A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
trabalho mecanica aplicada

Pré-visualização | Página 1 de 5

UNINASSAU - UNIVERSIDADE MAURÍCIO DE NASSAU 
BACHARELADO EM ENGENHARIA MECÂNICA 
 
 
 
 
SÉRGIO DIEGO SERAFIM CARDOSO - 01233185 
 
 
 
 
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS E PRINCÍPIO DOS TRABALHOS VIRTUAIS 
 
 
 
 
 
 
 
 
CARUARU-PE 
2019 
 
 
SÉRGIO DIEGO SERAFIM CARDOSO – 01233185 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS E PRINCÍPIO DOS TRABALHOS VIRTUAIS 
 
Trabalho apresentado ao Curso de Bacharelado em Engenharia 
Mecânica da UNINASSAU - Universidade Maurício de Nassau, 
para matéria: Mecânica Aplicada, solicitado pelo professor 
Wesley Douglas Oliveira Silva, para obtenção de nota referente 
a primeira avaliação. 
 
 
 
 
 
CARUARU-PE 
2019 
 
 
SUMÁRIO 
INTRODUÇÃO .......................................................................................................................... 4 
1.ELEMENTOS DE MÁQUINAS ............................................................................................ 5 
1.1. ELEMENTOS DE FIXAÇÃO ............................................................................................................. 5 
1.1.1. REBITES .................................................................................................................................. 5 
1.1.2. PINOS, CANVILHAS E CONTRA PINOS .................................................................................... 6 
1.1.3. PARAFUSOS ........................................................................................................................... 7 
1.1.4. ROSCAS .................................................................................................................................. 7 
1.1.5. ARRUELAS .............................................................................................................................. 8 
1.1.6. ANÉIS ÉLASTICOS ................................................................................................................... 8 
1.1.7. CHAVETAS .............................................................................................................................. 8 
1.2. ELEMENTOS DE APOIO ................................................................................................................. 8 
1.2.1. GUIAS ..................................................................................................................................... 9 
1.2.2. BUCHAS E MANCAIS DE DESLIZAMENTO .............................................................................. 9 
1.3. ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO .................................................................................................. 11 
1.3.1. EIXOS E ÁRVORES ................................................................................................................ 11 
1.3.2. ENGRANAGENS.................................................................................................................... 12 
1.3.3. POLIAS E CORREIAS ............................................................................................................. 13 
1.3.4. CORRENTES ......................................................................................................................... 14 
1.3.5. ACOPLAMENTOS ................................................................................................................. 14 
1.3.6. CABOS .................................................................................................................................. 15 
2. PRINCÍPIO DOS TRABALHOS VIRTUAIS ..................................................................... 16 
2.1 P.V.T. EM SISTEMA DE PARTICULAS ............................................................................................ 18 
2.2. APLICAÇÕES DO PRINCÍPIO DOS TRABALHOS VIRTUAIS ............................................................ 19 
CONCLUSÃO .......................................................................................................................... 21 
BIBLIOGRAFIA ...................................................................................................................... 22 
 
 
 
 
 
4 
 
INTRODUÇÃO 
O engenheiro é um artista, cujo trabalho é resolver problemas de engenharia com os 
materiais e com as ferramentas científicas disponíveis. No entanto, a maior das ferramentas que 
possui é a si próprio e o correto emprego dessa ferramenta pode ser expresso através de sua 
dedicação, sua disposição em conhecer e, principalmente, seu bom senso. 
Engenharia é também uma ciência ligada a solução de problemas práticos, embora essa 
definição seja abrangente, podendo incluir matemáticos, que em sua vez resolve problemas 
matemáticos, médicos que resolvem problemas de saúde, mas o engenheiro se diferencia, pois, 
seu trabalho consiste na produção de produtos e artefatos ou analise e aprimoramento destes. 
Assim com essa necessidade de ferramentas no processo de resolução de problemas, deu-se 
origem aos elementos de máquinas e o princípio do trabalho virtual, que serão apresentados no 
decorrer deste trabalho. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
1.ELEMENTOS DE MÁQUINAS 
 “É o órgão unitário que em conjunto com outros componentes formam as partes 
elementares de uma máquina ou um mecanismo”. Simplificando essa citação podemos falar 
que elementos de máquinas são todas aquelas peças ou componentes que quando montados 
corretamente, constituem uma máquina ou equipamento completo e em funcionamento, mas para 
serem classificados dentro dos padrões requeridos, os componentes ou a peças mecânicas devem 
atender certos requisitos, como atender a padrões e normas técnicas específicas de um país, tendo 
a possibilidade de ser interpretado em outra localidade do mundo através da transformação de 
unidades. 
 Esses elementos podem ser classificados de acordo com a sua função e suas aplicações, 
tendo cinco principais classificações, elementos de fixação, de apoio, elásticos, transmissão e 
vedação. 
1.1. ELEMENTOS DE FIXAÇÃO 
Na mecânica é muito comum a necessidade de unir peças como chapas, perfis e barras. 
Qualquer construção, por mais simples que seja, exige união de peças entre si, assim exigindo 
elementos próprios de união que são denominados elementos de fixação. Em uma classificação 
geral os mais utilizados são: rebites, pinos, cavilhas, parafusos, porcas, arruelas, chavetas etc. 
Estás uniões podem ser de dois tipos, móvel e permanente, no caso da móvel, os elementos 
de fixação podem ser colocados ou retirados do conjunto sem causar qualquer dano às peças 
que foram unidas como acontece em ligações feitas com porcas, parafusos, arruelas e chavetas, 
já no caso das permanentes, os elementos de fixação, uma vez instalados, não podem ser 
retirados sem que fiquem inutilizados, como vemos em uniões feitas por pinos e soldas. 
Tanto os elementos de fixação móvel como os elementos de fixação permanente devem 
ser usados com muita habilidade e cuidado porque são, geralmente, os componentes mais 
frágeis da máquina. Assim, para projetar um conjunto mecânico é preciso escolher o elemento 
de fixação adequado ao tipo de peças que irão ser unidas ou fixadas. Abaixo será apresentado 
alguns tipos de elementos de fixação. 
1.1.1. REBITES 
Um rebite é uma forma de união permanente, compõe-se de um corpo em forma de eixo 
cilíndrico e de uma cabeça. A cabeça pode ter vários formatos. Os rebites são peças fabricadas 
6 
 
em aço, alumínio, cobre ou latão. Unem rigidamente peças ou chapas, principalmente, em 
estruturas metálicas, de reservatórios, caldeiras, máquinas, navios, aviões, veículos de 
transporte e treliças. Eles trabalham ao corte (tensão cisalhante, que se comporta como tensão 
de esmagamento), não necessitam de ajustamento perfeito, pois preenchem os furos por 
deformação do rebite. 
VANTAGENS DESVANTAGENS 
Não exige operário qualificado Não desmontável 
Execução simples Maior peso da união 
Barata e simples