelular: a afinidade da hemoglobina 
e o tamponamento que esta realiza 
colaboram para manutenção dos níveis 
ideais de oxigênio. A excitação do 
controle respiratório, para aumentar a 
respiração, favorece a remoção do 
dióxido de carbono em excesso. 
- Regulação da pressão sanguínea 
arterial: os barorreceptores, quando a 
pressão está alta, enviam impulsos 
nervosos que inibem o centro vasomotor. 
Isso diminui bombeamento do coração e 
causa vasodilatação dos vasos 
sanguíneos periféricos. Já na pressão 
baixa, os receptores são menos 
estimulados, permitindo maior atividade 
do centro vasomotor, levando ao 
aumento dos batimentos e 
vasoconstrição, para que a pressão 
retorne ao valor ideal. 
o É importante saber que o fluido celular 
apresenta características e constituintes 
que precisam estar no valor correto para 
garantir bom funcionamento. 
o O feedback negativo é importante para 
reestabelecer o valor médio de um fator 
que se tornou deficiente ou excessivo. 
o O feedback positivo, geralmente, leva à 
instabilidade mas pode ser útil. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Unidade I 
Waleska - Med IX - UFOB 
Capítulo 2 
A célula e suas funções 
o A célula se divide em núcleo e 
citoplasma. 
o O núcleo é separado do citoplasma pela 
membrana nuclear e o citoplasma está 
separado do meio interno pela 
membrana plasmática. 
o Na célula encontramos o protoplasma 
(água, lipídios, eletrólitos, proteínas e 
carboidratos). 
o 80% a 75% de água nas células. 
o Principais íons: potássio, magnésio, fosfato, 
sulfato, bicarbonato, em menor 
quantidade tem o sódio, cálcio e cloreto. 
o As proteínas presentes podem ser 
estruturais ou funcionais. 
o Existem diversas organelas. 
 
Estrutura física da célula 
 
Estruturas membranosas: as membranas são 
compostas primariamente por proteínas e 
lipídios.  Membrana celular, membrana 
nuclear, membrana do retículo 
endoplasmático, membrana das 
mitocôndrias, dos lisossomos e do complexo 
de Golgi. 
 
1. Membrana celular: 
o Bicamada fosfolipídica – (proteínas, 55%; 
fosfolipídios, 25%; colesterol, 13%; outros 
lipídios, 4%; e carboidratos, 3%) – Isso 
implica na facilidade que substâncias 
lipofílicas apresentam para atravessar a 
membrana. 
o Proteínas integrais atravessam a 
membrana formando canais. Algumas 
proteínas integrais atuam como 
carreadoras de substâncias que sozinhas 
não entrariam na célula. Proteínas 
integrais podem servir também como 
receptores de substâncias químicas como 
hormônios. 
o Proteínas periféricas, por sua vez, são 
ancoradas na superfície, não penetram, 
funcionam quase sempre com enzimas ou 
controladoras. 
o O glicocálix é uma capa de hidratos de 
carbono na superfície externa da célula 
que se unem uns aos outros nas células, 
ajudando na adesão entre células, além 
de repelir cargas negativas e ser um 
receptor para união de hormônios. 
 
2. Membrana nuclear: constituída por duas 
membranas, cada uma com a bicamada 
lipídica uma por dentro da outra. A 
membrana externa é contínua com o 
retículo endoplasmático. A membrana 
nuclear é vazada por vários milhares de 
poros nucleares. 
 
Citoplasma e organelas: Dispersos no 
citoplasma encontram-se os glóbulos de 
gordura neutra, grânulos de glicogênio, 
ribossomos, vesículas secretórias, e cinco 
organelas especialmente importantes: 
 
1. Retículo Endoplasmático: se divide em RE 
rugoso e RE liso. Fábrica de proteínas 
(RER), hidratos de carbono, lipídeos (REL), 
lisossomos e peroxissomos. 
2. Complexo de Golgi: Intimamente ligado 
ao RE. Recebe uma vesícula de transporte 
a partir do RE, processa a substância 
contida na vesícula para então formar 
lisossomos, vesículas secretoras, e outros 
componentes citoplasmáticos. Ele 
também secreta polímeros de sacarídeos, 
como o ácido hialurônico. 
3. Lisossomos: Constitui um sistema digestivo 
intracelular que permite que a célula 
digira (1) estruturas celulares danificadas, 
(2) partículas de alimentos que foram 
ingeridos pela célula, e (3) materiais 
indesejados, tais como bactérias. 
4. Peroxissomos: possui oxidases que são 
capazes de combinar oxigênio com íons 
hidrogênio derivados de diferentes 
substâncias químicas intracelulares para 
formar o peróxido de hidrogênio (H2 O2 ) - 
usada para oxidar muitas substâncias que 
poderiam de outra forma ser tóxicas para 
a célula. 
5. Mitocôndrias: Possui enzimas que operam 
em associação com as enzimas oxidativas 
nas membranas, oxidando os nutrientes, 
formando dióxido de carbono e água e 
ao mesmo tempo liberando energia - ATP. 
O ATP é nucleotídeo composto por 
adenina (base nitrogenada), ribose 
(carboidratos) e três radicais fosfato. Os 
dois últimos radicais fosfato são 
conectados com o restante da molécula 
Unidade I 
Waleska - Med IX - UFOB 
pelas chamadas ligações fosfato de alta 
energia. 
Citoesqueleto celular: As proteínas fibrilares 
da célula estão geralmente organizadas em 
filamentos ou túbulos. Um tipo especial de 
filamento rígido, composto por moléculas de 
tubulina polimerizadas, é usado em todas as 
células para construir estruturas tubulares 
muito fortes, os microtúbulos. A função 
primária dos microtúbulos, assim, é a de 
formar o citoesqueleto, proporcionando 
estruturas rígidas para certas partes de 
células. 
Núcleo: é o centro de controle da célula. 
Nele encontramos os genes que determinam 
as características das proteínas, controlam a 
reprodução celular, enfim, a parte funcional 
da célula. 
o Nucléolo: acúmulo de grande quantidade 
de RNA e proteínas dos tipos encontrados 
nos ribossomos. O nucléolo fica 
consideravelmente maior quando a 
célula está ativa, sintetizando proteínas. 
 
Sistemas funcionais da célula 
 
A maioria das substâncias entra na célula 
por meio de: 
- difusão - as substâncias se movem pelos 
poros da membrana celular ou através da 
matriz lipídica da membrana. 
- transporte ativo - carreamento de 
substância através de