A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Tecnologia na Educação: Novas Formas de Ensinar e Aprender

Pré-visualização | Página 3 de 3

só vai descobrir isso quando se deixar conduzir pela curiosidade, pelo prazer de inventar e de explorar as novidades, como fazem as crianças”.
Após essa avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: ALENCAR, M. Entrevista com Léa Fagundes sobre a inclusão digital. <https://novaescola.org.br/conteudo/987/entrevista-com-lea-fagundes-sobre-a-inclusao-digital>. Acesso em 26 abr. 2017.
Conforme os conteúdos do livro-base Educação e novas tecnologias: Um (re)pensar sobre a necessidade de o professor inserir-se no universo da inclusão digital, analise as proposições a seguir e assinale V para as afirmativas verdadeiras, e F para as afirmativas falsas.
I.   (  ) Ligar e desligar um equipamento para utilizá-lo em sala de aula já é uma verdadeira inclusão digital do professor.
II. ( ) O professor precisa entender que o uso das tecnologias apresenta grandes possibilidades, que estão diretamente relacionados à presença das tecnologias na escola.
III. (  ) É necessário que o professor compreenda que a boa utilização das tecnologias na educação pode oportunizar novas formas de pensar o currículo.
IV. (  ) É importante que o professor perceba a tecnologia como um instrumento de intervenção na construção da sociedade democrática.
Agora, marque a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 10.0
	
	A
	V – F – V – V
	
	B
	F – V – V – F
	
	C
	V – V – F – F
	
	D
	F – F – V – V
Você acertou!
A afirmativa I é falsa, pois “apenas saber ligar e desligar um equipamento não implica uma verdadeira inclusão digital. Para ser considerado incluído, é necessário que o professor compreenda que: uma boa utilização das tecnologias na educação pode propiciar a criação de novas formas de relação pedagógica, de novas formas de pensar o currículo e, portanto, pode também conduzir a mudanças no ambiente escolar” (livro-base, p. 49), o que torna verdadeira a afirmativa III. Além disso, “o uso das tecnologias na educação tem um potencial enorme, que não está diretamente relacionado à presença da máquina, mas, sim, à do professor que firmou um compromisso com a pesquisa, com a elaboração própria, com o desenvolvimento da crítica e da criatividade, superando, assim, a cópia, o mero ensino e a mera aprendizagem” (livro-base, p. 49,50), o que torna falsa a afirmativa II. A afirmativa IV é verdadeira, pois “é necessário que o professor entenda a tecnologia como um instrumento de intervenção na construção da sociedade democrática, que se contrapõe a qualquer tendência que a direcione ao tecnicismo, à coisificação do saber e do ser humano” (livro-base, p. 50).
	
	E
	V – F –  F – V
Questão 9/10 - Tecnologia na Educação: Novas Formas de Ensinar e Aprender
Leia a citação a seguir: 
“As mídias ocupam um lugar cada vez mais significativo na paisagem cultural das nossas crianças e jovens. Sendo assim, a escola pode e deve intensificar o diálogo entre cultura escolar e cultura midiática ao oferecer oportunidades de produção de narrativas de autoria dos estudantes com o uso de novas linguagens e tecnologias”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: OROFINO, Maria Isabel. Mídias e Mediação Escolar: Pedagogia dos meios, participação e visibilidade. São Paulo: Cortez: Instituto Paulo Freire, 2005. p. 28,29. 
Sabe-se que o rádio continua sendo uma mídia utilizada por grande parte da população. Brito e Purificação apresentam o rádio como tecnologia educacional. Porém, para realizar esta função, é necessário observar algumas situações. Leia as assertivas a seguir e, tomando como referência os conteúdos do livro-base Educação e novas tecnologias: Um (re)pensar sobre o uso do rádio como tecnologia educacional, assinale a alternativa que contém a assertiva correta:
Nota: 10.0
	
	A
	O rádio na escola pode ser usado para desenvolver uma atitude que possibilite aos alunos uma escuta crítica e reflexiva.
Você acertou!
"O rádio é um dos veículos de comunicação de maior penetração na população brasileira. Seus programas atingem uma larga faixa etária, além de serem aceitos por todas as classes sociais. Essa é uma característica que torna o rádio capaz de exercer função educativa, além de servir como fonte de entretenimento. Outras características que conferem esta capacidade são o baixo custo do aparelho e o seu caráter local, somadas ao fato de utilizar uma linguagem clara e objetiva. O rádio na escola pode ser usado para desenvolver uma atitude que possibilite aos alunos uma escuta crítica e reflexiva" (livro-base, p.57,58).
	
	B
	É necessário usar apenas os programas educativos e não toda a programação que está disponível no rádio.
	
	C
	A linguagem do rádio é sempre difícil de ser compreendida; portanto, ao utilizar o rádio em sala de aula, o professor tem o papel de tornar a linguagem do rádio mais clara e objetiva.
	
	D
	A programação do rádio atinge uma pequena faixa etária e é rejeitado por algumas classes sociais, o que dificulta sua utilização com função educativa.
	
	E
	O rádio, como a televisão, envolve mais os adultos, pois sua linguagem é confusa para as crianças e jovens.
Questão 10/10 - Tecnologia na Educação: Novas Formas de Ensinar e Aprender
Leia o fragmento de texto a seguir:
“Desenvolver novas e originais relações com o saber, despertar interesses e reflexões nos alunos em conciliação com a tecnologia ainda traz dificuldades para alguns professores. Lidar com essas mudanças torna-se um desafio para os docentes. Enquanto prevalece a ideia de tecnologia como ferramenta, tem-se o risco de persistir uma prática tradicional em que a noção de mudança é periférica ou complementar. Vistas e adotadas dessa forma, as tecnologias não atingem a essência do processo educativo, não o revolucionam à altura das demandas sociais e tecnológicas, mas são nele acessório e/ou instrumento que pode ou não inovar algo, a depender de seu lugar e uso no conjunto das ações docentes”.
Após essa avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CECÍLIO, S.; SANTOS, J. F. Sociedade em rede: Trabalho docente e sociabilidades contemporâneas. In: CECÍLIO, S.; GARCIA, D. M. F (Org.). Formação e profissão docente em tempos digitais. p. 165-197. Campinas/SP: Alínea, 2009. p.179,180.
Considerando a afirmativa de Cecílio e Santos, pode-se afirmar a necessidade de preparação dos professores para incluir as tecnologias em sua prática pedagógica. Porém, essa preparação muitas vezes não é adequada ao contexto dos cursos cujo objetivo é a formação de professores para a utilização do computador. De acordo com os conteúdos do livro-base Educação e novas tecnologias: Um (re)pensar a respeito da falha de método, isto é, a respeito da contradição entre o que se diz e o que efetivamente se faz nesses contextos de formação, é correto afirmar que essa falha diz respeito ao fato de os cursos sobre tecnologias:
Nota: 10.0
	
	A
	Não deveriam limitar-se apenas à aprendizagem progressiva da informática, mas incluir o estudo das capacidades cognitivas que estão envolvidas na construção do conhecimento com a ajuda do computador.