A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
65 pág.
ABORDAGEM-E-TRATAMENTO-DE-ÚLCERAS-OSTOMIAS-E-FERIDAS

Pré-visualização | Página 1 de 11

1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
SUMÁRIO 
1 LESÃO POR PRESSÃO .................................................................... 5 
1.1 Classificação das lesões ............................................................. 6 
1.2 Tipos de úlceras ........................................................................ 12 
2 ÚLCERAS PÉPTICAS .................................................................... 21 
2.1 Tipos de úlceras pépticas .......................................................... 22 
3 OSTOMIAS ...................................................................................... 26 
3.1 Formação de uma ostomia: ostomia final ou ostomia de loop. .. 27 
3.2 Tipos de ostomias ..................................................................... 28 
3.3 Estomas temporários e permanentes ........................................ 34 
4 CUIDADOS E AUTOCUIDADO COM O ESTOMA .......................... 35 
4.1 Medidas de higiene e os cuidados gerais para pacientes com 
ostomia 36 
4.2 Dispositivos coletores e adjuvantes .......................................... 39 
4.3 Sistemas de continência da colostomia .............................. 42 
4.4 Irrigação da colostomia ............................................................ 43 
5 FERIDAS ......................................................................................... 45 
5.1 Classificação das feridas ........................................................... 46 
5.2 Fatores de risco para desenvolvimento de feridas .................... 50 
6 TRATAMENTOS DAS FERIDAS ..................................................... 52 
6.1 Processo de cicatrização ........................................................... 52 
6.2 Os diferentes tipos de cicatrização ............................................ 54 
6.3 Avaliação da ferida .................................................................... 55 
6.4 Tipos de tecido encontrados em uma ferida .............................. 57 
6.5 Desbridamento .......................................................................... 59 
6.6 Tipos de coberturas mais usadas em curativos ........................ 60 
6.7 Aspectos a serem considerados na realização do curativo ....... 62 
 
3 
 
BIBLIOGRAFIA ...................................................................................... 63 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4 
 
1 INTRODUÇÃO 
Prezado aluno! 
O Grupo Educacional FAVENI, esclarece que o material virtual é 
semelhante ao da sala de aula presencial. Em uma sala de aula, é raro – 
quase improvável - um aluno se levantar, interromper a exposição, dirigir-se ao 
professor e fazer uma pergunta , para que seja esclarecida uma dúvida 
sobre o tema tratado. O comum é que esse aluno faça a pergunta em voz alta 
para todos ouvirem e todos ouvirão a resposta. No espaço virtual, é a mesma 
coisa. Não hesite em perguntar, as perguntas poderão ser direcionadas ao 
protocolo de atendimento que serão respondidas em tempo hábil. 
Os cursos à distância exigem do aluno tempo e organização. No caso da 
nossa disciplina é preciso ter um horário destinado à leitura do texto base e à 
execução das avaliações propostas. A vantagem é que poderá reservar o dia da 
semana e a hora que lhe convier para isso. 
A organização é o quesito indispensável, porque há uma sequência a ser 
seguida e prazos definidos para as atividades. 
 
 
 
5 
 
2 LESÃO POR PRESSÃO 
 
Fonte: tuasaude.com 
 
Úlcera é qualquer interrupção na solução de continuidade do tecido 
cutâneo-mucoso, acarretando alterações na estrutura anatômica ou função 
fisiológica dos tecidos afetados. 
É o nome genérico dado a quaisquer lesões superficiais 
em tecido cutâneo ou mucoso, popularmente denominadas feridas. Nessas 
lesões ocorre a ruptura do epitélio, de modo a haver exposição de tecidos mais 
profundos à área rota. 
Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica é exemplo 
de lesão que ocorre no estômago ou no duodeno (mais frequente), sendo mais 
susceptíveis a este grupo de úlceras as pessoas que sofrem de stress. 
No dia 13 de abril de 2016, o NPUAP - National Pressure Ulcer Advisory 
Panel, anunciou a mudança na terminologia Úlcera por Pressão para Lesão por 
Pressão e a atualização da nomenclatura dos estágios do sistema de 
classificação. 
Segundo o SOBEST (2016, apud NPUAP, 2016) a expressão descreve, 
de forma mais precisa, esse tipo de lesão, tanto na pele intacta como na pele 
ulcerada. No sistema prévio do NPUAP, o Estágio 1 e a Lesão Tissular Profunda 
descreviam lesões em pele intacta enquanto as outras categorias descreviam 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Les%C3%B5es
https://pt.wikipedia.org/wiki/Tecido_(histologia)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Pele
https://pt.wikipedia.org/wiki/Mucosa
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ferida
https://pt.wikipedia.org/wiki/Afta
https://pt.wikipedia.org/wiki/Boca
https://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%9Alcera_p%C3%A9ptica
https://pt.wikipedia.org/wiki/Est%C3%B4mago
https://pt.wikipedia.org/wiki/Duodeno
https://pt.wikipedia.org/wiki/Stress
 
6 
 
lesões abertas. Isso causava confusão porque a definição de cada um dos 
estágios referia-se à úlcera por pressão. 
Conforme estabelecido pelo NPUAP, o conceito de LPP – Lesão Por 
Pressão é um dano localizado na pele e/ou tecido mole subjacente geralmente 
sobre proeminência óssea ou pode ainda estar relacionado a equipamentos 
médicos ou outro tipo de dispositivo. 
Moraes et al (2016) descreve que: 
A lesão pode apresentar-se como pele intacta ou como úlcera 
aberta e pode ser dolorosa. Ocorre como um resultado de intensa e/ou 
prolongada pressão ou de pressão combinada com cisalhamento. A 
tolerância do tecido mole para a pressão e cisalhamento também pode 
ser afetada pelo microclima, nutrição, perfusão, doenças associadas e 
condição do tecido mole. 
 
Dentre as mudanças propostas pelo NPUAP relacionadas a terminologia 
e conceitos, agora são utilizados para numerar os estágios, números arábicos 
ao invés de números romanos. O termo suspeita também foi removido da 
categoria suspeita de lesão tissular profunda, permanecendo “lesão tissular 
profunda”. 
2.1 Classificação das lesões 
Lesão por Pressão: 
Lesão por pressão é um dano localizado na pele e/ou tecidos moles 
subjacentes, geralmente sobre uma proeminência óssea ou relacionada ao uso 
de dispositivo médico ou a outro artefato. A lesão pode se apresentar em pele 
íntegra ou como úlcera aberta e pode ser dolorosa. A lesão ocorre como 
resultado da pressão intensa e/ou prolongada em combinação com o 
cisalhamento. A tolerância do tecido mole à pressão e ao cisalhamento pode 
também ser afetada pelo microclima, nutrição, perfusão, comorbidades e pela 
sua condição. 
 
Lesão por Pressão Estágio 1: Pele íntegra com eritema que não 
embranquece 
Pele íntegra com área localizada de eritema que não embranquece e que 
pode parecer diferente em pele de cor escura. Presença de eritema que 
embranquece ou mudanças na sensibilidade, temperatura ou consistência 
 
7 
 
(endurecimento) podem preceder as mudanças visuais. Mudanças na cor não 
incluem descoloração púrpura ou castanha; essas podem indicar dano tissular 
profundo. 
 
Fonte: npuap.org 
 
Lesão por Pressão Estágio 2: Perda da pele em sua espessura parcial com 
exposição da derme 
Perda da pele em sua espessura parcial com exposição da derme. O leito 
da ferida é viável, de coloração rosa ou vermelha, úmido e pode também 
apresentar-se como uma bolha intacta (preenchida com exsudato seroso) ou 
rompida. O tecido adiposo e tecidos profundos não são visíveis. Tecido de 
granulação, esfacelo e escara não estão presentes. Essas lesões geralmente 
resultam de microclima inadequado e cisalhamento da pele na região da pélvis 
e no calcâneo. Esse