Buscar

ATIVIDADES DE MATEMATICA

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 23 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 6, do total de 23 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 9, do total de 23 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

ATIVIDADES DE MATEMATICA 
 
Unidade 1 
 
1-(CONCURSO IFRN – 2016) O Papiro de Rhind ou Papiro de Ahmes, produzido por 
um escriba chamado Ahmes por volta de 1.650 a. C. e adquirido pelo arqueólogo escocês 
Alexander Henry Rhind no século XIX, apresenta soluções para diversos problemas 
matemáticos egípcios antigos. Com base nos estudos sobre o Papiro de Rhind realizado por 
diversos historiadores da Matemática, os egípcios 
 a) resolviam equações diferenciais e calculavam áreas e volumes de várias formas 
geométricas com precisão 
b) aproximavam a área de um círculo de diâmetro 𝑑 por ( 8𝑑 6 )2 para auxiliar 
cálculos em seus projetos arquitetônicos. 
c) utilizavam dois sistemas de numeração baseados em agrupamento de dez e na 
soma e duplicação como operações aritméticas básicas. 
 d) recorriam às tábuas matemáticas babilônicas para agrupar números superiores a 
60 em um sistema numérico decimal. 
e) utilizavam tábuas logarítmicas para cálculos de funções diferenciais. 
2. Em relação à importância da Matemática Grega para o desenvolvimento do 
conhecimento matemático, percebemos que, com os antigos gregos, 
a) a Matemática assumiu o caráter abstrato, os números passaram a ser entidades 
“ideais”, e as afirmativas matemáticas adquiriram a conotação de verdades lógicas. 
b) a Matemática assumiu um papel essencialmente empírico e indutivo, e iniciou-se o 
uso das demonstrações e do raciocínio lógico. 
 c) aconteceu a transformação do conhecimento matemático “primitivo” por meio da 
suplantação da razão pela empiria, e iniciou-se o uso das demonstrações lógicodedutivas. 
 d) aconteceu a transformação do conhecimento matemático dedutivo para o 
indutivo, e as afirmativas baseadas em definições e axiomas adquiriram caráter científico. 
e) a Matemática passou a ser a ciência mãe das demais áreas do conhecimento. 
 3. O ensino da História da Matemática, normalmente é utilizado como apoio para: 
a) atender às necessidades teóricas dos conceitos matemáticos a partir da cultura 
grega antiga, os quais serviram de estímulo ao desenvolvimento das ideias matemáticas 
contemporâneas. 
b) delimitar a Matemática como um saber operacional do tipo algébrico em seu 17 
percurso histórico. 
 c) determinar recursos pedagógicos adequados aos alunos no processo de 
ensinoaprendizagem de Matemática. 
d) atingir objetivos pedagógicos que levem os alunos a perceberem a Matemática 
como uma atividade histórico-social. 
e) responder aos questionamentos em relação à origem do conhecimento 
matemático. 
4. (CONCURSO IFC-2013) Pappus, grande matemático grego, viveu provavelmente 
em torno do ano 300 de nossa era. No livro VII, das suas Collectiones, Pappus descreve um 
ramo de estudo que ele chamou de: Analyomenus. Podemos traduzir esse nome por: 
“Tesouro da Análise” ou “Arte de Resolver Problemas”. A tradução deste texto é inerente a 
uma das tendências atuais no ensino da matemática, conhecida por 
a) gênero matemático. 
b) transposição didática da matemática. 
 c) análise matemática. 
d) resolução de problemas. 
e) história da matemática. 
5. A alternativa que contém apenas tendências em educação matemática no atual 
momento educacional são 
 a) Funções, Modelagem Matemática, História da Matemática, Jogos e Curiosidades, 
Etnomatemática e Novas Tecnologias. 
b) Interdisciplinaridade, Transposição Didática, História da Matemática, Jogos e 
Curiosidades, Etnomatemática e Novas Tecnologias. 
 c) Modelagem Matemática, História da Matemática, Probabilidade e Estatística. 
d) História da Matemática, Jogos e Curiosidades, Modelagem Matemática, 
Etnomatemática e Educação Crítica da Matemática. 
 E) Álgebra, Geometria, Operações, Estatística, História da Matemática, Jogos e 
Curiosidades e Novas Tecnologias. 
 6. De acordo com Boyer (2012) A Geometria é uma das grandes áreas da 
Matemática, juntamente com o Cálculo e Álgebra. A palavra “geometria” tem origem grega e 
sua tradução literal é: “medir a terra”. Essa informação nos dá pistas de 18 como nasceu e o 
motivo pelo qual ela se desenvolveu durante os séculos. Ainda em relação à origem da 
Geometria, é correto afirmar que: 
 I. Conforme os relatos de Heródoto (450 a.C.), a geometria teve origem no Egito, 
motivada pela necessidade prática de remarcar terras depois da enchente anual das 
margens do vale do rio Nilo. 
II. A inundação fazia desaparecer os marcos fixados no ano anterior, de delimitação 
entre as propriedades de terras. Para demarcarem novamente os limites existiam os 
"puxadores de corda", (assim chamados devido aos instrumentos de medida e cordas 
entrelaçadas que usavam para marcar ângulos, e determinar as áreas de lotes de terrenos, 
dividindo-os em retângulos e triângulos). Com relação às afirmações acima, podemos 
concluir que 
a) somente a I está correta. 
 b) somente a II está correta. 
c) as duas afirmações estão incorretas. 
d) as duas afirmações estão corretas. 
 e) as duas afirmações estão incorretas e a segunda nega a primeira. 
7. (CONCURSO IFPB – 2013) Adaptada - Cursos em nível de Especialização, 
Mestrado e Doutorado têm-se voltado para o movimento denominado Educação 
Matemática nos quais são investigados temas vinculados a diversas linhas de pesquisa, nas 
diversas instituições de ensino. Assim, implementaram algumas diretrizes e campos de 
atuação para a investigação científica em História da Matemática como área de atuação 
dentro do programa de pós-graduação em Educação Matemática. Dentre vários argumentos 
favoráveis à introdução da História da Matemática no processo educacional como fator de 
melhoria no ensino da Matemática (BARONI, TEIXEIRA, NOBRE, 2004), destacamos que 
a) a história da matemática levanta questões relevantes, mas fornece problemas 
desmotivadores incapazes de estimular e atrair o aluno. 
 b) o envolvimento dos alunos com projetos históricos impossibilita-os de 
desenvolver, além de sua capacidade matemática, o crescimento pessoal e habilidades como 
leitura, escrita, procura por fontes e documentos, análise e argumentação. 
c) os estudantes podem entender que elementos como erros, incertezas, 
argumentos 19 intuitivos, controvérsias e abordagens alternativas a um problema não são 
legítimos e não fazem parte do desenvolvimento da matemática. 
d) o estudo detalhado de exemplos históricos pode dar a oportunidade aos alunos de 
compreender que a matemática é guiada não apenas por razões utilitárias, mas também por 
interesses intrínsecos à própria matemática. 
 e) a história pode evidenciar que a matemática se limita a um sistema de regras e 
verdades rígidas, mas é algo humano e envolvente. 
8. (CONCURSO IFRN – 2016) Adaptada – A investigação histórica de aspectos 
matemáticos apresentados durante as aulas é uma das tendências educacionais atuais no 
processo de ensino-aprendizagem da Matemática. Nesse processo, o conhecimento histórico 
a) contribui para a reflexão sobre a formalização das leis matemáticas a partir de 
certas propriedades e artifícios utilizados hoje e construídos em épocas anteriores. 
b) sustenta-se em concepções platônicas a respeito da natureza da Matemática e 
fornece respostas aos porquês dos conceitos matemáticos. 
 c) envolve aspectos do conhecimento matemático que contribuem para a 
compreensão da Matemática como fruto histórico do modelo cultural eurocêntrico. 
d) fundamenta-se no aprendizado dos fatos científicos e desconstrói as visões 
subjetivas das pessoas que tem lidado com os conceitos matemáticos desde a préhistória até 
os dias de hoje. 
e) apontam que todas as opções anteriores complementam o enunciado, de acordo 
com as pesquisas atuais que privilegiam a História da Matemática. 
 
Unidade 2 
(FUNCAB - 2013 - Prefeitura de Cacoal/RO - Pedagogo) – Para Piaget, a forma de 
raciocinar e de aprender da criança passa por estágios. Por volta dos dois anos, ela evolui do 
estágio sensório-motor, para o pré-operatório. Outra progressão acontece por volta dos sete 
anos, quando ela passa para o estágiooperatório concreto. Finalmente, por volta dos doze 
anos, chega ao estágio operatório formal, compreendendo, entre outros, conceitos como: 
amor, democracia, liberdade, etc. Assinale o estágio em que a criança se encontra quando 
alcança a possibilidade de “conseguir refletir sobre o inverso das coisas e dos fenômenos e, 
para concluir um raciocínio, leva em consideração as relações entre os objetos”. 
 a) Operatório concreto. 
b) Concreto. 
c) Sensório-motor. 
 d) Pré-operatório. 
e) Operatório formal. 
2) Paulos (1994), ao analisar a importância da matemática na vida das pessoas, 
afirma que sua função principal é ensinar a pensar, a analisar problemas reais e solucioná‐
los. Considerando esta premissa e as propostas metodológicas para a efetivação desta 
aprendizagem que compreendem em resolução de problemas, modelagem matemática, 
etnomatemática, história da matemática, uso de novas tecnologias e jogos, análise. 
 I. Na resolução de problemas, o aluno torna‐se o protagonista do processo, sendo 
estimulado a encontrar soluções para as situações desafiadoras, originárias do dia a dia. 
Neste processo, há o envolvimento com o fazer matemático, no sentido de criar hipóteses, 
fazer conjecturas, num ambiente de investigação. 
II. A modelagem matemática é um processo de compreensão de situações advindas 
do mundo real, pressupondo um ciclo de atuação que parte de um dado real, cria uma 
simulação que explica esta realidade e, com os dados obtidos, volta‐se para ela, validando 
ou reformulando o que foi criado. 
III. A etnomatemática procura valorizar a matemática tendo como base o estudo 32 
dos diferentes grupos étnico‐culturais. Os conceitos construídos pelo aluno no seu ambiente 
podem se constituir em ponto de partida para o ensino formal e permitem‐lhe a 
compreensão crítica circunscrita da sua realidade cultural, possibilitando a resolução de 
problemas sem a imposição do saber institucionalizado. 
 IV. O uso das novas tecnologias no ensino da matemática nas séries iniciais não 
deve ser introduzido, pois ambientes de investigação e exploração virtuais inibem a 
criatividade dificultando o desenvolvimento do pensamento lógico‐ matemático. Estão 
corretas as afirmativas 
 a) I, II, III e IV. 
b) I e II, apenas. 
c) III e IV, apenas. 
 d) I, II e III, apenas. 
e) Todas estão corretas. 
 
3) Com base no trecho abaixo, marque a alternativa correta. “Uma atividade muito 
importante para a criança pequena é a brincadeira. Brincar dá à criança oportunidade para 
imitar o conhecido e para construir o novo, conforme ela reconstrói o cenário necessário 
para que sua fantasia se aproxime ou se distancie da realidade vivida, assumindo 
personagens e transformando objetos pelo uso que deles faz. ” (PARECER CNE/CEB n° 
20/2009) 
 a) A brincadeira é parte fundamental do cotidiano da criança. 
 b) A brincadeira, na creche, deve sempre ser direcionada. 
c) A brincadeira, na creche, deve sempre ser uma atividade livre. 
d) A brincadeira, nas instituições de Educação Infantil, não é dotada de 
intencionalidade pedagógica. 
e) A brincadeira deve acontecer apenas na casa das crianças. 
 4) Sobre o ensino e aprendizagem da matemática na educação infantil, é correto 
afirmar que 
a) na educação infantil, a criança aprende matemática intuitivamente, sem que seja 
necessária nenhuma intervenção docente. 33 
b) a criança ainda não tem ZDP suficientemente desenvolvida para aprender 
matemática. 
c) a criança aprende matemática de forma linear e sequencial. 
d) a criança aprende matemática a partir das ações que produz para a resolução de 
uma situação, ao comparar, perguntar, criar e discutir. 
e) a criança aprende matemática com fórmulas prontas. 
 
 5) (Prova FCC - 2018 - SEDU-ES) As estratégias que utilizam metodologia de 
resolução de problemas têm mostrado bons resultados no interesse do aluno e na 
aprendizagem da matemática. Uma prática metodológica docente que deve ser repensada 
por não ser a mais adequada para o trabalho com resolução de problemas é a das aulas 
 a) interdisciplinares. 
b) expositivas. 
c) focadas em projetos. 
d) com material manipulativo. 
 e) do professor no papel de mediador. 
 6) De acordo com a psicologia do desenvolvimento cognitivo infantil proposta por 
Jean Piaget, assinale a alternativa correta. 
a) O estágio conhecido como sensório-motor é o primeiro pelo qual passa a criança, a 
partir de seu nascimento, e acontece quando os bebês começam a aprender por meio da 
observação dos sentidos, e adquirem controle das funções motoras a partir de exploração e 
manipulação do ambiente. 
b) O estágio que possui como uma de suas características o pensamento operando 
de maneira altamente lógica, sistemática e simbólica, existindo também a capacidade de 
pensar de forma abstrata, de raciocinar de forma dedutiva, e de definir conceitos é o estágio 
definido como sensório-motor. 
 c) Jean Piaget não classificou as etapas do desenvolvimento em estágios claros e 
qualitativamente diferentes pelos quais cada criança deve passar. 
d) No estágio sensório-motor o pensamento egocêntrico é substituído pela 
capacidade da criança em lidar com uma ampla variedade de informações externas, sendo esta 
capaz de enxergar as coisas através da perspectiva de outra pessoa. 
e) No estágio sensório-motor existe o aparecimento da capacidade de interiorizar as 
ações, ou seja, ela começa a realizar operações mentalmente. 
 7) Mesmo conhecendo que a criança já desenvolve habilidades matemáticas antes 
da escolarização é dentro da escola que ela tem contato com processos como 
a) contar, medir, classificar, ordenar e outros. 
b) ler e interpretar. 
c) socializar. 
 d) realizar experimentos. 
e) localizar-se geograficamente. 
 
 8) (IBADE - 2019 - Prefeitura de Aracruz) Entender o papel do educador no 
contexto da educação básica, é fundamental. Algumas características do educador são 
comuns tanto aos professores da educação infantil, quanto aos professores das demais 
etapas educacionais. Dentre elas é possível citar: 
a) Competência teórica, domínio de turma e bastante controle nas avaliações, para 
evitar que os alunos copiem as respostas uns dos outros. 
 b) Disciplinar os corpos e controlar a aprendizagem. 
c) Controlar os alunos e aplicar provas. 
d) Comprometimento político, competência teórica e técnico-profissional. 
 e) Apenas distribuir notas aos alunos. 
Unidade 3 
1. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil constitui-se em um 
conjunto de referências e orientações pedagógicas que visam a contribuir com a implantação 
ou implementação de práticas educativas de qualidade que possam promover e ampliar as 
condições necessárias para o exercício da cidadania das crianças brasileiras. Considerando-se 
as especificidades afetivas, emocionais, sociais e cognitivas das crianças de zero a seis anos, 
a qualidade das experiências oferecidas que podem contribuir para o exercício da cidadania 
deve estar embasada nos princípios . 
I. Do respeito à dignidade e aos direitos das crianças, consideradas nas suas 
diferenças individuais, sociais, econômicas, culturais, étnicas, religiosas etc. 
II. O direito das crianças a brincar, como forma particular de expressão, 
pensamento, interação e comunicação infantil. 
 III. A socialização das crianças por meio de sua participação e inserção nas mais 
diversificadas práticas sociais, sem discriminação de espécie alguma. 
 IV. O atendimento aos cuidados essenciais associados à sua família e ao 
desenvolvimento de sua inteligência. Está CORRETA a opção: 
a) I, II e III 
b) I, II e IV 
 c) II, III e IV 
d) I e II 
e) Todas estão corretas 
2. Planejar é uma atividade necessária e possível, que remete segundo 
Vasconcellos (2000) a querer mudar algo, acreditar na possibilidade de mudança; perceber a 
necessidade da mediação teórico metodológica e vislumbrar a possibilidade de realização da 
ação pensada/planejada. Há na educação escolar planejamentos emdiferentes níveis de 
abrangência, especificamente quanto ao planejamento do Projeto Político Pedagógico, este 
tem por finalidade 
a) organizar adequadamente o currículo, racionalizando as experiências de 
aprendizagem, tendo em vista tornar a ação pedagógica mais eficaz e eficiente. 
 b) ser elemento estruturante da identidade da instituição. 
c) favorecer pesquisas sobre a própria prática docente. 
d) superar a expropriação a que o professor foi submetido em relação a concepção e 
ao domínio do seu que fazer, resgatando sua condição de sujeito de transformação. 
e) apenas regulamentar as formas de avaliações escolhidas. 
3. Sobre o jogo na escola, é correto afirmar que 
a) o jogo infantil é sempre prazeroso e alegre. 
b) o jogo infantil é sempre muito trabalhoso e requer muito esforço das crianças. 
c) enquanto a criança brinca, sua atenção está sempre concentrada nos resultados 
ou efeitos da brincadeira. 
d) o jogo educativo, utilizado em sala de aula, muitas vezes, tira do jogo o prazer pela 
atividade em si, dando prioridade ao produto, à aprendizagem de noções e habilidades. 
e) o jogo é apenas um momento de descontração. 
 4. A utilização do jogo educativo com fins pedagógicos 
a) significa transportar para o campo do ensino-aprendizagem condições para elevar 
ao máximo a construção do conhecimento, introduzindo o lúdico, o prazer, ação ativa e 
motivação. 
 b) proporciona diversão, prazer, ajuda no ensino de conteúdos escolares, mas, por 
outro lado, torna as aulas muito barulhentas, desorganizadas e o professor perde o controle da 
sala e a sua moral. Assim, é preferível não incluir o jogo educativo na educação escolar. 
 c) deve ser raramente oferecida às crianças porque, como é muito barulhenta e 
desorganiza o ambiente, atrapalha o trabalho das outras salas, coloca em risco o cumprimento 
da rotina da escola, dos horários e das outras atividades, que são mais importantes. 
d) deve ser rigorosamente gerenciada pelos professores, sem a participação das 
crianças, para que a aula não fique barulhenta e para que a sala não fique desarrumada e, 
principalmente, para que não saia do horário previsto para começar e para terminar. 
e) não se deve preocupar muito com o conteúdo abordado, apenas com a recreação 
que ele pode proporcionar. 
5. O artigo 26 da Lei no 9.394/96, LDB em vigor, afirma que os currículos da 
educação infantil devem contemplar a Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Em 
dezembro de 2017, o Conselho Nacional de Educação a aprovou. Sobre esse tema, é correto 
afirmar que a BNCC é um documento de caráter 
 a) reflexivo, que define o conjunto normativo orgânico e progressivo de 
aprendizagens essenciais como direito das crianças, jovens e adultos 
b) normativo, que define o conjunto normativo orgânico e progressivo de 
aprendizagens essenciais como direito das crianças, jovens e adultos. 
c) opcional, que defende o conjunto normativo orgânico e progressivo de 
aprendizagens essenciais como direito das crianças, jovens e adultos. 
d) sugestivo, que defende o conjunto normativo orgânico e progressivo de 
aprendizagens essenciais como direito das crianças, jovens e adultos. 
e) explicativo, apenas explica o que se deve fazer em relação ao conteúdo. 
6. Considerando os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) no quadro das 
mudanças provocadas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), é correto afirmar que 
os PCNs 
 a) deixam de ser obrigatórios por conflitarem com a Base, sendo substituídos pela 
BNCC. 
b) tiveram as expectativas de aprendizagem substituídas por direitos de 
aprendizagem na BNCC. 
c) perderam sua função no momento da edição das Diretrizes Curriculares Nacionais 
d) não são tornados inválidos pela BNCC, permanecendo documentos orientadores. 
e) foram automaticamente revogados pela Portaria MEC no 1.570 que aprova a 
BNCC. 
7. FUMARC - 2018 - SEE-MG) “A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um 
documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de 
aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e 
modalidades da Educação Básica, de modo a que tenham assegurados seus direitos de 
aprendizagem e desenvolvimento, em conformidade com o que preceitua o Plano Nacional 
de Educação (PNE)”. (Fonte: BRASIL, 2017, p. 7). Considerando a concepção presente no 
texto, analise as afirmativas a seguir: 
I. A BNCC reconhece que a Educação Básica deve visar à formação e ao 
desenvolvimento humano global, o que implica compreender que esse desenvolvimento é 
linear. 
II. A dimensão conceitual da BNCC permite que os estudantes desenvolvam 
aproximações e compreensões sobre os saberes científicos e os presentes nas situações 
cotidianas. 
III. A noção de competência é definida na BNCC como a mobilização de 
conhecimentos, habilidades, atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida 
cotidiana, do pleno exercício da cidadania e do mundo do trabalho. 
IV. Ao dizer que os conteúdos curriculares estão a serviço do desenvolvimento de 
competências, a LDBEN orienta a definição das aprendizagens dos conteúdos mínimos a 
serem ensinados na proposta da BNCC. Está CORRETO apenas o que se afirma em: 
a) I e II. 
b) III e IV. 
c) I e III. 
d) I e IV. 
e) II e III. 
 8. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento que define o 
conjunto de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver na Educação 
Básica. A BNCC leva em conta que os diferentes campos que compõem a Matemática 
reúnem um conjunto de ideias fundamentais e propõe cinco unidades temáticas, 
correlacionadas, que orientam a formulação de habilidades a ser desenvolvidas ao longo do 
Ensino Fundamental. Sobre essas unidades temáticas, julgue como verdadeira (V) ou falsa (F) 
cada uma das afirmações abaixo e, em seguida, assinale a opção correta. 
( ) A unidade temática Números tem como finalidade desenvolver o pensamento 
numérico, que implica o conhecimento de maneiras de quantificar atributos de objetos e de 
julgar e interpretar argumentos baseados em quantidades. 
( ) A unidade temática Álgebra tem como finalidade o desenvolvimento de um tipo 
especial de pensamento que é essencial para utilizar modelos matemáticos na compreensão, 
representação e análise de relações quantitativas de grandezas e, também, de situações e 
estruturas matemáticas, fazendo uso de letras e outros símbolos. 
( ) A unidade temática Grandezas e Medidas contribui ainda para a consolidação e 
ampliação da noção de número, a aplicação de noções geométricas e a construção do 
pensamento algébrico. A sequência CORRETA, de cima para baixo, é: 
 a) F – F – F 
 
 b) F – F – V 
c) V – F – F 
d) V – V – V 
e) F - V - F 
unidade 4 
A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento que define o conjunto 
de aprendizagens essenciais que todos os alunos devem desenvolver na Educação Básica. A 
BNCC leva em conta que os diferentes campos que compõem a Matemática reúnem um 
conjunto de ideias fundamentais e propõe cinco unidades temáticas, correlacionadas, que 
orientam a formulação de habilidades a ser desenvolvidas ao longo do Ensino Fundamental. 
Sobre essas unidades temáticas, julgue como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das 
afirmações abaixo e, em seguida, assinale a opção correta. 
 ( ) A unidade temática Números tem como finalidade desenvolver o pensamento 
numérico, que implica o conhecimento de maneiras de quantificar atributos de objetos e de 
julgar e interpretar argumentos baseados em quantidades. 
 ( ) A unidade temática Álgebra tem como finalidade o desenvolvimento de um tipo 
especial de pensamento que é essencial para utilizar modelos matemáticos na compreensão, 
representação e análise de relações quantitativas de grandezas e, também, de situações e 
estruturas matemáticas, fazendo uso de letras e outros símbolos. 
( ) A unidade temática Grandezas e Medidas contribui ainda para a consolidação e 
ampliação da noção de número, a aplicação de noçõesgeométricas e a construção do 
pensamento algébrico. A sequência CORRETA, de cima para baixo, é: 
a) F – F – F 
b) F – F – V 
c) V – F – F 
d) V – F – V 
e) V – V – V 
2)) (NC-UFPR - 2019 - Prefeitura de Curitiba) Na Base Nacional Comum Curricular 
(BNCC), são propostas unidades temáticas que visam a orientar a criação de habilidades a 
serem desenvolvidas durante o Ensino Fundamental. As unidades temáticas da área de 
Matemática na BNCC são 
a) Números; Álgebra; Geometria; Grandezas e Medidas; Probabilidade e Estatística. 
 b) Números e Álgebra; Espaço e Forma; Grandezas e Medidas; Probabilidade e 
Estatística. 
c) Números e Operações; Álgebra; Geometria; Grandezas e Medidas; Probabilidade e 
Estatística. 
d) Números e Álgebra; Espaço e Forma; Grandezas e Medidas; Tratamento da 
Informação. 
e) Números; Álgebra; Geometria; Grandezas e Medidas; Tratamento da Informação. 
 
3 (NC-UFPR - 2019 - Prefeitura de Curitiba) O letramento matemático, conforme 
consta na BNCC, é a capacidade individual de formular, empregar e interpretar a Matemática 
numa variedade de contextos, incluindo o raciocínio matemático, e utilizar conceitos, 
procedimentos, fatos e ferramentas matemáticas para descrever, explicar e predizer 
fenômenos. Para tanto, a identificação de códigos escritos, signos, placas de trânsito e 
sinalizações de supermercados são tarefas que começam na Educação Infantil e devem 
continuar no Ensino Fundamental em relação ao processo de letramento, cujas brincadeiras 
e jogos são vistos como mediações relativas a práticas sociais de atribuição de significados. 
Assinale a alternativa que corresponde ao letramento matemático em contexto de jogo. 
 a) Durante um jogo, que exige registro de pontos de três jogadores em uma mesma 
tabela, perguntou-se como eles descobriram o vencedor. Alguns alunos produziram sentenças 
matemáticas para explicar os processos mentais utilizados para definir o vencedor, registrando 
sinais convencionais, marcas pessoais e frases. 
b) A professora propõe um jogo, utilizando uma ficha com desenho de duas galinhas 
e seus respectivos ovos. Em duplas, os alunos marcam, conforme demonstrado pela 
professora, a quantidade de ovos que sua galinha botou. 
c) A marcação do calendário constitui uma imagem visual, como um suporte externo, 
que auxilia na reflexão, pois a marcação de datas auxilia a compreensão da noção de tempo e 
da pontuação em jogos. 
d) O docente demonstra uma atividade a ser realizada pelos alunos, em que devem 
separar determinada quantidade de palitos dentro de um envelope. A maioria dos alunos não 
conseguiu a mesma quantidade de palitos. 
e) Em sala de aula, realizou-se a brincadeira da Feira do Produtor. Os alunos foram 
organizados em grupos de vendedores e compradores dos produtos da feira. Os alunos 
perceberam, com essa brincadeira, que a Matemática está presente em seu cotidiano, sendo 
também possível estimar suas capacidades de socialização e percepção do meio. 
 
4) Mabel Panizza, em Ensinar matemática na educação infantil e nas séries iniciais: 
análise e propostas, mostra que, a uma longa tradição escolar que propunha aos alunos 
grandes quantidades de contas, seguiu-se uma nova corrente baseada na resolução de 
problemas. A autora traz o seguinte problema de adição: “Nesta caixa tenho 3 bolinhas e 
nesta outra, 42. Quantas bolinhas tenho ao todo? ”. Para resolvêlo, trata-se de encontrar a 
operação numérica adequada e calcular a soma. Conforme a autora, quando a professora 
intervém na escolha da operação adequada, respondendo afirmativamente a pergunta tão 
conhecida: “O sinal é de mais? ”, pode-se dizer que 
a) o cálculo da soma põe em prática, por si só, o conhecimento do aspecto cardinal 
do número. 
b) as crianças resolvem a conta, mas não o problema. 
 c) ela supre uma falha do problema, que deveria ter sugerido a operação a ser 
usada. 
d) isso auxilia as crianças em seu desenvolvimento matemático. 
 e) ela está ensinando o valor posicional dos números. 
 
5) Na Educação Infantil, as aprendizagens e o desenvolvimento das crianças têm 
como eixos estruturantes as interações e a brincadeira, os direitos assegurados a eles são? 
a) Aprender, conviver, estudar, explorar, comunicar e se isolar. 
 b) Socializar, brincar, estudar, expressar, participar e aprender. 
 c) Conviver, brincar, socializar, estudar, expressar e se conhecer. 
d) Conviver, brincar, participar, explorar, expressar e se conhecer. 
e) Aprender, brincar, estudar, expressar e participar. 
 
 6) A Matemática não se resume à quantificação de fenômenos determinísticos e 
das técnicas de cálculo com os números e com as grandezas, pois também estuda 
 a) a dedução de propriedades e verificação das mesmas sem garantia. 
b) demonstrações opostas aos sistemas de axiomas e postulados. 
c) o papel heurístico das experimentações na aprendizagem. 
 d) a incerteza proveniente de fenômenos de caráter aleatório. 
e) a generalização de fórmulas matemáticas. 
 
7) A Matemática nos anos inicias do Ensino Fundamental, por meio da relação de 
seus conteúdos, prevê 
 a) que os alunos não sejam capazes de relacionar e associar as observações feitas do 
mundo em linguagem matemática. 
b) que os alunos consigam relacionar e associar as observações feitas do mundo em 
representações matemáticas, levantando hipóteses e chegando em respostas. 
c) que os alunos decorem fórmulas matemáticas para aplicarem quando existir um 
problema. 
d) sejam capazes apenas de interpretar e resolver problemas. 
e) que os alunos decorem a tabuada para que se seja possível a aprendizagem de 
outros conteúdos da matemática. 
 
8) A unidade temática da matemática, considerada “nova” (já era contemplada 
dentro de outros eixos) na BNCC em relação aos eixos dos PCNs é(são) 
a) números. 
b) probabilidade e estatística. 
 c) geometria. 
d) grandezas e medidas. 
e) álgebra. 
 
Unidade 5 
1-Considerando as modalidades de avaliação educacional, enumere: 
I. Avaliação somativa 
II. Avaliação formativa 
III. Avaliação diagnóstica 
 
( ) prática contínua que se realiza durante todo o processo de ensino 
aprendizagem. 
( ) procedimento de regulação permanente da aprendizagem realizado por aquele 
que aprende. 
 ( ) levantamento das capacidades dos estudantes em relação aos conteúdos a 
serem abordados. 
( ) busca investigar os conhecimentos adquiridos anteriormente pelo estudante. 
( ) visa detectar o nível de rendimento, verificando ao final de um período, o 
alcance dos objetivos previamente estabelecidos. A sequência correta é: 
a) I, I, I, II, III. 
 b) II, II, III, III, I. 
c) II, I, II, III, III. 
 d) II, I, III, I, III. 
e) II, II, I, I, III. 
 
2) A defesa por uma prática avaliativa emancipatória, que considera que o processo 
de aprendizagem não se encerra no momento da realização de uma prova e obtenção de 
uma nota, parece não ter ainda se efetivado no contexto das salas de aula. Para que de fato 
a avaliação da aprendizagem cumpra seu papel de forma significativa espera-se que 
a) haja um reforço da importância do processo avaliativo e da avaliação 
classificatória. 
b) as provas sejam os instrumentos de avaliação mais rígidos e refletidos por seus 
pares. 
 c) o ato de avaliar seja visto como possibilidade de perceber as fragilidades e 
avanços dos estudantes, mediando novas formas de apropriação do conhecimento. 
d) a escola abandone o uso de provas e testes como instrumentos de avaliação. 
e) os aspectos quantitativos sejam desconsiderados, extinguindo-se assim a nota e 
adotando-se o conceito. 
 
 
3) No contexto educacional, a avaliação é um instrumento permanente do trabalho 
docente e não se resume apenas a realização de provas e atribuição de notas (Libâneo). Uma 
prática avaliativa que vai além da mensuração é aquela em que 
 a) o professor utiliza os resultados obtidos para realizar uma apreciação qualitativa e 
estabelecer novas práticas de ensino. 
 b) não realiza provaescrita, realiza diferentes atividades para dar oportunidades ao 
aluno de forma aleatória. 
 c) desenvolve apenas atividades coletivas, avaliando o grupo e não o individual. 
 d) quantifica os dados para classificar os alunos e identificar os de melhor 
desempenho. 
 e) prioriza o ensino no processo educativo. 
 
4) Lee S. Shulman (1987), é um dos autores mais citados quando se trata do estudo 
dos saberes docentes. Em seus trabalhos de construção de um Repertório Básico dos 
Conhecimentos para o Ensino (Knowledge Base for Teaching) identificou as seguintes 
categorias do saber docente (Shulman, 1987): 
I. Conhecimento do Conteúdo Disciplinar (Content Knowledge) 
II. Conhecimento Curricular (currículo escolar da disciplina, os materiais 
instrucionais etc.) 
 III. Conhecimento Pedagógico Geral (princípios e estratégias de gestão da classe 
que transcendem o saber específico do conteúdo disciplinar) 
 IV. Conhecimento Pedagógico do Conteúdo (Pedagogical Content Knowledge: um 
amálgama entre pedagogia e conteúdo, constituindo a forma profissional docente de 
conhecer o conteúdo disciplinar) 
 V. Conhecimento das Características Cognitivas dos Alunos 
VI. Conhecimento do Contexto Educacional (o grupo de alunos como um todo, a 
comunidade escolar mais ampla, suas particularidades culturais etc.) 
VII. Conhecimento dos Objetivos Educacionais, seus Fundamentos Filosóficos, 80 
Históricos, Sociais etc. Embora Lee S. Shuman (1987) não tenha incluído os saberes 
específicos sobre avaliação da aprendizagem, em suas categorias do saber docente, 
verificamos que as categorias mais apropriadas para esse saber docente são: 
a) I, II e IV. 
 b) II, III e VI. 
c) I, VI e VII. 
d) IV, V e VI. 
e) II, III e VII. 
 
5) A avaliação deve ser entendida como processo que tem como propósito primeiro 
o acompanhamento contínuo do processo de ensino aprendizagem. Seu papel básico é 
contribuir para melhoria das decisões da prática educativa, por isso avaliase o processo 
vivido pelo aluno em interação com o professor e com os colegas para: 
I Valorizar primeiramente o produto final. 
 II Observar os resultados alcançados, consolidados ou em construção. 
 III Compreender os caminhos percorridos pelo aluno para chegar às aprendizagens 
demonstradas. 
 IV Saber prioritariamente se o(a) aluno(a) está em condições de passar de ano ou 
progredir para próxima série. 
V Aprender o que ele ainda não sabe a fim de definir as prioridades da intervenção 
pedagógica feita pelo professor ou professora. Assinale a alternativa correta. 
(A) somente a I, II e III. 
(B) somente I, III e V. 
 (C) somente III, IV e V. 
(D) somente II, III e V. 
 (E) somente I, III e IV 
 
6) “Em Educação, a avaliação ocorre em vários níveis: do processo ensino- 81 
aprendizagem, do currículo, do professor, da metodologia adotada, do funcionamento da 
instituição como um todo. A Avaliação da aprendizagem, de acordo com Gardner, deve ser 
ecologicamente válida, ou seja, deve ser realizada em ambientes habituais, com a utilização 
de materiais já conhecidos por quem está sendo avaliado." (RODRIGUES, 2016). Assinale a 
alternativa correta acerca dos Tipos de Avaliação da Aprendizagem. 
a) A Avaliação Diagnóstica visa verificar os conhecimentos adquiridos e é aplicada 
durante a ação educacional; a Avaliação Formativa tem a função de acompanhar o processo de 
aprendizagem do aluno, fazendo ajustes sempre que necessário e é aplicada durante a ação 
educacional; a Avaliação Somativa busca verificar e/ou classificar, tem por finalidade verificar 
se os resultados de aprendizagem esperados foram atingidos e classificar os aprendizes por 
níveis de aproveitamento quando necessário e é aplicada ao final da ação educacional. 
 b) A Avaliação Diagnóstica visa verificar os conhecimentos prévios e é aplicada antes 
da ação educacional; a Avaliação Formativa tem a função de acompanhar o processo de 
aprendizagem do aluno, fazendo ajustes sempre que necessário e é aplicada durante a ação 
educacional. A Avaliação Somativa busca verificar e/ou classificar, tem por finalidade verificar 
se os resultados de aprendizagem esperados foram atingidos e classificar os aprendizes por 
níveis de aproveitamento, quando necessário, e é aplicada ao final da ação educacional. 
c) A Avaliação Final visa verificar os conhecimentos prévios e é aplicada antes da ação 
educacional; a Avaliação Formativa tem a função de acompanhar o processo de aprendizagem 
do aluno, fazendo ajustes sempre que necessário e é aplicada durante a ação educacional; a 
Avaliação Somativa busca verificar e/ou classificar, tem por finalidade verificar se os resultados 
de aprendizagem esperados foram atingidos e classificar os aprendizes por níveis de 
aproveitamento quando necessário e é aplicada durante ação educacional. 
d) A Avaliação Diagnóstica visa verificar os conhecimentos prévios e é aplicada antes 
da ação educacional; a Avaliação Formativa tem a função de acompanhar o processo de 
aprendizagem do aluno, fazendo ajustes sempre que necessário e é aplicada durante a ação 
educacional; a Avaliação Somativa busca verificar conhecimentos prévios, tem por finalidade 
verificar se os resultados de 82 aprendizagem esperados foram atingidos e é aplicada ao final 
da ação educacional. 
e) A Avaliação Formativa visa verificar os conhecimentos prévios e é aplicada antes 
da ação educacional; a Avaliação Diagnóstica tem a função de acompanhar o processo de 
aprendizagem do aluno, fazendo ajustes sempre que necessário e é aplicada durante a ação 
educacional; a Avaliação Somativa busca verificar conhecimentos prévios, tem por finalidade 
verificar se os resultados de aprendizagem esperados foram atingidos e é aplicada ao final da 
ação educacional. 
7) Com base no capítulo sobre avaliação e nas sugestões de leitura e 
aprofundamento sobre o tema, podemos fazer uma reflexão sobre a “aprendizagem da 
avaliação”, que se trata de um trocadilho proposto por Luckesi, 2012. Nesse sentido, que 
implicações o autor propõe para os professores em formação, no que diz respeito ao saber 
docente sobre avaliação da aprendizagem. 
a) Os professores não precisam aprender sobre avaliação da aprendizagem, durante 
sua formação inicial, uma vez que durante toda vida estudantil, são avaliados e por esse 
motivo já sabem como avaliar seus futuros alunos. 
b) Os saberes relevantes para a prática profissional docente vão além dos 
conhecimentos e habilidades considerados próprios da disciplina (que responderiam pela 
preparação a respeito do “o que ensinar”), e vão além, também, dos saberes pedagógicos, que 
supostamente responderiam pelo “como ensinar”. Nesse sentido, é relevante que as reflexes 
sobre a avaliação da aprendizagem sejam inseridas nos currículos de formação inicial de 
professores. 
c) O sistema educacional brasileiro apresenta formas justas e corretas de avaliar a 
aprendizagem dos estudantes. Podemos compreender essas questões ao verificar que a 
avaliação é diferente para estudantes diferentes. Dessa forma não há distinção entre os 
estudantes. Esse fato torna a avaliação igualitária, não dando privilégios para uns em 
detrimento de outros. 
 d) A aprendizagem da avaliação ocorre sempre que o estudante está sendo avaliado. 
Nesse momento é que verdadeiramente pode-se pensar sobre questões referente as suas 
futuras práticas docentes. 
e) Todas as afirmativas estão corretas, de acordo com o que foi exposto no capítulo 
sobre avaliação da aprendizagem. 
 
8) A seguir, está uma transcrição de parte de um texto do Sociólogo francês Pierre 
Bourdiau e uma charge que constam no capítulo sobre avaliação da aprendizagem. Ao 
observar as duas postagens, podemos seguramente afirmar que Para que sejam favorecidos 
os mais favorecidos e desfavorecidos os mais desfavorecidos, é necessário e suficiente que a 
escolar ignore, no âmbito dos conteúdos do ensino que transmite, dos métodos e técnicas 
de transmissão e dos critérios de avaliação, as desigualdades culturaisentre as crianças das 
diferentes classes sociais. (Pierre Bordieau). 
I. As propostas são totalmente contraditórias. 
II. As propostas são complementares. 
III. Não há relação entre as propostas. 
IV. São propostas semelhantes, porém representadas de formas distintas. Após 
análise das propostas e das opções acima, marque a opção correta. 
 a) Apenas a opção I é verdadeira. 
b) Apenas a opção II é verdadeira. 
c) Apenas a opção III está correta. 
d) Apenas a opção IV é verdadeira. 
e) Apenas as opções I e II são verdadeiras. 
Unidade 6 
1-(FGV - 2016 - SME – SP) O livro didático é peça importante no processo de 
aprendizagem e, por isso mesmo, sua seleção e adoção devem ser cuidadosamente 
realizadas. Sobre os parâmetros significativos para a seleção do livro didático, analise as 
afirmativas a seguir. 
I Não deve propiciar situações textuais de preconceitos discriminatórios. 
II Deve ser coerente do ponto de vista teórico com as matérias apresentadas. 
III Deve mostrar caminhos metodológicos comprovadamente eficazes. Está correto 
o que se afirma em 
a) II, apenas. 
b) I e II, apenas. 
 c) I e III, apenas. 
d) II e III, apenas. 
e) I, II e III. 
 
2) Com relação às características do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), 
assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a falsa. 
(). Verifica a qualidade e os processos de escolha, aquisição e distribuição dos livros 
didáticos adquiridos 
 (). Utiliza o Censo Escolar para a aquisição dos livros a serem distribuídos. 
 (). Estabelece, para a avaliação dos livros, o seguinte critério: aprovação, 
aprovação condicionada à correção de falhas pontuais e reprovação. As afirmativas são, 
respectivamente, 
 a) F, V e F. 
b) V, V e V. 
c) V, V e F. 
d) F, V e V. 
 e) F, F e F. 
 
3-Com relação a escolha dos livros didáticos 
 
a) para o PNLD, a equipe pedagógica de cada instituição tem autonomia de escolha 
do material didático que deseja trabalhar, portanto conhecer e decidir os critérios para que as 
obras estejam de acordo com a proposta pedagógica que se trabalha é fundamental. 
b) não é necessário conhecer o Programa Nacional do livro didático. 
c) aspectos importantes, como a localidade onde a instituição está inserida, não 
devem ser considerados na hora de escolher o livro didático que será usado em sala de aula. 
 d) não é necessário "possibilitar o desenvolvimento de dez competências gerais da 
BNCC". 
e) o professor pode optar por qualquer título que desejar. 
 
 4) As afirmativas abaixo são sobre as contribuições do uso do livro paradidático 
pode oferecer ao ensino de matemática. 
 (X). Abordar assuntos de uma maneira diferenciada. 
(X). O estudante pode determinar o ritmo de sua aprendizagem, de forma 
autônoma, já que tem um papel ativo na construção do seu conhecimento. 
(X). Os objetivos de autores de livros paradidáticos, é mostrar que a Matemática 
pode ser ensinada por meio da capacidade imaginativa e criativa ao contar histórias. 
(X). Apenas de resolução de exercícios extras para a fixação dos conteúdos. 
(X). É um material que complementa o desenvolvimento de habilidades previstas 
no ensino da Matemática. As afirmativas são, respectivamente: 
a) V-V-V-F-V 
 b) V-V-F-F-V 
c) V-F-V-F-V 
d) F-V-V-F-V 
e) V-V-V-F-V 
 
5) (Pedagogia - Prefeitura de Piedade SP - CETRO – 2006) Define-se como material– 
didático 
 a) todos os recursos que auxiliam uma aprendizagem eficiente.] 
b) todas as dependências da instituição escolar. 
 c) todo e só o material existente na sala de aula. 
d) todos os elementos do livro didático. 
e) todos os recursos inseridos na vida do educando. 
 
6) Sobre as diferenças entre livros didáticos e paradidáticos é correto afirmar: 
a) O livro didático traz a organização curricular e os conteúdos que serão abordados e 
os paradidáticos a mesma coisa. 
b) O livro didático traz a organização curricular e os conteúdos que serão abordados 
e os paradidáticos apenas livros de literatura. 
c) O livro didático traz apenas exercícios de fixação do conteúdo e os paradidáticos 
conteúdos para enriquecer, aprofundar ou especializar os que estão abordados ou não nos 
livros didáticos. 
 d) O livro didático traz a organização curricular e os conteúdos que serão abordados 
e os paradidáticos conteúdos para enriquecer, aprofundar ou especializar os que estão 
abordados ou não nos livros didáticos. 
e) O livro didático traz apenas aprofundamento do conteúdo e os paradidáticos 
atividades extras. 
 
7) O PNLD é o mais antigo dos programas voltados à distribuição de obras didáticas 
aos estudantes da rede pública de ensino brasileira. Iniciou-se em 1929, apesar de ter outro 
nome à época. Ao longo desses 86 anos, o programa foi aperfeiçoado, teve diferentes nomes 
e formas de execução. O que significa a sigla PNLD? 
a) Plano Nacional de Livre Docência. 
b) Programa Nacional do Livro Didático. 
c) Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. 
d) Programa Nacional de livros de Ensino. 
e) Programa Nacional de Educação para Todos. 
 
8) Sobre o PNLD, a quem se destina? 
 
 a) As ações do PNLD destinam-se aos alunos e professores das escolas públicas de 
educação básica, como também de instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas 
sem fins lucrativos e conveniadas com o Poder Público. 
b) As ações do PNLD destinam-se exclusivamente alunos das escolas públicas de 
educação básica, como também de instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas 
sem fins lucrativos e conveniadas com o Poder Público. 
 c) As ações do PNLD destinam-se exclusivamente professores das escolas públicas de 
educação básica, como também de instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas 
sem fins lucrativos e conveniadas com o Poder Público. 
d) As ações do PNLD destinam-se aos alunos e professores das escolas públicas de 
educação superior, como também de instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas 
sem fins lucrativos e conveniadas com o Poder Público. 
e) As ações do PNLD destinam-se aos alunos e professores das escolas privadas de 
educação básica.

Materiais relacionados

Perguntas relacionadas

Materiais recentes

Perguntas Recentes