A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
206 pág.
livro Processo de Exportação e Importação

Pré-visualização | Página 9 de 50

brasileiras não 
poderiam dar conta da fabricação de grande parte das mercadorias de produção 
nacional, visto que muitos insumos têm sua origem em outros países, parceiros 
do comércio exterior brasileiro. Eis a grande necessidade das importações: não 
são só bens importados prontos para serem consumidos; de fato, grande parte 
das importações brasileiras é para fornecer à indústria nacional.
2 A NECESSIDADE DE IMPORTAR
Do exposto acima, podemos observar que os países têm diversas 
necessidades de importação, desde produtos básicos, bens de consumo, insumos, 
até bens de capital com tecnologia de ponta. As importações exercem um papel-
chave na dinâmica de uma economia, de acordo com Schulz (2000, p. 104):
UNIDADE 1 | A IMPORTÂNCIA DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES NO COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL
22
As importações desempenham um papel vital na vida econômica de 
qualquer país desenvolvido, subdesenvolvido ou em desenvolvimento, 
pois nenhum país é totalmente autossuficiente. Todos os países 
dependem, de alguma forma, do resto do mundo para suprir suas 
necessidades. Quanto mais desenvolvido e industrializado, maior será 
sua necessidade de relacionamento com outros países.
Desse universo de importações, temos que diferenciar entre importações 
destinadas ao consumo final e importações destinadas ao processo produtivo e/
ou aprimoramento de processos das empresas industriais e/ou comerciais que 
fazem parte da economia. 
Em termos empresariais, qual o motivo que incentiva as empresas a 
importar? Embora existam muitos fatores, a maioria das empresas é motivada pelo 
interesse de buscar maiores margens operativas, portanto, gerar maior potencial de 
lucro. Para exemplificar, vamos colocar em contexto uma empresa local que produz 
e comercializa sapatos e botas nacionais: ela tem a opção de comprar saltos para a 
fabricação de suas botas por meio de dois fornecedores, o primeiro é nacional e o 
segundo é da Colômbia. O fornecedor nacional oferece o par de saltos para botas 
a R$ 6,00 e o fornecedor da Colômbia oferece o par de saltos, já nacionalizado, a 
R$ 5,00. Qual fornecedor você pensa que a empresa irá escolher? Provavelmente 
será o fornecedor da Colômbia, que poderá oferecer à empresa a oportunidade de 
melhorar a sua margem operativa e obter lucros maiores. Eis o grande motivador 
para importar insumos de fora: melhorar a margem de lucro na cadeia produtiva.
Por meio deste exemplo simples podemos observar como as empresas 
decidem sobre a escolha de importar ou se abastecer de insumos no mercado 
nacional. “[...] existe uma dinâmica que tende a minimizar as diferenças 
nas negociações. Essa dinâmica inclui um objetivo comum (como o lucro) e, 
geralmente, um referencial comum (na medida em que as partes envolvidas 
aprendem a trabalhar em conjunto)” (ACUFF, 2004, p. 43).
Além da constante busca de melhorar a margem operativa das empresas, 
existe mais uma dinâmica que incentiva as empresas a importar, o aumento 
da demanda interna. Em muitas ocasiões, a produção nacional não dá conta 
da demanda interna, assim, abre-se uma janela para abastecer o mercado por 
meio das importações, segundo Souza (2003, p. 144): “[...] hoje muitas empresas 
recorrem a produtos importados para atender à demanda interna, ou seja, quanto 
mais alta for a sua demanda, mais alta será a demanda por esses bens, tanto os 
produzidos internamente quanto os estrangeiros”.
Como exposto acima, podemos dizer que existem diversos motivos para 
importar, existindo quatro grandes motivadores, sendo estes:
• Abastecer-se de insumos e bens de capital que simplesmente não existem no 
país, logo, a importação se faz imprescindível.
• Atingir melhores níveis de lucro diante da diminuição de custos, e economia de escala 
da atividade empresarial moderna. Exemplo: reduzir a dependência dos fornecedores 
nacionais e aumentar os estrangeiros que poderiam ter preços mais baixos.
TÓPICO 2 | AS IMPORTAÇÕES
23
• Aumentar as opções de fornecedores e a qualidade dos seus produtos, 
consequentemente, da produtividade empresarial. Exemplo: se um insumo 
importado de maior qualidade gera menor desperdício, talvez seja interessante 
abrir essa possibilidade.
• Diversificar mercados de atuação oferecendo uma gama de produtos 
diferenciados, dependendo da funcionalidade e da qualidade. Exemplo: uma 
empresa que produz fogões e geladeiras poderia complementar suas vendas 
com uma linha de modelos importados. 
A importação, por sua vez, visa permitir ao país a obtenção daqueles 
produtos que ele não tem condições ou não tem interesse em produzir, 
possibilitando suprir eventuais falhas em sua estrutura econômica, 
ou, quiçá, o desinteresse mencionado. Através da importação, o país 
propicia à sua população o alcance destes produtos aparentemente 
distantes (KEEDI, 2007, p. 22).
Apesar de estar comprovado que o próprio mercado determina o volume de 
importações necessárias para uma economia inserida no comércio internacional, 
existem fatores de análise importantes que definem quão aberta é uma economia 
ao mercado internacional. Nesse sentido, faz-se necessário analisar:
• Quais as dificuldades encontradas pelas empresas no momento de realizar um 
processo de importação.
• Quais os fatores nacionais que motivam a realização de importações, além do 
interesse da empresa privada de gerar maiores lucros.
• Quais são as reais vantagens e desvantagens verificadas a partir da importação, 
para o consumidor, a empresa e o país.
3 COMPOSIÇÃO DAS IMPORTAÇÕES DO BRASIL
Para entender a composição das importações no Brasil, temos que analisar 
qual é o motivo gerador das importações. Em grande parte, as importações 
dependem da demanda interna existente. Isso significa que o aumento, ou 
diminuição, das importações ficará majoritariamente em função da capacidade 
de consumo da população e da capacidade das empresas em reagir às variações 
dessa demanda interna. 
Nesse contexto, quanto maior a renda disponível da população, maior 
será a demanda de produtos importados, ou de produtos que contenham 
insumos originários das importações. Como já frisamos anteriormente, a maior 
parte das importações do Brasil não são bens de capital e, sim, insumos para a 
indústria nacional, que têm como destino o processo produtivo das indústrias 
e montadoras operando aqui no Brasil. Isto nos leva a seguinte pergunta: quais 
produtos o Brasil importa?
UNIDADE 1 | A IMPORTÂNCIA DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES NO COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL
24
3.1 PRINCIPAIS MERCADORIAS QUE O BRASIL IMPORTA
O Brasil, em função de ser uma das maiores economias do mundo, e em 
função de seu nível médio de desenvolvimento, importa diversas mercadorias 
e serviços, desde matérias-primas básicas, bens de capital de tecnologia de 
ponta até veículos de luxo. Porém, dentre as milhares de diferentes mercadorias 
importadas, somente 25 itens destas mercadorias fazem parte de mais de 40% das 
importações!
Segundo dados fornecidos pela Receita Federal do Brasil do ano 2011, as 
25 principais mercadorias importadas representam 42,26% do total importado, 
concentrando-se nos seguintes itens:
Principais produtos importados pelo Brasil de janeiro até agosto do 
ano 2011
• Os óleos de petróleo ou de minerais betuminosos lideraram a importação 
com US$ 9.937 milhões, representaram 6,77%.
• O petróleo e os automóveis de passageiros - US$ 9.340 milhões, representaram 
6,36%.
• Os automóveis de passageiros - US$ 7.353 milhões, representaram 5,01%.
• As partes e acessórios dos veículos automotores - US$ 4.234 milhões, 
representaram 2,88%.
• As compras externas de aparelhos elétricos para telefonia ou telegrafia por 
fio - US$ 3.163 milhões, representaram 2,15%.
• Os circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos - US$ 2.946 milhões.
• O gás de petróleo e outros hidrocarbonetos - US$ 2.856 milhões.
• As hulhas - US$ 2.811 milhões.
• Os adubos e fertilizantes químicos - US$ 2.281 milhões.
• Os medicamentos representaram US$ 2.278 milhões.
FONTE: Adaptado de: <http://www.receita.fazenda.gov.br/publico/Aduana/

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.