FÁRMACOS PARASSIMPATICOLÍTICOS
3 pág.

FÁRMACOS PARASSIMPATICOLÍTICOS


DisciplinaFarmacologia I43.760 materiais855.140 seguidores
Pré-visualização1 página
FÁRMACOS PARASSIMPATICOLÍTICOS (ANTICOLINÉRGICOS)
Oximas regenerador da acetilcolinesterase é um anticolinérgico indireto. 
Antinicotínico bloqueadores neuromusculares tubocurarina (antagonista nicotínico gera fraqueza muscular). 
Trimetafano bloqueador ganglionar domina o sistema não dominante, efeitos:
· Midríase 
· FC aumenta 
· PA diminui 
· Contração estomacal e intestinal diminuem 
· Contração da bexiga diminui 
· Sudorese diminui temperatura aumenta vasodilatação periférica (rubor)
Pessoa intoxicada por atropina:
· temperatura aumenta: risco em lactentes = até 2 anos hipertermia pode chegar a ponto de gerar convulsão febril
· bradicardia (debito cardíaco cai muito)
· diminui muito a sudorese. 
Antagonistas muscarínico
N butilescopolamina é um derivado semissintético da escopolamina:
· Diminui a atividade intestinal 
· Diminui a cólica menstrual
· FC aumenta
· Reduz salivação 
· Reduz motilidade (constipação)
· Bexiga diminui contração (retenção urinária)
· Não transpira (intolerância ao calor)
Antidepressivos agem como se fosse atropina, escopolamina o que incomoda muito: boca seca, constipação, bexiga presa, intolerância ao calor. 
Uso da atropina em termos de farmacodinâmica inibidor competitivo receptor não é estimulado pela acetilcolina dosagem de IP3 no intestino diminui. Uso da atropina:
· Inibir secreções; 
· Doses baixas podem dar bradicardia (estimula o centro vagal); 
· Perde a ciclopegia; pode elevar a pressão intraocular; 
· Reduz a motilidade gastrintestinal; 
· Retenção urinária; 
· Relaxa a árvore brônquica (ajuda na asma e DPOC \u2013 mas atua em todos os receptores, então não é bom usar, pois causa efeitos colaterais). 
Atropina não é usada para tratar asma e DPOC, pois ela atua em todos os receptores muscarínicos, alémde que não tem como ser administrada via inalatória. O que é usado então?
Ipatrópio asma (responde melhor com beta 2 agonista) e DPOC inibe o receptor M3, no brônquio, que está acoplado à proteína Gq impede a formação de IP3 menos cálcio músculo relaxa = broncodilatadores. 
Efeitos no SNC: em baixas doses causa sonolência, inquietação e em altas doses causa agitação e desorientação. A escopolamina apresenta maiores efeitos por ser uma aminas terciária. Cuidado em pacientes idosos.
É usado na anestesia, no tratamento da bradicardia; uso em exame oftalmológico; escopolamina pode melhorar a cinetose (tonteiras e vômitos causados por movimentos); facilitar a endoscopia; pessoa com incontinência urinária. 
Antagonistas nicotínicos 
Antigamente era usado o trimetafan para crise hipertensiva. 
Se é um antagonista ganglionar, manifesta os sintomas do sistema não dominante. 
Giovanna Bittencourt
· 
· Midríase
· Broncodilatação
· FC aumentada 
· PA diminui 
· Diminui atividade intestinal 
· Diminui bexiga 
· Reduz salivação 
· Reduz transpiração 
Toxina botulínica: para ter a exocitose, tem uma série de proteínas que ajudam na liberação da acetilcolina. A toxina quebra essas proteínas e não deixa liberar a acetilcolina. Não confundir com intoxicação por anticolinesterásico (os dois pacientes vão ter fraqueza muscular, mas um vai ter paralisia o tempo todo \u2013 toxina \u2013 e o outro vai ter contração e depois relaxamento \u2013 organofosforado). 
Indicações:
* Blefarospasmo e Espasticidade;
\u2022 Incontinência urinária, associada à hiperatividade da bexiga (uso intravesical \u2013 15 a 20 min).
\u2022 Estrabismo (através de injeções nos músculos extraoculares).
\u2022 Hiperhidrose (através de injeções intradérmicas na pele da zona axilar), no tratamento da sudorese excessiva resistente a outros tratamentos.
\u2022 Profilaxia das dores de cabeça (nos adultos com enxaqueca crônica e dores de cabeça frequentes).
\u2022 Rugas da fronte (quando injetada por via intradérmica, remove as rugas de expressão ao paralisar os músculos superficiais que franzem a pele).