A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
[MEDICINA] Lesões Dermatológicas no contexto ambulatoria

Pré-visualização | Página 1 de 2

Lesões Dermatológicas 
no contexto ambulatorial:
#Casos
#EducaçãoMédica
Termos de uso
DISTRIBUIÇÃO
Nenhuma parte desta obra pode ser 
comercializada, reproduzida ou duplicada sem 
autorização expressa do autor.
Daniel Coriolano
Médico de Família e Comunidade
instagram.com/danielcoriolano
João Victor
Médico de Família e Comunidade
Direitos e responsabilização
O autor pode tomar todas as providências legais 
contra quem copiar, distribuir ou utilizar 
qualquer parte deste documento sem permissão 
expressa. 
Embora toda precaução tenha sido tomada na 
preparação deste material o autor não assume 
nenhuma responsabilidade por erros ou 
omissões, ou por danos resultantes da utilização 
das informações aqui contidas.
2
http://instagram.com/danielcoriolanov
Aumentar o senso crítico e a 
resolutividade sobre pessoas 
com lesões dermatológicas no 
âmbito da APS.
Objetivo geral
3
"Entre os pacientes que consultam médicos 
clínicos gerais nos Estados Unidos, de 15% a 
30% têm alguma queixa dermatológica..." 
"...os médicos não especialistas respondem 
por quase 60%" destes atendimentos."
Importância
4
REVISTA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MÉDICA 126 36 (1) : 125 – 128 ; 2012
Até "... 90% dos pacientes com afecções de 
pele não são adequadamente 
diagnosticados, e seus casos são conduzidos 
de maneira equivocada, o que acaba 
gerando um elevado ônus ao sistema de 
saúde e à sociedade"
Estimativa
5
Hiletework M. Skin diseases seen in Kazanchis health center. Ethiop Med J. 
1998;36(4):245-54.
"As lesões da pele interferem na rotina 
dos indivíduos, podendo impossibilitar o 
exercício de atividades laborativas, 
gerando estigma e exclusão social"
Sobre a pessoa
6
Fitzpatrick TB, Wolff K. Tratado de Dermatologia. São Paulo: Revinter; 2005
"além de anamnese cuidadosa, requer 
atenção diferenciada à inspeção das 
diferentes características das lesões..., 
para um adequado diagnóstico..."
Desafio do generalista
7
Carli P, De Giorgi V, Palli D, Maurichi A, Mulas P, Orlandi C, et al. Dermatologist Detection and Skin 
Self-examination Are Associated With Thinner Melanomas. Arch Dermatol. 2003;139(5):607-12.
Uma oportunidade educacional para 
a vida toda e conectada às demandas 
da prática médica diária.
Educação permanente
8
Quais as lesões 
dermatológica mais 
comuns na sua prática?
#EvidênciaEmpírica ?
Vamos aos dados de 
uma publicação 
científica.
#Publicação
Objetivo do trabalho:
- Identificar patologias dermatológicas mais frequentes no Bairro Boa Esperança 
da cidade de Sinop – Mato Grosso, e descrever dados clínicos e demográficos 
das pessoas acometidas.
11
As doenças mais frequentes foram:
- XYZ 14,3%;
- XYZ 11,7%;
- XYZ 8,2%;
- XYZ 7,6% e;
- XYZ 6,6%. 
CASO #1
"Essas feridas no queixo apareceram 
há 3 dias e ele não para de coçar."
Bernardo (7 anos)
12
“
Dr. Job fez as seguintes considerações sobre o paciente:
O quadro iniciou com pequenas vesículas em região nasal, além de lesões 
eritematosas que rapidamente evoluiram para pústulas e romperam-se. As 
lesões são indolores localizadas em áreas expostas. Relata que o prurido é 
frequente. Há algumas crostas grandes próximas as pústulas menores. As 
lesões permanecem superficiais e não há úlceras ou infiltrados na derme. 
Há linfadenopatia regional (cervical).
 Caso & Imagens.
Diagnóstico e 
tratamento?
Tratamento
IMPETIGO
Impetigo é uma infecção superficial da pele que inicia 
como uma vesícula e evolui para crosta.
Highlights:
Alta transmissibilidade
Causada por Staphylococcus aureus (plasmo-coagulase positivo) e Streptoccocus pyogenes, isoladas ou associadas.
Usualmente surgem no tronco, face, mãos, áreas intertriginosas, tornozelo ou dorso dos pés, coxas e nádegas
Lesão inicial pode ser referida como uma "bolha de queimadura de cigarro".
COMPLICAÇÕES: glomerulonefrite, septicemias.
1. Remoção e limpeza, duas a três vezes ao dia, das crostas com água e sabão, ou permanganato de potássio 
1:40.000 (1 comprimido de 100 mg em 4 litros de água morna), ou água boricada a 2%;
2. Em seguida, aplica-se pomada de antibióticos tipo 1a opção: mupirocina 2% 8/8h por 5 a 7 dias), alternativamente 
pode-se utilizar ácido fusídico 2%, 8/8h até melhora completa das lesões ou por até 14 dias;
3. Se necessário introduzir 1a opção cefalexina 30 a 50mg/kg/dia 6/6h (peso/4) por 7 dias (Adulto = 250mg, de 6/6 
horas, por 7 dias); eritromicina via oral na dose 50 mg/kg/dia, de 6/6 horas, por 10 dias (Adulto = 250mg, de 6/6 
horas, por 7 dias). (difícil de achar).
Higiene pessoal, em especial lavagem de mãos. Tratamento 
imediato dos casos iniciais. Desinfecção de ferimentos ou 
machucaduras. Em caso de epidemias deve-se impor, 
principalmente em creches, higiene rigorosa, em especial da 
lavagem das mãos. Realizar cultura dos contactantes, em 
creches, para identificação dos portadores assintomáticos em 
cavidade nasal para tratamento com mupirocina.
Comentários:
15
Referências
LINK EXTERNO:
16
ABRIR
https://www.ufrgs.br/telessauders/perguntas/qual-o-tratamento-para-impetigo/
Objetivo do trabalho:
- Identificar patologias dermatológicas mais frequentes no Bairro Boa Esperança 
da cidade de Sinop – Mato Grosso, e descrever dados clínicos e demográficos 
das pessoas acometidas.
17
As doenças mais frequentes foram:
- Impetigo 14,3%;
- XYZ 11,7%;
- XYZ 8,2%;
- XYZ 7,6% e;
- XYZ 6,6%. 
CASO #2
Rafael, 10 anos, apresenta-se com lesões 
pruriginosas em tronco iniciadas há uma semana.
18
“
Dra. Débora fez as seguintes considerações sobre o paciente:
Na última semana a criança apresenta-se irritada e cansada por causa dos sintomas 
descritos. Primeiro apresentou-se com febre de 39,5º, mal-estar, falta de apetite e 
cansaço. Depois, manchas avermelhadas com prurido. Há relato de bolhas que após 
eclodirem, formaram pequenas lesões crostosas disseminadas pelo corpo. As lesões são 
mais evidentes em tronco e poupa as extremidades. Não há infecção secundária aparente.
Caso & Imagem.
Diagnóstico e 
tratamento?
Fonte da imagem: Ministério da Saúde do Brasil.
“
“
“
Tratamento
CATAPORA (vírus Varicella Zoster)
Catapora, ou varicela, é uma infecção causada pelo vírus varicela-zoster. 
É altamente contagiosa, mas quase sempre sem gravidade.
Highlights:
Alta transmissibilidade
Não é recomendada a prescrição de corticoide oral, pois não há benefício no seu uso, além de aumentar o risco de infecção bacteriana secundária.
Não devem ter contato com recém-nascidos, mulheres grávidas ou qualquer indivíduo que tem com a imunidade comprometida/modulada.
COMPLICAÇÕES: encefalite; pneumonia e infecções na pele e ouvido.
O tratamento deve ser realizado por sete dias e as doses recomendadas são: 
- Aciclovir 800 mg, cinco vezes ao dia; 
- Valaciclovir 1000 mg, três vezes ao dia; 
- Fanciclovir 500 mg, três vezes ao dia.
Obs.: A medicação antiviral deve ser iniciada em até 72 horas do início dos sintomas. Após esse período, se ainda houver surgimento de novas lesões, 
indicando replicação viral, pode-se considerar o tratamento com os antivirais. Contudo, não há benefício no tratamento quando todas as lesões já 
estiverem em fase de crosta.
LINK EXTERNO:
24
ABRIR
https://www.ufrgs.br/telessauders/?s=HERPES+ZOOSTER&search-type=normal
Objetivo do trabalho:
- Identificar patologias dermatológicas mais frequentes no Bairro Boa Esperança 
da cidade de Sinop – Mato Grosso, e descrever dados clínicos e demográficos 
das pessoas acometidas.
25
As doenças mais frequentes foram:
- Impetigo 14,3%;
- Varicela 11,7%;
- XYZ 8,2%;
- XYZ 7,6% e;
- XYZ 6,6%. 
CASO #3
Larissa, 17 anos, apresenta-se com lesões 
pruriginosas que já não aguenta mais!
26
“
Dra. Luciana fez as seguintes considerações sobre o paciente:
Paciente apresenta-se com prurido que é sentido principalmente à noite. As lesões 
dermatológicas são em túneis e nas suas extremidades, pequenas vesículas. Lesões 
sobretudo em dedos das mãos, axilas, parte do punho que segue a palma da mão, 
auréolas e genitais. Sem achado em