A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
167 pág.
Ensinando Permacultura e-book 18mar2020

Pré-visualização | Página 20 de 31

e sementes
Farinha(semente), 
salada, refogado e 
suco (folhas)
Bardana Arctium lappa 168 Raízes
Frita, salteada, 
doce
Beldroega Portulaca 
oleracea
620 Folhas e ramos Salada, bolinho, omelete, refogado
Bertalha 
indiana e 
Bertalha 
brasileira
Basella alba 
e Anredera 
cordifolia
226
Folhas e frutos 
(corantes) e folhas 
e bulbilhos aéreos 
branqueados ou 
refogados
Crua (Basella 
alba) e refogada 
(Anredera 
cordifolia)
Capuchinha Tropaeolum 
majus
688 Folhas, flores e frutos
Conserva 
(frutos), salada e 
charutinho (folhas 
e flores)
Caruru Amaranthus 
deflexus
50 Folhas e sementes Bolinho, refogado e suflê
Malvavisco Malvaviscus 
arboreus
484 Folhas e flores
Geleia e salada 
(flores), refogada 
(folhas)
Ora-pro-nóbis 
folha miúda e 
Ora-pro-nóbis 
folha grande
Pereskia 
aculeata e 
Pereskia 
gradifolia
272
Folhas, flores e frutos 
para a folha miúda e 
folhas branqueadas ou 
refogadas para espécie 
de folha grande 
Salada, pão e 
geleia
|| 106 ||
Picão-branco Galinsoga 
parviflora
186 Folhas, ramos e flores
Tempero, salada, 
farofa, refogado e 
pizza
Picão-preto Bidens pilosa 174
Folhas, ramos e flores Chá, risoto e 
refogado
Serralha Sonchus 
oleraceus
208
Folhas e ramos Salada, arroz e 
polenta
Taioba Xanthosoma 
taioba
118
Folhas, talos e rizomas 
(todos cozidos, não crus)
Refogado, rizoma 
cozido, frito ou 
purê (essa é uma 
com que se deve 
ter cuidado por 
causa do excesso 
de ácido oxálico 
que pode fechar a 
garganta)
Tanchagem
Plantago 
australis/
major
602 Folhas e sementes
Bolinho, pão e 
refogado (folhas) 
Psyllium (tipo 
chia, gergelim) – 
semente
PaSSeio em horta agroecológica (45 minutoS)
Antes de sair para o passeio, perguntar: – Quem é do meio rural ou 
conviveu nele? Quais experiências teve lá ou do que sente falta?
O passeio visa apresentar um espaço urbano de cultivo de alimentos. 
Esse espaço está vinculado a um projeto de agricultura urbana dentro da 
UFSC, chamado Horta Orgânica do Centro de Ciências Agrárias (HOCCA). 
Nele, primeiramente, um antigo campo de futebol foi convertido em local de 
cultivos com algumas espécies de rápido crescimento e biomassa (banana, 
capins, feijão-guandu, batata-doce e capuchinha). Depois, essa área passou a 
receber canteiros para produzir hortaliças que vão direto para o restaurante 
universitário. A agricultura urbana dentro do CCA surgiu da demanda de 
produzir alimentos localmente, ocupar áreas ociosas e gerar um impacto 
local com a oferta de oficinas e cursos para a comunidade interna e externa 
à UFSC. Em 2019, o projeto conta com três áreas, uma definida como Zona 1, 
no entorno de um laboratório, onde foram construídos canteiros elevados 
(hugelkultur) no antigo gramado e plantadas hortaliças em caixas de feira 
forradas, transformadas em grandes vasos. Outra área, definida como Zona 2, 
compreende uma horta-mandala com galinheiro móvel e, na terceira, definida 
|| 107 ||
como Zona 4, há um sistema agroflorestal (SAF) com frutíferas de rápido 
crescimento, espécies adubadeiras e, mais recentemente, um SAF sintrópico 
orientado pelo agricultor e permacultor Reinaldo de Souza.
Passeio em um espaço urbano de cultivo de alimentos com inúmeros 
exemplos da biodiversidade vegetal
Foto: Marcelo Venturi.
Iniciar a caminhada e, durante o passeio, estimular os participantes 
a observar as plantas e as construções das hortas, identificando elementos 
conhecidos ou que chamam a atenção, compartilhando dúvidas e 
impressões com os colegas e instrutores.
|| 108 ||
Exercício para mostrar biodiversidade de plantas em 1 m2
Foto: Jefferson Mota.
Salientar que em um pequeno espaço existem muitas plantas que 
podem ser comestíveis. Nesse caso, fazemos um breve exercício mostrando 
isso em um quadrado de 1 m² de área. Para tal, defina uma área com 
estacas, trenas ou barbante. Junte todos os participantes ao redor dessa 
área e apresente as PANCs que ali ocorrem e que normalmente passam 
desapercebidas pela maioria das pessoas.
|| 109 ||
lanche comunitário (20 minutoS)
Escolha receitas de sua preferência, nova ou conhecida, sempre 
incluindo alguma PANC para despertar os sentidos e conversas relacionadas. 
Mais sugestões na seção “Conteúdo complementar” a seguir.
atividade no ead
Peça aos participantes que reconheçam e fotografem, em sua área 
de planejamento, três plantas alimentícias não convencionais e apresentem 
para cada uma delas suas propriedades nutritivas e/ou medicinais, modo de 
cultivo e ao menos uma opção de modo de consumo. Peça-lhes que enviem 
o texto e as fotografias e que referenciem possíveis fontes de pesquisa.
Conteúdo complementar
Vídeos
• Assista à playlist “PDC – Permacultura urbana e PANC” no canal do 
NEPerma/UFSC, no YouTube.
Leitura
• “Come-se”, blog da nutricionista Neide Rigo que fala sobre as PANCs. 
• “Que peixe é este?”, livro sobre peixes não convencionais. 
• “Hortaliças não-convencionais”. Cartilha sobre hortaliças não 
convencionais.
• “Plantas alimentícias não-convencionais (PANCs): hortaliças es- 
pontâneas e nativas”, cartilha sobre hortaliças não convencionais.
• “Guia prático de PANC: plantas alimentícias não convencionais”.
Aula
• Acesse o conteúdo da aula “Permacultura urbana e PANC”.
https://www.youtube.com/playlist?list=PLBkLTk0zlYHtdPXRFh1o_9LJUvi_hqntX
https://come-se.blogspot.com/
http://arquivos.ifsc.edu.br/comunicacao/que_peixe_e_este_livro_digital.pdf
http://www.abcsem.com.br/docs/cartilha_hortalicas.pdf
https://www.ufrgs.br/viveiroscomunitarios/wp-content/uploads/2015/11/Cartilha-15.11-online.pdf
https://www.ufrgs.br/viveiroscomunitarios/wp-content/uploads/2015/11/Cartilha-15.11-online.pdf
https://institutokairos.net/wp-content/uploads/2017/08/Cartilha-Guia-Prático-de-PANC-Plantas-Alimenticias-Nao-Convencionais.pdf
https://docs.google.com/presentation/d/e/2PACX-1vSPcZXX-wcftOLMeTO1RqPTE0uJJIHWfPmUioTf94C7U2Mhrmej9GuCMcYwLHuT6i7KA_KubNZcDiuN/pub?start=false&loop=false&delayms=60000
|| 110 ||
Referências usadas e sugeridas
BRACK, Paulo. Plantas alimentícias não convencionais. Agriculturas: experiências 
em agroecologia, v. 13, n. 2. Rio de Janeiro: AS-PTA – Agricultura Familiar e 
Agroecologia, 2016.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de 
Atenção Básica. Coordenação-Geral da Política Nacional de Alimentação e Nutrição. 
Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. 
2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.
CAPORAL, Francisco Roberto; COSTABEBER, José Antônio. Agroecologia: alguns 
conceitos e princípios. Brasília: MDA/SAF/DATER-IICA, 2004. 24 p.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (FAO). Interacção do género, da 
agrobiodiversidade e dos conhecimentos locais ao serviço da segurança alimentar. 
Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, 2005. Manual de 
formação.
KINUPP, V. F. Plantas alimentícias não-convencionais da região metropolitana de 
Porto Alegre, RS. Tese (Doutorado em Fitotecnia) – Programa de Pós-Graduação 
em Fitotecnia Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007. 
Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870. Acesso em: 5 jun. 
2019.
KINUPP, V. F.; BARROS, I. B. I. de. Teores de proteína e minerais de espécies 
nativas, potenciais hortaliças e frutas. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 28, n. 4, 
p. 846-857, 2008.
KINUPP, V. F.; LORENZI, H. Plantas alimentícias não convencionais (PANC) no 
Brasil. São Paulo: IPEF, 2014.
RAPOPORT, Eduardo; GOWDA, J. H. Acerca del origen de las Malezas: ensayos en 
homenaje a Gonzalo Halffter. Zaragoza: Sociedad Entomológica Aragonesa, 2007. v. 7.
RIBAS, Liz C. C. (org.). Que peixe é este?: o sabor da pesca artesanal na Ilha de Santa 
Catarina. Florianópolis: IFSC, 2016.
RIGO, Neide. Blog Come-se. Disponível em: https://come-se.blogspot.com.br/. 
Acesso em: 15 maio 2018.
http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870
https://come-se.blogspot.com.br/
|| 111 ||
Plantas medicinais: história e usos
Importância na ecologia cultivada
Os primeiros usos de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.