A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
54 pág.
Resumindo o Tratado de fisiologia médica

Pré-visualização | Página 2 de 22

uma proteína que 
atravessa a membrana. 
 
Todavia, partículas maiores necessitam de 
outro mecanismo para entrar, a endocitose. 
Essa função especializada pode ser dividida 
em: 
- pinocitose - ingestão de minúsculas 
partículas que formam vesículas de líquido 
extracelular e por componentes 
particulados no interior do citoplasma da 
célula. 
- fagocitose - a ingestão de grandes 
partículas, tais como bactérias, células 
totais ou partes de tecido em 
degeneração. 
 
A digestão dessas substâncias estranhas, 
sejam pinocíticas ou fagocíticas, é feita 
pelos lisossomos. O que sobra da vesícula 
digestiva, chamado corpo residual, 
representa substâncias indigeríveis. Na 
maior parte dos casos, esse corpo residual 
é finalmente excretado pela membrana 
celular pelo processo da exocitose. 
 
Formação de ATP 
o A glicose é submetida às enzimas no 
citoplasma que a convertem em ácido 
pirúvico (processo chamado glicólise). 
o Cerca de 95% da formação do ATP na 
célula ocorrem nas mitocôndrias. 
o O ácido pirúvico é convertido no 
composto acetil-CoA, na matriz das 
mitocôndrias, sendo processado por outra 
série de enzimas na matriz das 
mitocôndrias; 
o Essa sequência de reações químicas é 
chamada de ciclo de Krebs. 
o O acetil-CoA é clivado átomos de 
hidrogênio e dióxido de carbono. 
o O dióxido de carbono se para fora da 
célula e é excretado do corpo pelos 
pulmões. 
o O evento final é a combinação dos íons 
hidrogênio com o oxigênio para formar 
água, com liberação de enorme 
quantidade de energia para as ATP-
sintetase. 
Locomoção celular 
- movimento das células musculares 
 
- movimento ameboide: projeção de um 
pseudópodo por uma extremidade da cé - 
lula. O pseudópodo se projeta para fora do 
corpo celular e se adere ao tecido 
adjacente. O restante da célula é então 
puxado na direção ao pseudópodo. 
A maioria das células com locomoção 
ameboide se move em direção à fonte da 
substância quimiotática — isto é, de área 
com menor concentração em direção à 
área de maior concentração — o que é 
chamado de quimiotaxia positiva. 
 
- movimento ciliar: similar ao batimento dos 
cílios, nas superfícies das células. Ocorre nas 
superfícies das vias aéreas e na superfície 
interna das trompas uterinas. 
O cílio é recoberto por prolongamento da 
membrana celular e é sustentado por nove 
túbulos duplos localizados na periferia do 
cílio, e dois túbulos simples do centro. 
Unidade I 
Waleska - Med IX - UFOB 
Capítulo 3 
Controle genético da síntese de 
proteínas, do funcionamento 
celular e da reprodução celular. 
o Os genes controlam a função celular, 
determinando quais substâncias são 
sintetizadas pelas células - quais estruturas, 
quais enzimas, quais substâncias químicas. 
o O processo da transcrição do código 
genético, no núcleo, até a tradução do 
código do RNA e a formação de 
proteínas nas células citoplasmáticas é 
muitas vezes referido como a expressão 
do gene. 
o No núcleo celular, grande número de 
genes está ligado nas moléculas do DNA. 
Construção do DNA 
- ácido fosfórico, desoxirribose e quatro 
bases nitrogenadas (duas purinas, a adenina 
e a guanina, e duas pirimidinas, a timina e a 
citosina). 
1. Combinação de molécula de ácido 
fosfórico, molécula de desoxirribose e uma 
das quatro bases para formar o nucleotídeo 
acídico. Cada base dá origem a um 
nucleotídeo (ácidos desoxiadenílico, 
desoxitimidílico, desoxiguanílico e 
desoxicitidílico). 
2. Os múltiplos nucleotídeos se ligam para 
formar as duas fitas de DNA. 
3. As duas fitas de DNA são mantidas unidas 
por meio de pontes de hidrogênio entre as 
bases. 
4. Cada base purínica adenina do filamento 
sempre se une à base pirimidínica timina do 
outro filamento. 
5. Cada base purínica guanina sempre se 
une à base pirimidínica citosina. 
 
Código genético 
O código genético consiste em sucessivos 
―tripletos‖ de bases. Os tripletos sucessivos 
controlam a sequência de aminoácidos na 
molécula de proteína que é sintetizada pela 
célula. 
GGC, AGA, CTT  prolina, serina e ácido 
glutâmico 
 
O processo de transcrição 
DNA  RNA 
Durante a síntese do RNA, as duas fitas da 
molécula de DNA se separam e uma das 
fitas é usada como molde para a síntese da 
molécula de RNA. 
Os tripletos de código no DNA são transcritos 
para tripletos do código complementar 
(chamados códons) no RNA. 
 
Mudanças importantes: 
- Usa-se agora a ribose, não a desoxirribose. 
- A timina é substituída pela uracila. 
 
Assim, temos que: 
CCG, UCU e GAA  prolina, serina e ácido 
glutâmico. 
 
O próximo passo na síntese do RNA é a 
―ativação‖ dos nucleotídeos de RNA pela 
RNA-polimerase. Isso ocorre pela adição a 
cada nucleotídeo de dois radicais de fosfato 
extra, para formar trifosfatos. 
 
RESUMINDO: 
o No início de cada gene, existe uma 
sequência de nucleotídeos chamada 
promotor. 
o A RNA-polimerase tem estrutura que 
reconhece esse promotor e se liga. 
o Depois, ela causa o desenrolamento e a 
separação das fitas de DNA. 
o Assim, a polimerase adiciona novo 
nucleotídeo ativado ao final da cadeia 
de RNA em formação. 
o Ao encontrar a sequência de terminação 
de cadeia, a polimerase e a recém 
formada cadeia de RNA se separam da 
fita de DNA. 
 
Tipos de RNA 
1. RNA mensageiro (mRNA) que leva o 
código genético para o citoplasma para 
controlar o tipo de proteína formada. 
2. RNA de transferência (tRNA)- 
transportador- que transporta os 
aminoácidos ativados, através da ligação 
com o anticódon para os ribossomos, onde 
serão utilizados na montagem da molécula 
de proteína. 
3. RNA ribossômico que forma os ribossomos. 
 
 
Unidade I 
Waleska - Med IX - UFOB 
4. MicroRNA (miRNA) que são moléculas de 
fita única de RNA que regulam a transcrição 
gênica e a tradução. 
Processo de tradução 
o A molécula de RNA mensageiro entra em 
contato com um ribossomo 
o A fita de RNA passa através do ribossomo, 
começando por uma sequência de 
bases, chamada códon de ―iniciação de 
cadeia‖. 
o Enquanto o RNA mensageiro atravessa o 
ribossomo, a molécula de proteína é 
formada. 
o O ribossomo lê os códons do RNA 
mensageiro e quando o códon de 
―parada‖ passa pelo ribossomo, o fim da 
molécula de proteína é sinalizado e a 
molécula é liberada no citoplasma. 
Cada célula tem mecanismos potentes de 
feedback interno para o controle de suas 
diversas operações funcionais. Existem 
basicamente dois métodos pelos quais as 
atividades bioquímicas na célula são 
controladas: 
(1) regulação genética: na qual o grau de 
ativação dos genes e a formação de 
produtos genéticos são controlados. 
o A transcrição do DNA é controlada por 
elementos regulatórios encontrados no 
promotor do gene. 
o Nos eucariotas, o promotor basal é a 
caixa TATA (TATAAAA), o sítio de ligação 
para a proteína de ligação TATA (TBP) e 
para série de outros fatores de transcrição, 
coletivamente denominados complexo IID 
de fatores de transcrição. 
o O promotor a jusante, os potenciadores e 
os isoladores também influenciam. 
(2) regulação enzimática, na qual os níveis 
de atividade das enzimas já formadas na 
célula são controlados. 
o Algumas substâncias químicas formadas 
na célula têm efeitos diretos de feedback 
que inibem os sistemas de enzimas que as 
sintetizam. 
o Enzimas que estão normalmente inativas 
podem ser ativadas quando necessárias. 
Ciclo de vida da célula 
o O ciclo de vida de célula é o período 
desde a reprodução celular até a próxima 
reprodução da célula, a mitose. 
o O primeiro passo da mitose é a replicação 
(duplicação) de todo o DNA dos 
cromossomos. 
o Após replicação, enzimas especiais 
cortam as áreas defeituosas e as 
substituem por nucleotídeos 
complementares adequados. 
o Isso é feito pelas mesmas DNA-polimerases 
e DNA-ligases que são usadas na 
replicação. 
o Quando acontece um erro, tem-se uma 
mutação, que causa