A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
204 pág.
teorias da aprendizagem

Pré-visualização | Página 18 de 50

21).
Teorias da Aprendizagem
58
Em 1905, ocorre a revolução popular contra o Czar Nicolau II1 (conflito do 
povo) e acentua-se a crise social na Rússia, uma sociedade cheia de problemas, 
onde havia claros sintomas de descontentamento em amplas camadas da população, 
por ocasião da passagem de uma economia feudal decadente para uma economia 
capitalista em plena expansão. Essa transição provocava crises constantes. A 
Revolução de 1905 revelou que amplas camadas da sociedade russa detestavam 
os regimes czaristas. No dia 9 de janeiro, os desarmados e pacíficos manifestantes 
foram atacados pela guarda do palácio quando estes mesmos manifestantes apenas 
pretendiam entregar uma petição ao Czar Nicolau II, solicitando melhores condições 
de vida. Neste sentido, essa revolução foi chamada de Ensaio Geral (preparação 
para a Revolução Russa). Porém, só em 1917 ocorre de fato a Revolução Russa.
Também em 1917, Vygotsky forma-se em Direito na Universidade de Moscou. 
Na Revolução Russa é criado o conselho dos comissários do povo, presidido por Lênin. 
É importante dizer neste momento que a Revolução Russa influenciou sobremaneira 
a obra de Vygotsky, uma vez que sua experiência filosófico-política se baseou na 
participação em projetos de construção de uma nova sociedade em seu país. 
O pano de fundo da formação intelectual de Vygotsky foi a Primeira Guerra 
Mundial, que teve conseqüências profundas para o regime czarista. O Czarismo 
tinha como uma das bases de sustentação o exército. Eram as tropas uma força 
usada para reprimir manifestações populares. Com a guerra, o exército sofreu 
milhares de baixas, soldados foram mortos, feridos e aprisionados ou desertaram. 
Isso obrigou o governo a recrutar novos soldados. Estes provinham dos campos e das 
fábricas; eram camponeses e operários que não apoiavam o governo. Não estavam 
interessados em defender o Czar Nicolau II, não sendo surpresa o comportamento 
que muitos regimentos e tropas assumiram quando a Revolução explodiu – soldados 
aliaram-se aos revolucionários. A guerra foi um desastre para o governo czarista, 
as derrotas sucederam em combates terrestres e navais, as perdas foram grandes, 
tanto humanas, quanto materiais. O aumento da exploração de camponeses e de 
operários provocou maior número de revoltas no campo e nas cidades. 
Mesmo assim, de 1917 a 1923, Vygotsky vive em Gomel, lecionando 
Literatura e Psicologia e em 1918, abre com o amigo Semyon Dobkim e o primo 
David Vygotsky, uma pequena editora de obras de literatura (fechada pouco tempo 
depois, devido a uma crise de fornecimento de papel na Rússia).
Em 1922, após o final da Primeira Grande Guerra, Stalin é nomeado 
secretário-geral do Partido Comunista, constituindo a URSS (União das Repúblicas 
Socialistas Soviéticas) e centralizando o poder.
Em 1924, Vygotsky faz uma conferência no II Congresso de Psiconeurologia 
de Leningrado, marco importante em sua história profissional. Muda-se para 
Moscou, a convite de Kornilov, para trabalhar no Instituto de Psicologia de 
Moscou. Nesse mesmo ano morre Lênin e Stalin assume o poder.
Ainda em 1925 começa a organizar o Laboratório de Psicologia para Crianças 
Deficientes (transformado em 1929 no Instituto de Estudos das Deficiências e, após 
sua morte, no Instituto Científico de Pesquisa sobre Deficiências da Academia de 
Ciências Pedagógicas).
1 Czar Nicolau II - segundo a velha concepção dos 
Direitos Divinos dos Reis, 
“seus poderes tinham sido 
 dados por Deus”.
A teoria sócio-histórico-cultural do desenvolvimento
59
Em 1928, ocorre o processo de modernização da URSS: industrialização, 
reforma agrária, alfabetização, efetivado por Stalin, que governou a URSS de 
1928 a 1953, não admitindo oposição ao seu governo, caracterizando, portanto, 
o regime fascista, onde elementos que discordassem de sua atuação política 
passavam a ser tratados como inimigos. Esse foi o tipo de governo que passou a 
existir na URSS a partir da posse de Stalin, um homem inflexível, firme em suas 
idéias e duro em suas atitudes.
Em 1929, dá-se início a ditadura stalinista.
Em 1934, Vygotsky morre de tuberculose, em 11 de junho, aos 37 anos de idade, 
ano em que ocorre a publicação do livro Pensamento e linguagem, na URSS.
A preocupação de Vygotsky com a Educação possuía motivos políticos, 
levando em consideração seu compromisso revolucionário. Ele pretendia que, por 
meio da Educação, pudesse acelerar o desenvolvimento da Rússia. 
Segundo Maciel (2000, p. 63),
desde o início da vida profissional, Vygotsky foi incitado à procura de uma verdade. O 
desenvolvimento de uma nova ciência do homem foi muito mais do que uma meta profissional, 
ele se entregou à construção do conhecimento psicológico como se fosse uma causa. Essa 
devoção, quase religiosa, permitiu que ele convivesse com massacres, a guerra da Rússia 
contra a Alemanha e a Áustria, pressões político-partidárias, críticas acadêmicas, ataques 
recorrentes da tuberculose, avisos médicos da sua morte iminente, os trabalhos forçados da 
sobrevivência, a indiferença do mundo exterior; é essa devoção que explica que, apesar de 
toda a precariedade de sua vida, ainda pudesse desenvolver um trabalho científico criativo.
Além disso, se queremos compreender a obra de Vygotsky, precisamos 
lembrar que seu pensamento político e suas ações literárias têm origem na ideologia 
marxista, ou seja, precisamos compreender que assim como para Marx, para 
Vygotsky as mudanças produzidas na sociedade e na vida material interferiam 
diretamente na natureza humana, pois considerava o homem um ser histórico, 
construído a partir de suas relações com o mundo natural e social, e neste sentido, 
o sujeito social se constrói com base no movimento de internalização da cultura, 
numa perspectiva histórica, ampliando a compreensão dos mecanismos pelos 
quais a cultura se apropria dos sujeitos e como os sujeitos se apropriam dela.
Segundo Turnbull (2001, p. 133), Marx considerava como mais importante 
conflito da sociedade moderna aquele entre a burguesia (patrões) e o proletariado 
(trabalhadores). Esse conflito seria finalmente resolvido por uma vitória do 
proletariado em uma revolução social, seguida pela ditadura do proletariado e, 
finalmente, a dissolução de todas as formas de controle social e a emergência de 
uma sociedade realmente livre e justa. 
Para Maciel (2000, p. 76-77), Vygotsky pensava que o homem deveria 
enfrentar as desarmonias interiores, a dificuldade de viver e conviver, sobretudo 
“escutando a vida”. Em uma carta a Levina (discípulo e colaborador, em 16 de 
julho de 1931), Vygotsky chama a atenção para a necessidade de encontrar um 
significado para a vida. Diz ele:
A principal coisa, sempre e agora, parece-me, é não identificar a vida com sua expressão 
exterior, e isso é tudo. Depois, escutando a vida (esta é a virtude mais importante, uma 
Teorias da Aprendizagem
60
atitude relativamente passiva no começo), você encontrará a si mesmo... Claro que não 
se pode viver sem dar espiritualmente um sentido a vida. Sem a filosofia (a sua própria 
filosofia pessoal) pode haver niilismo2, cinismo, suicídio, mas não [há] vida. Mas tem sua 
filosofia, é claro. Aparentemente, você tem que amadurecê-la em si mesmo, dar-lhe espaço 
dentro de você, porque ele conserva a vida em nós. Depois há a arte, para mim, poemas, 
para outros, música. Depois há o trabalho. Quantas coisas podem incitar uma pessoa à 
procura da verdade. Quanta luz interior, calor e apoio existe na busca em si! E, então há 
o mais importante, a própria vida, o céu, o sol, amor, pessoas, sofrimento. Isto não são 
simplesmente palavras, isto existe. É real. (VEER; VALSINERR, 1996, p. 29).
Refletindo sobre a teoria de Vygotsky, percebemos que o autor esteve sempre 
à procura de algo mais, no sentido de compreender o homem e a interação da 
cultura existente no ser social. 
Esta busca