A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Id, ego e superego

Pré-visualização | Página 1 de 1

B i a n c a L o u v a i n S a ú d e M e n t a l I | 1 
 
......................... id, ego e superego ......................... 
Id, Ego e Superego são conceitos criados por Freud para explicar o funcionamento da mente humana, 
considerando aspectos conscientes e inconscientes. Estes três componentes (id, ego e superego), segundo 
Freud, compõem o modelo estrutural da personalidade que podem representar a impulsividade, 
racionalidade e a moralidade, respectivamente. 
[ CONSCIENTE, SUBCONSCIENTE E INCONSCIENTE ] 
Consciente – tudo aquilo do que estamos conscientes no momento, no agora. Ele corresponderia à 
menor parte da mente humana. Nele está tudo aquilo que podemos perceber e acessar de forma 
intencional. Outro aspecto importante é que o consciente funciona de acordo com as regras sociais, 
respeitando tempo e espaço. Isso significa que é por meio dele que se dá a nossa relação com o mundo 
externo. 
Pré-consciente/subconsciente – o subconsciente está 
logo abaixo da consciência e é facilmente acessado com o 
“esforço”. Apesar de se chamar pré-consciente, ele pertence 
ao inconsciente. Podemos pensar no pré-consciente como 
uma peneira que fica entre o inconsciente e o consciente, 
filtrando as informações que passarão de um nível ao outro. 
Exemplo: memorização de um número de telefone. Esta 
informação não está na sua memória consciente, mas no seu 
subconsciente. Se você pensar muito e se esforçar, você 
consegue se lembrar do número que você busca, mas você 
não tem um acesso direto a ela, como no caso da memória 
consciente. 
Inconsciente – é onde estão armazenadas as informações 
que nos foram passadas, mas que estão reprimidas e não é 
facilmente trazida a mente consciente, podendo ser oriundas 
de algum trauma ou até mesmo apenas memórias, simples pensamentos, desejos e impressões que 
temos, mas que estão abaixo da memória realmente acessível. Para Freud, este tipo de pensamento pode 
desencadear doenças, problemas mentais, neuroses e uma série de questões. 
[ ID, EGO E SUPEREGO ] 
Id – é impulsionado pelo “princípio do prazer”. Ele precisa da gratificação imediata de todos os desejos, 
vontades e necessidades. Se essas necessidades não são satisfeitas imediatamente, o resultado é um 
estado de ansiedade ou tensão. Esse aspecto da personalidade é totalmente inconsciente e inclui os 
comportamentos instintivos e primitivos, sem conhecer a “realidade” consciente e ética, agindo, portanto, 
apenas a partir de estímulos instintivos, impulsivos, o que lhe atribui a característica de amoral. 
O Id é o único componente da personalidade que está presente desde o nascimento. Sendo assim, é o 
animal dentro de nós, a criança recém-nascida que precisa ter seus desejos atendidos. 
Segundo Freud é a fonte de toda a energia psíquica, tornando-se o principal componente da 
personalidade. 
Superego – é o componente inibidor da mente, atuando de forma contrária ao id. É considerado 
hipermoral e segue o “princípio do dever”, fazendo o julgamento de acordo com heranças culturais 
relacionadas a valores e regras sociais. O superego é, então, o aspecto da personalidade que mantém 
todos os nossos padrões morais internalizados e ideais que adquirimos dos pais e da sociedade – é nosso 
senso de certo e errado. 
Ego – é o componente da personalidade que é responsável por lidar com a realidade. De acordo com 
Freud, o ego se desenvolve a partir do id e garante que os impulsos do id possam ser expressos de uma 
forma aceitável no mundo real. 
 
 
 
http://psicoativo.com/tag/freud
B i a n c a L o u v a i n S a ú d e M e n t a l I | 2 
 
O ego opera com base no princípio da realidade e se esforça para satisfazer os desejos do id de forma 
realista e socialmente adequada. O princípio de realidade pesa os custos e benefícios de uma ação antes 
de decidir desistir ou ceder aos impulsos. Em muitos casos, os impulsos do id podem ser satisfeitos 
através de um processo de gratificação atrasada – o ego acabará por permitir o comportamento, mas 
apenas no momento e lugar apropriados. 
"O Ego tem origem no inconsciente, sua função seria agir como mediador, integrador e 
harmonizador, entre as pulsões do Id e as exigências e entre advertências do Superego e as 
demandas da realidade externa." – Freud. 
São três “partes” da mente que, integradas e atuando em conjunto, determinam e coordenam o 
comportamento humano. 
 
ID EGO SUPEREGO 
INATO E INSTINTIVO FORMADO A PARTIR DO ID FORMADO A PARTIR DO EGO 
AMORAL MORAL HIPERMORAL 
ATIVIDADE UNICAMENTE INCONSCIENTE ATIVIDADE, SOBRETUDO, CONSCIENTE ATIVIDADE, SOBRETUDO, INCONSCIENTE 
PRINCÍPIO DO PRAZER PRINCÍPIO DA REALIDADE PRINCÍPIO DO DEVER

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.