A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
TRABALHO PROFESSORA LIA MARTINS

Pré-visualização | Página 2 de 4

reconhecimento de que era excessiva e injustificável. A declaração do
isento, que há 10 anos vem sendo exigida, foi instituída sob o argumento da necessi-
dade de limpar o cadastro de pessoas físicas, criado em 1969. Para acertar tal cadas-
tro, a Receita optou por submeter milhões de cidadãos a fazer uma declaração em
que diziam que não tinham rendimento suficiente para declarar. Felizmente, essa exi-
gência está caindo. É até mesmo inacreditável que ela tenha se mantido por tanto
tempo, tenha sido exigida com tanta insistência e tenha sido cumprida por tantos mi-
lhões de brasileiros. (ZH, 31/07/2012)
A) CAMPO PROBLEMÁTICO: “A decisão de eliminar a exigência de declaração de
isento do Imposto de Renda, que a Receita Federal está anunciando para vigorar a
partir deste ano, mais do que saudável, é o reconhecimento de que era excessiva
e injustificável.” “ Para acertar tal cadastro, a Receita optou por submeter mi-
lhões de cidadãos a fazer uma declaração em que diziam que não tinham rendi-
mento suficiente para declarar.”
B) TESE: “Felizmente, essa exigência está caindo. É até mesmo inacreditável que
ela tenha se mantido por tanto tempo, tenha sido exigida com tanta insistência e
tenha sido cumprida por tantos milhões de brasileiros.”
C) ARGUMENTOS: “ A declaração do isento, que há 10 anos vem sendo exigida, foi
instituída sob o argumento da necessidade de limpar o cadastro de pessoas físicas,
criado em 1969.”
4. Após a leitura atenta do texto, responda às questões que seguem:
QUESTÕES DISSERTATIVAS:
1. Determine a tese defendida por Assis Brasil no texto acima.
R: Algo muito perturbador está acontecendo com nossa educação básica, que não habilita
os brasileiros a expressarem-se no idioma nacional.
2. No 2º parágrafo, o escritor descarta um argumento que poderia justificar/explicar a raiz
do problema. Que argumento é esse?
R:Tais alterações idiomáticas são necessárias à atualização da cultura. Por obra dessa cria-
tividade, acontecem os vocábulos da moda, que vivem por um semestre e logo são substi-
tuídos.
3. No 3º parágrafo, Assis Brasil afirma que o real problema está no número de pessoas que
não conseguem organizar uma idéia.
a) No que ele se baseia para afirmar isso?
R: Nas reportagens de Tv’s e rádios
b) Que tipo de argumento é esse?
R: Uma ilustração
4. Em que tipo de argumento o escritor se baseia ao afirmar: Sabe-se o quanto somos criati-
vos (L. 3), a vida social[...], como se sabe, expressa-se em palavras (L. 26), E, óbvio, por
professores públicos remunerados com justiça. (L. 39)?
R: Nos meios acadêmicos lusitanos é louvada nossa capacidade de acrescentar à língua
comum uma torrente incessante de neologismos; O argumento se baseia nos problemas na
lingua oral que “(...)diz respeito à vida social, que, como se sabe, expressa-se em palavras”;
Que são responsáveis por nossa educação e alfabetização, muitas vezes, professores pu-
blicos que não são devidamente remunerados”
5. Nos 2º e 3º parágrafos, o escritor relaciona os problemas na língua oral. No 4º, ele come-
ça a enumerar os problemas na língua escrita. Evidencie quais são eles:
1. Enchurrada de equívocos.
2. Tropeços de ortografia
3. Desacertos elementares de estruturação da frase
4. Impropriedades semânticas
5. Desvios de regência
6. No 6º parágrafo, o escritor levanta uma hipótese, uma razão que poderia ser a causa de
todas as dificuldades observadas no uso do idioma nacional.
a) Qual é ela?
R: A crônica impossibilidade de acesso aos estudos regulares causada pelas circunstanci-
as desfavoraveis da nossa distribuição de renda.
b) Esse argumento se mantém? Justifique sua resposta.
Não, pois como o próprio autor diz, esse problema persiste e se estende a diplomados.
“São pessoas a quem não falta a universidade, mas o curso primário”
Exercícios:
1. Identifique os modalizadores presentes nos enunciados abaixo:
a) “Os petistas parecem dizer que são donos da memória do povo e que podem fazer dessa
memória o que bem entendem” (André Petry. VEJA, 09/11/06, p. 65)
R: Eixo básico: O CRER - “Parecem”
b) “Toda a educação das mulheres deve ser relativa aos homens. Agradar-lhes, ser-lhes úteis, fa-
zer-se amar e honrar por eles, educá-los quando jovens, cuidar deles quando adultos, aconselhá-
los, consolá-los, tornar-lhes a vida agradável e doce, eis os deveres das mulheres em todos os
tempos.” (Rousseau)
R: Eixo básico: O SABER - “deve”
c) “Não há dúvida, sempre é preciso repisar, que o Brasil se caracteriza por enormes disparida-
des e injustiças, e que políticas de ação afirmativa podem ser um recurso eficaz para combatê-
las.” ( Roberto Pompeu de Toledo, VEJA, 25/10,2006, p.174)
R: Eixo básico: O SABER - “Não há dúvida”
d) “ A nossa será possivelmente a seleção mais bem paga na Alemanha.Nunca um Brasil tão ri-
co se apresentou a uma Copa do Mundo”. (Idem, VEJA, 31/05/2006, p. 126)
R: Eixo básico: O CRER - “possivelmente”
e) “ Que a opinião pública peça pena de morte e prisão perpétua para menores de 16 e 17 anos,
tudo bem, se entende: esse ser abstrato chamado opinião pública não tem responsabilidade. Mas
a imprensa tem que ter responsabilidade. A imprensa tem a obrigação de saber que um dos pres-
supostos da pena que se aplica aos criminosos é a sua regeneração.[...]” (Paulo Santana. ZH,
02/03/2007, p.55)
R: Eixo básico: O SABER - “tem a obrigação de saber”
2. Indique se os índices avaliativos destacados nos trechos abaixo (1) representam a posi-
ção do locutor diante do fato, (2) valorizam ou desvalorizam o fato, (3) delimitam a abran-
gência do fato.
a) ( 1 ) “ O conhecimento se propaga, principalmente, pela força da palavra.”
b) ( 3 ) O homem, finalmente, aceitou as nossas desculpas.
c) ( 2 ) O excelente desempenho da equipe brasileira deu-nos o título mundial.
d) ( 2 ) “O problema é sério, mas não pode ser focalizado apenas nos laboratórios fraudulentos, fe-
lizmente ainda minoria[...]”
e) ( 3 ) “Finalmente, um retrato à altura de Vinícius de Moraes, grande poeta e figuraça.”
3. “ No domingo passado, cerca de 250 igrejas cristãs de todo o país abriram as suas portas
para receber as armas de fogo que, voluntariamente, foram entregues por seus ex-proprie-
tários, em uma impressionante prova de consciência de que é preciso desarmar o Brasil.”
(Renan Calheiros. ZH, 21/05/2005)
a) A expressão destacada no texto caracteriza-se como um modalizador que corresponde ao eixo
do:
R: SABER
b) Comente o emprego dos índices avaliativos que aparecem no trecho acima:
R: se representa diante dos enunciados que produz: “voluntariamente, foram entregues por
seus ex-proprietários.”
4. “Claro que a violência brasileira, no campo e nas cidades, tem origens diversas, como a força
do crime organizado, a brutal desigualdade social e a miséria dela decorrente, a própria cultura da
violência em si, a questão fundiária, entre outras causas. Mas está muito claro que o banimento
da arma de fogo será decisivo para uma redução drástica do número de assassinatos.[...] O núme-
ro de assaltos à mão armada também deverá cair[...]” (idem)
R: Se representa diante do enunciado que produz: Pois esta esclarecendo que existem di-
versas origens da violencia brasileira, e isso é claro, tanto para o locutor quanto para os ou-
vintes.
a) A expressão destacada no trecho acima é um modalizador. Em que eixo ele se situa? Por quê?
R: Do SABER, pois esta afirmando algo.
b) Qual o referente textual da forma remissiva gramatical “ela” (dela – L.2)?
R: Violencia brasileira
c) As formas do futuro do presente “será decisivo” (L.4) e “deverá cair” (L.5) tem no texto um em-
prego modal. Em que eixo esse modalizador se situa?
R: Quase - Asseverativos
Leia o texto a seguir e resolva as questões propostas:
01
02
03
04
05
06
07
A educação possível
 Lya Luft
Educação é algo bem mais amplo do que escola. Começa em casa, onde precisam
ser dadas as primeiras informações sobre o mundo (com criança também se conversa!),
noções de postura e compostura, respeito,