A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
TRABALHO PROFESSORA LIA MARTINS

Pré-visualização | Página 1 de 4

UNIVERSIDADE DO RIO DE JANEIRO – CAMPO GRANDE
CURSO: DIREITO PROFESSORA: LIA MARTINS ABRIL/ 2020.1
DISCIPLINA: LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO TURMA: DIR 1 N
Nome: Thalyta-querén de Oliveira Dias Ferreira Matrícula: 2020764797
Nome: Leonardo Noronha de Souza Matrícula: 2020470095
Nome: João Guilherme Fernandes de Freitas Matrícula: 2020534696
Nome: Rosária da Costa Vasconcelos Matrícula: 2020725297
Atividades:
1. Identifique nos trechos abaixo os tipos de argumentos empregados pelo autor.
a) “Uma pesquisa realizada no Brasil e em outros dez países mostra que as festas de fim de
ano representam um motivo de stress para 87% das pessoas. Segundo os entrevistados,
os motivos das dores de cabeça vão desde as despesas com presentes de Natal até o tra-
balho extra que seus chefes costumam cobrar antes das férias.” (VEJA, 27/12/2006, p.33)
 R: Definição
b) “A imaginação e a audácia do crime organizado não tem mesmo limites. Agentes da 22ª
delegacia de Polícia Civil desbarataram ontem uma boca-de-fumo na vila São Borja (zona
norte de Porto Alegre) que utilizava um circuito fechado de TV para monitorar os passos da
comunidade. A parafernália tecnológica era composta por seis câmeras conectadas a seis
TVs [...] dotadas de lentes do tipo grande angular, capazes de documentar não só o que
está em frente, mas também ao redor da aparelhagem (visão lateral) [...]” (ZH, 09/03/2007,
p.60)
 R: Declaração
c) “Conforme James Lovelok ( cientista inglês inventor do aparelho que permitiu detectar o
acúmulo do pesticida DDT nos seres vivos, razão pela qual se interrompeu o uso da sub-
stância) o aquecimento global já passou do ponto sem volta. A situação se tornará insupor-
tável lá por 2040. (VEJA, 25/10/2006, p. 17 – texto adaptado)
 R:Citação
2. Identifique os tipos de argumentos presentes nos trechos abaixo:
a) Na semana passada, ainda que de forma espontânea e desorganizada, a sociedade reagiu
com indignação ao aumento de 91% que deputados e senadores pretendiam aplicar em
seus próprios salários – e forçou-os a dar um passo atrás. Houve reações exóticas, como a
do aposentado William Carvalho, que se acorrentou a uma pilastra do Senado – e também
reações deploráveis, com a da baiana que feriu a faca o deputado ACM Neto. Mas a voz
da sociedade se fez ouvir. Eis aí a boa notícia. (VEJA, 27/12/06, p.5)
 R: Argumento baseado num consenso
b) Discordo que os brasileiros queiram que o Estado resolva tudo. Sou uma brasileira que
não consegue fazer mais justamente porque o Estado atrapalha com o cultivo da burocra-
cia e a cobrança de impostos sem retorno. (Maria Fernanda Esteves Alves. VEJA (Car-
tas), 24/01/07, p.32)
 R: Argumento com base no raciocínio lógico
c) É lícito, do ponto de vista ético, realizar uma cesariana eletiva em uma gestante sem qual-
quer indicação reconhecida cientificamente?
Baseado na interpretação do que foi postulado no artigo “Surgery and patient choice: The
ethics of decision making”, do American College of Obstetricians and Gynecologists, publi-
cado no International Journal of Ginecology& Obstetrics em novembro de 2003, respondo
que sim, há uma base teórica para um posicionamento ético-profissional a respeito da deci-
são de se optar por uma cesariana a despeito da falta de indicação médica reconhecida.
(Marcos Wengrover Rosa- ginecologista e obstetra. ZH, 21/01/06)
 R: Argumento de autoridade
d) De acordo com o IBOPE, 83% dos brasileiros de consideraram satisfeitos ou muito satisfei-
tos com a vida. O número é duas vezes maior do que o total das pessoas atendidas pela
rede de esgoto – 40%. Há felicidade sem esgoto. (Diogo Mainardi. VEJA, 27?12?06,
p.103)
 R: Argumento baseado num consenso
e) Não pode ser uma vitória católica aquilo que vai contra a sua doutrina. Toda religião tem
seu credo. O que se cobra dos fiéis é que sejam coerentes com ele. Ser católico não é, co-
mo pretende o nominalismo do articulista, apenas se dizer católico: é ser fiel à doutrina do
magistério da Igreja. Sendo assim, não induza os leitores ao erro, criando antagonismos
onde não existem. Fiéis católicos são, com toda a força do Espírito Santo e da tautologia,
os que são fiéis ao catolicismo. Os que não aceitam ou discordam estejam à vontade, as-
sumam sua condição de opositores e avante, em vez de se dizerem católicos não-católi-
cos, façam como Lutero. (Lincoln Meireles Tomaz. VEJA (cartas), 23/03/05)
R: Argumento de competencia linguistica
3. Identifique nos textos abaixo: a) o campo problemático; b) a tese; c) os argumentos.

 A HORA DO TREM
Duplicar a BR-386, sim, mas junto com ela construir uma ferrovia. É bem mais barato,
e o trem carrega a carga de dezenas de carretas, além de passageiros, com muito mais
segurança.
LUIZ FERMINO FREITAS SOARES
FUNCIONÁRIO PÚBLICO - ARROIO DO MEIO
ZH, 04/08/2010
A) CAMPO PROBLEMÁTICO: “mas junto com ela construir uma ferrovia”
B) TESE: “Duplicar a BR-386, sim”
C) ARGUMENTOS: “É bem mais barato, e o trem carrega a carga de dezenas de car-
retas, além de passageiros, com muito mais segurança.”
EM REAÇÃO
Mais uma vez o governo federal age contra o povo, reajustando em 18% as tarifas pos-
tais. Na Argentina, quiseram cobrar mais imposto dos produtores rurais e eles foram às
ruas. Aqui, aceitamos tudo sem nada fazer. (ZH, 04/08/2010)
JOSÉ PEDRO NAISSER - AMBIENTALISTA - CURITIBA
A) CAMPO PROBLEMÁTICO: “Mais uma vez o governo federal age contra o povo.”
B) TESE: “Na Argentina, quiseram cobrar mais imposto dos produtores rurais e eles
foram às ruas. Aqui, aceitamos tudo sem nada fazer.”
C) ARGUMENTOS: “reajustando em 18% as tarifas postais.”
DESAFIO AO BOM SENSO
 São estarrecedoras as informações das autoridades estaduais de trânsito a res-
peito de motoristas que trafegam de forma irregular, muitos deles sem sequer possuir
carteira de habilitação. Calculam os órgãos policiais que 20% da frota de veículos do
Estado tem problemas de ordem legal. Embora a fiscalização não ocorra com a fre-
qüência desejada, 153 motoristas são flagrados diariamente sem CNH. Essa afronta ao
bom senso só encontra resguardo na cultura da impunidade, que predomina em todos
os setores da vida nacional. Fato que não pode deixar de ser destacado é o de que es-
sa permissividade atinge em especial motoristas jovens: 30% dos que têm entre 18 e
25 anos circulam ao volante sem habilitação. E o pior é que essas pessoas que se jul-
gam no direito de infringir a legislação normalmente são as primeiras a denunciar a
suposta existência de uma indústria da multa por parte dos órgãos fiscalizadores.
 ZH, 04 de agosto de 2010
A) CAMPO PROBLEMÁTICO: “São estarrecedoras as informações das autoridades
estaduais de trânsito a respeito de motoristas que trafegam de forma irregular,
muitos deles sem sequer possuir carteira de habilitação.” “E o pior é que essas
pessoas que se julgam no direito de infringir a legislação normalmente são as pri-
meiras a denunciar a suposta existência de uma indústria da multa por parte dos
órgãos fiscalizadores.”
B) TESE: “Essa afronta ao bom senso só encontra resguardo na cultura da impuni-
dade, que predomina em todos os setores da vida nacional.”
C) ARGUMENTOS: “Calculam os órgãos policiais que 20% da frota de veículos do Es-
tado tem problemas de ordem legal.” “Fato que não pode deixar de ser destacado
é o de que essa permissividade atinge em especial motoristas jovens: 30% dos que
têm entre 18 e 25 anos circulam ao volante sem habilitação.”
OS SEM RENDIMENTO
 A decisão de eliminar a exigência de declaração de isento do Imposto de Renda,
que a Receita Federal está anunciando para vigorar a partir deste ano, mais do que
saudável, é o