A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Miologia Veterinária (tronco e cabeça) - @Laravet.studies

Pré-visualização | Página 1 de 2

Miologia 
Veterinária 
 
 
Característica Músculo 
Esquelético 
Músculo 
Cardíaco 
Músculo 
Liso 
* Localização Fixados aos 
ossos, 
através do 
tendão 
Músculos 
do coração 
Entre as 
paredes dos 
ossos 
(viceras) 
* Função Movimento 
do corpo 
Bombear o 
sangue no 
coração 
Movimentar 
e consersar a 
tensão (vasos 
sanguineos) 
* Núcleos Multi-
núcleado 
Uni- 
núcleado 
Uni- 
núcleado 
* Estriações Presente Presente Ausente 
* Formato da 
Célula 
Fibra fina e 
longa 
Rami-
ficada 
Fusiformes 
* Controle 
Nervoso 
Voluntário Involuntário Involuntário 
 
 Musculatura Esquelética: fixada a ossos, 
“carnes”; 
- Células unidas por tecido conjuntivo: 
endomísio, perimísio e epimísio (fundem-
se e continuam como tendões pelos 
quais os músculos se fixam) 
 
 Musculatura cardíaca; 
 Musculatura visceral (lisa) 
 
 
 
 
 
 
 
 Musculatura cutânea do tronco: recobre 
na lateral do tórax e do abdome com 
fascículos de curso predominantemente 
horizontal. 
 Está contido na fáscia superficial; 
 Função: tensão e contração da 
pele; 
 Inervação: plexo braquial; 
 
Tendão: feito de tecido 
conjuntivo – liga o músculo ao 
osso. 
– a sua cor é branco - nacarado 
(branco-perolado) 
@Laravet.studies 
 
 
 
 Sistema Nervoso Periférico 
Plexo Braquial Plexo Lombossacral 
Formado por 
contribuições dos 
últimos três 
nervos 
cervicais e dois 
primeiros 
torácicos (C6-T2) 
Formado por 
contribuições do 
quarto nervo 
lombar ao segundo 
sacral (L4-S2) 
Contribuições de 
C5, C6 e C7 
formam o nervo 
frênico 
Contribuições de 
L4- L6 formam o 
nervo femoral 
(sempre 
acompanhado pela 
artéria e veia ilíaca 
externa) 
 
 
 Músculos da Coluna Vertebral: 
 
Epaxiais Hipaxiais 
Localizados 
dorsalmente aos 
processos transversos 
das vértebras e recebe 
suprimento nervosos 
dos nervos espinhais: 
movimentando-se 
juntos estendem o 
pescoço e o dorso, 
produzem movimento 
lateral também. 
Localizados 
ventralmente aos 
processos transversos 
e supridos pelos 
ramos ventrais desses 
nervos: inclui 
músculos da parede 
torácica e abdominal. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Músculos da Parece Torácica 
(relacionados com a respiração): 
 Intercostal Externo 
 Intercostal Interno 
 Transverso do tórax 
 Reto do tórax 
 Serrátil Dorsal (sobre as partes dorsais 
das costelas) 
 Escaleno (associado à costela, ajuda à 
estabilizá-la durante a inspiração) 
 
 
 l amor 
 Amor 
Epaxiais: extensores da coluna 
vertebral 
- 3 sistemas longitudinais: 
 Íliocostal; 
 Longuíssimo: parte cervical 
associa-se ao músculo 
esplênio; 
 Transversoespinhal 
Hipaxiais: flexores do pescoço ou da 
cauda 
- Região do pescoço: 
 Longo (do pescoço e da 
cabeça - esternocefálico) 
 Escaleno 
 Diafragma (separa a cavidade 
torácica X abdominal: 
- 3 aberturas: 
1) Hiato aórtico (artéria aorta, veia ázigo 
e ducto linfático torácico) 
2) Hiato esofágico (esôfago, troncos 
nervosos (vogais) e vasos sanguíneos 
que o suprem) 
3) Forame da veia cava caudal (localiza-
se no tendão central) 
 
- É suprido pelos nervos frênicos 
- Tendão central (centro tendíneo) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Músculos da Parece Abdominal: 
 Grupo ventrolateral: músculos do flanco 
e do assoalho abdominal (importantes 
em cirurgias de órgãos abdominais). 
 
 
 
 
 
 
 Grupo dorsal (sublombar): músculos do 
cíngulo do membro pélvico (teto do 
abdome de cada lado da coluna 
vertebral). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Observações: 
 
 Linha alba (linha branca): cordão 
fibrosos da cartilagem xifoide à 
extremidade cranial da sínfise pélvica, 
une as aponeuroses dos músculos 
abdominais transversos e oblíquos 
(direitos + esquerdos), importância 
cirúrgica nas incisões medianas. 
 
 
 
 
 
 
 Aponeurose: Membranas achatadas de 
constituição semelhante à dos tendões 
– Função de suporte. 
Diafragma 
- 3 lâminas sobrepostas com orientação 
contrastante de suas fibras: 
 Oblíquo externo do abdome; 
• Oblíquo interno do abdome; 
 Transverso do abdome (+ profundo do 
flanco) 
- Reto do abdome: curso sagital no assoalho 
abdominal, ao lado da linha alba. 
- Estabilização da coluna vertebral 
 Psoas menor; 
 Psoas maior e Ilíaco = Íliopsoas 
(flexor do quadril e rotaciona, para 
fora, a coxa); 
 Quadrado lombar 
 Cor branco-nacarado, formadas por 
tecido conjuntivo denso e pouquíssimo 
irrigadas; 
 Aderem à superfície da região do osso 
ao qual o músculo se prende, 
funcionando como um tendão mas de 
forma achatada.. 
 
 Canal inguinal: músculo cremáster (faixa 
caudal derivada do músculo oblíquo 
interno) perfuração natural da parede 
abdominal na região da virilha. 
Deiscência testicular. 
o Funículo espermático: ducto 
deferente e estruturas 
associadas; 
o Artéria e veia pudenda externa; 
o Vasos eferentes dos linfonodos 
inguinais superficiais; 
o Nervo genitofemoral; 
 
 
 
 
 Músculos da Parece Abdominal: 
 Períneo (entre ânus e vulva/bolsa 
escrotal, parte dorsocaudal do úbere de 
bovinos): partes terminais dos tratos 
digestório e urogenital; 
 “Assoalho” pélvico: cíngulo pélvico em 
quadrúpedes; 
 “Diafragma pélvico”: arranjo de músculos 
estriados contidos entre fáscias, que se 
fecha ao redor da junção anorretal; 
 Coccígeo (músculo da cauda); 
 Levantador do ânus (movimentos 
espasmódicos em cães logo após a 
defecação). 
 
Pleura X Peritônio 
Pleura Peritônio 
Membranas serosas 
que recobrem 
internamente nas 
paredes 
(camada parietal) da 
cavidade torácica 
(pleura) 
Membranas serosas 
que recobrem 
internamente nas 
paredes (camada 
parietal) da cavidade 
abdominal 
(peritônio) quanto 
as vísceras (camada 
visceral de 
pleura/peritônio) 
 
 Hérnias: protrusão de um órgão ou parte dele 
através de um orifício natural ou adquirido. 
 
 Hérnia diafragmática 
- Hérnia abdominal 
Ex.: 
a) Inguinal (na virilha) 
b) Umbilical 
c) Incisional (sob a cicatriz de cirurgias 
realizadas previamente) 
 Hérnia escrotal 
- Tratamento é cirúrgico: HERNIORRAFIA (não 
“suturamos hérnias”, mas sim o orifício que as 
forma) 
 
 Eletromiografia: técnica de diagnóstico para 
monitoramento da atividade elétrica das 
membranas excitáveis das células musculares. 
 Consiste na avaliação da função dos 
nervos periféricos, da junção neuromuscular 
e dos músculos. 
 
- EMG: eletromiograma 
- ENMG: eletroneuromiograma 
 
 Musculatura trigêmea (ex.: M. Digástrico, M. 
Masséter) – Mastigação: suprida pela 
divisão mandibular do nervo trigêmeo; 
 
 Musculatura facial: suprida pelo nervo facial 
- Superficiais (M. Cutâneo da cabeça e 
pescoço, além de pequenas unidades que 
controlam expressões faciais) 
- Profundos (fixam-se no aparelho hioide e 
orelha média) 
 
 Musculatura da faringe e do palato mole; 
 Musculatura da laringe; 
 Musculatura extrínseca do bulbo do olho; 
 Musculatura da língua; 
 Musculatura da parte ventral do pescoço. 
 
 Riso sardônico: Tétano 
 Trismo: representa uma contratura 
dolorosa da musculatura da mandíbula 
(masséteres) 
 Toxinfecção (altamente letal) que atinge 
os mamíferos; 
 Agente etiológico: bactéria Clostridium 
tetani; 
 Penetração do esporo dessa bactéria nas 
feridas ou solução de continuidade da pele 
leva a uma consequente multiplicação e 
síntese de uma potente neurotoxina (em 
condições de anaerobiose): tetanopasmina 
 
 Vacinação anual dos animais (equinos) 
 Cuidado com a assepsia do instrumental 
cirúrgico e antissepsia das lesões. 
 
 Músculos da Parece Abdominal: 
 Cutâneo 
 
Associados aos lábios e narinas: 
 Orbicular da boca (função de 
esfíncter, fixado a pele e mucosa 
labial, movimento de sucção); 
 Canino (movimentos de dilatar 
narinas