A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
90 pág.
ESQUELETOS DAS PEÇAS TRABALHISTAS - ATUALIZADO

Pré-visualização | Página 1 de 18

PRÁTICA SIMULADATRABALHISTA 
Professora Valdilene Ângela de Carvalho Guimarães – mestra em Direito do Trabalho. 
valdilene.guimarães@projecao.br 
SUMÁRIO 
1. RECLAMAÇÃO TRABALHISTA .................................................................................................... 2 
2. RECLAMAÇÃO COM TUTELA ANTECEDENTE ....................................................................... 8 
3. RECLAMAÇÃO TRABALHISTA EM CASO DE RESCISÃO INDIRETA. ............................. 11 
4. AÇÃO DE CONSIGNAÇÃO EM PAGAMENTO ......................................................................... 14 
5. CONTESTAÇÃO ............................................................................................................................... 19 
6. EMBARGOS DE DECLARAÇÃO .................................................................................................. 40 
7. RECURSO ORDINÁRIO .................................................................................................................. 47 
8. RECURSO ORDINÁRIO ADESIVO .............................................................................................. 65 
9. CONTRARRAZÕES AO RECURSO ORDINÁRIO ..................................................................... 67 
11. RECURSO DE REVISTA ................................................................................................................. 71 
12. RECURSO EXTRAORDINÁRIO – STF ........................................................................................ 74 
13. EMBARGOS À EXECUÇÃO ........................................................................................................... 77 
14. IMPUGNAÇÃO À SENTENÇA DE LIQUIDAÇÃO ..................................................................... 79 
15. AGRAVO DE PETIÇÃO .................................................................................................................. 80 
16. EMBARGOS DE TERCEIROS ........................................................................................................ 82 
17. EMBARGOS DE DIVERGÊNCIA/INFRINGÊNCIA ................................................................... 84 
19. MANDADO DE SEGURANÇA ........................................................................................................ 88 
 
 
 
 
 
 
mailto:valdilene.guimarães@projecao.br
PRÁTICA SIMULADATRABALHISTA 
Professora Valdilene Ângela de Carvalho Guimarães – mestra em Direito do Trabalho. 
valdilene.guimarães@projecao.br 
1. RECLAMAÇÃO TRABALHISTA 
 
A. RITO ORDINÁRIO – ART.840, caput, §1º, DA CLT: 
 
1. DEMANDAS QUE ULTRAPASSAM A 40 SALÁRIOS MÍNIMOS. 
2. Todos os pedidos deverão ser líquidos e certos: cada parcela postulada pelo obreiro (férias, 13º 
salários, hora extra, FGTS, etc). 
3. CUIDADO: DEVE-SE REDIGIR A PEÇA NOS MOLDES DO RITO ORDINÁRIO ( mesmo 
que o valor da causa seja inferior a 40 salários mínimos): 
a) quando for parte a Administração Pública direta, autárquica e fundacional; ou 
b) quando o endereço das partes não for conhecido, pois demandaria a citação por edital, o que 
não é permitido no rito sumaríssimo. 
 
B. RITO SUMARÍSSIMO – ART.852-B, I, DA CLT: 
 
1. DEMANDAS QUE NÃO ULTRAPASSAM A 40 SALÁRIOS MÍNIMOS 
2. Todos os pedidos deverão ser líquidos e certos: cada parcela postulada pelo obreiro (férias, 13º 
salários, hora extra, FGTS, etc). 
3. Não admite citação por edital (indicar endereço e nome correto do reclamado); 
4. Esse procedimento NÃO se aplica à Administração Pública direta, autárquica e fundacional. 
Ou seja, só se aplica aos demais entes da administração indireta: EP/SEM. 
OBS.: 
• ADMINISTRAÇÃO DIRETA: União, Estados, Municípios e DF. 
• ADMINISTRAÇÃO INDIRETA: Autarquia (consórcio público), Fundação 
Pública/Empresa Pública/SEM). 
 
5. O julgamento da RT deverá ocorrer no prazo máximo de 15 dias do seu ajuizamento; 
6. TESTEMUNHAS: máximo de 2 para cada parte. Elas compareceram a audiência 
independentemente de intimação – art.852-H, da CLT. 
7. PROVA PERICIAL: art.852-H,§4º, da CLT-Somente quando a prova do fato o exigir, ou for 
lealmente imposta; 
8. Sentença: dispensado o relatório. 
mailto:valdilene.guimarães@projecao.br
PRÁTICA SIMULADATRABALHISTA 
Professora Valdilene Ângela de Carvalho Guimarães – mestra em Direito do Trabalho. 
valdilene.guimarães@projecao.br 
9. A intimação da sentença será na própria audiência. 
10. Só cabe recurso de revista por violação a CF/88 OU Súmula do TST. NÃO CABE POR 
VIOLAÇÃO A OJ (ORIENTAÇÃO JURISPRUDENCIAL). 
 
C. RITO SUMÁRIO (DISSÍDIO DE ALÇADA) – LEI 5.584/70 – ART.2º,§§ 3º E 4º: 
 
1. DEMANDAS QUE NÃO ULTRAPASSAM a 2 salários mínimos; 
2. TESTEMUNHAS: 3 testemunhas para cada parte. 
3. Todos os pedidos deverão ser líquidos e certos: cada parcela postulada pelo obreiro (férias, 
13º salários, hora extra, FGTS, etc). 
4. Não cabe recurso contra sentença proferida nas demandas submetidas a este rito, salvo se 
versarem sobre norma constitucional. Sendo assim, poderá haver o Recurso 
Extraordinário, destinado ao STF. 
 
OBS. A estrutura da petição inicial em ambos os ritos é a mesma. O que diferencia a petição de um 
rito para outro é o valor da causa. 
➢ Defende a revogação desse rito: José Augusto Rodrigues Pinto/ Rodolfo Pamplona. 
➢ Defende a manutenção: Carlos Henrique Bezerra Leite, Mauro Schiavi, Sergio Pinto 
Martins. 
 
➢ RESUMINDO: ATENTE-se que o valor da causa define o rito: 
RITO VALOR EM SALÁRIO MÍNIMO 
SUMÁRIO- LEI 5.584/70 – ART.2º,§§ 3º E 4º ATÉ 2 
SUMARÍSSIMO - ART.852-B, I, DA CLT DE 2 A 40 
ORDINÁRIO - ART.840, caput, §1º, DA CLT + DE 4 
 
 
mailto:valdilene.guimarães@projecao.br
PRÁTICA SIMULADATRABALHISTA 
Professora Valdilene Ângela de Carvalho Guimarães – mestra em Direito do Trabalho. 
valdilene.guimarães@projecao.br 
 
ESQUELETO BÁSICO DA RECLAMAÇÃO TRABALHISTA 
 
 A reclamação trabalhista observará o seguinte esqueleto: 
 
 
 
ESQUELETO GERAL PARA VISUALIZAÇÃO DA PETIÇÃO INICIAL: 
• NA COMARCA ONDE NÃO HOUVER JUIZ DO TRABALHO, a lei poderá investir o juiz 
de direito da jurisdição trabalhista (art. 112, CF). Se na localidade não houver vara do trabalho, 
o endereçamento deve ser realizado da seguinte maneira: AO JUÍZO DE DIREITO DA … 
VARA CÍVEL DA COMARCA DE... 
 
• SE NA LOCALIDADE HOUVER VARA DO TRABALHO, o endereçamento deve ser 
realizado da seguinte maneira: AO JUIZO DA … VARA DO TRABALHO DE ... 
AO JUIZO DA … VARA DO TRABALHO DE ... 
 
 NOME DO RECLAMANTE, nacionalidade..., estado civil..., profissão.... RG..., CFP..., 
CTPS..., PIS..., residente e domiciliado na Rua ..., nº..., bairro..., cidade..., Estado..., CEP..., e-
mail..., (Se a prova der dados, o aluno tem que colocar os dados fornecidos), vem, 
respeitosamente perante este juízo, por intermédio de seu advogado adiante assinado 
(PROCURAÇÃO ANEXA), com escritório profissional no endereço completo, onde recebe 
intimações ou notificações, com fulcro no art. 840, §1º, da CLT c/c art.319 do CPC, PROPOR 
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA 
1. Preliminar de Mérito 
2. Dos fatos 
3. Do direito 
4. Dos Pedidos 
5. Dos requerimentos finais 
 
mailto:valdilene.guimarães@projecao.br
PRÁTICA SIMULADATRABALHISTA 
Professora Valdilene Ângela de Carvalho Guimarães – mestra em Direito do Trabalho. 
valdilene.guimarães@projecao.br 
 em face de NOME DA RECLAMADA, pessoa jurídica de direito..., inscrito no CNPJ nº ..., 
estabelecida na rua .... nº..., bairro..., cidade ..., CEP ... (se a prova der dados, o aluno tem que 
colocar), pelas razões de fato e de direito a seguir expostas. 
 
I – PRELIMINAR DE MÉRITO – SÓ SE TIVER 
A – TRAMITAÇÃO PREFERENCIAL DO FEITO: aqui o aluno tem que contextualizar 
cada tópico que abrir (se houver) 
- Idoso (art. 71, Lei 10741/2003 e art. 1.048, I, CPC) 
- Portador de doença grave (art. 1.048, I, CPC) 
- Pessoa com deficiência (art. 9º da Lei no 13.146/2015). 
- Dissídio que verse exclusivamente sobre salário (SÓ SALÁRIOS ATRASADOS