Livro unico Processos Logísticos
260 pág.

Livro unico Processos Logísticos


DisciplinaLogística32.042 materiais123.103 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Ferramenta Funcionalidade Pesquise Mais!
WMS (Warehouse 
Management System)
Sistema de Gerenciamento de Armazém, 
o conceito básico destes tipos de sistema 
é realizar o controle do estoque como 
um todo, entradas e saídas de itens, 
controle do FIFO (First In, First Out \u2013 
Primeiro que entra, primeiro que sai), 
endereçamento dos itens estocados, 
para facilitar nas operações de coleta 
dos mesmos. Este modelo de sistema 
evolui juntamente com o crescimento e 
a expansão das cadeias de suprimentos, 
já que com o aumento das vendas e dos 
relacionamentos entre as organizações, 
consequentemente ocorreu um aumento 
considerável no número de operações 
a serem realizadas, a implantação de 
centros de distribuição, aumento do mix 
de produtos, exigência de agilidade nos 
fluxos etc.
WMS \u2013 Warehouse Management 
System: adaptação proposta para o 
gerenciamento da logística reversa. 
Disponível em: <http://www.scielo.br/
pdf/prod/v16n1/a11v16n1>. Acesso em: 
18 nov. 2016. 
TMS (Transportation 
Management System)
Sistema de gerenciamento de transporte, 
que acaba por ser utilizado como um 
sistema integrador de diversas atividades 
relacionadas com o transporte em si. 
Basicamente, eles realizam a integração 
entre os sistemas de gerenciamento 
de fretes, controle de pagamento, 
planejamento e roteirização, rrastreadores 
etc. Tudo o que diz respeito à área 
responsável pela distribuição e entrega 
dos produtos ao cliente, o que por sua 
vez, faz com que as operações nesta área 
sejam realizadas com maior eficiência, 
tendo pouca margem para erros.
Avaliação do TMS nas operações 
logísticas. Disponível em: <http://
www.aedb.br/seget/arquivos/
artigos15/32422298.pdf>. Acesso em: 
18 nov. 2016. 
U3 - Técnicas e métodos aplicados à logística 173
MES (Manufacturing 
Execution System)
Sistemas de gerenciamento da produção
Sistema de integração de chão de 
fábrica. Disponível em: <http://www.
abcm.org.br/app/webroot/anais/
cobef/2005/COF_161076574.pdf>. 
Acesso em: 18 nov. 2016. 
Fonte: elaborado pelo autor.
Reflita
No início da implantação dos sistemas de informações nas empresas, a 
utilização do computador era vista como uma \u201cvarinha mágica\u201d que iria 
resolver todos os seus problemas. O que obviamente ninguém pensou, 
foi que, se a empresa fosse desorganizada, as informações e os processos 
iriam simplesmente transformar-se em processos desorganizados 
tecnologicamente, provando que o fator humano ainda é indispensável.
Os softwares possibilitam o planejamento e a execução 
das operações logísticas, mas são necessárias ferramentas de 
comunicação (hardware), tais como código de barras e leitores a 
laser. Mas o que são estas ferramentas?
Em primeiro lugar, devemos entender que o código de barras 
é um método de armazenagem de informações, realizado por 
meio de barras (em uma mesma direção), que por determinados 
espaçamentos, larguras e amplitudes, conseguem, de maneira rápida 
e eficiente, armazenar e, posteriormente, por meio de um sistema 
de leitura, capturar as informações contidas nas barras e espaços e 
identificar fatores, como peso, preço, validade, volume, quantidade 
etc. Seu funcionamento é consideravelmente fácil de explicar: as 
barras por terem uma coloração mais escura, não refletem a luz, já 
os espaçamentos refletem a iluminação dos leitores, desta maneira, 
a codificação é realizada, com margem mínima de erro. A Figura 3.18 
mostra o modelo mais conhecido e utilizado (comercialmente) no país 
o EAN-13, disposto em uma lata de refrigerante, como encontramos 
em qualquer estabelecimento comercial.
Fonte: <https://pixabay.com/pt/caixa-dose-de-cola-cola-bebida-592368>. Acesso em: 18 nov. 2016.
Figura 3.18 | Código de barras em um produto
U3 - Técnicas e métodos aplicados à logística174
Quando você compra um produto em um supermercado, por 
exemplo, o operador do caixa passa o produto próximo a uma espécie 
de tela, que emite uma luz avermelhada, desta maneira, o código de 
barras irá executar a sua função, disponibilizar as informações contidas 
para o leitor. Nas empresas, normalmente esta leitura é realizada com 
equipamentos portáteis, para facilitar a operação, a exemplo da Figura 
3.19.
Fonte: <https://pixabay.com/pt/mecanismo-de-varredura-port%C3%A1teis-36385/>. Acesso em: 18 nov. 2016.
Figura 3.19 | Equipamento portátil para leitura do código de barras
A evolução da TI faz com que as próprias ferramentas e os sistemas 
também evoluam, o código de barras, apesar de ser ainda utilizado 
em larga escala pelo mundo afora, também não ficou protegido desta 
evolução, ou corrida tecnológica. O surgimento da Identificação via 
Rádio Frequência (RFID \u2013 Radio Frequency Identification) é um passo 
além da tecnologia dos códigos de barras, ela consiste na colocação de 
transponders (emissores), que, ao passar pelos receptores, transmitem 
as mais diversas informações que podem estar inseridas neles.
O exemplo mais prático de sua utilização atualmente está na 
tecnologia que algumas empresas utilizam para facilitar a passagem 
dos motoristas pelas praças de pedágio do país, nas quais eles não 
necessitam mais parar para pagar a taxa de serviço, mas apenas reduzir a 
velocidade, direcionar-se pela via já automatizada e seguir seu caminho. 
No fechamento da fatura mensal, as taxas de serviços que foram utilizadas 
(emitidas e recebidas pelo sistema) são enviadas aos proprietários. 
Este sistema trabalha com uma antena, um transmissor e um 
decodificador. Estes elementos interagem por meio de ondas 
eletromagnéticas, transformando-as em informações capazes de 
serem processadas por um computador. O principal benefício do uso 
de sistemas RFID é realizar a leitura sem o contato como no código 
de barras. Seria possível, por exemplo, alocar o transmissor dentro de 
um produto e realizar a leitura sem ter que desempacotá-lo, ou aplicá-lo 
em uma superfície que seria posteriormente coberta de tinta ou graxa 
(BEZERRA; MONTEIRO, 2003).
U3 - Técnicas e métodos aplicados à logística 175
Fonte: <http://www.roisoft.com.br/layout/roisite/img/rfid/tag-rfid.png>. Acesso em: 18 nov. 2016. 
Figura 3.20 | Modelo de tag (etiqueta)
Pesquise mais
Pesquise um pouco mais sobre o tema:
Leia o artigo a seguir: Gestão da Cadeia de suprimentos integrada à 
tecnologia da informação. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.
php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122006000400010>. Acesso em: 
18 nov. 2016.
Assista ao vídeo postado pela IBM Brasil, intitulado Logística Inteligente. 
Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=eIyB_V3Bpig>. 
Acesso em: 18 nov. 2016.
Também leia o artigo: \u201cTecnologia da informação aplicada à logística\u201d. 
Disponível em: <http://tecspace.com.br/paginas/aula/faccamp/TI/
Texto11.pdf>. Acesso em: 18 nov. 2016.
Exemplificando
Existem muitos sistemas diferentes disponíveis no mercado para fazer 
o controle e a gestão dos processos logísticos. Desta forma, escolher o 
mais apropriado para a nossa empresa é uma decisão importante a ser 
tomada. No quadro 3.3 apresentamos o exemplo de um passo a passo 
para seleção de um sistema ERP, criado por Escouto e Schilling (2003) 
mencionado no artigo de Costa e Gobbo Junior (2008).
PASSOS PARA SELEÇÃO DE UM SISTEMA ERP RESUMO DAS ATIVIDADES
Levantar as necessidades da empresa Fazer o levantamento das reais necessidades 
da empresa, suas expectativas e objetivos. 
Avaliar os prós e contras da implantação.
Quadro 3.3 | Síntese dos passos da metodologia de seleção de sistemas ERP
U3 - Técnicas e métodos aplicados à logística176
Faça você mesmo
A implantação das ferramentas da TI com certeza trará benefícios para 
o gerenciamento das atividades da empresa, mas e o fator humano, por 
exemplo, a tomada de decisão, ou até mesmo a escolha do sistema 
correto para cada caso? Imagine que você estivesse no cargo hierárquico