Diabetes Tipo 1
4 pág.

Diabetes Tipo 1


DisciplinaNutrição na Infância e Adolescência40 materiais106 seguidores
Pré-visualização1 página
O diabetes mellitus tipo 1, 
caracteriza-se pela deficiência 
absoluta da produção de 
insulina no pâncreas, causando 
dificuldade ao fígado de manter 
os depósitos de glicogênio (vital 
para o organismo), com isso o 
açúcar acumula-se no sangue e 
gera hiperglicemia 
 As próprias unidades de 
defesa do corpo passam a 
destruir as células do pâncreas 
(células beta), responsável pela 
produção de insulina. O 
tratamento, portanto, sempre 
envolve a reposição desse 
hormônio de forma exógena 
 O indivíduo não tem 
produção de insulina e a glicose 
não vai entrar na célula e o nível 
de glicose sanguínea vai 
aumentar no sangue 
Sintomas 
\u2192 Urinar muito, podendo voltar a 
urinar na cama 
\u2192 Ter muita sede 
\u2192 Emagrecer rapidamente 
\u2192 Grande fadiga, associada a 
dores musculares intensas, não 
tem glicose nem para o músculo 
nem para fazer as funções vitais 
a nível cerebral. 
\u2192 Dores de cabeça, náuseas e 
vômitos. 
Diagnóstico Laboratorial 
\u2192 Glicemia em jejum (mg/Dl): 
Normal: < 100 
Pré diabetes: 100 a 125 
Diabetes: \u2265 126 
\u2192 Glicemia 2 horas após TOTG: 
Normal: < 140 
Pré diabetes: 140 a 199 
Diabetes: \u2265 200 
\u2192 Hemoglobina Glicada: 
Normal: < 5,7 
Pré diabetes: 5,7 a 6,4 
Diabetes: \u2265 6,5 
Propriedades farmacocinéticas 
\u2192 Longa duração 
\u2192 Ação intermediária 
\u2192 Ação Rápida 
\u2192 Ação Ultrarrápida 
(Explicação de cada uma no 
resumo de hipoglicemiantes) 
Local de Aplicação 
\u2192 Região abdominal, braços, 
coxas, nádegas etc. 
\u2192 Revezar os locais de aplicação. 
http://saude.abril.com.br/tudo-sobre/diabetes
Conduta Nutricional 
\u2192 Iniciar sempre pela avaliação 
nutricional contendo todos os 
pilares (antropometria, exame 
físico, bioquímicos e consumo 
alimentar) 
\u2192 Parâmetros Bioquímicos: 
Glicemia jejum, HB, Perfil Lipídio 
(por causa das alterações das 
triglicérides) e a função renal 
(diabetes pode trazer alteração 
principalmente pela 
hiposmolaridade sanguínea) 
\u2192 Recordatório de 24h dá uma 
real noção do que o paciente 
esteve consumindo para ver se 
há algum erro no consumo de 
carboidratos. 
\u2192 Verificar presença de Acantose 
nigricans. 
Recomendações Nutricionais 
Fórmula 1 \u2013 1000kcal para o 
primeiro ano de vida, a partir 
disso adicionar 100 kcal até os 11 
anos (cada ano aumenta 100kcal) 
Feminino de 11 a 15 anos: 
adicionar 100kcal/ano 
Feminino > 15 anos: calcular como 
adulto 
Maculino de 11 a 15 anos: 
adicionar 200kcal/ano 
Masculino > 15 anos - 
50 kcal/kg (atividade intensa) 
- 40 kcal/kg (atividade reduzida) 
- 30-35 kcal/kg (leve a sedentária) 
Fórmula 2 \u2013 1000 kcal para o 
primeiro ano de vida 
Feminino: 100 kcal x idade 
Masculino: 125 kcal x idade 
Adicionar 20% para atividade 
física 
MACRO % 
Carboidrato 50 \u2013 60 % 
Proteína 15 % 
Gordura 30% 
 
Índice Glicêmico: Velocidade que 
o alimento tem para aumentar a 
glicemia sanguínea (velocidade 
de absorção da glicose) 
Carga Glicêmica: Quantidade de 
carboidrato que o alimento tem. 
Contagem de Carboidratos 
\u2192 10 gramas de carboidrato vai 
ter o mesmo efeito na glicemia do 
indivíduo independente do tipo 
de carboidrato 
\u2192 O mais importante será a 
quantidade de carboidrato que o 
indivíduo vai ingerir, já que 100% 
desse CHO se transforma em 
glicose. 
\u2192 O carboidrato é o nutriente 
que mais afeta a glicemia e são 
convertidos em glicose dentre 15 
min a 2 horas e são absorvidos 
após sua ingestão 
\u2192 CHO complexos são absorvido 
1 hora a 1,5 Hora 
\u2192 Somente 10% das gorduras 
podem ser convertida em glicose 
e essa conversão é em cerca de 5 
horas ou mais 
\u2192 Entre 35% a 60% das PTN são 
convertidas em glicose dentre 3 a 
4 horas 
Como Contar? 
\u2192Pensar nas porções do alimento 
e quanto aquele alimento tem de 
carboidrato 
\u2192 As informações se encontram 
na tabela de alimentos e rótulos 
\u2192 Ver o valor total de carboidrato 
por dia. 
\u2192 Alimentos que não precisa 
contar: Vegetais, Queijo, carnes, 
azeite, maionese, aves, pescados, 
ovos, água, café, chá e 
adoçantes. 
\u2192 Vegetais crus em pequenas 
quantidades (até 1 xícara de 
vegetal cru ou meia xícara 
cozido) 
\u2192 Carnes, aves, pescados, ovos 
desde que não ultrapasse uma 
porção de 120 gramas 
Razão CHO versus insulina 
\u2192 Para crianças e desnutritos: 1 
UL de insulina rápida ou ultra 
rápida para cada 25 a 30 gramas 
de carboidratos 
\u2192 Para adolescentes: 1 Ul de 
insulina rápida ou ultra rápida 
para cada 10 a 20 gramas de 
carboidrato 
\u2192 Para adultos: 1 Ul de insulina 
rápida ou ultra rápida para cada 
15 g de CHO 
Tratamento Hipoglicemia 
\u2192 Caso ocorra é necessário 
doses de glicose ou consumir 
alimentos 
\u2192 Glicemia de 50 \u2013 10 = consumir 
15g de carboidratos 
\u2192 15g de CHO = 150ml de 
refrigerante comum ou 01 colher 
de sopa de açúcar ou 1 gel de 
glicose ou 3 balas 
\u2192 Caso a glicemia esteja abaixo 
de 50 deve-se duplicar a dose e 
aguardar 15 minutos e medir 
novamente a glicemia. 
Recomendações Gerais 
\u2192 Atividade educacional, 
estimulando o exercício físico. 
\u2192 Abordagem Multidisciplinar 
(principalmente psicólogo) 
\u2192 Dieta restrita em carboidratos 
não é indicado (para não ter 
episódio de hipoglicemia) 
\u2192 Ingestão de fibras é essencial 
\u2192 Alimentos que contenha 
sacarose devem ser evitados 
\u2192 Evitar gorduras trans e 
estimular consumo de peixes 
ricos em ômega 3 
\u2192 Dietas hipoproteícas não são 
recomendadas 
\u2192 Evitar, diagnosticar e tratar a 
hipoglicemia de forma adequada. 
Conclusão 
\u2192 A contagem de carboidratos é 
considerada a chave do 
tratamento nutricional do DM 
tipo 1 
\u2192 Não há evidencias suficientes 
para recomendar o uso de 
alimentos de baixo índice 
glicêmico como estratégia 
primária no plano alimentar. 
\u2192 A carga glicêmica oferece um 
modesto benefício adicional em 
relação à contagem de CHO. 
Anotações Gerais