Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
III_Teorico

Pré-visualização | Página 1 de 6

Inserir Título Aqui 
Inserir Título Aqui
Prevenção e Controle 
de Riscos em Máquinas, 
Equipamentos 
e Instalações
Caldeiras, Vaso de Pressão e Tubulações
Responsável pelo Conteúdo:
Prof. Me. Alessandro José Nunes da Silva
Revisão Textual:
Prof.ª Dr.ª Selma Aparecida Cesarin
Nesta unidade, trabalharemos os seguintes tópicos:
• A Consolidação das Leis do Trabalho “CLT” – Caldeiras 
e Recipientes sob Pressão;
• NR-13: Caldeiras e Vasos sob Pressão e Tubulação;
• Responsabilidade da Equipe de Segurança;
• Responsabilidade Técnica na Operação da Caldeira;
• Equipamentos Dispensados do Cumprimento da NR 13;
• Sistemas de Segurança em Caldeiras, 
Vaso de Pressão e Tubulações;
• Instalação de Caldeiras a Vapor;
• Treinamento de Segurança na Operação de Caldeiras;
• Reforma e Retrofit das Caldeiras;
• Vasos de Pressão;
• Análise de Perigos e Riscos;
• Estudo de Perigo e Operabilidade (HAZOP).
Fonte: Getty Im
ages
Objetivo
• Apresentar aos alunos informações básicas sobre as Barreiras de Segurança para Caldei-
ras, Vasos de Pressão e Tubulações, suas obrigações legais, as responsabilidades técnicas 
e as ações que visem à proteção e à prevenção de ocorrências de incidentes e acidentes.
Caro Aluno(a)!
Normalmente, com a correria do dia a dia, não nos organizamos e deixamos para o úl-
timo momento o acesso ao estudo, o que implicará o não aprofundamento no material 
trabalhado ou, ainda, a perda dos prazos para o lançamento das atividades solicitadas.
Assim, organize seus estudos de maneira que entrem na sua rotina. Por exemplo, você 
poderá escolher um dia ao longo da semana ou um determinado horário todos ou alguns 
dias e determinar como o seu “momento do estudo”.
No material de cada Unidade, há videoaulas e leituras indicadas, assim como sugestões 
de materiais complementares, elementos didáticos que ampliarão sua interpretação e 
auxiliarão o pleno entendimento dos temas abordados.
Após o contato com o conteúdo proposto, participe dos debates mediados em fóruns de 
discussão, pois estes ajudarão a verificar o quanto você absorveu do conteúdo, além de 
propiciar o contato com seus colegas e tutores, o que se apresenta como rico espaço de 
troca de ideias e aprendizagem.
Bons Estudos!
Caldeiras, Vaso de Pressão e Tubulações
UNIDADE 
Caldeiras, Vaso de Pressão e Tubulações
Contextualização 
O processo produtivo que envolve atividades nas caldeiras e vasos de pressão é 
extremante importante para os profissionais da área de segurança.
Nesse sentido, é fundamental nessa área de atuação uma gestão de melhoria 
contínua, que vise ao aprimoramento das condições de risco e de perigo na utilização 
desses equipamentos.
É preciso atuar nesse segmento de alto risco, vez que os acidentes ocorridos com 
caldeiras e vasos de pressão são altamente danosos, podendo gerar muitas perdas de 
vidas, como o acidente de explosão de caldeira em cervejaria, em Jacareí, em 2016, que 
deixou quatro trabalhadores mortos e um ferido (G1 VALE DO PARAÍBA, 2016).
Além das perdas de vidas, existem perdas estruturais para a Empresa, tais como parada 
da Empresa, perda e necessidade de recuperação dos danos causados, necessidade de 
investimentos, além de processos judiciais na esfera trabalhista e criminal, que podem 
levar a Empresa à falência; por isso, a importância de Medidas de Segurança. 
Quando se trata de processos produtivos que utilizam Caldeiras ou Vasos de 
Pressão, os riscos envolvidos são extremamente sérios, vez que as consequências de 
um acidente envolvendo esses equipamentos são catastróficas.
Por isso, o primeiro passo para a Área de Segurança é identificar os riscos, sejam 
eles internos, sejam externos.
Todavia, nem todos os riscos são fáceis de identificar e, por isso, é de suma impor-
tância selecionar um método estruturado para identificação do risco, vez que uma má 
identificação dos riscos causa avaliação falha que, por sua vez, implica selecionar uma 
estratégia inadequada de mitigação do risco (BRASIL, 2014).
A Equipe de Segurança tem de ficar atentar à responsabilidade técnica desses equipa-
mentos, porque é preciso seguir normativas específicas, como a Norma de NBRISO16528, 
que define os requisitos mínimos para a construção de caldeiras e vasos de pressão.
Importante ficar atento, também, à Decisão Normativa nº 045 do CONFEA, que 
dispõe que, em serviços técnicos de geradores de vapor e vasos sob pressão, deve 
haver um Responsável Técnico legalmente habilitado para desenvolver as atividades de 
elaboração, projeto, fabricação, montagem, instalação, inspeção, reparos e manutenção 
de geradores de vapor, vasos sob pressão, em especial caldeiras e redes de vapor, que 
são enquadradas como atividades de Engenharia (CONFEA, 1992).
As caldeiras são equipamentos de grande valia para os mais diversos segmentos 
industriais. As funções variam, mas são essenciais para produzir energia, e podem 
ser utilizadas para a geração de energia elétrica ou simplesmente de calor. Por isso, 
esses equipamentos necessitam de um bom funcionamento e a manutenção rigorosa, 
supervisionada por um Responsável técnico.
6
7
No Brasil, a Norma Regulamentadora (NR) Nº 13 estabelece os requisitos mínimos 
para a gestão da integridade estrutural de caldeiras a vapor, vasos de pressão e suas 
tubulações de interligação nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e 
manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores.
Portanto, para dar início ao conteúdo, é fundamental que você assista ao vídeo que 
aponta as causas do acidente na plataforma de Piper Alpha.
Acidente da plataforma de Piper Alpha – https://youtu.be/mQ0Clv-RtZc
7
UNIDADE 
Caldeiras, Vaso de Pressão e Tubulações
A Consolidação das Leis do Trabalho
“CLT” – Caldeiras e Recipientes sob Pressão
A “CLT” regulamenta as relações trabalhistas, tanto do trabalho urbano quanto do 
rural, de relações individuais ou coletivas e no que tange a saúde e segurança (BRASIL, 
CLT, 1977), neste sentido ela assegura juridicamente a NR-13 em dois Artigos:
Art. 187 – As caldeiras, equipamentos e recipientes em geral que ope-
ram sob pressão deverão dispor de várias válvulas e outros dispositivos 
de segurança, para evitar que seja ultrapassada a pressão interna de 
trabalho compatível com a sua resistência.
§ Único – O Ministério do Trabalho expedirá normas complementares 
quanto à segurança das caldeiras, fornos e recipientes sob pressão, 
especialmente quanto ao revestimento interno, à localização, à ventilação 
dos locais e outros meios de eliminação de gases ou vapores prejudiciais 
à saúde, e demais instalações ou equipamentos necessários à execução 
segura das tarefas de cada empregado. (BRASIL, CLT, 1977)
Art. 188 – As caldeiras serão periodicamente submetidas a inspeções 
de segurança, por engenheiro ou Empresa especializada, inscritos no 
Ministério do Trabalho, de conformidade com as instruções que, para 
esse fim, forem expedidas.
§ 1º – Toda caldeira será acompanhada de “Prontuário”, com docu-
mentação original do fabricante, abrangendo, no mínimo: especificação 
técnica, desenhos, detalhes, provas e testes realizados durante a fabri-
cação e a montagem, característica funcionais e a pressão máxima de 
trabalho permitida (PMTP), esta última indicada, em local visível, na 
própria caldeira.
§ 2º – O proprietário da caldeira deverá organizar, manter atualizado e 
apresentar, quando exigido pela autoridade competente, o Registro de 
Segurança, no qual serão anotadas, sistematicamente, as indicações das 
provas efetuadas, inspeções, reparos e quaisquer outras ocorrências.
§ 3º – Os projetos de instalação de caldeiras, fornos e recipientes sob 
pressão deverão ser submetidos à aprovação prévia do órgão regional 
competente em matéria de segurança do trabalho. (BRASIL, CLT, 1977)
NR-13: Caldeiras e Vasos sob
Pressão e Tubulação
Página123456