A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
41 pág.
SOCIEDADE BRASILEIRA CONTEMPORÂNEA

Pré-visualização | Página 5 de 16

militar que acabaria em 1985.
II. A emenda Dante de Oliveira pelas Diretas Já foi uma luta parlamentar, que não gerou grande mobilização da sociedade civil, acabando por ser derrotada.
III. A campanha das Diretas Já, mesmo derrotada, consolidou algumas lideranças políticas, como é o caso de Lula, dirigente do Partido dos Trabalhadores (PT), que foi atuante nas mobilizações. 
Está correto apenas o que se afirma em:
Nota: 0.0
	
	A
	I e II
	
	B
	I e III
	
	C
	I, II e III
	
	D
	II e III
	
	E
	III
A afirmativa III está correta, e a I e a II são falsas. “O agendamento para a escolha do novo presidente não previa a participação da população e ocorreria de forma indireta. Boa parte do país não estava disposta a deixar passar a oportunidade de participar desse pleito. Em março de 1983, o deputado Dante de Oliveira, do PMDB, apresentou uma proposta de lei no Congresso para eleições diretas na escolha do próximo presidente. Villa [...] afirma que o projeto foi ignorado pelos parlamentares, mas teve um forte impacto social. O PT [Partido Trabalhista] assumiu a frente das manifestações e organizou passeatas e paralisações para exigir voto direto. Organizações de esquerda, partidos de oposição e movimentos estudantis começaram a ocupar as ruas e chamar a atenção da população. Em São Paulo, um comício reuniu 200 mil pessoas em janeiro de 1984. Conforme ganhavam corpo, as passeatas pelas Diretas Já cresciam em número de pessoas. Os milhares de indignados no Rio de Janeiro e em São Paulo passaram, ao longo do ano, a ser milhões no país inteiro [...]. Embora tivesse muito apelo com a sociedade brasileira, a Emenda Dante de Oliveira acabou não emplacando no Congresso. Isso porque a maioria dos senadores pertencia ao Partido Social Democrático (PSD), herdeiro direto da Arena [Aliança Renovadora Nacional]. Um pouco antes da realização das eleições indiretas de 1984, a emenda foi rejeitada” (livro-base, p. 167-169).
Questão 2/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Leia o seguinte fragmento de um depoimento: 
“‘Eu não tinha nem dinheiro para comprar leite, se você quer saber’, relata Maria Golqin Glina, [...] mãe divorciada de cinco filhos, dois dos quais, à época do confisco implementado pelo Plano Collor, ainda frequentavam um colégio particular [...]. Maria já era aposentada e vivia da renda de uma loja de móveis usados. ‘Eu fiquei desesperada, porque eu tinha dinheiro e não tinha, já que não podia usar’. Maria conta que em março de 1990 havia juntado dinheiro com os filhos para comprar um imóvel [...]. ‘Era uma sexta-feira. Aí a dona do imóvel que nós queríamos comprar disse assim: 'a senhora coloca o dinheiro no banco, e na segunda-feira nós fechamos o negócio’. Mas, na segunda-feira, a Zélia [ministra da Fazenda] fechou o banco e pegou o dinheiro’, conta Maria”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: ESTADÃO. Como o Plano Collor prejudicou alguns cidadãos, 29 de set. de 2002. <http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,como-o-plano-collor-prejudicou-alguns-cidadaos,128797e>. Acesso em 20 de jan. 2018. 
Considerando as informações contidas no depoimento acima e conforme os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre a economia durante o governo Collor, analise as seguintes afirmações:
I. O Plano Collor tinha como objetivo, ao confiscar as poupanças, equilibrar as contas, ao mesmo tempo que reduzia o papel do Estado na economia.
II. O confisco das poupanças gerou um verdadeiro “trauma” nacional, como podemos perceber no depoimento acima, e ajudou na queda de popularidade do presidente, que acabaria sofrendo o impeachment.
III. As medidas do Plano Collor que afetaram a população, como escrito no relato acima, fizeram crescer as ações da oposição de esquerda contra o governo, principalmente após denúncias de corrupção. 
Está correto apenas o que se afirma em:
Nota: 10.0
	
	A
	I e II
	
	B
	I e III
	
	C
	I, II e III
Você acertou!
A afirmativa I, II e III são corretas. “Em março de 1990, Fernando Collor de Mello assumiu a Presidência da República com um projeto de reformas neoliberais que visavam modificar drasticamente a economia brasileira. A espantosa inflação de 1.198% mostrava que o país precisava urgentemente de uma reforma nas finanças para resolver o déficit público e reduzir os gastos do Estado. A espantosa inflação de 1.198% mostrava que o país precisava urgentemente de uma reforma nas finanças para resolver o déficit público e reduzir os gastos do Estado. No dia seguinte ao da posse, o novo presidente apresentou sua solução para a crise: o Plano Collor I. O pacote de medidas econômicas congelou ativos, poupanças e salários por 18 meses. Além disso, o programa limitou o valor dos saques e introduziu uma nova moeda, substituindo o fracassado cruzado pelo novo cruzeiro” (livro-base, p. 189,190). “A ineficácia das duas edições do Plano Collor começou a gerar um descontentamento popular, que ganhou mais força quando denúncias de corrupção envolvendo o governo começaram a ser veiculadas na mídia [...]. Após a reportagem, outras denúncias vieram, mostrando esquemas de desvio de dinheiro operados pelo empresário Paulo César Farias. A crise política agitou a esquerda, que começou um movimento para investigar as denúncias apontadas. Rapidamente, estudantes, sindicalistas, membros dos partidos de oposição e milhares de outras pessoas tomaram as ruas para pedir ética na política e fazer pressão para a saída do presidente [...]. O Congresso votou seu impeachment pouco depois, privando-o de seus direitos políticos por oito anos” (livro-base, p. 191).
	
	D
	II e III
	
	E
	III
Questão 3/10 - Sociedade Brasileira Contemporânea
Leia o seguinte excerto de texto: 
“Aparentemente, a LOPP [Lei Orgânica dos Partidos Políticos] de 1979 significava um avanço na democratização do sistema político-eleitoral brasileiro, ao liberar a formação dos partidos políticos. Porém, ela expressou a tentativa calculada do governo de fragmentar e enfraquecer a frente de oposição unificada no MDB [...]. Da oposição [...], Leonel Brizola [...] deu origem ao [...] [Partido Democrático Trabalhista] (PDT) [...]. Em 1980, surgiu ainda o [...] [Partido dos Trabalhadores] (PT)”. 
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: BAPTISTA, L. Entre a ilegalidade e a luta institucional: A atuação do PCB no Espírito Santo no contexto de abertura política (1978-1985). Dissertação de Mestrado em História. Centro de Ciências Humanas e Naturais, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016. p. 167. 
Considerando essas informações e de acordo com os conteúdos do livro-base Sociedade brasileira contemporânea sobre o processo de abertura da ditadura civil e militar, marque a alternativa correta:
Nota: 10.0
	
	A
	Apesar da tentativa de manter o controle sobre a abertura política, a Aliança Renovadora Nacional (Arena) não conseguiu criar um novo partido para seus aliados devido ao desgaste do regime.
	
	B
	A Lei Orgânica dos Partidos de 1979 foi mais um passo na lenta e controlada abertura política, em que os apoiadores do regime estiveram abrigados no novo Partido Democrático Social (PDS).
Você acertou!
A alternativa correta é a letra b), pois, em “novembro de 1979, foi aprovada uma nova legislação partidária pelo governo. Os dois partidos vigentes — Arena [Aliança Renovadora nacional] e MDB [Movimento Democrático Brasileiro] — precisavam se reinventar para as próximas eleições. Segundo Villa [...], as primeiras legendas que surgiram no período reuniram quadros dos dois lados. Foi o que aconteceu com o Partido Progressista (PP) e o Partido Democrático Social (PDS). Grande parte da oposição governista do período foi para o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). Antiga legenda getulista, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) se tornou um impasse entre Brizola e Ivete Vargas, filha de uma sobrinha do ex-estadista gaúcho. O registro precisou ser definido no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deu ganho de causa para a família

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.