A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
SOCIEDADE BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Pré-visualização | Página 1 de 16

Questão 1/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Considere o seguinte trecho de texto: 
“Isolada, a Sunab não conseguia evitar os abusos e o desrespeito ao congelamento de preços, como explicou o repórter Caco Barcelos. Diante das dificuldades, no primeiro dia do Plano [Cruzado] foi convocada uma ‘cruzada cívica de consumidores em defesa do programa de governo’. Nos dias seguintes, milhares de pessoas, de fato, passaram a vigiar os preços no comércio e denunciar as remarcações. Eram os ‘fiscais do Sarney’”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: GLOBO.com. Plano Cruzado <http://memoriaglobo.globo.com/programas/jornalismo/coberturas/plano-cruzado/fiscais-do-sarney.htm>. Acesso em 10 de jan. 2018. 
Considerando as informações acima e de acordo com os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a economia brasileira durante o governo José Sarney (1985-1990), analise as seguintes afirmativas e marque V para as asserções verdadeiras e F para as falsas.
I. ( ) O Plano Cruzado foi a tentativa de o governo Sarney enfrentar a inflação de 200%, mas o plano mostrou-se insuficiente devido ao pouco apoio da população.
II. (  ) A sugestão do presidente Sarney de que o povo fiscalizasse o congelamento de preços foi prontamente atendida pela população cansada da alta inflação.
III. (  ) O Plano Cruzado e o congelamento de preços não foram suficientes para estabilizar a economia apesar do grande apoio popular que teve o plano do presidente Sarney. 
Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 10.0
	
	A
	V – V – F
	
	B
	V – F – V
	
	C
	F – V – V
Você acertou!
A sequência correta é: F – V – V. As afirmativas I e III são verdadeiras, e a II é falsa. “O governo de José Sarney é frequentemente associado a um período bastante conturbado da economia brasileira. Em 1983, ainda em decorrência das políticas de estabilização econômica após a crise do petróleo, a taxa de inflação do país beirava os 200% ao ano” (livro-base, p. 171). “No início de 1986, o presidente veio a público anunciando o Plano Cruzado. A estratégia seria substituir o cruzeiro pelo cruzado, uma moeda fortalecida por uma série de práticas de estabilização financeira, como o congelamento de preços, salários e aluguéis. Era uma jogada de vida ou morte contra a inflação. O chamado do presidente recebeu apoio imediato da população brasileira. [...] O historiador Francisco Carlos Teixeira da Silva [...] descreve um pouco desse entusiasmo: ‘[...] Batalhões de aposentados e donas de casa saem às ruas com as listas de preços da Superintendência Nacional do Abastecimento, tudo sob as luzes da TV: são os ‘fiscais do Sarney’ (Silva [...]). [...] O consumo da população aumentou drasticamente. Logo, apareceriam os sinais de que o plano tinha severas limitações no campo econômico, especialmente por não resolver as questões da dívida externa e dos gastos excessivos do governo” (livro-base, p. 172,173).
	
	D
	F – F – V
	
	E
	V – V – V
Questão 2/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Considere o trecho do texto a seguir: 
“Médici, embalado nos mais altos índices de crescimento econômico [...], calçado na entrada maciça de capitais estrangeiros e no arrocho salarial, e num mercado internacional em expansão, proclama o ‘milagre brasileiro’. [...] Surge o nacionalismo ufanista do ‘Brasil Grande’, [...] e o tratamento de todos os críticos [...] como traidores”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: SILVA, C. T. S. A modernização autoritária: Do golpe militar à redemocratização. In: LINHARES, Maria Y. (Org.). História geral do Brasil. p. 273-303, 3. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1990. p. 299.
Considerando essas informações e conforme os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre o chamado “milagre econômico” da ditadura civil-militar, marque a alternativa correta:
Nota: 10.0
	
	A
	O crescimento econômico do Brasil durante o período do “milagre econômico” foi tão grande que, praticamente, não houve críticas ao referido período; os problemas relacionados a ele apareceram muitos anos depois do seu término.
	
	B
	A ditadura nomeou de “milagre econômico” o período de crescimento econômico como forma de propaganda, ainda que esse crescimento não fosse substancial.
	
	C
	Apesar do crescimento da economia durante o “milagre econômico”, os movimentos de luta contra a ditadura cresceram e fizeram o regime militar recuar, iniciando a abertura.
	
	D
	O “milagre econômico” foi possível apesar do caráter autoritário do regime militar, que controlava manifestações contrárias, podendo desestabilizar a economia.
	
	E
	O “milagre econômico” serviu de propaganda da ditadura civil-militar com a ideia de um “Brasil Grande”, que ajudou a isolar os movimentos de luta armada da população.
Você acertou!
A alternativa correta é a letra e). “Com a repressão aos levantes antiditadura, o regime [militar] começava a controlar sua oposição de forma eficiente. Quem se colocava contra o governo era silenciado. A população acabava ficando distante do conflito entre as forças rebeldes e o governo, especialmente no início da década de 1970, quando passou a desfrutar do bom momento econômico pelo qual o país passava [...]. Esse período, apesar de sombrio, era seguido por um momento de crescimento econômico sem precedentes” (livro-base, p. 135 e 136). “O Milagre Econômico também foi alvo de duras críticas por provocar um crescimento desigual na qualidade de vida da população brasileira. Segundo Luna e Klein [...], as políticas salariais restritivas impediam os trabalhadores de desfrutar do crescimento das finanças no país. A ausência de uma prática sindical, que foi proibida pelo governo, assim como a realização de greves e campanhas salariais, anulava a capacidade de as classes trabalhistas lutarem na legalidade por reajustes inflacionários em seus vencimentos. Em resumo, a economia milagreira do Brasil acabou por ampliar o quadro de desigualdade social. Quem se beneficiava da distribuição de renda eram os empresários e os grandes agricultores, que participavam das políticas de investimentos nacionais” (livro-base, p. 138)
Questão 3/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Considere o trecho de texto a seguir: 
“Uma linha argumentativa diferente defendia a utilidade da anistia como instrumento político de pacificação nacional. Ao fim de certos conflitos sociais, a aplicação das penas legalmente previstas poderia prolongar os efeitos das animosidades, potencializando a eclosão de novos conflitos. Nesse contexto, a concessão de anistia teria um efeito pacificador, promovendo a reconciliação da sociedade”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: UTIZOG, M. P. A proibição da tortura na constituinte de 1987-88: Entre demandas por justiça e a reconciliação nacional. Dissertação de Mestrado em Direito. Faculdade de Direito, Universidade de Brasília, Brasília, 2015. p. 59.  
Considerando essas informações e de acordo com os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a constituinte (1987-1988) e a redemocratização, marque a alternativa correta:
Nota: 10.0
	
	A
	Prevaleceu na constituinte e no processo de redemocratização a ideia de anistia completa, inclusive dos militares que praticaram crimes na ditadura.
Você acertou!
A alternativa correta é a letra a). “De acordo com Fausto [...], Sarney era visto com desconfiança pelo MDB. Alinhado à União Democrática Nacional (UDN) antes do golpe, chegou a ser governador do Maranhão na década de 1960. Na carreira parlamentar, foi presidente da Arena e, depois, migrou para o PSD. Criticou os opositores do regime em diversas oportunidades e pouco se relacionou com a pauta da redemocratização antes de se tornar o vice de Tancredo Neves” (livro-base, p. 170). “O receio de que o Congresso que definiria a nova Constituição do Brasil fosse formado majoritariamente por opositores era uma consequência da presença de antigos colaboradores do regime na

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.