A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Medula espinal e vias descendentes (completo)

Pré-visualização | Página 1 de 3

B i a n c a L o u v a i n | 1 
 
(vias descendentes) 
A medula espinal faz parte do sistema nervoso 
central, juntamente com o encéfalo. Ela está 
localizada dentro do canal vertebral (também 
chamado de canal medular) da coluna vertebral. 
As funções da medula espinhal são variadas. Por 
um lado, ela se encarrega de receber e processar 
informações sensoriais, e, por outro, de enviar 
informações motoras a partir do encéfalo. 
Suas funções são essenciais e de vital importância, 
onde uma lesão pode provocar efeitos graves como 
paralisia a nível motor ou perda de sensibilidade. 
Durante o desenvolvimento, há uma desproporção entre o crescimento da medula espinal e o 
crescimento da coluna vertebral. A medula espinal termina de crescer aos 4 anos, enquanto a 
coluna vertebral termina o seu crescimento aos 14-18 anos. Esta é a razão pela qual, em adultos, 
a medula espinal ocupa apenas os dois terços 
superiores do canal vertebral. 
A medula espinal é uma continuação do tronco 
cerebral. Ela se estende do forame magno 
na base do crânio até à vértebra L1/L2, 
onde termina como cone medular. 
Ao longo de seu comprimento, a medula 
espinal apresenta dois alargamentos bem 
definidos para acomodar a inervação dos 
membros superiores e inferiores: um no nível 
cervical (membros superiores) e outro no nível 
lombossacral (membros inferiores). 
Assim como a coluna vertebral, a medula 
espinal é dividida em segmentos: 
• Cervical 
• Torácico 
• Lombar 
• Sacral 
• Coccígeo 
Cada segmento da medula espinal emite vários pares de nervos espinhais, que saem do canal 
vertebral através do forame intervertebral. Existem 8 pares de nervos espinhais cervicais, 12 
torácicos, 5 lombares, 5 sacrais e 1 coccígeo (um total de 31 pares). 
Assim como outras partes do sistema nervoso central, a medula espinal também 
possui substância cinzenta e branca. 
 
 
 
 
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/coluna-vertebral-espinha
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/cranio
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/anatomia-do-membro-superior
https://www.kenhub.com/pt/library/anatomia/anatomia-do-membro-inferior
B i a n c a L o u v a i n | 2 
 
• A substância cinzenta é a parte central em 
forma de borboleta da medula espinal e é 
composta por corpos celulares neuronais. É 
formada pelos: 
o Corno posterior – responsável pelas 
informações sensoriais. 
o Zona intermédia – é o lugar onde se 
encontram os interneurônios que ligam 
uns neurônios aos outros, são neurônios 
de associação. 
o Corno lateral – é encontrado somente 
no nível torácico e lombar. É 
responsável pela homeostase do corpo, 
regulando o sistema nervoso autônomo. 
o Corno anterior – responsável pelas 
informações motoras. Assim, lesões neurológicas que acometem o corno anterior têm 
repercussão nos músculos superiores e inferiores. 
• A substância branca envolve a substância cinzenta e é composta por axônios. Ela contém 
acúmulos de fibras nervosas que transportam informações sensoriais do resto do corpo 
para o cérebro (feixes ascendentes) e colunas que transportam impulsos motores do cérebro 
para os músculos (feixes descendentes). 
Ao contrário do que acontece no cérebro, a substância cinzenta está localizada na parte interna 
da medula espinhal. 
A medula espinal e as raízes nervosas espinhais são envolvidas por três 
camadas chamadas de meninges. A camada mais externa é a dura-máter, 
embaixo é a aracnoide, e a mais profunda é a pia-máter. 
• A dura-máter possui duas camadas (perióstea e meníngea), entre as quais 
está o espaço epidural. 
• O espaço entre a aracnoide e a pia-máter é o espaço epidural, que é 
preenchido com líquido cefalorraquidiano ou líquor. 
 
B i a n c a L o u v a i n | 3 
 
A medula espinal é vascularizada por ramos das artérias vertebrais e segmentares. 
• A artéria vertebral dá origem às artérias espinhais anterior e posterior. 
• Artérias segmentares, tais como as artérias cervical profunda, cervical ascendente e 
intercostal posterior, dão origem a 31 pares de ramos arteriais radiculares que suprem as 
raízes dos nervos espinhais. 
As veias espinhais anterior e posterior drenam para as veias radiculares, que então 
desembocam na rede venosa epidural. Esta rede acaba drenando para os seios venosos durais. 
Os tratos da medula espinal são encontrados na sua substância branca. A substância 
branca, tanto da metade esquerda quanto da metade direita da medula, é dividida em três 
funículos (também chamado de coluna): anterior, lateral e posterior. 
• Coluna dorsal (posterior) – a que envia informações somáticas. 
• Coluna ventral (anterior) e lateral – são as vias eferentes que são responsáveis pelo 
envio de informações do cérebro para os músculos. Elas fazem parte do sistema motor. 
Dentro da substância branca existem diferentes vias, ascendentes e descendentes. Os tratos ou 
fascículos levam o nome das duas estruturas entre as quais a informação circula, e cada uma 
das áreas envia informações diferentes. 
• Grácil e cuneiforme – responsável pelo toque e pelos movimentos discriminativos das 
mãos. 
• Espinocerebelar anterior e posterior – movimentos inconscientes provenientes de 
músculos, articulações da pele e tecido subcutâneo. 
• Espino-olivar – embora esse trato tenha sido localizado, sua função exata não é conhecida. 
• Espinotalâmico lateral – sensações dolorosas e térmicas. 
• Espino-tectal – informação aferente para os reflexos espinovisuais. 
• Espinotalâmico anterior – toque leve e pressão. 
• Corticoespinhal anterior e lateral – confere agilidade e rapidez aos movimentos. 
• Tecto-espinhal – participa nos movimentos para os estímulos visuais. 
• Vestíbulo-espinhal – responsável pela manutenção do equilíbrio. 
• Olivo-espinhal – influencia a atividade dos neurônios motores. 
• Rubroespinhal – inibe a atividade dos músculos extensores. 
B i a n c a L o u v a i n | 4 
 
Assim, a substância branca da medula espinal é responsável pela transmissão de informações 
motoras e sensoriais para várias sensações e movimentos, comunicando múltiplas áreas. 
 
 
FUNÍCULO ANTERIOR 
Trato ascendente: • Trato espinotalâmico anterior 
Tratos 
descendentes: 
• Trato corticoespinal anterior 
• Trato vestibuloespinal 
• Trato tectoespinal 
• Trato reticuloespinal 
FUNÍCULO LATERAL 
Tratos ascendentes: 
• Trato espinocerebelar posterior 
• Trato espinocerebelar anterior 
• Trato espinotalâmico lateral 
• Trato espinotectal 
• Trato dorsolateral (de Lissauer) 
• Trato espinoreticular 
• Trato espino-olivar 
Tratos 
descendentes: 
• Trato corticoespinal lateral 
• Trato rubroespinal 
• Trato reticuloespinal lateral 
• Tratos autonômicos descendentes 
• Trato olivoespinal 
FUNÍCULO POSTERIOR Tratos ascendentes: 
• Fascículo grácil 
• Fascículo cuneiforme 
 
As vias ascendentes saem da periferia e fornecem informações para os centros superiores. São 
responsáveis por enviar a informação coletada pelos sentidos externos (informação 
exteroceptiva) ou estímulos internos (proprioceptiva) até o córtex cerebral, onde será 
feito o processamento mais profundo. A maioria das vias ascendentes fazem sinapse no tálamo, 
com exceção dos estímulos olfativos que vão direto para o bulbo olfativo. 
Algumas das fibras nervosas servem para ligar diferentes segmentos da medula espinhal, 
enquanto outras ascendem desde a medula até os centros superiores e, assim, ligam a medula 
espinhal ao cérebro. Essas vias conduzem informações que podem ou não chegar à consciência. 
B i a n c a L o u v a i n | 5 
 
Em sua forma mais simples, a via que ascende à consciência consiste em três neurônios, mas 
algumas vias aferentes utilizam mais ou menos. Muitos dos neurônios presentes nas vias 
ascendentes se ramificam e outros participam da atividade muscular

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.