A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
ATPS Administraçao de Micro e Pequenas empresas

Pré-visualização | Página 2 de 2

maior variabilidade em proporção a quantia total produzida pela microempresa.
Ferronato (2011) ressalta que o custo fixo dá a idéia de volume e ociosidade enquanto que o custo variável dá a idéia de eficiência eficácia e produtividade. Isto corresponde a um dos pontos favoráveis para a micro e pequena empresa mediante as despesas no tocante à produção.
“Rocha (2004), analisa que o custeio variável é aquele em que somente os custos variáveis diretos ou indiretos e as despesas variáveis são atribuídos aos objetos de custeio” (ROCHA, 2004, p. 05). 
Rocha (2004) conclui então que existe a necessidade de investir no desenvolvimento de novos produtos à luz do custeio variável e do custeio-alvo, ressaltando que os empreendedores devem procurar antecipadamente analisar qual o preço do produto que pode ser suportado pelo mercado consumidor no sentido de vencer a concorrência e propiciar uma margem de lucros que sejam condizentes com as metas empresariais.
Diante das análises dos autores mencionados, é possível compreender que conceitos e métodos como o custeio-alvo e custeio variável devam ser elevados ao nível estratégico, pois têm a ver coma própria continuidade do empreendimento. 
As constantes mudanças no mercado e até mesmo dificuldades de ordem econômico-financeiras por vezes decorrentes de uma conjuntura complexa contribuem para tornar o custo um tema relevante na gestão das organizações, sejam elas privadas ou públicas, de fins lucrativos ou não.
Entendemos que com as pressões ambientais, as empresas têm buscado melhores instrumentos gerenciais para servir como suporte à tomada de decisões. 
Consideramos que, ao longo do tempo, os concorrentes têm conseguido igualar-se à qualidade e ao preço do atual produto líder de mercado. Em resposta, emerge a importância de decisões adequadas para assegurar a eficiência e a eficácia das empresas, sejam elas, grande, média Oe pequenas empresas.
BIBLIOGRAFIA
ROCHA, Wellington. O custeio variável e o custeio-alvo como suportes às decisões de investimento no desenvolvimento de novos produtos. Revista de Administração e Contabilidade da Unisinos. 1 (2): 33-42, setembro dezembro 2004. Disponível em <http: //docs.google.com/file/d/0B4luxBIRX2K1eFBfRk01cGdWbE0/Edit> Acesso em 20 maio 2014.
FERRONATO, Airto J. Gestão contábil-financeira de micro e pequenas empresas: sobrevivência e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2011.