Neuroanatomia II - Conteúdo inicial
6 pág.

Neuroanatomia II - Conteúdo inicial


DisciplinaNeuroanatomia6.936 materiais58.076 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Capítulo 6 - Líquor 
quinta-feira, 12 de março de 2020 
20:56 
 
Ventrículos: 
As cavidades do telencéfalo são os ventrículos laterais, um em cada 
hemisfério. Consistem em um corno anterior, corpo, cornos posterior e 
inferior. A junção do corpo como os cornos posteriores e inferior constitui o 
átrio do ventrículo lateral. 
Os forames interventriculares estão localizados entre a coluna do fórnix e 
as extremidades rostral e medial do tálamo. Há dois forames, um abrindo 
em cada ventrículo lateral. 
\u2022 Terceiro ventrículo: É um espaço estreito verticalmente orientado na linha 
média que se comunica rostralmente com os ventriculos laterais e 
caudalmente com o aqueduto cerebral. 
\u2022 Aqueduto cerebral: É a extensão do ventrículo através do mesencéfalo, 
que se comunica rostralmente com o terceiro ventrículo e caudalmente 
com o quarto ventrículo. Seu diâmetro o torna muito sucessível a 
oclusões. 
o Quando ocorre sua obstrução a acúmulo de líquor, causando 
dilatação do terceiro ventrículo e dos ventrículos laterais. Chamado: 
Hidrocefalia Triventricular 
\u2022 Quarto ventrículo: É um espaço com formato piramidal que forma a 
cavidade do mesencéfalo e do mielencéfalo. Forame de Magendie 
(abertura mediana) e forame de Luschka (aberturas laterais). 
o No adulto e especialmente nas pessoas idosas, o glomo pode conter 
calcificações visíveis (como pontos brancos) nas radiografias ou 
cortes de TC. Chamado: Concreções calcárias do plexo coroide. 
o Hemorragia nos ventrículos 
\u2022 Hemorragia na substância cerebral (como hemorragia cerebral) 
que rompe o espaço ventricular. 
\u2022 Ruptura de um aneurisma intracraniano (especialmente aqueles 
localizados imediatamente adjacentes ao terceiro ou quarto 
ventrículo) 
\u2022 Trauma craniano grave 
\u2022 Ruptura ou sangramento de uma malformação arteriovenosa 
(MAV) intraventricular. 
\u2022 Sangramento de um tumor localizado ou invadindo o espaço 
ventricular. 
\u2022 Epêndima: Epitélio cuboide simples que reveste os ventrículos cerebrais e 
o canal central da medula espinal. As células ependimárias contêm 
mitocôndrias em abundância e são metabolicamente ativas. Tanicitos é 
um tipo de célula ependimária que atua no transporte de substância entre 
os ventrículos e o sangue. 
o Ependimomas: Tumor, constitui de 5% a 6% de todas as neoplasias 
de células gliais, se origina das células ependimárias que revestem 
os ventrículos. (60-70% se encontram na fossa posterior.). 
Localização supratentorial: hidrocefalia ou atividade epiléptica. 
Localização infratentorial: causam náuseas, vômitos e cefaleia. 
Tratamento: remoção cirúrgica seguida por irradiação focal. 
\u2022 Plexo coroide: O plexo coroide se estende do corno inferior do ventrículo 
lateral até o átrio, onde está localizado o glomo coroide, ao longo do 
assoalho do corpo do ventrículo lateral. 
o Um tumor do plexo no ponto onde ele é contínuo através do forame 
interventricular pode resultar em dilatação do ventrículo lateral 
daquele lado, com sinais de PIC (vômitos, letargia, cefaleia, possível 
edema de papila). Essas lesões são candidatas a cirurgia. 
o O suprimento sanguíneo para os plexos se dá por intermédio das 
artérias coroides e das artérias cerebelares. 
o Tumores do plexo coroide ou papilomas do plexo coroide (benígnas) 
ou carcinomas do plexo coroide (malígnas), são relativamente raros, 
compreendendo menos de 1% dos tumores intracranianos. Sintomas 
são a produção excessiva de líquor ou deficiência de movimentos 
oculares pela pressão dos nervos III, IV e VI. Papiloma removido por 
cirurgia, já o carcinoma primeiro quimioterapia. 
\u2022 Líquor: Suas principais funções são: proteção mecânica, diminuição do 
peso do encéfalo e reduzir os riscos de TCE (trauma cranioencefálico) 
o Cículação Liquorica: Plexo coroide do corno inferior dos ventrículos 
laterais \u2192 ventrículos laterais \u2192 forame interventricular \u2192 III 
ventrículo \u2192 aqueduto cerebral \u2192 IV ventrículo \u2192 aberturas laterais 
e medianas \u2192 espaço subaracnóideo \u2192 o líquor circula todo o 
espaço subaracnóideo, passando pelas cisternas \u2192 granulações 
aracnóideas \u2192 seio sagital superior \u2192 confluência dos seios \u2192 seio 
transverso \u2192 seio sigmoide \u2192 veia jugular 
o 
o Hidrocefalias: O bloqueio do movimento do LCR ou a deficiência do 
mecanismo de absorção resultam em um acúmulo de líquido nos 
espaços ventriculares ou em torno do cérebro. Normalmente os 
ventrículos dilatam. 
\u2022 Comunicante: aumento na produção ou na absorção de líquor, 
problemas patológicos no plexo coroide. 
\u2022 Não comunicante: Obstrução no trajeto do líquor. 
o Pressão intracraniana: Pode estar relacionada a várias etiologias 
diferentes e frequentemente aparece como uma complicação de um 
TCE, tumores no SNC, hidrocefalia, hemorragias ou infarto cerebral. 
 
 
Capítulo 7 - Meninges 
domingo, 15 de março de 2020 
18:17 
 
\u2022 Dura-máter 
o Mais superficial, espessa e resistente 
o Rica em vasos e nervos 
o Principal artéria que irriga a dura máter é a artéria meníngea 
média 
\u2022 Fratura do ptério: rompimento da artéria meníngea média, 
ocorre hemorragia epidural ou extradural. 
o Foice do cérebro: Separa os dois hemisférios cerebrais 
o Tenda do cerebelo: separa a fossa posterior da fossa média do 
crânio 
o Foice do cerebelo: Separa os dois hemisférios cerebelares. 
o Diafragma da cela: isola e protege a hipófise 
o Seios: Contém sangue venoso, recebem sangue proveniente do 
encéfalo e do globo ocular. 
\u2022 Sagital superior: percorre a margem da inserção da foice do 
cérebro, possui maior abundância de granulações 
aracnóideas. 
\u2022 Sagital inferior/Reto/Transverso/Sigmóide/Cavernoso: 
Grande e irregular. É atravessado pela carótida interna, 
nervo abducente, troclear e oculomotor 
\u25aa Aneurisma da carótida interna: pode comprimir esses 
nervos (distúrbios do globo ocular). Comprimi nervos 
abducentes e ópticos 
\u25aa Exoftalmia pulsátil: rompimento da carótida dentro do 
seio, na qual o olho protrui e pulsa sincronicamente 
com os batimentos cardíacos. 
\u2022 Aracnóide 
o Muito delicada 
o Espaço subdural tem líquido para lubrificação das membranas 
o Espaço subaracnóide contém líquor 
o Cisternas subaracnóideas: áreas onde parte do encéfalo se 
afasta da parede craniana formando regiões de dilatação, 
contendo grande quantidade de líquor. 
o Granulações aracnóideas: pequenas projeções da aracnoide que 
penetram no interior do seio da dura-máter, eles absorvem o 
líquor para fazer sua drenagem. 
\u2022 Pia-Máter 
o É mais intensa 
o Aderida ao encéfalo acompanhando todos os sulcos e giros 
o Da resistência ao tecido nervoso. 
\u2022 Considerações anatoclínicas 
o Hérnia de úncus: processo expansivo cerebral determinando um 
aumento da pressão no compartimento supratentorial que 
empurra o úncus, comprimindo o mesencéfalo. 
o Hérnia de tonsila: Processo expansivo na fossa posterior que 
empurra as tonsilas do cerebelo através do forame magno, 
comprimindo o bulbo 
\u2022 Hemorragias meníngeas: 
o Epidural ou Extradural: É o acumulo de sangue entre a calota 
craniana e a dura-máter. O sangramento é arterial, sendo as 
artérias meníngeas média e acessórias as mais comumente 
afetadas. Estas lesões tendem a apresentar uma forma lenticular 
e tem parecer \u201ccurta e largas\u201d. Conhecido como conversar e 
morrer. 
o 
o Subdural: O sangramento ocorre na junção da aracnoide com a 
dura e se origina principalmente de estruturas venosas à 
hemorragia venosa. Como não há espaço ocorrendo 
naturalmente na junção aracnoide-dura, a formação ocorre 
devido ao sangramento. Os hematomas subdurais parecem 
\u201clongo e finos\u201d. 
o 
o Subaracnoide: É um extravasamento de sangue (usualmente 
arterial) no espaço subaracnóide. A causa mais comum, assim 
como as outras, é por meio de traumas e aquelas que não são 
advindas de trauma (não-traumáticas ou espontâneas) é comum 
pela ruptura de aneurismas intracranianos (dilatações claramente 
definidas nas paredes das artérias). Em pacientes conscientes 
pode ser descrita como \u201ca pior cefaleia que já tive\u201d. 
o 
o Meningite: Inflamação meníngea que pode ser