Sistema reprodutor feminino e masculino - Histologia
7 pág.

Sistema reprodutor feminino e masculino - Histologia


DisciplinaAtlas Histologia47 materiais514 seguidores
Pré-visualização1 página
TUBAS UTERINAS 
	Camada mucosa \u2013 epitélio colunar simples com células ciliadas e células secretoras + TC frouxo 
Camada muscular lisa 
Camada serosa 
	No momento da ovulação, exibe movimentos da musculatura lisa e as fimbrias se aproximam da superfície do ovário. 
	
	ÚTERO 
	Perimétrio \u2013 tecido conjuntivo e serosa 
Miométrio \u2013 3 feixes de músculo liso 
Endométrio - epitélio simples colunar (células ciliadas e secretoras) e lâmina basal rica em fibroblastos
	Glândulas do endométrio durante a fase proliferativa (ou folicular) tardia se apresentam tortuosas. Já na fase secretora (ovulação), os núcleos arredondados de cada células se alinham no meio
Cérvix uterino
· Endocérvice epitélio simples colunar 
· Ectocérvice epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado 
	
	VAGINA
	3 túnicas: mucosa, muscular e adventícia 
· Epitélio estratificado pavimentoso não queratinizado células que retém glicogênio (+claro)
· Ausência de glândulas na mucosa 
	Adventícia tecido conjuntivo denso não modelado com muitas fibras elásticas e suprimento vascular e nervoso. 
	
	VULVA 
	
	
	
	GLÂNDULAS MAMÁRIAS 
	
	
	
	FOLÍCULOS PRIMORDIAIS 
	Formados durante a vida fetal, por um ovócito primário envolvido por uma única camada de células foliculares achatadas. 
	Localizados próximos à túnica albugínea 
	O ovócito primário é uma célula esférica, com núcleo vesiculoso e nucléolo evidente. São células paradas na Prófase I 
	
	FOLÍCULOS PRIMÁRIOS 
	Envoltos por células foliculares cuboides, que aumentam de volume. 
	Ainda estão localizados próximos à túnica albugínea. 
	Proliferação das células foliculares resulta na formação da camada granulosa. Também há a formação da zona pelúcida (glicoproteínas)
	,
	FOLÍCULOS SECUNDÁRIOS
	Células bem maiores, que acumulam líquido folicular na região chamada de antro folicular. 
São envoltas pelas tecas foliculares 
· teca interna: cél.poliédricas, núcleos arredondados e citoplasma acidófilo (acumulam colesterol). 
· Teca externa: semelhantes às células do estroma ovariano
	Se localizam mais profundamente no córtex. 
	Para formação do antro, um número maior de células se acumula, formando o cumulus oophorus, que serve de apoio ao ovócito (é tipo um pedículo). Também há a formação da corona radiata (conjunto de células que envolvem o ovócito) 
	
	FOLÍCULOS MADUROS (DE GRAAF)
	Células muito grandes, que pelo acúmulo de líquido, a cavidade folicular aumenta de tamanho e a camada das células da granulosa fica mais delgada. 
	O ovócito pode ou não ser visualizado na célula. 
	Possui a teca muito espessa. 
	,
	CORPO LÚTEO
	Células da granulosa e da teca interna se organizam para formar essa glândula endócrina temporária, sendo que as primeiras aumentam de tamanho (células da granulosa-luteínicas) e passam a ter característica de secretoras de esteroides. 
	No seu interior forma-se uma grande rede vascular, com vasos provenientes da teca interna, que adentraram o corpo lúteo. 
	Parede pregueada (perda do fluido após a ovulação); centro invadido por tecido conjuntivo (parte central). 
Na gravidez, o HCG produzido pelas células trofoblásticas do embrião, estimula o corpo lúteo a produzir progesterona e manter a mucosa uterina. 
	
	ESPERMATOGÔNIA
	Células relativamente pequenas, situadas próxima à lâmina basal do epitélio germinativo.
São as únicas células expostas diretamente aos componentes do sangue. 
	São capazes de fazer meiose ou mitose, assim, a vida reprodutiva do homem não tem fim. 
	
	ESPERMATÓCITO PRIMÁRIO 
	São as maiores células da linhagem espermatogênica (tem 46 cromossomos)
	Possuem citoplasma \u201csalpicado\u201d e estão próximos à lâmina basal. 
	
	ESPERMATÓCITO SECUNDÁRIO
	Formados após a anáfase I, assim, tem 23 cromossomos e são diploides. 
	São de difícil observação, pois tem uma vida muito curta. 
	
	ESPERMÁTIDE 
	Formadas após a meiose II, tem 23 cromossomos e são haploides. 
	
	
	ESPERMATOZÓIDE
	Formadas pelo processo de especiação 
- Forma-se o acrossomo (a partir do CG)
- O núcleo é alongado
- Flagelos são formados (a partir dos centríolos)
- Perda do citoplasma (célula de Sertoli fagocita) 
	Fatores que influenciam a espermatogênese:
1- FSH (age nas células de sertoli \u2013 proteína ligante ABP
2- LH age nas células de Leydig \u2013 testosterona 
3- Temperatura (abaixo de 37°C)
	
Células mióides \u2013 células achatadas, com núcleo pavimentoso, com atividade contrátil (NÃO SÃO MÚSCULO LISO)
Células de Leydig
· Células de formato arredondado
· Produtoras de testosterona
· Localizadas no interstício (fora do túbulo seminífero)
· Secreção é controlada pelo LH
Células de Sertoli 
· Células muito grandes, de formato piramidal, com núcleos alongados e nucléolo evidente 
· Comandadas pelo FSH 
· Forma junções ocludentes muito fortes compartimento basal + compartimento luminal barreira hematotesticular
· Envolvem todas as células germinativas. 
· Funções: 
· Suporte, proteção e suprimento do epitélio germinativo
· Fagocitose 
· Secreção 
· Produção de inibina (controla a produção de FSH)
· Proteína ABP se liga na testosterona e mantém ela dentro do túbulo seminífero) 
· Na vida uterina, produz o hormônio anti-mulleriano (bloqueia o desenvolvimento das trompas de falópio, útero e vagina superior)
	DUCTO EPIDIDIMÁRIO 
	Epitélio pseudoestratificado colunar com estereocílios (aumenta a superfície de contato, tipo microvilosidades)
	É apenas UM ducto, mas como ele é enovelado, no corte transversal fica parecendo que são vários. 
	
	DUCTO DEFERENTE
	Epitélio pseudoestratificado colunar com estereocílios, que costuma apresentar pregueamento.
	Lúmen estreito e com espessa camada de músculo liso (tem que levar os espermatozoides contra a gravidade). 
Quando chega na vesícula seminal, o ducto deferente forma a ampola, que possui um epitélio mais longitudinal. 
	
	VESÍCULA SEMINAL 
	Epitélio pseudoestratificado colunar sem estereocílios, com espessa camada muscular que força a saída do líquido seminal para o ducto ejaculatório. 
	Produzem uma secreção amarelada que contém substâncias importantes para os espermatozoides. 
	
	PRÓSTATA
	Epitélio cuboide pseudoestratificado com estroma fibromuscular. 
Zona central da próstata é a mais próxima da uretra prostática. 
Zona periférica é onde acontece mais câncer de próstata. 
Zona de transição é mais comum de ter hiperplasias. 
	Envolve a uretra prostática e possui pequenos corpos esféricos calcificados, chamados de corpos amiláceos ou concreções prostáticas.
	
	GLÂNDULAS BULBOURETRAIS 
	Epitélio cúbico simples mucossecretor 
	Secreção desemboca na uretra membranácea. 
	
	PÊNIS
	Uretra \u2013 epitélio pseudoestratificado colunar (na glande = pavimentoso) 
Corpos cavernosos \u2013 túnica albugínea (tecido conjuntivo denso com muita fibra elástica) e tecido epitelial pavimentoso simples. 
	Corpo esponjoso envolve a uretra, por isso tem menos quantidade de vasos