A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
61 pág.
Apostila Certificação Aneps

Pré-visualização | Página 3 de 20

dirigir os recursos provenientes de suas captações para as seguintes operações:
a) no mínimo 60% para o financiamento de bens e serviços a pessoas físicas ou jurídicas
b) no máximo 40% para o financiamento de capital de giro a pessoas jurídicas, com prazo mínimo de 3 meses, admitidas as operações sob a forma de crédito rotativo.
5. Sociedades de Crédito Imobiliário: Instituição financeira constituída sob a forma de companhia, realiza financiamentos habitacionais e imobiliários. Pode operar com recursos próprios ou captar recursos de terceiros em cadernetas de poupança, letras hipotecárias, letras de crédito imobiliário, repasses e financiamentos contraídos no país, inclusive os provenientes de fundos nacionais, empréstimos e financiamentos contraídos no exterior
6. Empresa de Leasing: Empresa que tem como objeto social principal a prática de operações de arrendamento mercantil, com o próprio vendedor do bem ou com pessoas jurídicas a ele coligadas ou interdependentes.
7. Companhia hipotecária: Companhia que tem por objeto social: conceder financiamentos destinados à produção, reforma ou comercialização de imóveis residenciais ou comerciais e lotes urbanos; 
8. Companhia Administradora de consórcios: Empresa que administra fundos providos por futuros adquirentes de bens móveis ou imóveis, mediante sistema de liberação parcial de recursos. Tem sua atividade fiscalizada pelo Banco Central;
9. Bolsas de Valores e de Mercadorias. São instituições administradoras de mercados, que funcionam como local físico ou virtual para a realização de negócios com títulos e valores mobiliários, mercadorias e cereais, em mercados livres e abertos, com operações à vista, a termo e a futuro. Desta forma, investidores têm acesso a sistemas de negociação adequados, transparentes e líquidos, para realizarem suas transações com todos esses tipos de ativos.
1.1.8 Outras instituições do mercado
O Brasil dispõe ainda de diferentes instituições e agentes que realizam tarefas diferenciadas no mercado financeiro, entre as quais destacam-se as seguintes instituições:
1. Bancos e Companhias de Desenvolvimento: instituição pública não federal, constituída sob a forma de companhia, com sede na Capital do Estado da Federação que detiver seu controle acionário;
2. Companhias de Seguros: Empresa financeira que administra riscos, com obrigação de pagar indenizações se ocorrerem perdas e danos nos bens segurados. Opera em dois ramos básicos: ramos elementares (incêndio, transporte, acidentes pessoais e eventos que possam afetar pessoas e bens, responsabilidades, obrigações, garantias e direitos); e ramo vida (benefícios ou rendas).
3. Sociedade de propósito exclusivo: Sociedade auxiliar, mero instrumento de sua controladora, constituída para prestar um serviço específico, cumprir a etapa de um projeto, ou desenvolver um projeto para a controladora. Cumprido seu propósito, seu destino é a liquidação; empresa formada com o objetivo único de transformar os recebíveis em títulos securitizados;
4. Empresa de factoring: Empresa comercial, opera na aquisição incondicional de faturamento de empresas industriais ou comerciais.
5. Entidades de Previdência Complementar: as entidades fechadas são sociedades limitadas ou fundações, sem fins lucrativos, com objeto social de instituir planos privados de concessão de pecúlios ou de rendas, de benefícios complementares ou assemelhados aos da previdência social, mediante contribuição de seus participantes, dos respectivos empregadores ou de ambos.
6. Sociedade de Crédito ao Microempreendedor: Empresa constituída sob a forma de companhia fechada, ou sob a forma de sociedade limitada. Destina-se a conceder financiamentos e prestar garantias a pessoas físicas, com vistas a viabilizar empreendimentos de natureza profissional, comercial ou industrial, de pequeno porte, e a pessoas jurídicas classificadas como microempresas na forma da legislação e regulamentação em vigor.
7. Auditor independente: Perito-contador que presta serviços de auditoria independente a empresas. Para exercer atividade no âmbito do mercado de valores mobiliários, está sujeito ao registro na CVM - Comissão de Valores Mobiliários. Pode ser pessoa física ou jurídica, sociedade profissional, constituída sob a forma de sociedade limitada.
1.1.9 Reclamações
O Banco Central do Brasil mantém o RDR - Sistema de Registro de Denúncias, Reclamações e Pedidos de Informações, destinado ao registro e ao tratamento de denúncias, reclamações e pedidos de informações a ele apresentados por usuários de produtos e serviços das instituições financeiras, demais instituições autorizadas a funcionar pela referida autarquia e administradoras de consórcios.
Considera-se denúncia os fatos que caracterizem indícios de descumprimento de dispositivos legais e regulamentares cuja fiscalização esteja afeta ao Banco Central.
As denúncias e as reclamações registradas no sistema RDR serão disponibilizadas às instituições e às administradoras na página do Banco Central do Brasil na internet (www.bcb.gov.br).
As instituições e as administradoras devem responder ao interessado em até dez dias úteis, contados da data de disponibilização do registro no sistema RDR.
Cópia eletrônica da resposta e dos respectivos anexos, além de relato das providências adotadas e dos esclarecimentos cabíveis, devem ser encaminhados ao Banco Central do Brasil, por meio do sistema RDR, no prazo mencionado acima. 
1.1.10 Ouvidoria
A missão da Ouvidoria do Banco Central é garantir que a manifestação do cidadão sobre os serviços prestados pelo Banco seja apreciada pela Instituição.
Encontra-se localizada no Edifício-Sede, em Brasília, e exerce sua função em todo o território nacional, em virtude da competência legal da Instituição.
A atuação da Ouvidoria do Banco Central do Brasil ocorre da seguinte forma:
· recebe as manifestações do cidadão sobre os serviços prestados pelo Banco Central;
· envia as manifestações às áreas do Banco Central do Brasil responsáveis pelo assunto;
· acompanha as providências e cobra soluções;
· responde no menor prazo possível com clareza e objetividade;
· sugere/recomenda mudanças de procedimentos internos e adequações de normas e serviços;
· avalia o grau de satisfação do cidadão.
1.1.11 Ouvidoria da ANEPS
Existem procedimentos na ANEPS que disciplinam a Ouvidoria e os Processos Disciplinares.
Em linhas gerais, o fluxo de encaminhamento e julgamento de ocorrências é o seguinte:
· Recebimento da denúncia fundamentada no Código de Ética e Conduta
· Avaliação da pertinência e designação de um relator para o caso
· Informação ao denunciado e ao denunciante sobre abertura do processo
· Coleta de informações adicionais
· Parecer final do relator e comunicação às partes envolvidas (1ª instância)
· Oportunidade para apelação
· Decisão final da Comissão de Ética (2ª instância)
· Aplicação das penalidades (conforme decidido pela 1ª ou 2ª instância)
1.1.12 O COPOM
Comitê encarregado de formular a política monetária do País.
Estabelece diretrizes de política monetária, e define a meta da taxa de juros primária (SELIC) que remunera os títulos da dívida pública federal.
O COPOM foi instituído com o objetivo de estabelecer diretrizes da política monetária e definir a taxa de juros. 
A criação do Comitê tem objetivos semelhantes aos do Federal Open Market Committee (FOMC), do FED - Federal Reserve System, do Central Bank Council do banco central da Alemanha e do Monetary Policy Committee (MPC) do banco central da Inglaterra.
Posteriormente, o Banco Central Europeu instituiu sistema semelhante para a administração do euro.
Os objetivos do COPOM são "estabelecer diretrizes de política monetária, definir a meta da taxa SELIC e seu eventual viés, e analisar o Relatório de Inflação".
A taxa de juros fixada na reunião do COPOM é a meta para a taxa SELIC para o período entre reuniões ordinárias do Comitê.
O COPOM é composto por oito diretores do Banco Central, com direito a voto, e é presidido pelo Presidente do Banco Central, que tem o voto de qualidade.
No último dia dos meses de março,