A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
206 pág.
livro Processo de Exportação e Importação

Pré-visualização | Página 17 de 50

que se refere à tomada de decisões sobre questões de comércio exterior, 
estas serão sempre feitas por consenso nas reuniões colegiadas e formalizadas 
por resoluções da CAMEX.
Todas as decisões da CAMEX são publicadas no Diário Oficial da União, 
a fim de dar conhecimento público aos atos e decisões praticados pela Câmara.
No site da CAMEX, você poderá se informar sobre questões da atualidade. 
Você poderá observar as últimas decisões tomadas pela CAMEX com impacto direto aos 
processos de comércio exterior: novos antidumpings, novas taxas ou novas reduções de 
taxas de importação etc. Acesse: <http://www.camex.gov.br/noticias>.
ATENCAO
4.1.2 Órgãos gestores além da CAMEX
Conforme vimos, a CAMEX é o principal órgão do Estado para todas as 
questões sobre comércio exterior, sendo assim, ela é a entidade pública com o maior 
poder de decisão dentro desse contexto. As demais entidades públicas gestoras 
são: Ministério das Relações Exteriores (MRE), Ministério do Desenvolvimento, 
Indústria e Comércio Exterior (MDIC), e Ministério da Fazenda.
Cada um destes ministérios possui atividades-chave e com impacto direto 
aos processos de exportação e importação, como veremos na continuação.
MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES (MRE)
O MRE possui vínculo institucional direto com a Presidência da República. 
Seu principal objetivo é a formulação da política exterior do Brasil, realizando 
atividades de execução dessas políticas. Assim, o MRE atua ativamente nas 
relações diplomáticas com os países, organismos e organizações internacionais; e 
procurando executar os interesses do Estado brasileiro no exterior.
50
UNIDADE 1 | A IMPORTÂNCIA DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES NO COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL
Por meio da gestão do MRE é que algumas das decisões da CAMEX são 
encaminhadas aos gestores diplomáticos para poderem ser negociadas no âmbito 
internacional. Negociações tais como: iniciar as bases de “bom entendimento” 
entre países para reduções de tarifas de importação, barreiras comerciais, acordos 
comerciais etc.
MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO 
EXTERIOR (MDIC)
Igualmente aos demais ministérios, o MDIC possui vínculo institucional 
direto com a Presidência da República. Este é o ministério que executa as diretrizes 
de políticas de comércio exterior definidas na CAMEX. Isto é feito por meio da 
Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), que está sob a gestão do MDIC.
SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR (SECEX)
Como estudamos acima, a SECEX está subordinada ao MDIC, é a área 
deste ministério responsável pela execução das atividades de comércio exterior. 
Dentro de suas principais funções, pode-se destacar:
PRINCIPAIS OBJETIVOS DA SECEX 
• Propor medidas de políticas fiscais, cambiais, de financiamento, de 
transportes e fretes e de seguro, visando à execução comercial internacional 
segundo os interesses do Estado brasileiro.
• Participar das diversas negociações, junto ao MRE, em acordos ou convênios 
internacionais relacionados, especificamente, ao comércio exterior.
• Desenvolver propostas de políticas de comércio exterior à CAMEX que 
estejam em concordância com os interesses do Estado brasileiro, assim como 
estabelecer as normas que sejam necessárias para sua implementação. 
FONTE: Adaptado de SECEX (2016)
MINISTÉRIO DA FAZENDA
O Ministério da Fazenda possui vínculo direto com a Presidência de 
República e faz parte da diretoria da CAMEX. Entre suas principais atribuições, 
este ministério tem sob sua responsabilidade as políticas monetárias favoráveis 
ao comércio exterior, tal como a execução de uma política cambial estável e que 
ajude a ter uma taxa de câmbio favorável à exportação.
Outra das atribuições deste ministério é sua atuação ativa no âmbito fiscal, 
tributário e aduaneiro. Exemplo, a combinação da arrecadação dos impostos de 
importação determinados em função das tarifas externas definidas para cada 
produto sujeito a importação.
TÓPICO 3 | DINÂMICA DA POLÍTICA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR
51
Além disso, por meio das entidades vinculantes ao Ministério de Fazenda, 
tal como o Banco Central do Brasil, executam-se os contratos de câmbio vindos 
das atividades de comércio exterior. Todas estas atividades monetárias que 
possuem vínculo direto com o comércio exterior são executadas por meio das 
seguintes secretarias sob a gestão do Ministério de Fazenda: 
Entidades do Ministério de Fazenda vinculantes ao comércio exterior
SECRETARIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS – SAIN
• Trata de questões que envolvem a economia brasileira no seu relacionamento 
com os demais países, blocos econômicos e organismos internacionais, tais 
como o Fundo Monetário Internacional – FMI, a Organização Mundial do 
Comércio – OMC, o Mercosul, a ALCA etc.
• Participa do Grupo de Trabalho de Defesa Comercial – GTDC. Organiza 
e coordena, em conjunto com o MDIC/SECEX, as reuniões do Comitê de 
Crédito às Exportações – CCEX.
• Coordena o Comitê Gestor do Seguro de Crédito às Exportações – CFGE.
• Coordena e acompanha o processo de negociação de programas e projetos 
junto a fontes multilaterais e bilaterais de financiamento.
• Analisa as políticas de organismos internacionais, a conjuntura econômica 
internacional e promove a avaliação de projetos financiados com recursos 
externos.
SECRETARIA DE POLÍTICA ECONÔMICA – SPE
• A SPE é responsável pela formulação, acompanhamento e coordenação da 
política econômica.
• Monitora, analisa e sugere alternativas de políticas ao setor externo, 
incluindo política cambial, comercial, balanço de pagamentos e mercado 
internacional de crédito.
• Elabora relatórios periódicos sobre a evolução da conjuntura econômica; e 
pronuncia-se sobre a conveniência da participação do Brasil em acordos ou 
convênios internacionais relacionados com o comércio exterior.
SECRETARIA DE ACOMPANHAMENTO ECONÔMICO – SEAE
• Encarregada de acompanhar os preços da economia, subsidiar decisões em 
matéria de reajustes, revisões de tarifas públicas, bem como apreciar atos 
de concentração entre empresas e reprimir condutas anticoncorrenciais. 
Secretaria GTAR-69, Comitê Interministerial responsável pelo exame de 
pleitos de redução tarifária por razões de abastecimento e de risco à saúde.
• A atuação de SEAE reflete-se em suas três principais esferas de atuação: 
promoção e defesa comercial; regulação econômica e acompanhamento de 
mercados.
52
UNIDADE 1 | A IMPORTÂNCIA DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES NO COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL
SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL – SRF
• Dentro da SRF, a Coordenação-Geral do Sistema Aduaneiro – COANA 
assume grande importância no comércio exterior em função de sua 
competência de planejar, orientar, supervisionar, controlar e avaliar as 
atividades aduaneiras, bem como aplicar a legislação aduaneira e correlata, 
baixando os atos normativos necessários.
• Sua estrutura administrativa tem, além da COANA, a seguinte composição:
o Coordenação de Assuntos Tarifários e Comerciais.
o Coordenação de Fiscalização e de Controles Aduaneiros Informatizados.
o Coordenação de Regimes.
o Logística e Auditorias Aduaneiras.
A SRF é órgão gestor, junto com a SECEX e o BACEN, do Sistema 
Integrado de Comércio Exterior – SISCOMEX, responsável pelo controle de 
procedimentos aduaneiros e fiscais.
FONTE: Adaptado de <http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/aduaneira>. Acesso em: 24 
fev. 2016.
Como acabamos de observar, são diversos órgãos gestores que fazem 
parte do serviço do governo para agilizar e apoiar os processos de comércio 
exterior. Para facilitar, apresentamos uma síntese sequencial deles:
CAMEX: Câmera de Comércio Exterior
MRE: Ministério de Relações Exteriores
SECOM: Setores de Promoção Comercial
MDIC: Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
SECEX: Secretaria de Comércio Exterior
DENOC: Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior
DEINT: Departamento de Negociações Internacionais
DEPLA: Metodologia aplicada para a elaboração de publicação da exportação 
brasileira por parte

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.