A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Vitaminas hidrossolúveis

Pré-visualização | Página 2 de 3

conseguem ser absorvidas dessa forma
Pode causar dermatite, alopecia e anormalidades neurológicas como ataxia (descoordenação motora)
· Toxidade
Não existe. Vitamina do complexo B não se intoxica por meio de alimentos e no caso da biotina nem com a suplementação.
Vitamina B5 - Acido Pantotênico
Descoberta por pesquisadores que trabalhavam com leveduras, como sendo fator de crescimento delas, em 1933, ela estava presente em vários alimentos, por isso “panthos” = em todos os lugares. Em 1947 temos relatos do uso desse composto como prevenção para dermatite em frangos. E apenas em 1954 foi realmente descrita como vitamina essencial para o ser humano.
Encontramos em leveduras, fígados, ovo, cogumelos, amendoim, nozes e cereais integrais, além de ser produzida pela microbiota intestinal
· Estabilidade
Bem variável. No calor temos uma perda nas carnes de 15 a 50% e no caso de vegetais de 37 a 78%. Em cocção doméstica temos perdas menores do que os valores descritos. Alimentos enlatados, congelados ou refinados temos uma perda maior. Por isso quanto mais consumirmos alimentos in natura, é melhor
· Função metabólica
Reações de liberação de energia no metabolismo de macronutrientes (CHO, proteínas e lipídeos)
· Armazenamento
Estocada no fígado, coração, rins e músculos em quantidade maior. Mas está espalhada em todos os tecidos do nosso corpo também. Excesso excretado na urina.
· Deficiência
Rara pois é encontrada em muitos alimentos. A não ser em pacientes muito desnutridos. Causa fraqueza, parestesia (formigamento das pontas dos dedos), fadiga e vômitos. Uso de anticoncepcionais via oral reduzem a concentração da vitamina B5 na circulação, não chega a ter deficiência, mas reduzem algumas vitaminas do complexo B.
· Toxidade
Mesmo com o uso de megadoses só temos o relato de diarreia
Vitamina B9 – Ácido Fólico
Vem do latim de folhas, pois uma boa fonte de B9 na dieta vem de alimentos folhosos. Em 1930 ela foi descrita como fator de prevenção da anemia perniciosa (pois um dos sintomas da deficiência de ácido fólico é a anemia perniciosa). Em 1950 pesquisadores perceberam relações estreitas entre a formação do tubo neural do feto com o ácido fólico circulante da gestante. Quando a mãe tinha uma deficiência de B9 a criança nascia com má formação desse tubo neural.
Eles também são chamados de folatos, porem tanto folatos, quanto vitamina B9 e ácido fólico são termos genéricos, pois estamos nos referindo a vários compostos que têm atividade vitamínica. Sendo que na nossa dieta a maior parte do que consumimos está na forma de poliglutamatos (composto que tem atividade de ácido fólico na nossa alimentação).
Encontramos em leveduras, fígado, vegetais de folhas verdes escuras (espinafre, couve, salsinha, cebolinha), brócolis, quiabo, leguminosas (em especial na lentilha), gema de ovo, abacate e suco de laranja.
· Estabilidade
Altamente hidrossolúvel, perdemos muito em água, cerca de 20 a 75%. Relativamente instável ao calor e ao oxigênio
· Função metabólica
Divisão celular (síntese de RNA e DNA no núcleo da célula), formação de hemácias, leucócitos na medula óssea e na maturação dessas hemácias. E é necessário para eu ocorra o crescimento e desenvolvimento do feto (em especial no fechamento do tubo neural).
· Armazenamento
Armazenamos no fígado, mas não temos reservas grandes, estima-se que a meia vida dela seja, apenas, cerca de 100 dias. Pouca excreção na urina.
· Deficiência
Temos uma prevalência muito grande de baixa ingestão de ácido fólico, devido ao fato de serem encontradas principalmente em vegetais frescos, alimento que a população em geral consome pouquíssimo. O uso de anticoncepcional via oral também reduz a concentração de ácido fólico circulante. A deficiência de vitamina B12 também altera o metabolismo de ácido fólico, estão altamente interligadas. 
A deficiência da B9, da B6 e B12 também, aumentam o risco de doenças cardiovasculares, pois temos alteração no metabolismo de homocisteína (composto que fica na circulação, que quando está elevado aumenta o risco de doenças cardiovasculares). Pode também causar depressão, demência e Alzheimer. Com a deficiência da B9 temos a redução da divisão celular e acabamos produzindo as hemácias muito grandes e imaturas, causando anemia megaloblástica (não é anemia por falta de ferro, é uma anemia por falta de vitamina), também causada pela deficiência de B12.
Outro problema muito grave é o déficit de crescimento, defeitos no tubo neural do feto, pois ocorre uma má divisão celular na embriogênese. Isso causa problemas no feto como espinha bífida, anencefalia, diminuição severa do tamanho do cérebro e déficit cognitivo.
· Toxidade
Não é descrita na literatura, consideramos como uma suplementação relativamente segura. Mas devemos ficar atentos a altas doses pois podem mascarar anemia perniciosa (causada por B12 – ou seja, na hora de suplementar uma vitamina precisamos saber se a outra também não está deficiente). Tempo muito longo de suplementação parece prejudicar a absorção de zinco e existem relatos de aumento das crises de epilepsia para quem já tem predisposição. 
· Alimentos fortificados 
Como é uma vitamina muito importante na prevenção de anemia e para mulheres em idade fértil, para não ter riscos de alterações neurológicas no feto, aqui o Brasil é obrigatório que farinhas brancas e de milho sejam fortificadas ácido fólico e ferro. Uma forma que o governo encontrou de oferecer, minimamente, ácido fólico para a população.
Vitamina B12 – Cobalamina
Um pouco diferente das outras, pois é a única que tem um composto na molécula além do composto orgânico, o cobalto. Descrita em 1929 como fator preventivo da anemia perniciosa ou fator extrínseco. Vitamina B12 ou cobalamina é um termo genérico para vários compostos que tem ação biológica de vitamina, como hidroxicobalamina, deoxiadenosilcobalamina, metilcobalamina (esses 3 primeiros são os que mais encontramos nos alimentos), aquacobalamina e cianocobalamina.
Encontramos somente em alimentos de origem animal (principalmente no fígado e em carnes e em menores quantidades no leite e derivados e ovos) e microrganismos.
· Estabilidade
Moderadamente estável ao calor. Conseguimos cozinhar e ter uma manutenção boa da vitamina. Carnes que já foram congeladas apresentam perda de 20% e cocção de carnes em casa, normalmente, menos de 30%. A maior perda ocorre por lixiviação (sulco da carne descongelada, perda de nutrientes na água)
· Funções Metabólicas
Atua na maturação das hemácias (formação completa), auxilia na síntese da bainha de mielina que envolve as células nervosas (A bainha de mielina envolve as fibras que são a parte longa em forma de fio de uma célula nervosa. A bainha protege essas fibras, conhecidas como axônios, muito parecido com o isolamento em torno de um fio elétrico. Essa bainha é quem envolve os axônios que são responsáveis pela condução dos impulsos nervosos – quando não consumimos B12 esses impulsos não acontecem de forma adequada), necessária para o metabolismo normal das células do TGI (Trato gastrointestinal), medula óssea e tecido nervoso. 
· Armazenamento
Diferente das outras vitaminas hidrossolúveis, ela tem um bom armazenamento no fígado e nos músculos. O excesso é excretado pela urina e pelas fezes excretamos a B12 proveniente da nossa bile e pela B12 não absorvida da dieta.
· Deficiência
Muito comum na ingestão inadequada, geralmente por vegetarianos e veganos (principalmente, pois não consomem NADA de origem animal). E em crianças amamentadas por mães vegetarianas, pois se as mães não tiveram a suplementação correta, o leite terá deficiência de B12.
Podemos ter deficiência também por falha na absorção da vitamina, durante o processo de envelhecimento das células do estomago (onde a produção de ácido clorídrico e fatores intrínsecos são reduzidos), por insuficiência pancreática (o pâncreas produz enzimas proteases – que digerem as proteínas/peptidases – então para que a vitamina B12 fique disponível para ser absorvida, precisamos primeiro quebrar as proteínas do alimento) e pelo uso de alguns

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.