A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
SOCIEDADE BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Pré-visualização | Página 10 de 16

excerto de texto: 
“Aparentemente, a LOPP [Lei Orgânica dos Partidos Políticos] de 1979 significava um avanço na democratização do sistema político-eleitoral brasileiro, ao liberar a formação dos partidos políticos. Porém, ela expressou a tentativa calculada do governo de fragmentar e enfraquecer a frente de oposição unificada no MDB [...]. Da oposição [...], Leonel Brizola [...] deu origem ao [...] [Partido Democrático Trabalhista] (PDT) [...]. Em 1980, surgiu ainda o [...] [Partido dos Trabalhadores] (PT)”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: BAPTISTA, L. Entre a ilegalidade e a luta institucional: A atuação do PCB no Espírito Santo no contexto de abertura política (1978-1985). Dissertação de Mestrado em História. Centro de Ciências Humanas e Naturais, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016. p. 167. 
Considerando essas informações e de acordo com os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre o processo de abertura da ditadura civil e militar, marque a alternativa correta:
Nota: 10.0
	
	A
	Apesar da tentativa de manter o controle sobre a abertura política, a Aliança Renovadora Nacional (Arena) não conseguiu criar um novo partido para seus aliados devido ao desgaste do regime.
	
	B
	A Lei Orgânica dos Partidos de 1979 foi mais um passo na lenta e controlada abertura política, em que os apoiadores do regime estiveram abrigados no novo Partido Democrático Social (PDS).
Você acertou!
A alternativa correta é a letra b), pois, em “novembro de 1979, foi aprovada uma nova legislação partidária pelo governo. Os dois partidos vigentes — Arena [Aliança Renovadora nacional] e MDB [Movimento Democrático Brasileiro] — precisavam se reinventar para as próximas eleições. Segundo Villa [...], as primeiras legendas que surgiram no período reuniram quadros dos dois lados. Foi o que aconteceu com o Partido Progressista (PP) e o Partido Democrático Social (PDS). Grande parte da oposição governista do período foi para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Antiga legenda getulista, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) se tornou um impasse entre Brizola e Ivete Vargas, filha de uma sobrinha do ex-estadista gaúcho. O registro precisou ser definido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deu ganho de causa para a família do ex-presidente. Brizola, então criou o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Dos movimentos grevistas, surgiu o Partido dos Trabalhadores (PT), com Luiz Inácio Lula da Silva como principal expoente. A organização reunia exilados políticos, intelectuais, estudantes e líderes religiosos vinculados à teologia da libertação. Em seus primeiros anos de atuação, esse grupo ‘destacou-se pela defesa de um programa socialista e por uma organização interna que priorizava a participação dos filiados nos órgãos decisórios’ (Vilia, [...])” (livro-base, p. 165).
	
	C
	Além de caminhar para a abertura política, estudiosos dizem que a LOPP serviu para enfraquecer o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), que se dividiu em diversos partidos e deixou de existir.
	
	D
	Durante a criação de novos partidos, houve a reedição do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), e o fato de Brizola criar o Partido Democrático Trabalhista (PDT) mostrava seu rompimento político com o seu legado trabalhista histórico.
	
	E
	O PT, também conhecido como Partido Trabalhista, foi o herdeiro natural do legado de Vargas, João Goulart e Juscelino Kubitschek.
Questão 5/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Considere o seguinte fragmento de texto: 
“É depois de 1930 que todo este processo de transformação se acentua. A crise mundial desencadeada em outubro do ano anterior repercutirá gravemente no Brasil. O valor dos produtos fundamentais em que assentava a sua economia (em particular o café), cai e consideravelmente”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: PRADO JÚNIOR, Caio. História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 2006. p. 291. 
Considerando essas informações e conforme os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a chegada de Getúlio Vargas ao poder, assinale a alternativa correta:
Nota: 10.0
	
	A
	A chegada de Getúlio Vargas ao poder foi articulada pelas oligarquias periféricas descontentes com o poder de São Paulo, reforçado por uma alta econômica no período.
	
	B
	A crise financeira mundial, iniciada em 1929, afetou também o Brasil em seu principal produto, o café. Sendo Vargas ligado à oligarquia cafeeira, a Revolução de 30 tinha como objetivo a manutenção do poder político e econômico desse grupo social.
	
	C
	Com a crise econômica mundial, os cafeicultores viram-se fortalecidos com a perda de concorrentes internacionais, o que veio a ocasionar a revolta das oligarquias periféricas sob liderança de Getúlio Vargas.
	
	D
	A chegada de Getúlio Vargas ao poder em outubro de 1930 desencadeou a crise econômica que já havia explodido em outros lugares do mundo, ocasionando a queda do valor do café brasileiro.
	
	E
	O golpe que levou Getúlio Vargas ao poder teve razões políticas, sociais e também econômicas, visto que a crise mundial iria enfraquecer a oligarquia cafeeira paulista.
Você acertou!
A alternativa correta é a letra e), pois, segundo o livro-base: “De um lado, os cafeicultores apoiavam o nome de Júlio Prestes, que viria a substituir Washington Luís na presidência.[...]. Do outro lado do pleito estava Getúlio Vargas [...]. Apoiado pelos mineiros e por outros grupos oligárquicos periféricos” (livro-base, p. 29) tornando claro os lados em disputa neste processo. E a questão econômica fica evidente no trecho “Fausto [...] também credita a vitória do movimento que colocou Vargas no poder ao cenário internacional, que via crescer as consequências da crise econômica de 1929. Os efeitos da recessão no Brasil atingiram diretamente a burguesia cafeeira, que dependia da exportação. [...] [Os] grupos oligárquicos centrais estavam enfraquecidos” (livro-base, p. 30).
Questão 6/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Leia o seguinte excerto do depoimento de um torturador que conta a  rotina da Casa da Morte em Petrópolis: 
“Depois de cinco horas de conversa, o velho oficial estava livre de um dos mais bem guardados segredos do regime militar: o propósito e a rotina do aparelho clandestino mantido nos anos 1970 [...] em Petrópolis, conhecido [...] como ‘Casa da Morte’, onde podem ter sido executados pelo menos 22 presos políticos”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: OTÁVIO, C.; PÍVIA, J.; REMÍGIO, N. Torturador conta rotina da Casa da Morte em Petrópolis. <https://oglobo.globo.com/brasil/torturador-conta-rotina-da-casa-da-morte-em-petropolis-5300155>. Acesso em 11 jan. 2018. 
Considerando as informações acima e os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a repressão da ditadura civil-militar, analise as seguintes afirmações:
I. As torturas praticadas por agentes da ditadura foram feitas desde o primeiro momento do golpe militar, mas se intensificaram a partir do Ato Institucional n. 5 (AI-5).
II. A tortura em interrogatório de dissidentes políticos era amplamente utilizada, apesar da legislação pós-AI-5 proibir expressamente esse tipo de ato.
III. Na ditadura civil-militar, o Destacamento de Operações de Informações (DOl) e o Centro de Operações de Defesa Interna (Codi) destacavam-se como principais mecanismos de repressão e de tortura do Estado militar até a abertura democrática.
IV. Apesar da ampla utilização da tortura como método de interrogatório, a ditadura civil-militar não conseguiu desmobilizar a luta armada, que perdurou até a abertura em 1985. 
São corretas apenas as afirmativas:
Nota: 10.0
	
	A
	I e II
	
	B
	I e III
Você acertou!
As afirmativas I e III são corretas, e a II e IV são falsas. “A política de banir os inimigos do Estado era acompanhada por outras ações, por exemplo, a banalização da tortura como instrumento de interrogatório político. Para Gaspari [...],

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.