A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Id, ego e superego

Pré-visualização | Página 1 de 1

B i a n c a L o u v a i n S a ú d e M e n t a l I | 1 
 
......................... id, ego e superego ......................... 
Id, Ego e Superego são conceitos criados por Freud para explicar o funcionamento da mente humana, 
considerando aspectos conscientes e inconscientes. Estes três componentes (id, ego e superego), segundo 
Freud, compõem o modelo estrutural da personalidade que podem representar a impulsividade, 
racionalidade e a moralidade, respectivamente. 
[ CONSCIENTE, SUBCONSCIENTE E INCONSCIENTE ] 
Consciente – tudo aquilo do que estamos conscientes no momento, no agora. Ele corresponderia à 
menor parte da mente humana. Nele está tudo aquilo que podemos perceber e acessar de forma 
intencional. Outro aspecto importante é que o consciente funciona de acordo com as regras sociais, 
respeitando tempo e espaço. Isso significa que é por meio dele que se dá a nossa relação com o mundo 
externo. 
Pré-consciente/subconsciente – o subconsciente está 
logo abaixo da consciência e é facilmente acessado com o 
“esforço”. Apesar de se chamar pré-consciente, ele pertence 
ao inconsciente. Podemos pensar no pré-consciente como 
uma peneira que fica entre o inconsciente e o consciente, 
filtrando as informações que passarão de um nível ao outro. 
Exemplo: memorização de um número de telefone. Esta 
informação não está na sua memória consciente, mas no seu 
subconsciente. Se você pensar muito e se esforçar, você 
consegue se lembrar do número que você busca, mas você 
não tem um acesso direto a ela, como no caso da memória 
consciente. 
Inconsciente – é onde estão armazenadas as informações 
que nos foram passadas, mas que estão reprimidas e não é 
facilmente trazida a mente consciente, podendo ser oriundas 
de algum trauma ou até mesmo apenas memórias, simples pensamentos, desejos e impressões que 
temos, mas que estão abaixo da memória realmente acessível. Para Freud, este tipo de pensamento pode 
desencadear doenças, problemas mentais, neuroses e uma série de questões. 
[ ID, EGO E SUPEREGO ] 
Id – é impulsionado pelo “princípio do prazer”. Ele precisa da gratificação imediata de todos os desejos, 
vontades e necessidades. Se essas necessidades não são satisfeitas imediatamente, o resultado é um 
estado de ansiedade ou tensão. Esse aspecto da personalidade é totalmente inconsciente e inclui os 
comportamentos instintivos e primitivos, sem conhecer a “realidade” consciente e ética, agindo, portanto, 
apenas a partir de estímulos instintivos, impulsivos, o que lhe atribui a característica de amoral. 
O Id é o único componente da personalidade que está presente desde o nascimento. Sendo assim, é o 
animal dentro de nós, a criança recém-nascida que precisa ter seus desejos atendidos. 
Segundo Freud é a fonte de toda a energia psíquica, tornando-se o principal componente da 
personalidade. 
Superego – é o componente inibidor da mente, atuando de forma contrária ao id. É considerado 
hipermoral e segue o “princípio do dever”, fazendo o julgamento de acordo com heranças culturais 
relacionadas a valores e regras sociais. O superego é, então, o aspecto da personalidade que mantém 
todos os nossos padrões morais internalizados e ideais que adquirimos dos pais e da sociedade – é nosso 
senso de certo e errado. 
Ego – é o componente da personalidade que é responsável por lidar com a realidade. De acordo com 
Freud, o ego se desenvolve a partir do id e garante que os impulsos do id possam ser expressos de uma 
forma aceitável no mundo real. 
 
 
 
http://psicoativo.com/tag/freud
B i a n c a L o u v a i n S a ú d e M e n t a l I | 2 
 
O ego opera com base no princípio da realidade e se esforça para satisfazer os desejos do id de forma 
realista e socialmente adequada. O princípio de realidade pesa os custos e benefícios de uma ação antes 
de decidir desistir ou ceder aos impulsos. Em muitos casos, os impulsos do id podem ser satisfeitos 
através de um processo de gratificação atrasada – o ego acabará por permitir o comportamento, mas 
apenas no momento e lugar apropriados. 
"O Ego tem origem no inconsciente, sua função seria agir como mediador, integrador e 
harmonizador, entre as pulsões do Id e as exigências e entre advertências do Superego e as 
demandas da realidade externa." – Freud. 
São três “partes” da mente que, integradas e atuando em conjunto, determinam e coordenam o 
comportamento humano. 
 
ID EGO SUPEREGO 
INATO E INSTINTIVO FORMADO A PARTIR DO ID FORMADO A PARTIR DO EGO 
AMORAL MORAL HIPERMORAL 
ATIVIDADE UNICAMENTE INCONSCIENTE ATIVIDADE, SOBRETUDO, CONSCIENTE ATIVIDADE, SOBRETUDO, INCONSCIENTE 
PRINCÍPIO DO PRAZER PRINCÍPIO DA REALIDADE PRINCÍPIO DO DEVER