A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Suinocultura - Origem e raças

Pré-visualização | Página 1 de 1

Julia Silva
SUINOCULTURA
Origem e Raças
Taxonomia
· Classe: mamalia
· Ordem: ungulata
· Subordem: artiodactila (número par de dedos nas patas)
· Família: suidae
· Gênero: sus
· Espécie: Sus scrofa domesticus
Os suínos são o único artiodáctilo (biungulados) não ruminantes vivendo em domesticidade. Com base em suas origens, todas as raças de suínos domésticos conhecidas atualmente podem ser filiadas a três grandes espécies:
· Sus Scrofa - tipo céltico descendente do javali europeu
· Sus Vittatus - tipo asiático originário da Índia
· Sus Mediterraneus - tipo ibérico
No Brasil, os primeiros porcos (suínos) chegaram ao litoral paulista (São Vicente) em 1532, trazidos pelo navegador Martim Afonso de Souza. Pertenciam às raças da Península Ibérica, existentes em Portugal. Raças naturalizadas.
A partir do início do século XX que começaram os processos de melhoramento daquelas raças através das importações de animais das raças Berkshire, Tamworth e Large Black da Inglaterra e, posteriormente, das raças Duroc e Poland China.
Entre 1930 e 1940 chegaram às raças Wessex e Hampshire:
Na década de 50: Raça Landrace:
Na década de 60: Raça Large White: 
E na década de 70: os primeiros híbridos da Seghers:
Do suíno tradicional ao suíno light
O PORCO TIBO BANHA começou sua fase na época da domesticação, há 10 mil anos, o que perdurou até o início do século XX. O SUÍNO MODERNO começou a ser desenvolvido no início do século, através do melhoramento genético, com o cruzamento de raças puras.
Pressionados por uma melhor produtividade para tornar a espécie economicamente mais viável e pelas exigências da população por um animal com menos gordura, devido à substituição das mesmas pelas margarinas vegetais, os técnicos e criadores passaram a desenvolver um suíno com 30% de massa anterior e 70% de posterior. 
O suíno moderno apresenta menores teores de gorduras na sua carcaça e mais massas musculares proeminentes, especialmente nas carnes nobres, como o lombo e o pernil. Atualmente, graças aos programas de genética e nutrição, o suíno moderno apresenta de 55% a 62% de carne magra na carcaça, e de 1,5 a menos de 1,0 cm de espessura de toucinho. 
Raças Puras Com Registro Genealógico Criadas No Brasil
LANDRACE: Suas características básicas são prolificidade, habilidade materna e desempenho, sendo muito utilizada nos programas de produção de híbridos.
 
LARGE WHITE: A raça é muito utilizada na produção de híbridos e se caracteriza pela sua prolificidade.
 
DUROC: A rusticidade e a fácil adaptação a todas as regiões do país fizeram com que seu uso em cruzamentos industriais propiciasse melhoria na qualidade da carne das raças brancas. 
 
WESSEX: Apresenta como principais características, a prolificidade, rusticidade e habilidade materna. Foi uma raça preferida pelas granjas que utilizavam o sistema de produção extensivo ou criação ao ar livre. Como esse sistema é pouco utilizado no Brasil, os registros vêm diminuindo.
 
HAMPSHIRE: É uma raça que se caracteriza pela qualidade de carcaça, rusticidade e pela preferência dos criadores em usá-la nos cruzamentos.
 
PIETRAN: É uma raça que possui excelente massa muscular, sendo muito utilizada em cruzamentos. Apresenta, como principais características, ótimos pernis, menor camada de gordura e muito boa para cruzamentos.
 
Raças puras sintéticas
PURA SINTÉTICA TIA NESLAN: É uma raça que possui ótima prolificidade, habilidade materna e produção de leite. Possui a seguinte composição racial: LARGE WHITE, 16,6%; NEISHAN, 25,0%; XIA JING, 25%; HAMPSHIRE, 16,6%; e PIETRAIN, 16,6%.
PURA SINTÉTICA LACONIE: É uma raça que possui características de conformação, como ótima velocidade de crescimento, qualidade de carcaça, resistente ao estresse (HALnn) e livre do gene RN- (Rendimento industrial). Possui a seguinte composição racial: LARGE WHITE, 33,3%; HAMPSHIRE, 33,3%; e PIETRAIN, 33,3%.
PURA SINTÉTICA PENSHIRE: É uma raça que possui características de conformação, como ótima velocidade de crescimento, qualidade de carcaça, resistente ao estresse (HALnn) e livre do gene RN- (Rendimento industrial). Possui a seguinte composição racial: LARGE WHITE, 15,0%; DUROC, 35,0%; e HAMPSHIRE, 50,0%.
PURA SINTÉTICA EMBRAPA MS 58: Características produtivas - De conformação (LINHA MACHO) com maior quantidade de carne na carcaça, produção de carne magra e rusticidade, bem como boa conversão alimentar; De habilidade materna (LINHA FÊMEA) com produção de leitegadas maiores e rápido crescimento. Possui a seguinte composição racial: PIETRAIN, 62,5%; DUROC, 18,75%; e HAMPSHIRE, 18,75%. 
PURA SINTÉTICA EMBRAPA MS 60: Animais selecionados com base no percentual de carne na carcaça, complementada com características fenotípicas como tetos (fêmeas), comprimento, conformação e em especial aprumos. Possui a seguinte composição racial: PIETRAIN, 62,5%; DUROC, 18,75%; e LARGE WHITE, 18,75%.
RAÇA CRUZADA: Depende das raças envolvidas em cada tipo de cruzamento. O grande volume emitido se refere à LARGE WHITE versus LANDRACE e vice-versa. Representa 70,01% dos registros emitidos.
Características importantes 
· Nº de tetas: De 4 a 9 pares. Uma boa matriz deve ter de 6 a 7 pares de tetas funcionais;
· Temperatura corporal retal: Média de 38,7°C (adultos) e 39,8°C (leitões);
· FR: entre 20 a 30 mpm
· Pulsação: entre 60 a 120 bpm
· Possuem pele espessa, com camada de gordura subcutânea que aumenta com a idade;
· Olfato e paladar bem desenvolvidos;
· Pouca capacidade nasal sendo propenso à asfixia em razão de sua dificuldade respiratória nasal;
· Dificuldade de termólise: possuem glândulas sudoríparas afuncionais e utilizam a ofegação para dissipar o calor corpóreo extra;
· Gestação com duração média: 114 ± 3 dias (3 meses / 3 semanas / 3 dias)
· Ciclo estral: se repete a cada 21 dias;
Conceitos importantes