A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
dureza shore

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ensaios Mecânicos
Curso técnico Mecânica II módulo
Professor: Eudo
Ensaio de Dureza Shore
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Em 1907, Shore propôs uma medida de dureza que mede a
altura do rebote de um peso que cai livremente até bater
na superfície lisa e plana de um corpo de prova. Essa altura de
rebote mede a perda da energia cinética do peso, absorvida
pelo corpo de prova. Esse método é conhecido por dureza
escleroscópica ou dureza de Shore.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Escleroscópio.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
A dureza Shore foi introduzida para ensaios em aços
endurecidos, onde o método Brinell não podia ser usado por
danificar a esfera penetradora.
Ele utiliza um martelo de aço em forma de uma barra com uma
ponta arredondada de diamante, que cai de certa altura dentro
de um tubo de vidro graduado de 0 a 140. A altura de ressalto
após o choque é tomada como a dureza do material.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
O número de dureza lido é um número relativo e serve
somente para comparação de materiais.
A impressão Shore é pequena e serve para medir durezas
de peças já acabadas ou usinadas.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
A máquina Shore é leve, portátil e pode, portanto, ser
adaptada em qualquer lugar, podendo com isso, medir a
dureza de peças muito grandes, impossíveis de serem
colocadas nas máquinas de dureza por penetração. Se a
fixação do corpo de prova é bem feita, a variação de dureza
Shore é pequena.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
O tubo graduado deve ser colocado bem na vertical. É de praxe
fazer-se pelo menos cinco medidas de dureza em pontos
diversos do material para garantir bem o resultado.
A dureza Shore não pode ser efetuada em peças muito
finas, que possam mascarar a medida da altura do rebote,
porque nesse caso o próprio apoio da peça a ser medida age
como absorvedor de energia.
Superfícies não lisas de corpos de prova dão leituras falsas,
menores que as reais.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
A altura do percurso de retorno do martelo após o choque é
medida numa escala graduada. O comprimento da escala é
estabelecido a partir da altura média de retorno para o aço
carbono endurecido. A esta altura é atribuido o valor 100. A
escala então é dividida em 100 partes, que definem as unidades
Shore. Uma vez estabelecido o valor de divisão, a escala pode
ser estendida além do valor 100 para possibilitar o teste de
metais com durezas mais altas.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Para o uso normal, o escleroscópio não marca (ou marca pouco)
o material sob teste.
O Escleroscópio Shore mede a dureza em termos da
elasticidade do material e o valor da dureza depende da altura
do retorno. Quanto mais duro o material, maior é o percurso de
retorno.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Alguns cuidados devem ser tomados para a medição, como:
 A peça do material a ser testado deve ser firmemente apoiada
em toda a sua base para evitar vibrações que podem alterar a
leitura;
 O martelo deve cair e retornar exatamente na direção vertical,
portanto a superfície da peça a testar deve estar posicionada
exatamente na direção horizontal;
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
 A superfície do material a medir deve ser lisa. Uma superfície
rugosa pode promover a absorção de energia do impacto do
martelo, resultando num percurso menor de retorno, que
fornece um valor de dureza menor do que o real;
 O impacto do martelo sobre a peça causa um pequeno
endurecimento localizado sobre a área de contato. Então o
impacto só deve ser feito uma vez sobre um mesmo ponto
para evitar erros de leitura.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
A vantagem deste método é a portabilidade (o medidor tem
pequenas dimensões) e a preservação da integridade da
superfície do material sob teste.
Os escleroscópios são pouco fabricados atualmente, entretanto
muitos instrumentos ainda estão em uso. Dois modelos básicos
eram produzidos. O tipo C usa um tubo de vidro graduado de 0
a 140 para medir a altura de retorno. O operador deveria
observar a altura de retorno no tubo graduado. O tipo D possui
um mostrador com escala de 0 a 120 para medir a altura de
retorno.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Os escleroscópios podem ser usados para teste de uma grande
variedade de peças metálicas, com a única restrição que o
tamanho da amostra deve ser grande o suficiente para suportar
o retorno. Grandes rolos com alto acabamento superficial são
um exemplo de excelente aplicação do escleroscópio.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
O durômetro shore é uma evolução do antigo escleroscópio, no
qual o princípio de medição de queda de peso foi substituido
por um sistema de medição por mola.
É um instrumento popular para medir a dureza de endentação
de borrachas, plásticos e materiais com comportamento similar.
Os tipos mais comuns de instrumentos são o Modelo A para
materiais menos duros e o modelo D para materiais mais duros.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
A operação do instrumento é bastante simples. O material é
submetido a uma pressão definida aplicada através de uma
mola calibrada que atua sobre o endentador, que pode ser
esférico ou cônico. Um dispositivo de indicação fornece a
profundidade de endentação. O valor da dureza é dado pela
profundidade da penetração no material sob teste. Por causa da
resiliência de algumas borrachas e plásticos, a leitura da dureza
pode mudar ao longo do tempo, por isso o tempo de
endentação às vezes acompanha o valor medido da dureza.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Principio de funcionamento do durômetro Shore.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
As escalas Shore A e Shore D são indicadas para a medição de
dureza de borrachas/elastômeros e usadas também para
plásticos “moles” como poliolefinas, fluoropolímeros e vinis. A
escala A é usada para borrachas “moles ou menos duros”
enquanto que a escala D é usada para borrachas mais “duras”.
O Durômetro Shore A é específico para medição da dureza
relativa em borrachas e plásticos moles. Se o endentador
penetra completamente no material, a leitura obtida é zero. Se
não ocorrer penetração, a leitura é 100. As leituras são
adimensionais.
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Ensaio de Dureza
Dureza Shore
Os resultados obtidos deste teste são medidas úteis da
resistência relativa à endentação para várias gamas de
polímeros. Entretanto, o teste de dureza Shore não serve para
prever outras propriedades como resistência, abrasão ou
desgaste, e não deve ser usado sozinho para especificação de
projeto de produto.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.