A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Questões de pediatria com resposta

Pré-visualização | Página 3 de 4

paciente com menos de 
doze meses de idade 
B i a n c a L o u v a i n | 5 
 
5 
 
E. Episódio convulsivo com temperatura do 
paciente abaixo de 38,5º C 
 
30. Um lactente com desidratação moderada, causada 
por diarreia aguda, permaneceu na unidade de 
saúde para terapia de reidratação oral (TRO). Na 
primeira hora de administração, vomitou três 
vezes. Nesse caso, a conduta adequada é: 
A. Prescrever antiemético e reiniciar a TRO após 30 
min. 
B. Suspender a TRO e iniciar terapia intravenosa 
com soro fisiológico. 
C. Diminuir o volume das doses e aumentar a 
frequência da administração. 
D. Introduzir sonda nasogástrica e iniciar a TRO por 
gastróclise. 
E. Prescrever procinético e manter a TRO. 
 
31. Segundo a Organização Mundial de Saúde, os 
“sinais de perigo ou gravidade” nas crianças 
menores de dois meses, com doenças respiratórias 
são os seguintes, exceto: 
A. Frequência respiratória acima de 60 
movimentos respiratórios por minuto; 
B. Febre alta; 
C. Recusa do seio materno por três mamadas 
seguidas; 
D. Alteração do nível de consciência, com letargia; 
E. Tosse. 
 
32. Considerando-se um quadro de bacteremia oculta 
(BO), assinale a alternativa correta: 
A. A maioria dos casos de BO ocorre em crianças 
acima dos dois anos de idade; 
B. Crianças com idade superior a 3 anos de idade 
podem ser consideradas de baixo risco; 
C. Febre maior que 38 graus Celsius representa 
alto risco; 
D. Toxemia, inapetência e irritabilidade não podem 
ser utilizadas para avaliar alto ou baixo risco; 
E. Não há associação da história de contato com 
portadores de doença transmissível e risco de 
BO. 
 
33. Considerando-se uma criança com quadro de febre 
de origem indeterminada (FOI), assinale a 
alternativa correta: 
A. A história e o exame físico dão poucos subsídios 
para a conduta do caso; 
B. O diagnóstico etiológico é feito em mais de 85% 
dos casos; 
C. As causas infecciosas, bacterianas e 
principalmente as virais são as responsáveis 
pela maioria dos casos; 
D. As doenças do colágeno, artrite reumatóide 
juvenil e lupus eritematoso sistêmico são as 
responsáveis pela maioria dos casos; 
E. As doenças malignas, leucemias, linfomas e 
doença de Hodgkin são as responsáveis pela 
maioria dos casos. 
 
34. Uma criança com quadro de glomerulonefrite 
difusa aguda deve ser mantida em observação, pois 
há risco principalmente de: 
A. Derrame pleural e endocardite bacteriana. 
B. Choque hipovolêmico e septicemia. 
C. Insuficiência renal crônica e miocardiopatia. 
D. Trombose da veia renal e derrame pleural. 
E. Encefalopatia hipertensiva e insuficiência 
cardíaca 
 
 
35. Assinale a opção que apresenta a cardiopatia 
congênita de um paciente com dois anos de idade, 
com dextroposição da aorta, defeito do septo 
ventricular, hipertrofia do ventrículo direito e 
estenose da artéria pulmonar. 
A. Cor triatriatum 
B. Anomalia de Ebstein 
C. Tetralogia de Fallot 
D. Hipoplasia do arco aórtico 
E. Coração esquerdo hipoplásico 
 
36. Com relação à Infecção do trato urinário na 
infância, qual das afirmações abaixo é verdadeira? 
A. O principal germe causador de infecção do trato 
urinário é a Serratia. 
B. Nas crianças do sexo feminino, o principal 
germe causador de infecção do trato urinário é 
a 
C. Candida albicans oriunda da vulva. 
D. Nas crianças portadoras de bexiga neurogênica, 
o agente da infecção do trato urinário em 80% 
das vezes é o Citrobacter. 
E. A Escherichia coli é responsável por 80% das 
infecções urinárias na infância. 
F. Desde a década de 90, os vírus são responsáveis 
por 80% das infecções do trato urinário nas 
crianças. 
 
37. Criança sexo masculino, 6 anos de idade, apresenta 
febre há 4 dias acompanhada de cefaleia, anorexia, 
vômitos, diarreia e dor em membros. Hoje foram 
notadas máculas eritematosas em membros 
superiores e inferiores, e a criança apresentou 
epistaxe de pequena intensidade. Neste caso, o 
diagnóstico provável é: 
 
 
B i a n c a L o u v a i n | 6 
 
6 
 
A. Eritema infeccioso; 
B. Escarlatina; 
C. Sarampo; 
D. Febre maculosa; 
E. Dengue. 
 
38. Lactente de quatro meses de idade é trazido à 
emergência apresentando crise convulsiva 
generalizada. A mãe refere que a criança, após crise 
de choro, começou a apresentar palidez, choro 
fraco e hipoatividade, com início há 3 horas. Ao 
exame apresenta-se sonolento, pálido, 
respondendo mal aos estímulos e bradipneico. O 
exame de fundo de olho revela papiledema e 
hemorragia retiniana. Assinale a alternativa que 
contém o PROVÁVEL DIAGNÓSTICO para o quadro 
clínico acima descrito. 
A. Septicemia. 
B. Meningite aguda. 
C. Crise de perda de fôlego do tipo pálido. 
D. Aspiração de leite. 
E. Síndrome do bebê sacudido. 
 
39. Lactente masculino, 18 meses de idade, é levado 
para consulta de puericultura sem queixas. Usou 
leite materno até o sexto mês de vida, quando 
começou a usar a alimentação complementar 
adequada e também leite de vaca 3 a 4 vezes ao 
dia. Não usa ou usou medicamento algum. Trouxe 
um hemograma que mostra Hb = 9,0 g/dl, VCM = 
60 micro3, 
RDW = 18%. 
Assinale a alternativa que apresenta o diagnóstico 
MAIS PROVÁVEL para o quadro acima. 
A. Anemia falciforme. 
B. Talassemia minor. 
C. Esferocitose hereditária. 
D. Anemia ferropriva. 
E. Anemia hemolítica autoimune. 
 
40. Lactente com cinco meses de idade, prematuro de 
35 semanas, é levado à UBS com a seguinte 
história: começou com febre há três dias (38 ºC), 
tosse e chiado no peito. Ao exame: regular estado 
geral, FR = 66 irpm, FC = 144 bpm, tiragens 
subcostais e intercostais, sibilos e estertores 
difusos. Assinale a alternativa que contém o 
PROVÁVEL DIAGNÓSTICO E A TERAPÊUTICA 
BASEADA EM EVIDÊNCIAS indicada para o caso. 
A. Pneumonia bacteriana, necessitando internação 
com uso de penicilina cristalina. 
B. Pneumonia bacteriana, tratamento domiciliar 
com amoxicilina e retorno em 48 horas caso não 
melhore. 
C. Pneumonia bacteriana, necessitando internação 
com uso de ampicilina e gentamicina, pela 
prematuridade. 
D. Bronquiolite viral aguda, necessitando 
internação, tratamento suportivo com oxigênio, 
uso de Beta 2 agonistas, corticosteroide via oral 
e fisioterapia respiratória. 
E. Bronquiolite viral aguda, necessitando 
internação e tratamento suportivo com 
oxigênio, hidratação endovenosa e medidas 
gerais. 
41. Segundo o Programa Nacional de Controle da 
Tuberculose do Ministério da Saúde, com relação à 
tuberculose na criança, é CORRETO afirmar que: 
A. Em crianças vacinadas há menos de cinco anos 
considera-se sugestivo de infecção prova 
tuberculínica igual ou superior a 10 mm. 
B. A prova tuberculínica pode ser interpretada 
como sugestiva de infecção quando igual ou 
superior a cinco mm em crianças não vacinadas 
com BCG, vacinadas há mais de dois anos ou 
com qualquer condição imunodepressora. 
C. Cerca de 10% dos casos de TB em crianças têm 
apresentação extrapulmonar. As formas mais 
frequentes são: intestinal, renal e 
meningoencefálica. 
D. Na TB congênita o parto prematuro ocorre em 
cerca de 20% dos casos e a letalidade é inferior 
a 10%, desde que seja feito o tratamento 
adequado. 
E. O lavado gástrico é indicado em todos os casos e 
o exame de escarro (baciloscopia e cultura) tem 
alta sensibilidade na tuberculose da criança. 
 
42. Um recém-nascido a termo apresenta desconforto 
respiratório ao nascer de parto transpélvico, sem 
intercorrências. A mãe, adolescente tabagista de 17 
anos, não fez pré-natal. Ao exame físico além de 
dispneia e cianose, a criança apresenta abdome 
escavado, sem visceromegalias palpáveis. Qual é a 
principal hipótese diagnóstica e que medida 
complementar auxiliaria no esclarecimento 
diagnóstico? 
A. Atresia de esôfago/sonda orogástrica. 
B. Hérnia diafragmática/sonda orogástrica. 
C. Taquipneia transitória/radiografia de tórax. 
D. Pneumotórax/radiografia de tórax. 
E. Malformação adenomatoide cística/radiografia

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.