A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Auxiliar Veterinario - Aula 1

Pré-visualização | Página 1 de 3

AUXILIAR 
VETERINÁRIO
História da Medicina Veterinária
AULA 1
Instituto Mix
Gabriela Henckes Weber
2
História da Medicina Veterinária
• Os primeiros relatos da medicina veterinária encontram-se relacionados
com a domesticação animal
• EGITO, 1980 a.C: Primeiros achados escritos sobre a arte de cura de
animais encontrados no Papiro de Kahoun.
• CÓDIGO DE ESHN UNNA (1900 a.C) e de HAMMURABI (1700 a.C): códigos
antigos, originários da Babilônia, capital da Mesopotâmia fazem referência
às responsabilidades e remuneração dos médicos dos animais.
• Na Europa, antes da criação das principais escolas de Medicina Veterinária,
aqueles que exerciam a profissão eram chamados de “Marechais
Ferradores”. Já na Alemanha eram chamados de “Rossartz” e na Inglaterra
de “Ferreis”.
História da Medicina Veterinária
História da Medicina Veterinária
• “Se o Médico de Animais curou uma ferida grave de um boi ou asno,
o proprietário lhe dará como pagamento 1/6 de siclo”
• “Se o Médico de Animais tratou um boi ou asno duma ferida grave e
causou-lhe a morte, ele dará 1/4 de seu valor ao proprietário. ”
Código de Hamurabi
Primeira Escola
• O interesse do cavaleiro e advogado Claude
Bourgelat na anatomia e patologia dos equinos fez
com que ele criasse a primeira escola de medicina
em Lyon, na França a partir do Édito Real, assinado
pelo Rei Luiz XV, em 04 de agosto de 1761.
• Os primeiros 18 estudantes, iniciados em 1762
tinham 80% das suas aulas práticas, já que, ao
contrário do ensino universitário da época, o
ensino veterinário era voltado para a reflexão e
observação, a habilidade manual e a memória
visual.
Claude Bourgelat
• Em 1777, Claude Bourgelat idealiza e redige os “Réglements Pour Les
Écoles Vétérinaires de France”, já que para ele, a boa moral dos alunos
representava uma prioridades, pois desejava formar homens íntegros
e cultos.
• Claude faleceu em Paris, dia 03 de janeiro de 1779, aos 67 anos de
idade.
• É considerado então o pai da Medicina Veterinária científica e
Patrono da Medicina veterinária Mundial.
Brasil
• Inicialmente foram fundadas as Faculdades de
Medicina (1815), Direito (1827) e Engenharia
Politécnica (1874).
• Em 1895, D. Pedro II viajou para a França e
visitou a Escola de Veterinária de Alfort.
• Ao regressar para o Brasil, D. Pedro II tentou
propiciar condições para criar uma escola de
veterinária, mas falhou.
• Apenas no início do século XX, sob o regime
Republicano, as autoridades decretaram a
criação das duas primeiras instituições de
ensino da Veterinária no Brasil.
Brasil
• Escola de Veterinária do Exército - Decreto nº 2.232 de 06/01/1910. 
Iniciada em 17 de junho de 1914.
• Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária, hoje 
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - Decreto nº 8.919 de 
20/10/1910. Iniciada em 04 de junho de 1914.
Ambas no Rio de Janeiro
• 13/11/1915: Colação de grau de Dionysio Meilli, primeiro Médico 
Veterinário formado e diplomado no Brasil.
• Nair Eugenia Lobo foi a primeira mulher diplomada médica 
veterinária no Brasil (turma de 1929).
Campos de Atuação
PRODUÇÃO ANIMAL X MEDICINA VETERINÁRIA
• Alimentação: análise de alimentos, frigoríficos, matadouros,
supermercados, fábrica de ração...
• Ambiental: vigilância ambiental, apicultura, piscicultura,
preservação de animais selvagens, perícia...
• Bem estar animal
• Clínica e cirurgia: clínica e cirurgia de pequenos, médios ou
grandes animais, obstetrícia, laboratório diagnóstico.
• Educação
• Esporte: todas as competições com a presença de animais.
• Medicina preventiva: identificação e prevenção de doenças,
controle de doenças, vacinas, controle de produtos veterinários.
• Pesquisa - extensão
• Produção animal
• Saúde pública: inspeção sanitária
AUXILIAR 
VETERINÁRIO
A profissão de auxiliar veterinário
AULA 1
Instituto Mix
Gabriela Henckes Weber
O auxiliar veterinário
• Mercado pet vem crescendo muito ultimamente e junto com ele, a
falta de profissionais qualificados.
• Auxiliar veterinário enquadra-se neste mercado, podendo ajudar em
todas as repartições – petshops, consultórios, clínicas, hospitais e até
zoológicos e fazendas.
• É um profissional que atua diretamente no apoio em todas as
demandas médicas atendidas pelo Médico Veterinário
• Vagas de empregos para atuar nessa área exigem amplo
conhecimento sobre a rotina hospitalar.
Atividades exercidas na rotina clínica
• Conforme a Resolução nº 1260, de 28 de fevereiro de 2019, as
atividades que podem ser realizadas por auxiliares veterinários são:
• I - realizar procedimentos de cuidados gerais com o animal que não estejam incluídos
entre as atividades de competência privativa do médico-veterinário;
• II - registrar procedimentos especiais, tais como dieta especial, jejum pré-cirúrgico, e
outros previamente estabelecidos pelo médico-veterinário;
• III - verificar a temperatura, a pressão arterial e outros sinais vitais dos animais;
• IV - observar e relatar as condições físicas, atitudes e comportamentos;
• V – auxiliar na coleta de material para exames clínicos;
• VI - ministrar medicamentos prescritos pelo médico-veterinário responsável quando
capacitados e autorizados, fazendo constar assinatura, data e hora no prontuário
veterinário;
Atividades exercidas na rotina clínica
• Conforme a Resolução nº 1260, de 28 de fevereiro de 2019, as atividades
que podem ser realizadas por auxiliares veterinários são:
• VII - fazer curativos, quando prescritos pelo médico-veterinário;
• VIII - alimentar e realizar atividades físicas com o animal, de acordo com o comportamento
natural da espécie, e sob a orientação do médico-veterinário, observando-se a situação
individual de saúde de cada paciente.
• IX - higienizar o local de estada dos animais;
• X - auxiliar nos primeiros socorros, desde que capacitado e sob a orientação do médico
veterinário;
• XI - preparar animais e materiais para procedimentos médico-veterinários;
• XII - pesar o animal;
• XIII - realizar a contenção física do animal, segundo métodos de ética e tecnicamente
adequados para a espécie, porte e condição física do animal;
• XIV - auxiliar nos procedimentos de acesso intravenoso, desde que não implique na
execução da diérese e outro ato de competência privativa do médico-veterinário;
• XV - realizar tricotomia;
Atividades exercidas na rotina clínica
• Conforme a Resolução nº 1260, de 28 de fevereiro de 2019, as atividades que podem ser
realizadas por auxiliares veterinários são:
• XVI - selecionar caixa cirúrgica e preparar material para cirurgia;
• XVII - auxiliar no procedimento de intubação do animal;
• XVIII - posicionar o animal na mesa;
• XIX - fazer assepsia do animal;
• XX - transportar o animal dentro do estabelecimento;
• XXI – recolher os instrumentos utilizados;
• XXII - separar material descartável;
• XXIII - separar e embalar resíduos físicos, químicos e biológicos para descarte;
• XXIV – lavar, higienizar, desinfetar e esterilizar os instrumentos;
• XXV - montar a caixa cirúrgica;
• XXVI - dobrar panos, aventais e uniformes;
• XXVII - esterilizar materiais, instrumentos e ambiente;
• XXVIII - manter-se em condições de higiene pessoal recomendado pelas boas normas de conduta;
• XXIX - transportar e/ou conduzir o animal para atendimento;
• XXX - obter informações preliminares junto aos cuidadores/proprietários quanto ao motivo da
consulta;
Atividades exercidas na rotina clínica
• Conforme a Resolução nº 1260, de 28 de fevereiro de 2019, as atividades que
podem ser realizadas por auxiliares veterinários são:
• XXXI – orientar sobre cuidados gerais de higiene conforme a prescrição e orientação do médico-
veterinário;
• XXXII - colaborar na administração e organização do ambiente de trabalho
• XXXIII - manter a limpeza do ambiente de trabalho;
• XXXIV - preencher o cadastro do animal;
• XXXV - conferir dados do animal (ficha de identificação);
• XXXVI - controlar estoques;
• XXXVII - solicitar material;
• XXXVIII - repor medicamentos e material;
• XXXIX - identificar e embalar cadáver,