A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
76 pág.
Aula 5

Pré-visualização | Página 1 de 3

RECAPITULANDO
SNC – Anatomia do cérebro
ou bulbo
Anatomia do coração
Circulação sanguínea
PULMÃO SUINO
Aula 3 – Sistema digestivo
Sistema Digestivo
FUNÇÕES: 
Retirar dos alimentos os nutrientes indispensáveis para a manutenção do 
organismo. 
COMPREENDE: 
O canal alimentar boca até ânus). 
Estruturas acessórias lábios, língua, dentes, gl. acessórias, fígado, pâncreas e 
vesícula biliar.
Sistema Digestivo
Digestão: nome que se dá ao processo de divisão e degradação dos alimentos 
pelo organismo;
Absorção: processo de passagem pelo epitélio intestinal;
Demais funções: apreensão, mastigação, insalivação, deglutição, digestão, 
absorção e excreção.
Boca
• Apreensão do alimento;
• Mastigação redução química e física do alimento;
• Ingestão água;
• Produção de saliva
Boca - Língua
• Captação de água e alimento.
• Manipulação do alimento dentro da boca e pela deglutição.
• Possui receptores para paladar, temperatura e dor.
• No cão é usada para intensificar a perda de calor através da respiração.
https://www.youtube.com/watch?v=SXkUaW8skpg
https://www.youtube.com/watch?v=SXkUaW8skpg
Boca - Mastigação
• Processamento mecânico do alimento;
• Redução do tamanho de partícula: facilitar digestão;
• As espécies possuem variação em relação aos tipos de dente: 
influencia na forma com que o alimento vai ser processado
Boca - Mastigação
Início da degradação do alimento ocorre na cavidade oral, onde os dentes
o trituram, transformando-o em pedaços menores;
A saliva o umedece, lubrifica e inicia a digestão, e a língua mistura os
fragmentos com a saliva, formando o bolo alimentar, e promove a sua
deglutição.
Deglutição
Ação inicialmente voluntária bolo alimentar
encaminhado para região posterior da língua
A presença do alimento é detectada por
receptores que estimulam o bulbo a inibir
momentaneamente a respiração e a concluir
a fase involuntária da deglutição.
Esôfago
Tubo músculo membranoso que conecta a cavidade faríngea com o
estômago.
Função de movimentar o bolo alimentar até o estômago
Estômago
LOCALIZAÇÃO:
Situado no abdome cranial
Voltado à esquerda
Caudal ao fígado.
– No cão e no gato, tem forma de
meia lua
Estômago
Estômago
Distende após recebimento do bolo alimentar para armazená-lo.
Dotado de contrações musculares involuntárias (musculatura lisa),
misturando e macerando o alimento + Produção de muco, HCl e
enzimas digestivas QUIMO
Esvaziamento gástrico médio:
 GATOS: 25 a 449 min*
 CÃES: 72 a 240 min*
 Influenciado pelo volume gástrico, tipo de alimento, ingestão de água, etc.
Estômago
Movimento inicia na parte média do fundo gástrico em direção à região
pilórica
Conteúdo já processado (quimo) é
direcionado para o intestino
delgado
Piloro se contrai empurrando
partículas grandes novamente
para a região fúndica
Intestino
Órgão bastante longo pode medir até seis vezes o comprimento do
corpo do cão
Forma curvas (alças) que distribuem-se pela cavidade abdominal.
Anatomicamente é dividido em intestino delgado, formado pelos
segmentos duodeno, jejuno e íleo, e pelo intestino grosso, composto
por cólon, ceco, reto e ânus.
Intestino
Duodeno ASCENDENTE
Pt. Cranial do duodeno
Flexura duodenal caudal
Duodeno 
DESCENDENTE
Intestino Delgado - DUODENO
O duodeno tem especial importância por ser o 
primeiro segmento do intestino delgado Recebe 
o conteúdo estomacal (quimo) e continua o 
processo da digestão;
Também se conectam os ductos vindos das 
glândulas acessórias do sistema digestivo: 
pâncreas e vesícula biliar. 
– Secreção do pâncreas: fonte de enzimas.
– Bile: responsável pela emulsificação e digestão 
de gordura.
Após o duodeno, o quimo vai ao jejuno e íleo. Ao longo das diversas porções do
intestino se processam as reações que executam a digestão dos alimentos.
O princípio chave da digestão é quebrar as estruturas complexas que formam os
alimentos em moléculas menores = fáceis de serem absorvidas e aproveitadas como
combustível para as inúmeras funções fisiológicas essenciais à vida.
Entre as principais transformações de nutrientes provocadas pela digestão, temos:
Glicídios: são quebrados em glicose e frutose São digeridos por ação da
enzima amilase, presente em pequena quantidade na saliva e em maior
quantidade nas secreções do pâncreas;
Lipídios: são quebrados em partículas menores chamadas triglicerídeos. São
digeridos pela lipase (do pâncreas) e pelos sais biliares;
Proteínas: são desmembrados em suas unidades formadoras que são os
aminoácidos. São digeridos pelas proteases do suco gástrico e do pâncreas.
Intestino Delgado - JEJUNO
Maior porção do intestino;
Principal responsável pela absorção de aminoácidos, gorduras 
e açúcares digeridos no estômago e duodeno;
Intestino Delgado - ÍLEO
Última porção do intestino delgado;
Continua o processo de absorção;
Após o íleo, o alimento em digestão passa para o cólon, que se
subdivide em cólon ascendente, cólon transverso e cólon
descendente.
Essa nomenclatura tem por base a direção para qual cada
segmento do órgão conduz o material fecal em seu interior.
Como bem sabemos, nem todo o alimento que foi originalmente
ingerido é absorvido nos segmentos intestinais porção não
aproveitada formará os resíduos que são excretados na forma
de fezes.
Intestino Grosso
FUNÇÕES:
Absorção de água
Produção de muco
Formação e expulsão do bolo fecal
Microbiota intestinal (flora): Diferente em cada indivíduo.
Influenciada pelo tipo de alimentação recebida.
Auxiliam na digestão e selecionam microrganismos patogênicos. 
Estão no lúmen intestinal, maior parte está no cólon.
Uso de probióticos e prebióticos
PROBIÓTICOS:
Todo o medicamento que tem como princípio ativo, microrganismos vivos que
conferem melhora da saúde intestinal.
Substâncias produzidas a partir de bactéria, leveduras, lactobacilos que
modificam a flora intestinal, principalmente selecionando as bactérias
benéficas presentes no intestino.
PROBLEMA: em alguns casos, os microrganismos
ao serem administrados chegam em um ambiente
que não é favorável, por isso, muitas vezes,
apenas o probiótico não é suficiente, sendo
necessário também, a utilização de prebióticos
Uso de probióticos e prebióticos
PREBIÓTICOS:
Fornecem subsídios para que os microrganismos bons consigam ser
selecionados. Nesses prebióticos são encontrados componentes
alimentares que selecionam os microrganismos
Intestino
Duodeno ASCENDENTE
Pt. Cranial do duodeno
Flexura duodenal caudal
Duodeno 
DESCENDENTE
Intestino
Fígado
FUNÇÃO:
– Secretar a bile: produzida pelo fígado, armazenada na vesícula
biliar e enviada ao intestino, onde funciona como detergente e
ajuda na dissolução e aproveitamento das gorduras;
– Armazenar glicose: extraída dos alimentos e armazenada no
fígado sob a forma de glicogênio, que fica à disposição do
organismo para quando ele precisar de energia;
– Produzir proteínas essenciais , como a albumina, que mantém a
água dentro do organismo;
– Desintoxicar o organismo;
– Sintetizar o colesterol, que é metabolizado e excretado pela bile;
Fígado
Possui duas faces: visceral e diafragmática
Localiza-se na parte mais cranial do abdome, imediatamente atrás
do diafragma
Fígado
Pâncreas
FUNÇÃO:
Função endócrina responsável pela produção de insulina =
hormônio que controla o nível de glicemia no sangue
Função exócrina produção de enzimas envolvidas na digestão
e absorção dos alimentos.
Pâncreas
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
Qual órgão acessório está faltando?
Recapitulando 
Intestino
Processo caudato do 
lobo caudado
Lobo Hepático lateral 
direito
Vesícula biliar
Lobo hepático medial 
direito
Lobo Hepático medial 
esquerdo
Lobo quadrado
Processo papilar do 
lobo caudado
Lobo hepático lateral 
esquerdo
E
D
Aula 3 – Sistema urinário
Sistema urinário
A principal tarefa realizada neste 
sistema é a depuração do sangue, a fim 
de remover resíduos produzidos em vários 
processos