A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
84 pág.
Fluidos de Completação Parte 1

Pré-visualização | Página 1 de 4

Fluidos de Completação
Francileide Gomes da Costa.
Química de Petróleo
CENPES/PDGP/IRF
Perfuração
Restauração
Abandono
OPEX 
econômico
Sim
Não
Poço Perfurado
Poço 
Abandonado
Locação
Poço Restaurado
Completação
Poço Completado
Produção / 
Injeção
Poço Fechado
Ciclo de vida do Poço de 
Desenvolvimento
Completação
• Recebe o poço e inicia o programa de 
condicionamento do revestimento e demais 
operações básicas e especiais
- Instala coluna de completação
- Instala equipamentos de superfície ou de 
cabeça do poço
- Induz surgência e entrega o poço para a 
produção
Completação
Fazem parte da completação todas as 
operações efetuadas no poço desde a sua 
perfuração até o momento que o poço entra 
em produção / injeção, visa transformar o 
poço perfurado em uma unidade produtiva, 
isto é, produzir petróleo e/ou gás, ou a injetar 
água, gás, polímero ...
Operações que fazem parte da 
completação
• Condicionamento do revestimento
• Fluido de completação
• Avaliação da cimentação
• Canhoneio
• Compressão de cimento
• Indução de surgência
• Amortecimento de poços
• Abandono de zonas
Projeto de Completação
• Poço: objetivo e ambiente (on-/off-shore)
- Poços exploratórios
- Desenvolvimento (produção, injeção, 
monitoramento)
• Reservatório
- Fluidos
- Pressão e suas variações
- Interfaces entre fluidos e suas variações
- Número de estratos (camadas)
- Características das rochas
Projeto de Completação
• Tipo de produção, perfil do poço, 
isolamento de zonas
- Segurança
- Poço em fluxo e elevação artificial
- Condições operacionais
• Estimulação, Medição, Manutenção, 
outras intervenções
Tipos básicos de completação
• Poço aberto (somente na zona produtora)
• Poço aberto com liner
• Revestido, canhoneado
• Revestido, canhoneado com tubulação de 
produção
• Geral: Frac, Gravel pack, Acidificação
Tipos de Completação
Completação
• Movimentação da Unidade de Intervenção
• Instalação de Equipamento de Segurança (BOP, 
...)
• Condicionamento de Poço
• Tratamento da Formação
• Instalação de Coluna de Produção
• Retirada de Equipamento de Segurança (BOP, 
...)
• Instalação de Material de Superfície (ANM, ...)
Operações da Completação
ÁGUA
GÁS
ÓLEO
BROCA
DRILL PIPE
RASPADOR
CONDICIONADOR
DE TOPO LINER
ÁGUA
GÁS
ÓLEO
CANHÃO
CABO
ELÉTRICO
JATOS
CCL
ÁGUA
GÁS
ÓLEO
CIMENTAÇÃO
PRIMÁRIA
FLUIDO DE
COMPLETA-
ÇÃO
CBL/VDL/GR/CCL
CCL
GR
Atividades
• Corte de tampões de abandono temporário;
• Corte da flapper valve;
• Corte de tampões permanentes;
• Raspagem do revestimento de produção;
• Teste hidrostático do revestimento;
• Condicionamento do liner; 
• Amortecimento;
• Limpeza e remoção de detritos; 
• Combate a perda de circulação e substituição do fluido do poço.
Completação - Condicionamento do 
revestimento de produção/liner
Completação -
Equipamentos de 
Segurança
• Instalação da BAP no housing
(completação molhada); 
• Instalação do BOP 
(Submarino ou Superfície) e 
teste.
Completação - Condicionamento 
do revestimento
Etapas:
• É descida uma coluna com broca de 8 
1/2” na extremidade para cortar os 
tampões de cimento no interior do 
revestimento de 9 5/8”. 
• Um raspador também é descido para 
condicionar o revestimento, 
preparando-o para receber os 
equipamentos de completação. 
• É utilizada água do mar (adensada com 
sal, caso necessário) e tampões 
viscosos nessa operação
Completação - Corte de cimento e 
condicionamento de topo do liner
Etapas:
• Para o corte do tampão de 
cimento no interior do liner, a 
coluna de trabalho anterior é
retirada e trocada, 
• É descida uma broca de 
6,1/8”, um raspador e um 
condicionador do liner - cuja 
função é preparar esse ponto 
crítico para a passagem dos 
equipamentos
Completação - Troca de 
fluido
• A mesma coluna que 
realizou o 
condicionamento do liner é
utilizada para trocar a água 
do mar por fluido de 
completação. 
• Raspador
• Escovas
• Magneto
• Cesta Coletora
• Condicionador de Topo do Liner
Completação - Principais Equipamentos de 
Condicionamento de Poço
RASPADOR 
DE
REVESTIMENTO
Escova de Revestimento
Magneto
FILTRO
ESCOVA DE RISERS CESTA DE DETRITOS
O que ocorre após a completação do poço ?
Inicia-se a produção de óleo e/ou gás ou a 
injeção de água.
Durante a vida útil do poço, são necessárias 
algumas operações para manutenção ou 
aquisição de dados.
• Intervenções em Poços
Nome genérico com que se costuma designar 
as operações efetuadas em um poço após a 
sua perfuração, com utilização de sondas.
São consideradas intervenções em poços 
as seguintes atividades: 
• Completação
• Recompletação
• Avaliação (monitoramento do poço / 
reservatório)
• Estimulação
• Restauração 
• Limpeza
• Abandono
Avaliação da formação
Operações executadas no poço, visando 
definir os parâmetros da formação 
reservatório (permeabilidade, tamanho do 
reservatório, pressão estática, ...), as 
propriedades de fluidos (API, RGO, Psat, 
salinidade e componentes da água de 
formação, ...) e o índice de produtividade ou 
injetividade
Avaliação da formação
São trabalhos de avaliação:
• Teste de formação a poço revestido
• Teste de produção
• Teste de injetividade
• Perfilagem de produção
Após a realização do canhoneio é comum efetuar-se uma 
avaliação da formação produtora (ou injetora) através da 
realização de um Teste de Formação a Poço Revestido (TFR).
Esse teste consiste numa completação provisória do poço na 
zona de interesse utilizando-se uma coluna especial que 
permite a realização de fluxos e fechamentos alternados 
visando a obtenção de diversos informações sobre o 
reservatório. 
Avaliação da formação
Dados obtidos com o teste de formação: 
- verificação da pressão estática;
- verificação da produtividade da formação, com a medição dos parâmetros 
de produção (vazões de cada fluido produzido, BSW e RGO);
- verificação do grau de dano na formação próxima ao poço; 
- amostragem dos fluidos para obtenção de suas propriedades em 
laboratório (análise PVT para o caso do óleo);
- estimativa do volume de óleo existente;
- outras.
Avaliação da formação
Avaliação de formação
ÁGUA
GÁS
ÓLEO
VÁLVULA
DE TESTE
P & T PACKER
VÁLVULA DE
CIRCULAÇÃO
AMOSTRADOR
Uma vez concluída a avaliação
do poço pode-se chegar à
conclusão de que a sua
produtividade encontra-se 
abaixo do esperado para aquele
reservatório. 
Com o intuito de incrementar
sua produtividade/injetividade, 
podem ser efetuadas
operações de estimulação.
Estimulação
Operações com o objetivo de aumentar o índice de 
produtividade ou injetividade do poço, através a 
criação de fraturas artificiais e/ou do aumento de 
permeabilidade na região próxima ao poço 
(remoção de dano, formação de wormholes)
Estimulação
São operações de estimulação:
• Fraturamento hidráulico;
• Fraturamento ácido;
• Acidificação matricial.
Injeção de fluidos na formação 
durante estimulação
ÁGUA
GÁS
ÓLEO
Técnica de estimulação na qual, por 
meio de um fluido (fluido de 
fraturamento), aplica-se uma pressão 
contra a rocha reservatório até causar 
sua ruptura por tração.
A fratura, que é iniciada na parede do 
poço, é propagada pelo bombeio do 
fluido de fraturamento. Incorporado a 
estefluido, é bombeado também um 
material granular (agente de 
sustentação) que é alojado no interior 
da fratura. 
Estimulação – Fraturamento Hidráulico 
Ao final do bombeio, 
quando é atingido o 
comprimento projetado 
para a fratura, ela se fecha 
sobre o agente de 
sustentação, sendo 
estabelecido um canal de 
alta permeabilidade para o 
fluxo de fluidos da 
formação para o poço.
Estimulação – Fraturamento Hidráulico 
Com a criação da fratura tem-se agora um “poço” de área aberta ao 
fluxo bem maior (= área da fratura), o que se traduz em maior 
produtividade. 
O agente de sustentação e um meio poroso selecionado e 
homogêneo, que possui alta permeabilidade, representando 
pequena restrição ao fluxo através do mesmo.
Em alguns

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.