A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
Controles_na_Administracao_Publica_Aula_1

Pré-visualização | Página 1 de 5

Instituto Serzedello Corrêa
Aula 1 
Prestação de Contas
CONTROLES NA 
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
RESPONSABILIDADE PELO CONTEÚDO
Tribunal de Contas da União
Secretaria Geral da Presidência
Instituto Serzedello Corrêa
Diretoria de Diagnóstico, Planejamento e Desenvolvimento de Ações Educacionais
Diretoria de Promoção de Ações Educacionais e Relações Institucionais
Serviço de Diagnóstico, Planejamento e Desenvolvimento de Ações Educacionais 
Serviço de Ações Educacionais a Distância 
CONTEUDISTA
Renato Santos Chaves
REVISOR
Antonio José Saraiva de Oliveira Junior
TRATAMENTO PEDAGÓGICO
Flávio Sposto Pompeo
Silvia Helena de C. Martins
REVISÃO GRAMATICAL
Gabriella Nascimento Cordeiro Pereira
RESPONSABILIDADE EDITORIAL 
Tribunal de Contas da União 
Secretaria Geral da Presidência 
Instituto Serzedello Corrêa 
Centro de Documentação 
Editora do TCU
PROJETO GRÁFICO
Ismael Soares Miguel
Paulo Prudêncio Soares Brandão Filho
Vivian Campelo Fernandes
DIAGRAMAÇÃO
Vanessa Vieira
© Copyright 2014, Tribunal de Contas de União 
<www.tcu.gov.br>
Permite-se a reprodução desta publicação, em parte ou no todo, sem alteração do conteúdo, desde que citada a 
fonte e sem fins comerciais.
Este material tem função didática. A última atualização ocorreu em novembro de 2014. As afirmações 
e opiniões são de responsabilidade exclusiva do autor e podem não expressar a posição oficial do 
Tribunal de Contas da União.
Atenção!
[ 3 ]Aula 1: Prestação de Contas
Aula 1 – Prestação de Contas
Quais os princípios que fundamentam o ato de prestar contas?
Quem presta contas a quem?
O que é cidadania e o que significa accountability?
Você já ouviu falar em governança na gestão pública?
Iniciamos nossos estudos pela prestação de contas. Trata-se de um 
tema de suma importância para toda a sociedade, pois é por meio dela 
que podemos avaliar se os gestores públicos aplicaram de forma correta 
e eficiente os tributos que recolhemos ao Governo. 
Para facilitar o estudo, este tópico está organizado da seguinte 
forma:
Aula 1 – Prestação de Contas �����������������������������������������������������������������������������������3
1� Prestação de contas ��������������������������������������������������������������������������������������������������4
2� Quem presta contas a quem? ���������������������������������������������������������������������������������9
3� Cidadania ���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 12
4� Accountability ���������������������������������������������������������������������������������������������������������� 13
5� Governança na gestão pública ������������������������������������������������������������������������� 17
Síntese ������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 21
Referências bibliográficas �����������������������������������������������������������������������������������22
Todos prontos?
Então, vamos começar! 
[ 4 ] CONTROLES NA ADMINISTRAÇÃO
1. Prestação de contas
A noção fundamental de prestação de contas consiste no fato 
de que alguém, pessoa física ou jurídica, justifique o adequado uso de 
determinada quantia ou mesmo de determinado objeto, instrumento ou 
ato, não se restringindo apenas a valores financeiros.
Prestação significa o ato ou efeito de prestar, prestamento, que, por 
sua vez, converge para demonstrar, comprovar.
Um exemplo de fácil assimilação consiste no pagamento mensal do 
condomínio, pelos moradores de um prédio de apartamentos. Ao final 
de um mês, ou outro período estipulado nas normas condominiais, o 
Síndico apresentará as demonstrações dos gastos, com os respectivos 
comprovantes, ou seja, irá prestar contas da utilização do dinheiro da 
coletividade, isto é, dos moradores do condomínio.
Em regra, as principais despesas são os salários dos prestadores de 
serviço como porteiros e faxineiros, conta de água e energia elétrica, contador, 
advogado e serviços gerais. Cada uma das despesas deve corresponder aos 
documentos fiscais apresentados pelo Síndico, a exemplo de Notas Fiscais, 
Recibos, recolhimento do INSS dos prestadores de serviço, dentre outros.
Dependendo do tamanho do condomínio, as contas são 
apresentadas aos representantes dos moradores, geralmente o Conselho 
Fiscal, escolhido em eleição, que analisará e emitirá um parecer dizendo 
aprovar ou constestar algumas despesas.
O exemplo do condomínio narrado nada mais é do que o ato 
de prestar contas pelo responsável, no caso, o Síndico. Caso as contas 
não sejam aprovadas, o Síndico deverá responder pela irregularidade 
cometida. 
A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, proclamada 
em 1789, composta por dezessete artigos e um preâmbulo dos ideais 
libertários e liberais da primeira fase da Revolução Francesa, previa no 
art. 15, o seguinte comando: “A sociedade tem o direito de pedir contas 
a todo agente público pela sua administração”.
Encontramos, no Decreto-Lei nº 200, de 25 de fevereiro de 1967, 
no art. 93, uma das conceituações mais abrangentes do ato de prestar 
contas, o qual define que “quem quer que utilize dinheiros públicos 
terá de justificar seu bom e regular emprego na conformidade das leis, 
regulamentos e normas emanadas das autoridades administrativas”.
Recorrendo à conceituação 
descrita no Dicionário 
Aurélio, verificamos que 
prestação de contas, em 
sentido financeiro, consiste 
na “demonstração dos 
gastos apresentada por 
pessoas ou entidades que 
recebem adiantadamente 
uma quantia para fim ou fins 
determinados”.
Já o Professor A. Lopes de 
Sá (1995), no seu Dicionário 
de Contabilidade, define 
prestação de contas como:
 “apresentação de 
fatos relativos a 
um acontecimento 
central, comprovando-
os, historiciando-os e 
preparando-os para 
receber as classificações 
e verificações de natureza 
contábil”.
Arremata, mencionando 
que “a prestação de contas 
é uma satisfação que os 
administradores dão aos 
interessados no andamento 
da empresa”.
[ 5 ]Aula 1: Prestação de Contas
O Direito Empresarial também fixa responsabilidades ao 
administrador de bens privados. A Lei nº 6.404/76, que dispõe sobre as 
Sociedades por Ações, prevê, no art. 153, o dever de diligência, prevendo 
que “o administrador da companhia deve empregar, no exercício de suas 
funções, o cuidado e diligência que todo homem ativo e probo costuma 
empregar na administração dos seus próprios negócios”. 
Das conceituações e comandos normativos acima expostos, pode-
se concluir que, seja no âmbito privado, seja no âmbito público, todo 
aquele que, de alguma forma administra bens e valores, deve prestar 
contas da sua boa e regular aplicação a quem de direito, ou seja, aos 
sócios das empresas ou à sociedade em geral.
A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 
considera a prestação de contas um princípio constitucional. Assim, 
caso este princípio seja desrespeitado, a Carta Magna autoriza, em 
medida de exceção, a União a intervir nos Estados, e os Estados, por sua 
vez, a intervirem nos seus respectivos Municípios, a fim de restabelecer 
a normalidade da prestação de contas. Essa interpretação é extraída 
dos arts. 34 a 36 da Constituição Federal, que tratam do instituto da 
intervenção.
Ainda a Constituição Federal de 1988, em seu art. 70, parágrafo 
único, prevê que “prestará contas qualquer pessoa física ou jurídica, 
pública ou privada, que utilize, arrecade, guarde, gerencie ou administre 
dinheiros, bens, valores públicos ou pelos quais a União responda, ou 
que, em nome desta, assuma obrigações de natureza pecuniária”.
Dissecando este comando constitucional, podemos mencionar 
alguns exemplos práticos que geram a obrigação