A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Questões de pediatria com resposta

Pré-visualização | Página 2 de 4

tempo durante as 
mamadas, para reduzir o volume de leite 
materno; 
C. Manter o aleitamento materno e indicar 
fórmulas de leites industrializados antirrefluxo; 
D. Manter o aleitamento materno e indicar 
fórmulas de leites industrializados 
hipoalergênicas; 
E. Manter o aleitamento materno exclusivo em 
livre demanda. 
 
19. Com relação à alimentação durante o primeiro ano 
de vida, é correto afirmar, EXCETO: 
A. O aleitamento materno oferece proteção efetiva 
a curto e longo prazo. Com respeito às doenças 
infecciosas, salienta-se o efeito protetor do 
aleitamento exclusivo mantido, até o sexto mês 
de vida, na proteção contra otite média, assim 
como nas pneumonias e doenças diarreicas; 
B. A partir dos seis meses, o uso exclusivo de leite 
materno não supre todas as necessidades 
nutricionais da criança, sendo necessária a 
introdução de alimentos complementares; 
C. Durante o aleitamento materno exclusivo não 
podemos nos esquecer de orientar a oferta de 
água nos dias de calor; 
D. Deve-se evitar alimentos industrializados 
(refrigerantes, café e chás contendo xantinas, 
embutidos, dentre outros), assim como mel no 
primeiro ano de vida; 
E. O ferro é um micronutriente fundamental na 
dieta do lactente, por isso deve-se estar atento 
quanto ao uso de fitatos e fibras como também 
do leite de vaca integral que diminuem sua 
absorção. 
 
20. Considerando-se a idade mínima para iniciar a 
vacinação em crianças, assinale a alternativa 
correta: 
A. A vacina DPT pode ser aplicada a partir da 
segunda semana de vida; 
B. A vacina contra HIV pode ser aplicada a partir do 
nascimento; 
C. Não se pode iniciar a vacinação contra a 
poliomielite antes dos 2 meses de idade; 
D. A vacina BCG e a vacina contra Hepatite B 
podem ser aplicadas ao nascimento; 
E. A vacina contra influenza pode ser aplicada a 
partir da sexta semana de vida. 
 
21. Quais são os principais sinais e sintomas das 
meningites bacterianas em lactentes? 
A. Cefaleia, vômitos e rigidez de nuca; 
B. Febre, gemência, irritabilidade e abaulamento 
de fontanela; 
C. Febre, vômitos e cefaleia; 
D. Sinais de irritação meníngea. Alteração dos 
pares cranianos e hipertensão intracraniana; 
E. Confusão mental, hipotermia e sonolência. 
 
22. Os agentes mais frequentemente relacionados às 
meningites virais e encefalites virais são, 
respectivamente: 
A. Enterovírus e Citomegalovírus; 
B. Citomegalovírus e Vírus de Epstein barr; 
C. Enterovírus e Herpes simples; 
D. Herpes simples e HIV; 
E. Influenza e adenovírus. 
 
23. Na febre reumática, assinale a alternativa 
verdadeira: 
A. O diagnóstico de Febre Reumática é feito na 
presença de dois critérios maiores ou de um 
critério maior e dois menores, acompanhado 
de evidências de infecção estreptocócica 
anterior; 
B. Cardite e alterações no eletrocardiograma 
podem ser usadas como critério maior e menor, 
respectivamente, no mesmo paciente, para o 
diagnóstico de Febre reumática; 
C. O tratamento visa somente à erradicação do 
foco infeccioso (profilaxia primária) e à 
prevenção de recorrências (profilaxia 
secundária), pois na fase aguda, praticamente, 
não existem manifestações inflamatórias que 
justifiquem intervenção terapêutica; 
D. O tratamento deverá ser suspenso aos 18 anos 
de idade para todos os pacientes, 
independentemente do comprometimento 
cardíaco ou não; 
E. A Coreia de Sydenham não é considerada 
característica da Febre reumática, devendo 
haver outros critérios associados para o 
diagnóstico da doença reumática. 
B i a n c a L o u v a i n | 4 
 
4 
 
24. Considere as manifestações clínicas da infecção 
pelo HIV na criança e assinale a alternativa correta: 
A. As manifestações clínicas da AIDS na criança são 
típicas, facilitando a suspeita diagnóstica; 
B. A maioria das crianças inicia a doença com 
sinais e sintomas inespecíficos, tais como 
alterações na curva de crescimento e 
desenvolvimento, infecções de repetição, 
poliadenomegalia, hepatoesplenomegalia; 
C. As manifestações clínicas ocorrem sempre de 
forma associada com alterações imunológicas; 
D. Tuberculose pulmonar ou extrapulmonar não 
costuma se associar à AIDS na infância; 
E. Não é correto fazer suspeita de infecção pelo 
HIV na criança, apenas pela história de gestação 
sem pré-natal, uso de drogas ilícitas pela mãe ou 
outras DSTs ou co-infecções na gestante. 
 
25. Em relação aos aspectos preventivos da varicela, 
podemos afirmar que: 
A. A criança poderá voltar à escola quando todas 
as lesões cutâneas do tipo vesiculosas tiverem-
se transformado em lesões crostosas; 
B. A criança poderá voltar à escola quando se 
apresentar afebril e com bom estado geral, 
independente do estado das lesões cutâneas; 
C. A imunização ativa é contraindicada em todas as 
crianças portadoras de doenças que cursem 
com imunodepressão; 
D. A imunização passiva está indicada para todos 
os contactantes menores de cinco anos até 48 
horas após a exposição; 
E. A imunização passiva está indicada para recém-
nascidos de mães que tiveram a doença um mês 
antes do parto; 
 
26. Atualmente, o Vírus Sincicial Respiratório (VSR) é 
reconhecido como o principal agente causal da 
bronquiolite e virtualmente o único com 
característica epidêmica. Durante surtos 
epidêmicos de VSR, 80% das bronquiolites são 
causadas por esse vírus. Surtos ocorrem no outono-
inverno e, por vezes, na primavera. Para orientação 
dos pais quanto à profilaxia dessa doença é 
importante saber a faixa etária mais suscetível ao 
VSR. A incidência de bronquiolite é maior no 
A. Primeiro ano de vida, com pico entre 6 e 9 
meses de idade. 
B. Segundo ano de vida, com pico entre 13 e 15 
meses de idade. 
C. Primeiro ano de vida, com pico entre 2 e 5 
meses de idade. 
D. Primeiro mês de vida, especialmente nos 
primeiros dias de vida. 
E. Segundo ano de vida, com pico entre 18 e 20 
meses de idade. 
 
27. Nos casos não-complicados de oclusão intestinal 
por ascaridíase, além de dieta zero e de hidratação 
venosa, deve-se prescrever: 
A. Mebendazol e, após evacuação, piperazina por 
cinco dias. 
B. Piperazina e, se não ocorrer evacuação em dois 
dias, mebendazol. 
C. Dose única de levamisole e, se não ocorrer 
evacuação, óleomineral. 
D. Óleo mineral por sonda nasogástrica e, após 
eliminação, mebendazol. 
E. Óleo mineral por sonda nasogástrica e, após 
eliminação, piperazina 
 
28. Um menino de três meses de idade é trazido para 
sua primeira consulta. Mãe refere que a criança 
nasceu de parto normal a termo com peso de 3.200 
g e 46 cm de comprimento, em boas condições. 
Realizou o teste do olhinho, do pezinho e da 
orelhinha ainda na maternidade. Está em 
aleitamento materno exclusivo. Já recebeu as 
vacinas do 1º e 2º mês de vida. Já firma o pescoço e 
emite sons guturais. A mãe foi comunicada pelo 
Centro de Triagem Neonatal que um dos três 
exames, realizados no período neonatal, está 
alterado e a criança necessita ser avaliada por um 
Pediatra e por isso foi encaminhada para consulta. 
• Ao exame físico: criança, negra, ativa, peso 
5.500 g, 52 cm de comprimento, hidratada, 
eupneica, afebril, anictérica, acianótica. Exame 
segmentar sem anormalidades. 
• Exame neurológico sem anormalidades. 
Assinale a alternativa que apresenta o exame 
alterado e aquele a ser solicitado para esclarecer 
diagnóstico. 
A. Teste do olhinho, eletroforese de proteínas 
B. Teste do pezinho, eletroforese de hemoglobina 
C. Teste do pezinho, dosagem sérica de TSH 
D. Teste do olhinho, fundoscopia do olho 
E. Teste da orelhinha, dosagem de PKU 
 
29. É importante que o pediatra diferencie convulsões 
febris benignas de episódios convulsivos de cunho 
neurológico mais complexos. Assinale a opção que 
apresenta um dado que indica não se tratar de um 
episódio de convulsão febril benigna. 
A. Convulsão predominantemente focal 
B. Segundo episódio 
C. Crise convulsiva com menos de 10 min de 
duração 
D. Crise convulsiva em

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.