A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Endogamia

Pré-visualização | Página 1 de 2

Endogamia 
 ​ Aula 1​ ​ ​ . 
Métodos de Acasalamento  
↳ ​Os métodos de acasalamento utilizados no melhoramento genético 
são: ​endogamia e cruzamento   
↳ ​Seleção ​➜​ ​⬆ ​a frequência genotípica ​➜​ Melhoramento genético.   
↳ ​NÃO é uma biotécnica reprodutiva. 
Frequência gênica (ou gamética) - n [haplóide]  
↳ ​Frequência dos alelos de um gene em uma determinada população.  
↳ ​Ex:  
População com 10.000 indivíduos  
Frequência do alelo  
A Frequência do alelo a 
 
Possíveis 
genótipos  
Indivíduos  Distribuição 
dos alelos 
Total de cada 
alelo 
AA  3600  A 3600  A 
12000 
A 3600 
Aa  4800  A 4800   
a 4800  a 
aa  1600  a 1600  8000 
a 1600 
 
 
 
 
 
Frequência genotípica (ou zigótica) - 2n [diplóide]  
↳ ​Frequência dos genótipos daquele gene em uma população.  
 
F (A): = 0,6 ou 60%  F (a): = 0,4 ou 40% 
Gametas: A – 0,6   Gametas: a – 0,4  
↳ ​Indivíduos (diplóides)  
Ex:  
F(AA) = ​f(A) X f (A) = 0,6 x 0,6 = ​ 0,36 ou 36%  
F(Aa) = ​f(A) X f (a) = 0,6 x 0,4 = 0,24 x 2 = ​0,48 ou 48%  
F(aa) = ​ f(a) X f (a) = 0,4 x 0,4 = ​0,16 ou 16% 
Parentesco 
↳ ​Parentesco ​➜​ semelhança de genótipos 
↳ ​TIPOS:   
 ​Parentesco direto: um indivíduo é descendente do outro   
 ​Parentesco colateral: um ascendente comum na genealogia de 
ambos 
↳ ​Coeficiente de parentesco : probabilidade de que dois indivíduos 
apresentam genes idênticos pelo fato de serem cópias de um mesmo 
gene, presente em um ascendente comum.  
Aplicação Prática do Parentesco no MGA   
↳ ​O conhecimento do ​grau de parentesco​ entre dois indivíduos 
permite estimar o valor gênico de um com base em informações sobre 
o valor gênico do outro ​.  
1. ​ Aproveitamento do patrimônio genético de indivíduos que não 
estão disponíveis para a reprodução (em razão de morte, idade 
avançada, distância etc).  
2. ​Conhecer o valor gênico de um indivíduo, sobre cujo 
desempenho se tem pouca ou nenhuma informação, mas que tem um 
parente próximo com registros conhecidos. 
Endogamia ou Consanguinidade  
↳ ​Consiste na união de indivíduos com certo grau de parentesco.  
↳ ​Conceito restrito a uma população ou a um grupo de animais.  
↳ ​Indivíduo consanguíneo.  
 
Resultado da maior semelhança genética entre os pais  
⬇ 
Aumento da homozigose 
Coeficiente de consangüinidade ou de endogamia   
↳ ​Mede a percentagem provável de genes em ​homozigose ​ que o 
indivíduo consanguíneo ​tem a mais​ quando ​comparado com outro não 
consanguíneo ​ da mesma população;   
↳ ​Expressa a ​percentagem de homozigose​ a mais em relação a uma 
população base onde os acasalamentos são ao acaso;   
↳ ​A ​ probabilidade de serem idênticos dois alelos ​, no zigoto 
consanguíneo, devido ao parentesco dos pais. 
Tipos de Consanguinidade 
↳ ​1. ​Quanto ao parentesco entre os indivíduos que se acasalam:   
Estreita - ​quando o grau de parentesco entre os pais é igual a 50%. É o 
que ocorre nos acasalamentos: pai x filha; mãe x filho; entre irmãos 
completos, etc.   
Larga - ​quando o grau de parentesco entre os pais é menor que 50%. 
Como exemplos, podem ser citados os acasalamentos entre 
meio-irmãos, entre primos, tio e sobrinha, etc.  
↳ ​2. ​Quanto a situação dos reprodutores na genealogia do animal:   
Direta - ​quando os reprodutores se encontram em linha reta no 
pedigree, isto é, um deles é ancestral comum ("linebreeding").   
Colateral ou indireta - ​quando os reprodutores se encontram em duas 
linhas que partem do ancestral comum. 
Efeitos genéticos da consanguinidade 
1. ​Aumento da homozigose no rebanho.  
2. ​Diminuição da heterozigose no rebanho. 
 
 
3. ​Não altera a frequência gênica.  
Frequência genotípica ​➜​ proporção dos diferentes genótipos na 
população.  
Frequência alélica/gênica ​➜​ proporção dos diferentes alelos de 
um determinado gene na população. 
 
 
 
4. ​Ao reduzir a heterozigose ​favorece a identificação de genes 
recessivos indesejáveis ou de efeitos deletérios.  
A identificação de genes recessivos é extremamente importante 
sob o ponto de vista de melhoramento animal. A maioria destes genes 
está relacionada com baixa fertilidade, alta mortalidade, redução do 
vigor e do valor adaptativo dos animais. 
  
 
Vantagens e Desvantagens da Consanguinidade 
 
Vantagens   Desvantagens  
Permite ​"apurar“ geneticamente​ os 
animais, sendo importante para fixação 
e refinamento do tipo desejado. 
Redução geral da fertilidade, 
sobrevivência e vigor (desempenho) dos 
animais. 
O aumento da homozigose ocorre tanto 
para genes dominantes como para 
recessivos. Quando a homozigose 
ocorre para genes dominantes os 
indivíduos assim obtidos, quando 
acasalados com outros não 
consanguíneos, tendem a imprimir, com 
maior intensidade, suas características 
e isto é chamado de ​prepotência​. 
Perda da variação genética​ e, em 
consequência, reduz a taxa potencial de 
progresso genético pela seleção. 
Permite a ​seleção mais eficiente​ pela 
separação da população em famílias 
diferentes, facilitando a eliminação das 
piores. 
 ​Aumenta a incidência de 
anormalidades genéticas​ pela 
introdução de genes deletérios que 
estavam encobertos na população. 
Depressão endogâmica ​ manifestação 
de combinações gênicas desfavoráveis 
Depressão endogâmica 
 
Enfermidades de origem genética  
↳ ​Endogamia/ consanguinidade  
↳ ​A maioria das enfermidades genéticas é causada pela herança de 
genes autossômicos recessivos ​➜​ portadores ​➜​ Dificuldade de  
detecção 
Genes letais/deletérios 
↳ ​Existem inúmeras doenças ou erros metabólicos, em humanos e 
outras espécies animais, que são condicionados por genes, a maioria 
com ação recessiva 
↳ ​Esses genes, que, em algum grau, causam doenças, diminuição de 
viabilidade, de fertilidade, de adaptação dos animais são conhecidos 
como genes letais/deletérios 
 
Letais Obrigatórios 
(verdadeiros) 
Sub-letais  Semi-letais 
⬇  ⬇  ⬇ 
Causam a morte 
antes ou logo após o 
nascimento 
Causam a morte 
antes da idade 
reprodutiva 
Diminuem eficiência 
fisiológica de maneira 
temporária ou 
permanente, sendo 
fatais em alguns 
indivíduos 
Sinais que alertam para a possibilidade de uma 
doença hereditária:   
↳ ​Aumento gradual no número de casos ​ em um período de tempo, ou 
aparecimento súbito da doença após ​introdução de um novo 
reprodutor;   
↳ ​Repetição de acasalamentos​ de um grupo que produz os mesmos 
resultados em uma mesma proporção numérica. 
Detecção de genes deletérios 
↳ ​A detecção de portadores de genes deletérios pode ter 
consequências totalmente diferentes, pois ele se distinguem, 
basicamente, em dois grupos: 
 ​Portadores assintomáticos, nos quais o risco de uma doença 
genética só existe para a prole, como no caso da herança autossômica 
recessiva 
 ​Portadores sintomáticos ou pré-sintomáticos, nos quais o risco 
existe tanto para a prole e para si mesmo, como o caso da herança 
autossômica dominante. 
 
Na prática, nem sempre se conhece os genótipos dos indivíduos e 
parentes analisados 
 
Como identificar portadores de genes recessivos 
Análise de pedigree 
↳ ​Exige informações precisas do pedigree 
↳ ​Exige anotações de ocorrências e rigorosa escrituração zootécnica 
↳ ​Exige conhecimento da ação gênica e estudo criterioso do 
aparecimento dos casos 
↳ ​Exige providências para controle e/ou eliminação dos genes 
Marcadores Moleculares 
↳ ​Ligados aos genes que causam as doenças 
↳ ​Sua utilização identifica, com boa precisão, a presença dos genes, 
facilitando a identificação dos portadores 
↳ ​Propiciam diagnósticos preciso e precoce 
↳ ​Custos decrescentes 
↳ ​Podem ser grandes ferramentas complementares nos processos de 
seleção 
Suínos 
↳ ​Redução no tamanho da leitegada, acompanhada por diminuição 
geral no vigor e na taxa de crescimento.   
↳ ​Retarda a maturidade sexual sido relacionado com a menor taxa de 
crescimento.   
↳ ​Diferenças na taxa de ovulação e na produção de espermatozoides.   
↳ ​Mortalidade embrionária. 
 
Fissura