A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
61 pág.
Apostila Certificação Aneps

Pré-visualização | Página 2 de 20

criam moeda: o depósito bancário é moeda escritural.
Estas não criam moeda, são apenas geradoras de negócios.
São as instituições que realizam a intermediação nos mercados financeiros.
Finalmente, as instituições que reúnem grupos de investidores nos mercados financeiros.
1.1.3 CMN - Conselho Monetário Nacional
O CMN é o órgão deliberativo de cúpula do SFN.
Suas principais atribuições são:
· Estabelecer as diretrizes gerais das políticas monetária, cambial e creditícia;
· Regular as condições de constituição, funcionamento e fiscalização das instituições financeiras;
· Disciplinar os instrumentos de política monetária e cambial.
	O CMN é constituído pelos seguintes membros:
· Ministro da Fazenda – presidente;
· Ministro do Planejamento;
· Presidente do Banco Central.
O CMN - Conselho Monetário Nacional - regula todas as atividades da indústria financeira do Brasil.
1.1.4 Banco Central do Brasil
O Banco Central, autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda, é um órgão executivo.
Tem como missão institucional a estabilidade do poder de compra da moeda e a solidez do sistema financeiro como um todo.
Suas atribuições privativas são, entre outras, as seguintes:
· Emitir dinheiro;
· Executar os serviços de circulação do dinheiro;
· Executar os recolhimentos compulsórios, encaixes obrigatórios e depósitos voluntários das instituições financeiras;
· Realizar operações de redesconto e empréstimos a instituições financeiras;
· Controlar e fiscalizar o crédito;
· Controlar e fiscalizar o capital estrangeiro;
· Ser depositário de reservas oficiais de ouro e moedas estrangeiras no país;
· Fiscalizar as instituições financeiras e aplicar as penalidades previstas;
· Todos os atos relativos à instalação, funcionamento, fusões etc, de instituições financeiras;
· Administrar a dívida interna.
Desde agosto de 2004, o cargo de Presidente do Banco Central do Brasil foi transformado em cargo de Ministro de Estado.
Funcionam junto ao BACEN Conselhos e Comitês com funções específicas, dentre os quais se destacam:
· COPOM – Comitê de Política Monetária;
· SPB – Sistema de Pagamentos Brasileiro.
Estas instituições financeiras se chamam "monetárias" porque criam moeda escritural: o depósito bancário
1.1.5 O Banco do Brasil
O Banco do Brasil, pessoa jurídica de direito privado, sociedade anônima aberta de economia mista, tem como acionista controlador a União e como principal acionista minoritário a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ).
O Banco tem por objeto a prática de todas as operações bancárias ativas, passivas e acessórias, a prestação de serviços bancários, de intermediação e suprimento financeiro sob suas múltiplas formas e o exercício de quaisquer atividades facultadas às instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional.
O Banco poderá, também, atuar na comercialização de produtos agropecuários e promover a circulação de bens.
A administração de recursos de terceiros será realizada mediante a contratação de sociedade subsidiária ou controlada do Banco.
1.1.6 Outras instituições financeiras públicas
 
CVM - Comissão de Valores Mobiliários
Autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda. 
Compete à CVM:
· Assegurar o funcionamento eficiente e regular dos mercados de bolsa e de balcão;
· Regulamentar, orientar e fiscalizar os fundos de investimento;
· Proteger os titulares de valores mobiliários contra emissões irregulares e atos ilegais de administradores e acionistas controladores de companhias ou de administradores de carteira de valores mobiliários;
· Evitar ou coibir modalidades de fraudes ou manipulação destinadas a criar condições artificiais de demanda, oferta ou preço de valores mobiliários negociados no mercado;
· Assegurar o acesso do público a informações sobre valores mobiliários negociados e às companhias que os tenham emitido;
· Assegurar a observância de práticas comerciais equitativas no mercado de valores mobiliários;
· Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valores mobiliários;
· Promover a expansão e o funcionamento eficiente e regular do mercado de ações e estimular as aplicações permanentes em ações do capital social das companhias abertas.
SUSEP – Superintendência de Seguros Privados
É o órgão responsável pelo controle e fiscalização dos mercados de seguro, previdência privada aberta, capitalização e resseguro. Autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda, faz parte do Sistema Nacional de Seguros Privados.
Outras entidades públicas participantes são:
· Conselho Nacional de Seguros Privados - CNSP,
· IRB Brasil Resseguros S.A. - IRB Brasil Re,
· companhias de seguros privados e capitalização,
· entidades de previdência privada aberta
· corretores habilitados.
Tem a missão de atuar na regulação, supervisão, fiscalização e incentivo das atividades de seguros, previdência complementar aberta e capitalização, de forma ágil, eficiente, ética e transparente, protegendo os direitos dos consumidores e os interesses da sociedade em geral.
PREVIC – Superintendência Nacional de Previdência Complementar
Autarquia de natureza especial com autonomia administrativa e financeira e patrimônio próprio, vinculada ao Ministério da Previdência Social (MPS), atua como entidade de fiscalização e de supervisão das entidades fechadas de previdência complementar (EFPC) e de execução das políticas para o regime de previdência complementar operados por essas entidades.
SPPC – Secretaria de Políticas de Previdência Complementar
Órgão do Ministério da Previdência Social que assiste o Ministro de Estado na formulação e no acompanhamento das políticas e diretrizes do regime de previdência complementar operado pelas entidades fechadas de previdência complementar.
Outras entidades
Além dessas, funcionam ainda como instituições públicas ou de economia mista empenhadas em atividades dos mercados financeiros as seguintes instituições:
	Empresa pública
	Sociedade de economia mista
	BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social
	Banco do Brasil
	CEF - Caixa Econômica Federal
	Banco do Nordeste do Brasil
	
	Banco da Amazônia
1.1.7 Instituições financeiras privadas
1. Bancos comerciais.  Os bancos comerciais são classificados como instituições monetárias, por terem o poder de criar moeda escritural, resultante do acúmulo de depósitos.  São instituições financeiras que recebem depósitos à vista em contas de movimento e efetuam empréstimos a curto prazo, principalmente para capital de giro das empresas.
2. Bancos Múltiplos. São bancos que podem operar simultaneamente, com autorização do Banco Central, carteiras de banco comercial, de investimento, de crédito imobiliário, de crédito, financiamento e investimento, de arrendamento mercantil (leasing) e de desenvolvimento, constituindo-se em uma só instituição financeira de carteiras múltiplas, com personalidade jurídica própria, e que pode selecionar com o que deseja operar, dentre as modalidades referidas. Uma das carteiras será sempre de banco comercial ou de banco de investimento. 
3. Bancos de Investimento. Os bancos de investimentos são entidades especializadas na montagem e colocação no mercado de operações de participação ou financiamento a médio e longo prazos, para suprimento de capital fixo ou de giro, mediante a aplicação de recursos  próprios e/ou captação, intermediação e aplicação de poupanças de terceiros. Além do capital próprio, os bancos de investimentos contam com uma ampla pauta de alternativas para captar recursos. Podem fazê-lo oferecendo aos investidores os recibos e os certificados de depósitos a prazo. Também operam como agentes financeiros do BNDES.
4. Companhias de Crédito, Financiamento e Investimento (Financeiras): Instituição financeira privada, constituída sob a forma de companhia, realiza o financiamento ao consumo através do CDC - Crédito Direto ao Consumidor, e financiamento de vendas. ode captar recursos de público mediante aceite e colocação de letras de câmbio. Desde maio de 2007 pode ainda captar recursos mediante a emissão de RDB - Recibo de Depósito Bancário. As SCFI devem