A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
ATLS (ABCDE)

Pré-visualização | Página 3 de 3

pode significar ar na cavidade (rompimento de víscera 
oca); se houver dor pode haver lesão grave; defesa involuntária é sinal de irritação peritoneal. 
PALPAÇÃO: procurar por dor (FAST ou LPD); dor na descompressão rápida: sinal de irritação peritoneal (sangue, bile, 
conteúdo intestinal, pus). 
3. FAST (focused assessment with sonography for trauma – “ultrassom do abdome”): se houver dor, edema, 
equimose; para identificar líquido livre; focos: hipocôndrio esquerdo (espaço esplenorrenal, espaço subfrênico 
esquerdo, goteira parietocólica esquerda), subxifoide, pelve, hipocôndrio esquerdo (goteira perietocólica direita, 
espaço hepatorrenal e espaço subfrênico direito). Se houver líquido livre: laparotomia. 
4. LPD: sonda infra-umbilical, se não aspirar mais de 10mL de sangue ou líquido, colocar 1L de soro, “mexer” o 
paciente para misturar e aspirar novamente. Se houver 100.000 hemácias, 500 leucócitos ou presença de 
bactérias: laparotomia. 
A ADM em excesso de fluidos pode exacerbar a 
tríade letal: coagulopatia, acidose, hipotermia. 
 Com ativação da cascata de sinalização. 
 
8 Felipe Antônio Dal'Agnol 
 Tomografia só se o paciente estiver hemodinamicamente estável. 
TRAUMA ABDOMINAL: 
 Fechado - "contusão pulmonar": 
o Compressão, esmagamento de vísceras abdominais e da pelve; 
o Desaceleração: estruturas fixas e não fixas sofrem movimento em sentidos opostos; 
o Órgãos mais afetados: baço 40-55%, fígado 35-45%, diafragma 20%, cólon 15%, intestino delgado 5-10%. 
 Aberto/penetrante - "ferida abdominal": 
o Arma branca: fígado 40%, intestino delgado 30%, diafragma 20%, cólon 15%. 
o Arma de fogo: intestino delgado 50%, cólon 40%, fígado 30%, estruturas vasculares 25%. 
 
5. EXAME DA PELVE: palpação da crista ilíaca ântero-superior: estável (não abre); instável (fratura – ninguém mais 
examina): fazer fixação externa com balancim ou lençol para parar passível sangramento interno e imobilizar 
(FAST). 
 
6. EXAME DO PERÍNEO: 
INPEÇÃO: hematomas, equimoses no escroto/períneo/vulva: pode tentar passar a Sonda Vesical uma vez; sangue no 
meato uretral: NÃO passar a Sonda Vesical. 
TOQUE RETAL: sangue na luva, próstata deslocada cranialmente ou não palpável (homens): NÃO passar a Sonda 
Vesical; sem tônus esfincteriano: pode haver trauma raquimedular; fratura de Reto. 
TOQUE VAGINAL: apenas se houver suspeita de lesão. 
7. Se não houver contraindicação, passar a Sonda Vesical (de Folley) para descomprimir a bexiga e controlar a 
perfusão renal. 
Antes: XILOCAÍNA 10-15mL (anestésico); 
Após a passagem da sonda, inflar o balonete; 
Normal: 
 0,5 mL/Kg/h adulto; 
 1 mL/Kg/h crianças 1-12 anos; 
 2 ml/Kg/h crianças < 1 ano. 
NO POLITRAUMA, TODO CHOQUE É HIPOVOLÊMICO ATÉ QUE SE PROVE O CONTRÁRIO. 
8. Se houver contraindicação para passagem de Sonda Vesical, fazer Sondagem Suprapúbica. 
9. Sondagem nasogástrica com sonda de Levine: para descomprimir o estômago e evitar aspiração do conteúdo 
gástrico. 
 Sempre ver se a sonda está aberta; 
 Se houver sinais de fratura de base de crânio: NÃO passar a sonda; 
 Pode ser feita no C ou no D após avaliação neurológica. 
 Orogástrica: fazer com paciente sedado ou inconsciente, mesmo estando intubado. 
Exame duvidoso do abdome: FAST. Se houver certeza, ou o FAST for +: laparotomia. 
10. Se houver fratura: alinhar, colocar tala e comprimir para parar o sangramento. 
 
 
D (DISABILITY) 
1. Classificar: AVDI (Atento; responde a estímulos 
Inconsciente). 
2. Avaliar a sensibilidade ascendentemente (com uma agulha) e, 
3. Pupilas: reflexo fotorreceptor das pupilas 
a. Isocoria: pupilas simétricas
b. Anesocoria: pupilas assimétricas.
4. Procurar por fraturas de base de crânio (olhos de guaxinim 
hematoma retroauricular; sangue ou líquor saindo dos ouvidos ou do nariz
rinorreia, otorreia, fístula liquótica [gaze]
a. NÃO podem receber sonda nasogástrica.
5. Procurar sinais de laterização; 
6. Palpar calota craniana. 
 
 Resposta das pupilas: se estiverem contraídas haverá lesão no SNAP, uma vez a na midríase é o 
SNAS que está atuando. 
 
 
7. E se diminuir o nível de consciência:
 Reavaliar: oxigenação/perfusão (via aérea / hemorragia);
8. Inspeção e palpação da base de crânio.
E (EXPOSURE) 
EXPOSIÇÃO + CONTROLE DA HIPOTERMIA
1. Despir o paciente cortando suas roupas longitudinalmente;
2. Se houver substância química na pele, lavar com água e sabão;
3. Controlar temperatura (ar condicionado, cobertor, infusão de líquidos aquecidos);
4. Rolamento em bloco: 
a. Palpar coluna vertebral, procurar por fraturas, lesões, ferimentos penetrantes, procurar por crepitações;
b. Cuidar para não mexer o colar cervical;
c. Não rolar para o lado da lesão/
5. Tirar a prancha rígida. 
 
responde a estímulos Verbais; responde a estímulos 
Avaliar a sensibilidade ascendentemente (com uma agulha) e, quando chegar na cabeça, Glasgow;
Pupilas: reflexo fotorreceptor das pupilas – midríase e miose; 
étricas; 
Anesocoria: pupilas assimétricas. 
e de crânio (olhos de guaxinim - hematoma pe
hematoma retroauricular; sangue ou líquor saindo dos ouvidos ou do nariz
rinorreia, otorreia, fístula liquótica [gaze]). 
NÃO podem receber sonda nasogástrica. 
pilas: se estiverem contraídas haverá lesão no SNAP, uma vez a na midríase é o 
 
E se diminuir o nível de consciência: 
xigenação/perfusão (via aérea / hemorragia); trauma direto; hipoglicemia, álcool, drogas.
palpação da base de crânio. 
EXPOSIÇÃO + CONTROLE DA HIPOTERMIA 
 
Despir o paciente cortando suas roupas longitudinalmente; 
Se houver substância química na pele, lavar com água e sabão; 
temperatura (ar condicionado, cobertor, infusão de líquidos aquecidos); 
Palpar coluna vertebral, procurar por fraturas, lesões, ferimentos penetrantes, procurar por crepitações;
Cuidar para não mexer o colar cervical; 
lado da lesão/do dreno; 
9 Felipe Antônio Dal'Agnol 
responde a estímulos Dolorosos; 
quando chegar na cabeça, Glasgow; 
hematoma periorbital; sinal de Battle - 
hematoma retroauricular; sangue ou líquor saindo dos ouvidos ou do nariz, epistaxe, otorragia, 
pilas: se estiverem contraídas haverá lesão no SNAP, uma vez a na midríase é o 
 
ipoglicemia, álcool, drogas. 
Palpar coluna vertebral, procurar por fraturas, lesões, ferimentos penetrantes, procurar por crepitações;