A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
88 pág.
Manual do Dspace(2)

Pré-visualização | Página 1 de 20

Gestão Educacional....pmd 1/6/2009, 12:2118
MANUAL DO DSPACE
administração de repositórios
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
Reitora
DORA LEAL ROSA
Vice-reitor
LUIZ ROGÉRIO BASTOS LEAL
EDITORA DA UFBA
Diretora
FLáVIA m. GARcIA ROSA 
conselho Editorial
Ângelo Szaniecki Perret Serpa
caiuby Alves da costa
charbel Ninõ El-Hani
Dante Eustachio Lucchesi Ramacciotti
José Teixeira cavalcante Filho
Alberto Brum Novaes
Suplentes 
Evelina de carvalho Sá Hoisel
cleise Furtado mendes
maria Vidal de Negreiros camargo
Salvador
EDUFBA
2010
Milton Shintaku
Rodrigo Meirelles
MANUAL DO DSPACE
administração de repositórios
EDUFBA
Rua Barão de Jeremoabo, s/n, campus de Ondina 
40.170-290, Salvador, Bahia 
Telefax: (71) 3283 6160 / 3283 6164 
edufba@ufba.br 
www.edufba.ufba.br
© 2010 by milton Shintaku e Rodrigo meirelles
Direitos para esta edição cedidos à Editora da Universidade Federal da Bahia.
Feito o depósito legal.
Projeto Gráfico
GABRIELA NAScImENTO
Editoração e Arte Final
ALANA GONÇALVES DE cARVALHO mARTINS
Revisão
ANDREA HAcK
Normalização
AUTORES
Shintaku, milton.
manual do DSPAcE : administração de repositórios / milton Shintaku, Rodrigo meirelles. - 
Salvador : EDUFBA, 2010.
83 p. : il. 
 
ISBN 978-85-232-0732-8
 
1. Sistemas de recuperação da informação - Administração. 2. Repositórios - Administração. 
3. Repositórios institucionais. 4. Gestão do conhecimento. 5. ciência da informação. I. 
meirelles, Rodrigo. II.Título.
 
cDD - 020 
Sistema de Bibliotecas - UFBA
Dedico esse trabalho a minha esposa e minha filha, 
companheiras de vida; e à profa. Dra. Sely maria de Souza costa, 
que não me alfabetizou, mas me ensinou a escrever.
Milton Shintaku 
Dedico esse trabalho a minha amada mãe.
Rodrigo Meirelles
A Deus e a todos que ajudaram direta e indiretamente na nossa formação
À Universidade Federal da Bahia (UFBA), principalmente à Flávia Rosa, 
Diretora da Editora da UFBA, e ao Instituto Brasileiro de Informação em ciência e 
Tecnologia (IBIcT), pela oportunidade de aprendizado 
ao trabalharmos no Projeto de construção de Repositórios.
ApresentAção
A implementação de repositórios tem crescido substancialmente em seu uso em uma 
importante iniciativa para disseminação e preservação da produção intelectual em diversas 
instituições. Na atualidade, o DSpace tem sido o software mais usado, segundo dados 
do Registry of Open Access Repository (ROAR), para a implementação de repositórios de 
acesso aberto. No Brasil e em Portugal diversas instituições utilizam o DSpace. Entretanto, 
há poucos materiais de apoio em língua portuguesa.
Nesse contexto, a proposta dos autores é apresentar um manual que auxilie os ad-
ministradores de repositórios implementados com o DSpace. Este manual procura, de forma 
simples, fornecer aos leitores explicações sobre como executar as tarefas que fazem parte 
da gestão de repositórios no DSpace, embasando-os através dos respectivos conceitos.
Seu público alvo, porém, não é somente os administradores de repositórios no 
DSpace, mas todos os interessados no uso do software e em repositórios, pois, de forma 
geral, apresenta também informações técnicas e conceituais.
prefácio
REPOSITóRIOS INSTITUcIONAIS: A DEmOcRATIZAÇãO DA PRODUÇãO 
cIENTíFIcA
Após a Segunda Guerra mundial houve um incremento na produção científica que 
coincide com a abertura de universidades e centros de pesquisa no mundo todo e uma 
ampliação de intercâmbio de informações. O desenvolvimento das tecnologias de informação 
e comunicação possibilitou que este intercâmbio se desse através de redes e em tempo 
real, criando uma nova comunidade local e ao mesmo tempo global.
Nesse contexto, nos anos 1990, surgiu nos Estados Unidos o Open Archives Initiative 
(OAI) - Iniciativa dos Arquivos Abertos, movimento que foi um marco no desenvolvimento 
da comunicação científica e, por conseguinte, da publicação eletrônica e das bibliotecas 
digitais. Este modelo permitiu a democratização do conhecimento e uma das possibilidades 
foi a implantação de Repositórios Institucionais (RI) com a finalidade de organizar e dis-
seminar a produção científica das instituições de pesquisa. 
 No Brasil, a adoção dos RI é relativamente recente, mas, vem crescendo a cada ano, 
graças, dentre outras iniciativas, ao apoio do Instituto Brasileiro de Informação em ciência 
e Tecnologia (Ibict) através de edital em parceria com a FINEP e o suporte tecnológico dos 
seus técnicos. A disseminação da implantação dos RI permitiu que as instituições de pes-
quisa passassem a pensar na importância do estabelecimento de políticas de informação 
institucionais, trazendo como resultado prático um melhor gerenciamento da produção 
científica e sua disseminação para um público cada vez mais amplo.
O manual organizado por milton Shintaku e Rodrigo meirelles - Manual do DSpace: 
administração de repositórios, aprovado para publicação pela Editora da Universidade Fed-
eral da Bahia, na sua coleção manuais, chega em momento extremamente oportuno para 
auxiliar os administradores de repositórios implementados com o software livre, DSpace. De 
forma simples e objetiva, ele oferece aos leitores as orientações pertinentes para executar 
tarefas que fazem parte da gestão de repositórios que aderiram a esse software, além de 
trazer conceitos importantes para o entendimento e gerenciamento desse ambiente virtual 
para disponibilização de conteúdos. 
Shintaku e meirelles podem ser “classificados” como mentores incansáveis das 
causas que tomam para si, adotando os RI, têm se dedicado a auxiliar as instituições em 
processo de implementação dos seus repositórios, contribuindo para ampliar e consolidar 
a disseminação da produção científica brasileira.
Flávia Rosa
Professora Adjunta da Universidade Federal da Bahia
Braga, novembro de 2010
 
sumário
cApÍtuLo 1 15
INTRODUÇãO 15
OBJETIVO 16
PROFISSIONAIS ENVOLVIDOS NOS REPOSITóRIOS 16
REPOSITóRIOS 17
DSPAcE 18
XmLUI X JSPUI 19
cApÍtuLo 2 21
ORGANIZAÇãO DO DSPAcE 21
cOmUNIDADE, cOLEÇãO E ITENS 22
USUáRIOS E GRUPOS 25
TEmAS E ASPEcTOS 26
ADmINISTRADORES DE cOmUNIDADE 28
ADmINISTRADORES DE cOLEÇãO 29
cApÍtuLo 3 31
O ADmINISTRADOR DO REPOSITóRIO 31
TAREFAS DO ADmINISTRADOR 31
POLíTIcAS 32
mENU DO ADmINISTRADOR 33
cApÍtuLo 4 35
A ADmINISTRAÇãO 35
GERENcIAR A ESTRUTURA INFORmAcIONAL DO REPOSITóRIO 35
Gerenciar comunidade e subcomunidade 37
Gerenciar coleção 42
GERENcIAR cONTROLE DE AcESSO 51
Gerenciar pessoas 52
Gerenciar Grupos 53
Gerenciar acessos 55
GERENcIAR REGISTROS 58
Gerenciar metadados 59
Gerenciar formatos 61
GERENcIAR OUTRAS FAcILIDADES 63
itens 63
painel de controle 65
estatísticas 66
importar metadados 67
cApÍtuLo 5 69
PROcEDImENTOS TÉcNIcOS 69
FORmULáRIO DE ENTRADA 69
ARqUIVO DE TRADUÇãO 71
VOcABULáRIO cONTROLADO 72
cONFIGURAÇõES 72
indexação de texto completo 73
configurações relacionadas à língua 74
página inicial do usuário (após ser identificado) 74
permitir que o administrador se “logue” como outro usuário 75
Analisador brasileiro para busca 75
operador lógico padrão para busca 76
Licença creative commons 76
permissões 77
condições 77
conclusão 78
REFERÊNcIAS 79
GLOSSáRIO 81
sobre os Autores 83
15
cApÍtuLo 1
INTRODUÇãO
Atualmente, a internet tem se apresentado como uma fonte valiosa de informações. 
cada vez mais instituições, na maioria de ensino superior, disponibilizam sua produção 
intelectual de forma aberta, principalmente por meio do movimento de acesso livre (Open 
Acess), permitindo que periódicos, repositórios, bibliotecas digitais e acervos possam ser 
disponibilizados em acesso livre.