A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
TSPIII AV1 2020

Pré-visualização | Página 1 de 1

Nome KARLA BORGES DE OLIVEIRA 
	Matrícula 201902202041
	PROVA AV1 - TSPIII
 PROFESSORA: KELLY CARDOSO
	Período-Turma 4º 
RESPONDA AS SEGUINTES QUESTÕES:
1 – CITE AS QUESTÕES EXISTENCIALISTAS? ( 2PONTO)
Alcança as raízes da vida do homem. Envolve a centralização na pessoa existente e enfatiza o ser humano como emergente em evolução, é um interesse pela compreensão da estrutura do ser humano se sua experiencia, principal referência: o existencialismo é um humanismo.
2 – O QUE É FENOMENOLOGIA? DESCREVA:(2 PONTOS)
Fenomenologia é o estudo de um conjunto de fenômenos e como se manifestam. Consiste em observar a essência das coisas e como são percebidas no mundo.
3 – O QUE É EXISTENCIALISMO? (2 PONTO)
É um interesse pela compreensão da estrutura do ser humano e sua experiência.
4 – SEGUNDO KIERKEGAARD, QUAIS SÃO OS MODOS DE EXISTENCIA? EXPLIQUE-OS. (2 PONTOS)
Modo estético é caracterizado pela busca constante de gozo, em que o indivíduo se empenha com todas as suas forças na busca do prazer imediato e desregrado, numa postura hedonista, embora o filósofo não use este termo. Para Kierkegaard, o esteta é aquele que não quer comprometimento de forma alguma (a ideia de casamento o horroriza) por isso vive de gozo em gozo (sobretudo sexual, mas não apenas), sempre tentando preencher um vazio existencial persistente.
Modo ético, no qual o homem submete-se à lei moral e opta por si mesmo. Ao falar do estádio ético, Kierkegaard fala do marido fiel: o modo de vida ético é o modo de vida do indivíduo que é correto com a família e trabalhador. Trata-se não mais do indivíduo que busca o prazer, trata-se do indivíduo que ordena sua vida em relação ao cumprimento do dever. Diz Kierkegaard: “A esfera ética é uma esfera de transição, que, todavia, não é atravessada de uma vez por todas...” (Kierkegaard, Stadi sul cammino della vita, p. 693). Ela oferece uma forma de preparação para o estádio religioso.
Modo religioso não pode ser alcançado por nenhuma certeza ou justificação racional, mas sim pelo salto da fé, em que o indivíduo escolhe posicionar sua subjetividade perante o Absoluto, em um encontro solitário com Deus.
Kierkegaard usa o exemplo de Abraão como representativo da fé, pois Abraão com todas suas dúvidas e dores obedece à ordem de Deus e leva seu filho único, Isac, para ser degolado em sacrifício, sem saber que seu filho seria salvo no último instante.
Para o indivíduo ético, que só conhece a lei moral, o ato de Abraão não passa de um assassinato, mas para o religioso tal ato é o cumprimento da vontade de Deus. Por isso, segundo o filósofo, a vida do homem religioso deve ser como a vida de Abraão, uma vida que procura cumprir as ordens de Deus ainda que não as entenda.
5 – CITE AS DEFINIÇÕES SOBRE O HOMEM, SEGUNDO JEAN PAUL SARTRE? (2 PONTOS)
O ser em si – refere-se ao ser idêntico a si mesmo, ausente de fissura por onde se pudesse introduzir o nada. O ser em si não possui consciência de si mesmo, é pura facticidade. 
O ser para si é a consciência: uma relação de para si. O ser para si produz uma desorganização interna no ser em si: é uma “doença” do ser.
O ser para o outro – diante do olhar do outro, a consciência se conhece como corpo. Referência: “entre quatro paredes”. O homem apresenta uma dualidade: existe no mundo como ser para si (consciência) e, simultaneamente, como ser em si (corpo). 
Boa Prova!