A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
AULA 11 - DISLIPIDEMIAS

Pré-visualização | Página 1 de 2

14/05/2015 
1 
 
Disciplina de Bioquímica clínica 
LIPÍDIOS E 
DISLIPIDEMIAS 
LIPÍDIOS 
 lipídeos são substâncias insolúveis em meio 
aquoso são associados com proteínas para 
serem transportados até os tecidos = 
LIPOPROTEÍNA. 
 
 Lipoproteínas = Lipídeos + Apolipoproteínas. 
 Apolipoproteína (apo) = parte protéica da 
lipoproteína. 
14/05/2015 
2 
Estrutura das lipoproteínas 
APOLIPOTROTEÍNAS 
COLES. LIVRE 
FOSFOLIPIDES 
COLE. ESTÉR 
TRIGLICÉRIDES 
Função das apolipoproteínas 
 Transportar os lipídeos 
 Ativar ou inibir enzimas envolvidas no 
metabolismo lipídico. 
 Manter a integridade estrutural do complexo 
lipídeo/proteína 
 Reconhecimento e captação dos lipídeos 
através de receptores de superfície celular 
14/05/2015 
3 
LIPÍDEOS 
Principais lipídeos: colesterol e triglicérides; 
 
 Colesterol: componente das membranas, 
síntese de ac biliares e hormônios esteróides; 
 
Triglicérides: forma de armazenamento 
energético no tecido adiposo e muscular. 
CLASSES DE LIPOPROTEÍNAS 
 Divisão com base nas diferenças de 
densidade, tamanho e composição 
(lípides e proteínas) 
 Qm (Quilomícron) 
 VLDL (very low density lipoprotein) 
 LDL (low density lipoprotein)”mau colesterol” 
 HDL (high density lipoprotein)”bom colesterol” 
14/05/2015 
4 
CLASSES DE LIPOPROTEÍNAS 
 Quilomícron (Qm): 
 Lipoproteína menos densa (flutua na água) 
 maior tamanho 
 produzida pelo intestino 
 90 % de TG (dieta/exógeno) 
 1-2 % de proteína (menos densa!!) 
 Sem mobilidade eletroforética 
 Metabolismo bastante rápido : T ½ = 4 a 5 
minutos (não é dosado no estado de jejum) 
 VLDL (very low density lipoprotein) 
 menor que o Qm 
 densidade muito baixa, porém + densa que o 
Qm 
 produzida pelo fígado 
 50 a 65% de TG (endógeno) 
 6 a 10 % de proteína 
 Mobilidade eletroforética pré-β 
 Meia vida plasmática = 2 a 4 horas 
CLASSES DE LIPOPROTEÍNAS 
14/05/2015 
5 
 LDL (low density lipoprotein) 
 densidade maior do que as anteriores 
 produto do catabolismo da VLDL 
 constitui 50 % das lipoproteínas plasmáticas 
 50 % de colesterol (forma esterificada) 
 25 % proteína (uma única proteína = apo B100) 
 Principal transportador de colesterol para as células 
 (70%): síntese de membranas e hormônios esteróides 
 Principal lipoproteína aterogênica (colesterol ruim) 
 Mobilidade eletroforética β 
 Meia vida de 2 a 3 dias 
CLASSES DE LIPOPROTEÍNAS 
CLASSES DE LIPOPROTEÍNAS 
 HDL (high density lipoprotein) 
 maior densidade entre as lipoproteínas 
 menor tamanho 
 produzida no fígado e intestino 
 20 % de colesterol (principalmente esterificado), 30 % 
de FL e traços de TG 
 50 % proteína 
 Principal lipoproteína ANTI- aterogênica (colesterol 
bom): realiza o transporte reverso do colesterol 
 Mobilidade eletroforética α Meia vida de 5 a 6 dias (é 
a mais longa de todas) 
14/05/2015 
6 
METABOLISMO DAS 
LIPOPROTEÍNAS 
 A principal função das lipoproteínas é transportar 
os lipídeos de seu local de origem para os 
tecidos, nos quais serão armazenados ou 
utilizados como fonte de energia; 
 Este metabolismo pode ser dividido em: 
 Exógeno: absorção intestinal dos lipídeos da dieta 
- - formação de Qm - - entrega dos lipídeos da dieta ao 
fígado (por meio dos Qm) 
 Endógeno: síntese hepática de lipídeos - - 
transporte dos lipídeos sintetizados aos tecidos (VLDL 
e LDL) e transporte reverso do colesterol (HDL) 
14/05/2015 
7 
14/05/2015 
8 
PERFIL LIPÍDICO 
PERFIL LIPÍDICO 
 Coleta: 
 Jejum de 12 a 14h para o triglicérides (eliminação dos 
Qm), 
 Jejum de 4h: para o colesterol e suas frações 
 
 
 Perfil lipídico é definido pelas determinações do: 
 Colesterol total (CT), 
 HDL-Colesterol (HDL), 
 VLDL-colesterol (VLDL), 
 LDL-Colesterol (LDL) 
 Triglicérides 
Fazer 12 horas de jejum 
Colesterol total e frações 
14/05/2015 
9 
PERFIL LIPÍDICO 
 Cálculo das frações do colesterol : 
 Col total (CT) = VLDL-c + LDL-c + HDL-c, onde: 
 Colesterol total é dosado; 
 VLDL-c = não se dosa é obtido pela fórmula de Friedewald 
(TG); 
 LDL-c pode ser calculado (fórmula de Friedewald) ou 
dosado; 
 HDL-c é dosado – 2 metodologias diferentes (precipitação 
e imunoinibição); 
 Fórmula de Friedewald: só pode ser usada se TG < 
400mg/dl 
 VLDL-c = [triglicéride] / 5 
 LDL-c = CT – [HDL-c + (TG/5)] 
VLDL-c 
PERFIL LIPÍDICO 
 Colesterol total: 
 Qdo não distingue qual classe de lipoproteína 
está aumentada, 
 Método: Colorimétrico 
 HDL-colesterol: 
 O método mais usado é o precipitante (precipita 
as lipoproteínas que contém apo B – LDL, VLDL e 
depois dosa o colesterol restante na amostra = 
HDL) 
 A dosagem direta tem é por método detergente 
seletivo e tem alto custo qdo comparada ao 
precipitante 
14/05/2015 
10 
PERFIL LIPÍDICO 
 LDL-colesterol: 
 O método mais usado é o cálculo e não a 
dosagem; 
 Método de dosagem do LDL-c é recente; 
 Tem alto custo \ é usado qdo TG > 400 
mg/dL; 
 Método colorimétrico com surfactante 
seletivo 
Colesterol Total 
 2 A 19 ANOS: INFERIOR A 150 mg/dL : DESEJAVEL 
 DE 150 A 169 mg/dL : LIMITROFE 
 SUPERIOR OU IGUAL A 170 mg/dL: AUMENTADO 
 ADULTOS : INFERIOR A 200 mg/dL : DESEJAVEL 
 DE 200 A 239 mg/dL : LIMITROFE 
 SUPERIOR OU IGUAL A 240 mg/dL: ALTO 
HDL-C 
 DE 2 A 19 ANOS : SUPERIOR OU IGUAL A 45 mg/dL : DESEVAVEL 
 ADULTOS : 
 INFERIOR A 40 mg/dL : BAIXO 
 SUPERIOR A 60 mg/dL : DESEJAVEL 
 
 
Valores de referência 
14/05/2015 
11 
Valores de referência 
LDL-C 
2 A 19 ANOS: 
 INFERIOR A 100 mg/dL : DESEJAVEL 
DE 100 A 129 mg/dL : LIMITROFE 
SUPERIOR OU IGUAL A 130 mg/dL: AUMENTADO 
 ADULTOS : INFERIOR A 100 mg/dL : OTIMO 
DE 100 A 129 mg/dL : DESEJAVEL 
DE 130 A 159 mg/dL : LIMITROFE 
DE 160 A 189 mg/dL : ALTO 
SUPERIOR OU IGUAL A 190 mg/dL: MUITO ALTO 
 
 
TG 
• 2 A 19 ANOS : INFERIOR A 100 mg/dL : DESEJAVEL 
• DE 100 A 129 mg/dL : LIMITROFE 
• SUPERIOR OU IGUAL A 130 mg/dL: AUMENTADO 
• ADULTOS 
• INFERIOR A 150 mg/dL : DESEJAVEL 
• DE 150 A 200 mg/dL : LIMITROFE 
• DE 201 A 499 mg/dL : ALTO 
• SUPERIOR OU IGUAL A 500 mg/dL: MUITO ALTO 
 
Valores de referência 
14/05/2015 
12 
Índice de Castelli 
 Assim, quanto maior o nível de LDL e menor de 
HDL, maior será o risco o qual pode ser quantificado 
através dos índices de Castelli: 
 
 Índice de Castelli I = colesterol total / HDL; 
 Índice de Castelli II = LDL /HDL. 
 
 O risco de doença cardiovascular estará aumentado 
quando: 
 Índice de Castelli I: for maior que 4,9(H) 4,3 (M) 
 Índice de Castelli II: maior que 3,3 (H) 2,9(M). 
 
14/05/2015 
13 
***Adicional: Determinação de 
Apoproteínas 
 Apo A1: 
 Turbidimetria ou nefelometria; 
 Fator anti-risco para DAC (presente na HDL-c portanto 
qto mais Apo A1 mais HDL-c). 
 VR: Homem : 115,0 a 190,0 mg/dL 
 Mulher: 115,0 a 220,0 mg/dL 
 Apo B-100: 
 Turbidimetria ou nefelometria; 
 90 a 95% - ligada ao LDL; 
 Fator de risco para DAC. 
 VR: Homem : 70,0 a 160,0 mg/dL 
 Mulher: 60,0 a 150,0 mg/dL 
Considerações 
 O perfil lipídico deverá ser realizado: 
 Dieta habitual e manter peso por 2 semanas; 
 Não realizar atividade física vigorosa nas 24h 
antecedentes (mobilização do colesterol como 
fonte de energia); 
 Evitar a ingestão de álcool nas 72 h que 
antecederem a coleta do sangue (⇑ TG); 
14/05/2015 
14 
DISLIPIDEMIAS 
HIPERLIPIDEMIA 
HIPERLIPOPROTEINEMIA 
DISLIPIDEMIAS / HIPERLIPIDEMIA / 
HIPERLIPOPROTEINEMIA 
 Alterações metabólicas lipídicas decorrentes 
de distúrbios em qualquer fase do 
metabolismo lipídico, que ocasionem 
repercussão nos níveis séricos das 
lipoproteínas. 
14/05/2015 
15 
CLASSIFICAÇÃO ETIOLÓGICA: 
 
Primárias: 
 Genotípica: monogênicas e poligênicas 
 Fenotípica: 
 1) Hipercolesterolemia isolada