O Presidente Negro - Monteiro Lobato
149 pág.

O Presidente Negro - Monteiro Lobato


DisciplinaLiteratura35.233 materiais125.531 seguidores
Pré-visualização39 páginas
Disse	e	saiu	a	sorrir.	Kerlog	 icou	uns	instantes	a	meditar	naquelas
palavras	 enigmáticas,	 que	 traziam	 evidentemente	 uma	 intenção	 oculta.	 O
homem	das	setenta	e	duas	invenções	nada	dizia	ás	tontas.
\u2014	 "Será	 que	 John	Dudley	 possue	 de	 sua	 invenção	 alguma	 famosa
super	 aspirina?"	 pensou	 consigo	 o	 chefe	 de	 estado.	 Mas	 o	 tumulto	 das
preocupações	governamentais	fê-lo	em	breve	esquecer-se	do	incidente.
A	 semana	 que	 se	 seguiu	 á	 Convenção	 foi	 o	 pior	momento	 de	 vida
que	ainda	passou	um	presidente	americano.	O	ministério	vivia	em	reuniões
continuas,	 e	 era	de	 fuga	que	aqueles	homens	 tomavam	algum	repouso.	A
tarefa	 de	manter	 o	 país	 em	 calma,	 de	 evitar	 a	 explosão	 das	 duas	masas
prenhes	 de	 eletricidades	 contrarias	 e	 suscetíveis	 de	 explosão	 ao	 menor
choque,	agravava-se	com	a	premência	de	solver	o	caso	dentro	da	 formula
votada	 pelos	 convencionais.	 Mas	 entre	 propor	 com	 toda	 a	 frieza	 uma
solução	daquelas	e	descobrir	os	meios	de	possibilizá-la,	ia	um	abismo.
O	ministro	da	Paz	chegou	a	irritar-se.
\u2014	"São	facílimas	as	soluções	dessa	ordem",	disse	ele.	"Creio	até	que
se	em	vez	de	seis	velhos	lideres	reuníssemos	aqui	seis	crianças	de	escola,	o
resultado	seria	o	mesmo.	É	absolutamente	impraticável	a	formula	Leland."
O	Presidente	Kerlog	possuía	um	caráter	mais	obstinado	do	que	o	do
seu	ministro.	Assim	foi	que	objetou:
\u2014	"Costumamos	chamar	impraticável	ao	que	não	praticamos	ainda.
Lembre-se	de	Colombo	com	o	ovo..."
\u2014	 "Perfeitamente",	 contraveio	 o	 ministro,	 "mas	 já	 se	 passou	 uma
semana	 e	 não	nos	 ocorre	 saída.	 Estou	 cansado	de	 examinar	 as	 sugestões
dos	 nossos	 técnicos,	 todas	 absurdas,	 porque	 em	 grau	 maior	 ou	 menor
implicam	 o	 emprego	 da	 força,	 o	 que	 seria	 desencadear	 a	 tormenta.	 As
sugestões	de	hoje	\u2014	sete!	\u2014	parecem-me	tão	idiotas	como	as	anteriores.
Na	realidade	assim	era.	Debaixo	do	mais	absoluto	segredo	cerca	de
cinquenta	 técnicos	 do	 estado,	 dos	 mais	 hábeis	 que	 se	 puderam	 reunir,
davam	 aos	miolos	 as	maiores	 torturas	 para	 afastar	 do	 remédio	 proposto
por	Leland	o	termo	coação.
Os	 ministros	 já	 manifestavam	 sintomas	 de	surmenage.	 Horas	 e
horas	perdiam	a	debater	o	caso,	e	nem	no	sono	tinham	repouso;	o	trabalho
mental	subconsciente	os	torturava	de	pesadelos.
No	 oitavo	 dia	 o	 Presidente	 apareceu	na	 sala	 de	 trabalho	 a	 cheirar
um	frasco	de	sais.	Era	a	dorzinha	de	cabeça	prevista	por	 John	Dudley.	No
decimo	 dia	 essa	 dor	 agravou-se	 de	modo	 a	 inspirar	 receio	 aos	ministros.
Felizmente	 a	 memoria	 do	 senhor	 Kerlog	 funcionou	 a	 tempo	 e	 fê-lo
recordar-se	das	palavras	do	convencional	Dudley	ao	despedir-se.
\u2014	 "A	 dor	 de	 cabeça	 mata-me",	 radiou	 ele	 para	 o	 homem	 das	 72
invenções.	"Acuda-me	com	o	remédio,	caro	Dudley!"
Naquele	 mesmo	 dia,	 á	 noite,	 reapareceu	 John	 Dudley	 na	 Casa
Branca,	sendo	logo	introduzido	nos	aposentos	particulares	do	Presidente.
\u2014	"Benvindo	seja!"	disse	este	com	a	mão	na	testa.	"A	cabeça	estala-
me	 e	 a	 dor	 não	 cede	 a	 sedativo	 nenhum.	 Acuda-me	 com	 a	 sua	 ultra
aspirina"
John	Dudley	sorriu	com	malicia.
\u2014	 "Ouça-me",	 disse	 ele,	 "ouça-me	 com	 atenção	 que	 sarará	 dentro
de	cinco	minutos.	O	seu	mal	cura-se	com	um	tópico	que	só	eu	possuo."
E	Dudley	começou	a	falar.	Ao	cabo	do	segundo	minuto,	o	Presidente
Kerlog	 tirava	 a	mão	da	 testa.	Ao	 im	do	 terceiro	 sorria.	Ao	quinto,	 saltava
da	poltrona	e	vinha	apertar	nos	braços	o	terrível	velhinho.
\u2014	"Maravilhoso!...	Mas	então	é	assim	absoluto	o	efeito?"
\u2014	 "Fiz	 todas	 as	 experiências	 e	 tirei	 todas	 as	 contra	 provas,"
respondeu	Dudley.	"O	efeito	é	absoluto!"
\u2014	"Sem	dor,	sem	lesão,	sem	que	o	paciente	sequer	o	suspeite?"
\u2014	"Exatamente!"
Kerlog	 sorria,	 com	 o	 olhar	 distante.	 O	 problema	 que	 em	 vão	 à
política	tentara	solver,	a	ciência	resolvia	por	um	processo	magico.
\u2014	"Efeito	duplo,	então?"	insistiu	o	Presidente.
\u2014	"Triplo,	aliás",	retrucou	o	malicioso	sábio
O	presidente	fez	cara	de	surpresa.
\u2014	"Sim,		pois		cura	também	as	dores		de		cabeça	históricas..."
Kerlog	sorriu	e	novamente	abraçou	o	homem	das	73	invenções,
\u2014	 Miss	 Jane,	 disse	 eu	 interrompendo:	 está	 a	 senhora	 a	 judiar
comigo!	Macacos	me	lambam	se	percebo	qualquer	coisa...
\u2014	 Uma	 pontinha	 de	 mistério	 é	 indispensável	 no	 tempero	 dos
romances,	respondeu	a	linda	criatura.	O	senhor	Ayrton	vai	ser	romancista;
deve	pois	ir	aprendendo	o	sutil	segredo	da	dosagem	dos	ingredientes...
Miss	Jane	estava	a	brincar	comigo,	não	havia	duvida.	Punha	fogo	ao
estopim	de	minha	curiosidade	e	deixava-o	a	arder...
No	dia	seguinte,	continuou	ela,	reapareceu	na	Casa	Branca	o	senhor
John	 Dudley,	 desta	 vez	 sobraçando	 um	 esquisito	 embrulho	 \u2014	 um
embrulho	fofo,	como	se	contivesse	cabelos	humanos.
Entrou	e	passou	uma	boa	hora	em	conferencia	com	o	Presidente	e
mais	os	seus	ministros.
O	que	 lá	houve	ninguém	conseguiu	saber.	Só	se	soube	que,	 inda	a
reunião,	ao	descerem	a	escadaria,	disse	o	ministro	da	Paz	ao	da	Equidade:
\u2014	 "O	 eterno	 ovo	 de	 Colombo!	 Bem	 dizia	 o	 Presidente	 que	 era
necessário	teimar..."
\u2014	 "E	que	 lindos	 icam	os	 cabelos!"	 comentou	o	da	Equidade.	 	 "Não
só	 se	 alisam,	 como	 a inam	 e	 se	 tornam	 sedosos.	 O	 peixe	 morrerá	 pela
carapinha,	não	ha	que	ver..."
\u2014	Miss	Jane...	comecei	eu,	interrompendo-a	nesse	ponto.
A	moça,	porém,	tapou-me	a	boca	e	deu	o	sinal	do	chá.
Fiz	 a	 cara	 de	 compunção	 com	 que	 sempre	 recebia	 o	 tal	 ponto	 e
vírgula.	Mas	errei.
\u2014	Não	 faça	esse	bico	de	criança,	disse	miss	 Jane	com	a	 sua	 inura
habitual.	O	chá	é	apenas	virgula.	O	senhor	Ayrton	está	convidado	a	 jantar
aqui.
Meu	 coração	 deu	 cabriolas	 dentro	 do	 peito,	 e	 arrastado	 por	 um
impulso	 incoercível	 tomei...	 a	 mão	 da	 minha	 amiga	 e	 beijei-a.	 A	 mão!
Apenas	a	mão!	Timidez	\u2014	teu	nome	era	Ayrton	Lobo!...
\u2014	Mas	o	enigma	dos	cabelos,	miss	Jane?	Decifre-me	logo,	que	estou
a	arder	de	curiosidade,	pedi-lhe	logo	depois	do	chá.
\u2014	 Uma	 historia	 muito	 simples,	 senhor	 Ayrton.	 John	 Dudley	
dedicava-se,	 havia	 longo	 tempo,	 ao	 estudo	 do	 cabelo	 negro,	 esperançado	
em	descobrir	o	meio	de	alisá-lo	e	torná-lo	sedoso	e	absolutamente	igual	ao
da	 raça	 branca	 \u2014	 e	 muito	 se	 falou	 na	 América,	 alguns	 anos	 antes,	 nos
admiráveis	resultados	das	suas	experiências.	Até	2228,	porém,	o	sábio	não
havia	 tornado	 publica	 essa	 invenção,	 que	 seria	 a	 73.a.	 E	 ninguém	 mais
pensava	 no	 caso	 quando,	 dois	 dias	 depois	 da	 sua	 conferencia	 particular
com	 o	 Presidente	 Kerlog,	 esvoaçou	 pelos	 Estados	 Unidos	 uma	 noticia	 de
sensação:	John	Dudley	havia	enfim	resolvido	o	difícil	problema	capilar.
Os	 raios	 Omega,	 de	 sua	 descoberta,	 tinham	 a	 propriedade
miraculosa	 de	modi icar	 o	 cabelo	 africano.	 Com	 três	 aplicações	 apenas	 o
mais	rebelde	pixaim	tornava-se	não	só	liso,	como	ainda	 ino	e	sedoso	como
o	 cabelo	 do	 mais	 apurado	 tipo	 de	 branco.	 Os	 raios	 Omega	 in luíam	 no
folículo	 e	 destruíam	 nele	 a	 tendência	 de	 dar	 forma	 elíptica	 ao	 ilamento
capilar.	 Vencido	 este	 pendor	 para	 a	 forma	 elíptica,	 cessava	 o
encarapinhamento,	que	não	passa	de	mera	consequência	mecânica
Como	é	de	supor,	 imensa	foi	a	repercussão	da	noticia.	Cem	milhões
de	 criaturas	 reviravam	 para	 o	 céu	 os	 olhos	 agradecidos.	 Os	 negros
chegaram	a	tomar-se	de	puro	êxtase,	convictos	de	que	das	Alturas	descera
a	pugnar	por	eles	alguma	alta	divindade,	como	outrora	os	bons	deuses	do
Olimpo.	Mal	 repostos	 ainda	 da	 emoção	 consequente	 á	 vitória	 de	 Jim	 Roy,
outra	 os	 empolgava	 agora	\u2014	 e	 esta	 mais	 fecunda,	 pois	 redundaria	 num
aperfeiçoamento	 ísico	 da	 raça.	 Já	 o	 pigmento	 fora	 destruído	 e,	 embora	 o
esbranquiçado	 da	 pele	 não	 se	 revelasse	 cor	 agradável	 á	 vista,	 tinham
esperança	de	obter	com	o	tempo	a	perfeita	equiparação	cutânea.	Vir	agora,
e	 assim	de	 chofre,	 o	resto,	 o	 cabelo	 liso	 e	 sedoso,	 a	 supressão	do	 teimoso
estigma	 de	 Cam,	 era,	 não	 havia	 duvida,	 sinal	 de	 um	 im	 de	 estagio.
Reduzidas	 desse	modo