A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
124 pág.
dieito_tributário_OAB_helton_completo_corrigido

Pré-visualização | Página 6 de 26

de 
cálculo, que importe em torná-lo mais oneroso. 
Direito Tributário | Helton Kramer 
focusconcuros.com.br 24 
§ 2º Não constitui majoração de tributo, para os fins do disposto no 
inciso II deste artigo, a atualização do valor monetário da respectiva 
base de cálculo. 
. 
Prazo de Pagamento: Interessantes decisões do Supremo Tribunal 
Federal, permitindo a alteração do prazo de pagamento do tributo por 
decreto (RE 182.971 e RE 193.531), sem ofensa à legalidade. 
 
Base de cálculo IPTU: “Somente por via de lei, no sentido formal, 
publicada no exercício financeiro anterior, é permitido aumentar tributo, 
como tal havendo de ser considerada a iniciativa de modificar a base de 
cálculo do IPTU, por meio de aplicação de tabelas genéricas de valorização 
de imóveis, relativamente a cada logradouro, que torna o tributo mais 
oneroso. (RE 234.605, Rel. Min. Ilmar Galvão, julgamento em 8-8-2000, 
Primeira Turma, DJ de 1º-12-2000.) 
 
Lei Complementar: Em regra, a lei a ser utilizada para criação de tributo é 
a ordinária, exceto: 
: 
A) imposto sobre grandes fortunas 
B) competência residual 
C) empréstimos compulsórios 
D) normas gerais em matéria de legislação tributaria 
E) regular limitações constitucionais ao poder de tributar etc 
 
Exceções: a constituição Federal também prevê exceções à reserva a lei 
formal, ou seja, pode-se alterar a alíquota (e não a base de cálculo), do 
tributo nos limites da lei, dos seguintes tributos: 
• Imposto de Importação – II 
• Imposto de Exportação – IE 
• Imposto sobre Operações Financeiras – IOF 
• Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI 
• CIDE combustíveis 
• ICMS combustíveis 
Direito Tributário | Helton Kramer 
focusconcuros.com.br 25 
Anterioridade: 
Disposto na alínea “b” do inciso III do artigo 150 da Constituição Federal, 
trata-se de princípio exclusivamente tributário. De acordo com esse 
princípio, a lei que cria ou majora (aumenta) determinado tributo, ao entrar 
em vigor, fica com sua eficácia suspensa até o início do próximo exercício 
financeiro, quando, só então, produzirá todos os seus efeitos próprios. 
 
Clausula Pétrea: Em uma de suas mais importantes decisões, o Supremo 
Tribunal Federal reconheceu que o princípio da anterioridade constitui 
garantia individual do contribuinte, não podendo ser subtraído ou afastado 
nem por emenda à constituição (ADIN 939). Na oportunidade, a Emenda 3, 
de 1993, foi declarada inconstitucional ao tentar viabilizar a cobrança do 
IPMF, estabelecendo nova exceção ao princípio da anterioridade, ainda no 
ano de 1993. 
 
CF/88 - Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao 
contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos 
Municípios: 
... 
 
III - cobrar tributos: 
 
... 
 
b) no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que 
os instituiu ou aumentou; 
 
c) antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido publicada 
a lei que os instituiu ou aumentou, observado o disposto na alínea b; 
(Incluído pela Emenda Constitucional nº 42, de 19.12.2003) 
 
***Exceções ao princípio da anterioridade: (Art. 150 § 1º CF): 
• Imposto de importação; 
• Imposto de exportação; 
• Imposto sobre produtos industrializados; 
• Imposto sobre operações financeiras; 
• Impostos extraordinários de guerra; 
• Empréstimos compulsórios somente aqueles instituídos em caso de 
guerra externa ou sua iminência e em caso de calamidade pública; 
Direito Tributário | Helton Kramer 
focusconcuros.com.br 26 
• Contribuições para financiamento da seguridade social (art. 195 § 6º 
CF). 
• CIDE combustíveis – art. 177, § 4º, I, b, CF 
• ICMS combustíveis – art. 155, § 4º IV, c, CF 
 
Súmula 669 STF: Norma legal que altera o prazo de recolhimento da 
obrigação tributária não se sujeita ao princípio da anterioridade. 
 
***Principio Anterioridade Nonagesimal: nenhum tributo poderá ser 
exigido antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido 
publicada a lei que os instituiu ou aumentou, observado o disposto na alínea 
b (anterioridade). Exceção: 
 
 Emp. Compulsórios para atender a despesas extraordinárias, decorrentes 
de calamidade pública, de guerra externa ou sua iminência; 
 Imposto de importação; 
 Imposto de exportação; 
 Imposto de renda; 
 Imposto de operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a títulos 
ou valores mobiliários; 
 impostos extraordinários de guerra. 
 fixação de base de cálculo: propriedade de veículos automotores. 
propriedade predial e territorial urbana 
 
 
Prorrogação de alíquota 
 
“TRIBUTÁRIO. ICMS. MAJORAÇÃO DE ALÍQUOTA. PRORROGAÇÃO. 
INAPLICABILIDADE DO PRAZO NONAGESIMAL (ARTIGO 150, III, C, DA 
CONSTITUIÇÃO FEDERAL). RECURSO EXTRAORDINÁRIO CONHECIDO E 
PROVIDO. 1. A Lei paulista 11.813/04 apenas prorrogou a cobrança do ICMS 
com a alíquota majorada de 17 para 18%, criada pela Lei paulista 
11.601/2003. 2. O prazo nonagesimal previsto no art. 150, III, c, da 
Constituição Federal somente deve ser utilizado nos casos de criação ou 
majoração de tributos, não na hipótese de simples prorrogação de alíquota já 
aplicada anteriormente. 3. Recurso extraordinário conhecido e provido para 
possibilitar a prorrogação da cobrança do ICMS com a alíquota majorada.” 
(Supremo Tribunal Federal. RE 584100 / SP - SÃO PAULO RECURSO 
EXTRAORDINÁRIO Relator(a): Min. ELLEN GRACIE Julgamento: 25/11/2009 
Órgão Julgador: Tribunal Pleno) 
Direito Tributário | Helton Kramer 
focusconcuros.com.br 27 
O art. 104 do CTN e o Principio da Anterioridade 
 
“Art. 104. Entram em vigor no primeiro dia do exercício seguinte aquele em 
que ocorra a sua publicação os dispositivos de lei, referentes a impostos sobre 
o patrimônio ou a renda: 
I – que instituem ou majoram tais impostos; 
II – que definem novas hipóteses de incidência; 
III – que extinguem ou reduzem isenções, salvo se a lei dispuser de maneira 
mais favorável ao contribuinte, e observado o disposto no art. 178”. 
 
Há de se ressaltar que o ultimo julgamento do STF entendeu-se que a 
revogação de isenção se equipara a criação ou a majoração de tributo, sendo 
apenas a dispensa legal do pagamento de exação já existente, de forma que 
o tributo volta a ser imediatamente exigível, sendo aplicável o principio da 
anterioridade . 
 
Irretroatividade: 
a lei tributária só vale em relação a fatos geradores ocorridos depois do 
início da vigência da lei que os houver instituído ou aumentado; 
 
Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é 
vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: 
... 
III - cobrar tributos: 
a) em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei 
que os houver instituído ou aumentado; 
 
Apresenta-se como exceção ao princípio o art. 106 do CTN e a súmula 584 
STF: 
 
Art. 106. A lei aplica-se a ato ou fato pretérito: 
 I - em qualquer caso, quando seja expressamente interpretativa, 
excluída a aplicação de penalidade à infração dos dispositivos 
interpretados; 
Direito Tributário | Helton Kramer 
focusconcuros.com.br 
28 
 II - tratando-se de ato não definitivamente julgado: 
 a) quando deixe de defini-lo como infração; 
 b) quando deixe de tratá-lo como contrário a qualquer exigência de 
ação ou omissão, desde que não tenha sido fraudulento e não tenha 
implicado em falta de pagamento de tributo; 
 c) quando lhe comine penalidade menos severa que a prevista na lei 
vigente ao tempo da sua prática. 
 
Súmula 584 STF: "Ao Imposto de Renda calculado sobre os rendimentos 
do ano-base, aplica-se a lei vigente no exercício financeiro em que deve 
ser apresentada a declaração". 
 
Isonomia: 
a lei, em princípio não deve dar tratamento desigual a contribuintes que se 
encontrem em situação equivalente; Segundo SACHA CALMON NAVARRO 
COÊLHO, "... o princípio da igualdade da tributação impõe ao legislador: (a) 
discriminar adequadamente os desiguais, na medida de suas desigualdades; 
(b) não discriminar