Livro unico Planejamento Financeiro e Orçamentário
276 pág.

Livro unico Planejamento Financeiro e Orçamentário


DisciplinaLogística31.929 materiais122.417 seguidores
Pré-visualização50 páginas
terá que prever também 
uma produção mínima de 5.000 unidades, correto? Mas por que 
seria mínima? A resposta é simples. Se coloque no lugar de um 
fabricante, você vai produzir exatamente aquilo que planeja vender 
ou irá produzir um pouco mais, só por garantia? Se a resposta 
for produzir um pouco mais, então você está no caminho certo. 
O produtor produz um pouco mais do que aquilo que pretende 
vender, pois, talvez ele venda um pouco mais do que aquilo que 
foi orçado, certo? 
Talvez, considerando o nosso exemplo, ele venda 5.200 unidades 
em vez de 5.000. Talvez ele fabrique algumas unidades que 
apresentem problemas e precise de unidades de reposição. Dessa 
forma, é muito prudente lidar com esse risco de produção e produzir 
um pouco mais do que aquilo que se espera vender. A essa produção 
excedente damos o nome de estoque final de produtos acabados 
(PADOVESE, 2015).
Neste contexto, os dois dados mais importantes para a 
elaboração do orçamento de vendas são: orçamento de vendas 
em quantidade produzida por produto; e a política de estocagem 
de produtos acabados. Logo, para produzir o orçamento de 
produção, o gestor orçamentário terá que lidar com algumas 
decisões que estão atreladas ao que denominamos restrições. 
Vamos entendê-las?
Muito bem, quando se analisa as quantidades que deverão ser 
produzidas, é muito importante nos atentarmos em observar quais 
os recursos que a empresa possui em disponibilidade para atingir 
as quantidades necessárias de elaboração dos produtos, para que 
possam atender às demandas que estão sendo projetadas.
Quando realizamos esse tipo de ato na organização, estamos na 
verdade analisando quais são as restrições que temos no processo de 
produção de um produto ou serviço. Saiba que podem existir alguns 
U2 -Gestão de orçamento de produção, de materiais e de vendas 91
fatores que venham a restringir o nível de trabalho da produção, que 
pode ocorrer em qualquer nível das operações da empresa.
Considerando que todo e qualquer recurso que de alguma 
forma restringir a capacidade da programação operacional 
da organização deverá ser obrigatoriamente ajustado ao nível 
desejável de atividade de acordo com a estrutura e instalações da 
empresa (MARTINS, 2010). Desta forma, podemos considerar que 
tais restrições podem ter fatores determinantes em três frentes, 
conforme representado na Figura 2.2:
Figura 2.2 | Restrições do processo de orçamento de produção
Fonte: elaborada pelo autor.
Volume de vendas
Política de estoques
Capacidade instalada
O volume de vendas, de acordo com Megliorini (2012), 
como fator restritivo significa, dentre outras coisas, analisar uma 
demanda superior à capacidade de atendimento da empresa, em 
razão, por exemplo, de os principais fornecedores não atenderem 
às necessidades da organização em determinados períodos do 
processo produtivo. Esse fator não é o único, mas é um dos que 
mais influenciam as restrições da produção, pois, a partir dessa 
situação, poderão se desencadear outras que afetarão outras áreas 
da empresa. 
Como consequência, a determinação do volume de estoques 
necessários exerce forte impacto nas decisões, pois envolve o nível 
de risco em investir, produzir e vender. Por exemplo, há os riscos 
operacionais do processo produtivo, uma vez que, você vende 
um pouco a mais do que se pode atender e também um pouco 
a menos, ou ainda quando há devolução dos seus produtos, em 
razão de se apresentarem em não conformidade com o padrão 
que realmente devem possuir, em outras palavras, seus produtos 
retornam porque apresentam defeito e você precisa substituí-los. 
U2 - Gestão de orçamento de produção, de materiais e de vendas92
Assim, poderia ser prudente produzir e manter, como política, 
um estoque que represente 10% de tudo o que se produz, certo? 
Sendo assim, se a empresa pretende vender 5.000 unidades, por 
exemplo, deverá produzir, então, 5.500 unidades. 
Mas é bom que você saiba que nem sempre a empresa poderá 
decidir por manter estoques em nível máximo, pois dependerá do 
seu fluxo de vendas, combinado com a capacidade de produzir os 
produtos. Quando se fala em manter estoque, significa dizer que 
uma parte dos investimentos realizados na operação da empresa 
ficará parada. Desta forma, estabelecer políticas de estoque 
também é importante neste processo. 
Assimile
Os estoques costumam manter uma participação significativa no 
total dos investimentos ativos da maior parte das empresas industriais 
e comerciais. Na realidade, por demandarem vultosos volumes de 
recursos (imobilizados) aplicados em itens de baixa liquidez, devem 
as empresas promover rápida rotação em seus estoques como forma 
de elevar sua rentabilidade e contribuir para a manutenção de sua 
liquidez (ASSAF, 2009, p. 577).
Quanto à determinação da capacidade de produção trata-se 
de uma decisão de investimento muito importante, pois de nada 
adianta você planejar vender 5.000 unidades, decidir produzir 
5.500, de acordo com a política de estoque, se a sua capacidade 
instalada é de apenas 4.000 unidades. Ou seja, se a sua capacidade 
máxima de produção é de apenas 4.000 unidades de produção, 
você terá que decidir se deve ou não investir para aumentar tal 
capacidade. Para facilitar o aprendizado, vamos entender como 
isso funciona na prática?
Exemplificando
Suponha o caso da fábrica Truck de skates que orçou suas vendas 
para o ano seguinte em 2.000 unidades, considerando um cenário 
U2 -Gestão de orçamento de produção, de materiais e de vendas 93
bem otimista, pois, o skate entrou para os esportes olímpicos. O Sr. 
Ollie deseja saber o quanto ele precisa produzir nesse novo cenário 
otimista, e para isso lhe contratou.
Analisando seus dados históricos, você descobriu que, apenas de o 
produto da Truck ser muito bom, ele apresenta um percentual de 
retorno de 5%, e sabe também que devido a fama da loja, ele sempre 
vende uns 3% a mais sempre do que aquilo que produz, e isso gera 
alguns custos de hora extra, pois, o Sr. Ollie sempre precisa exigir que 
seus funcionários fiquem um pouco mais na empresa para produzir 
esses 3%. Dessa forma, você achou por bem decidir manter um 
estoque final desejado de produtos acabados de 10%. 
Sendo assim, você decide produzir da seguinte forma: 2.000 + 10% 
de 2.000 = 2.200 unidades no primeiro ano.
Para que você possa aprender com mais facilidade, vamos demonstrar 
esse orçamento em uma planilha que irá abordar as vendas da 
empresa, o estoque final de produtos acabados e o faturamento. A 
seguir, apresentamos os resultados:
  Ano
  1
Vendas orçadas da empresa 2.000
Estoque final de produtos acabados desejado (10% 
da produção do próprio ano)
200
Faturamento R$ 2.200,00
Esse foi um exemplo de orçamento de produção, considerando 
apenas um ano de previsão, porém, nós sabemos que orçamento 
é também uma ferramenta de longo prazo, certo? Você viu isso na 
seção anterior. Mas também há uma questão que não vimos ainda 
e que se chama Estoque Inicial de Produtos Acabados. Vamos 
analisar esse ponto no próximo exemplo.
U2 - Gestão de orçamento de produção, de materiais e de vendas94
Imagine que o Sr. Ollie gostaria de fazer essa projeção para os próximos 
2 anos. Você também sabe que, se o orçamento do primeiro ano se 
concretizar, ele irá vender 2.000 unidades, porém, tendo produzido 
2.200 irá sobrar 200 unidades, certo?
Então, sabendo que o setor cresce 5%, o orçamento de produção 
para o ano 2 será de 2.000 + 5% de 2.000 = 2.100 unidades. Você 
se lembra de que decidiu produzir sempre 10% a mais para manter 
em estoque? Pois então, você irá produzir 2.100 + 10% de 2.100 = 
2.310 unidades. Agora, temos uma novidade. Você se lembra de 
que sobraram 200 unidades do ano 1, que era o ano anterior? Essas 
unidades foram para o ano 2 como estoque inicial. Dessa forma, você 
precisará produzir